A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

15/12/2010Persuasão e Retórica1 (Org. por Sérgio Biagi Gregório) Título da Palestra.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "15/12/2010Persuasão e Retórica1 (Org. por Sérgio Biagi Gregório) Título da Palestra."— Transcrição da apresentação:

1 15/12/2010Persuasão e Retórica1 (Org. por Sérgio Biagi Gregório) Título da Palestra

2 15/12/2010Persuasão e Retórica2 Introdução O presente trabalho oferece-nos subsídios para uma análise da nossa capacidade de expressão verbal e a influência que o nosso discurso possa exercer sobre os ouvintes.

3 15/12/2010Persuasão e Retórica3 Conceito Persuasão –É o emprego de argumentos, legítimos e não legítimos, com o propósito de se conseguir que outros indivíduos adotem certas linhas de conduta, teorias ou crenças. Retórica –É a arte de bem falar, mediante o uso de todos os recursos da linguagem para atrair e manter a atenção e o interesse do auditório para informá-lo, instruí-lo e principalmente persuadi-lo das teses ou dos pontos de vista que o orador pretende transmitir.

4 15/12/2010Persuasão e Retórica4 Nasceu na Sicília, em meados dos séc. V a.C. A arte da retórica foi sistematizada por Aristóteles ( a.C.) no tratado Tekne rhetorike (Arte retórica), em que recomenda como qualidades máximas para o estilo a clareza e a adequação dos meios de expressão ao assunto e ao momento do discurso. Em Roma, houve também muitos estudiosos da arte de falar em público. Citam-se Catão, Cícero e Júlio César. Na primeira metade do século XX, em razão do abuso tradicional das regras da Retórica, esta ganhou o sentido pejorativo de arte de falar bem mas sem conteúdo, ou com o intuito escusos. Nos últimos anos, mercê do progresso experimentado pelos estudos lingüísticos, a Retórica voltou à ordem do dia, porém numa nova acepção: a pesquisa do discurso literário, tendo em vista não a arte da eloqüência, senão as leis, normas e desvios que regem a expressão do pensamento estético através da palavra escrita. Persuasão e Retórica Histórico

5 15/12/2010Persuasão e Retórica5 Convencer - Tecnicamente denota persuadir a mente através de provas lógicas: indutivas (exemplos) ou dedutivas (argumentos). Comover - Pela excitação da afetividade, a vontade arrasta o intelecto a aderir ao ponto de vista do orador. Ethos (moral) é usar um grau de intensidade mais suave. Movere (mover) é intensidade mais violenta, correspondendo ao pathos (paixão). Agradar – Corresponde na terminologia latina a placere = agradar. Delectare (deleitar) é a persuasão no domínio afetivo. Persuasão e Retórica Os Três Gêneros da Persuasão

6 15/12/2010Persuasão e Retórica6 O pressuposto básico da persuasão é o amplificatio (amplificação). O nosso discurso deve ampliar-se nas pessoas que nos ouvem. É como captar as suas mentes para aquilo que queremos modificar. A veiculação de nossas palavras é uma tentativa de mostrar que temos o conhecimento da verdade e queremos outros partidários. Persuasão e Retórica Diretriz Geral da Persuasão

7 15/12/2010Persuasão e Retórica7 Na propaganda, a repetição tem a incumbência de estimular o desejo de compra no consumidor. A repetição, conhecida como lavagem cerebral, deve ser evitada pelo orador consciente. O correto é o orador ter ligação com a verdade dos fatos. Persuasão e Retórica As Repetições

8 15/12/2010Persuasão e Retórica8 Para haver persuasão, qualquer que seja o discurso, é preciso haver credibilidade. Deve-se, entretanto, distinguir a credibilidade da matéria em si da credibilidade atingida graças à habilidade do orador. Tornar crível vem a ser, portanto, uma tarefa partidária do discurso. Persuasão e Retórica A Premissa Básica da Retórica

9 15/12/2010Persuasão e Retórica9 1. Inventio (invenção) é o ato de encontrar pensamentos adequados à matéria. 2. Dispositio (disposição) é a escolha e a ordenação dos pensamentos. 3. Elocutio (elocução) é a expressão lingüística dos pensamentos encontrados pela inventio. 4. Memoria (memória) é a memorização de um discurso. 5. Pronunciatio (pronunciação) é o ato de enunciação do discurso que engloba, além dos recursos vocais, a métrica necessária. Persuasão e Retórica As Cinco Partes do Discurso

10 15/12/2010Persuasão e Retórica10 Para Platão, a verdadeira retórica é o modo de levar e de transmitir a verdade aos homens. Baseia-se em três pontos fundamentais: 1) deve conhecer a verdade acerca do que se deseja falar; 2) deve conhecer a natureza da alma em geral e especialmente das almas às quais se dirige para poder convencê-las de modo adequado; 3) deve ter a consciência da natureza e do alcance dos meios de comunicação, especialmente a diferença entre escrita e oralidade. Persuasão e Retórica A Retórica Platônica Evidenciava a Verdade

11 15/12/2010Persuasão e Retórica11 Na Antiguidade clássica, a palavra retórica era usada exclusivamente para a disseminação da verdade. No decurso do tempo, acabamos exercitando mais a forma do que o conteúdo, o que nos propiciou maior preocupação com o malabarismo da voz e dos gestos do que com o tema em si mesmo. Observe a propaganda política dos nossos dias: promete-se além daquilo que se pode cumprir; enfatiza-se o lado emotivo; cria-se um salvador da pátria. Persuasão e Retórica Sentido Pejorativo da Retórica

12 15/12/2010Persuasão e Retórica12 O orador espírita deve ter, em primeiro lugar, a preocupação de conhecer o Espiritismo, donde extrairá o conteúdo doutrinal das suas exposições. Deve debruçar o pensamento sobre as obras espíritas, principalmente aquelas trazidas por Allan Kardec. Lembrete: a absorção da Doutrina Espírita não pode ser obra de um dia. Persuasão e Retórica Os Pressupostos Espíritas

13 15/12/2010Persuasão e Retórica13 A missão do Espiritismo é consolar, esclarecer, levar esperança aos que sofrem e erram. Allan Kardec, o bom senso encarnado, tinha o máximo cuidado de não ofender as almas ainda ignorantes do mundo espiritual. Por isso, pregava sempre a liberdade de ação, deixando que o seu interlocutor tomasse a sua própria decisão. Persuasão e Retórica Missão do Espiritismo

14 15/12/2010Persuasão e Retórica14 Esforcemo-nos por adquirir novas técnicas de comunicação. Contudo, não nos esqueçamos de concentrar as nossas forças e as nossas energias na propagação correta do que seja o Espiritismo. Persuasão e Retórica Conclusão

15 15/12/2010Persuasão e Retórica15 Persuasão e Retórica Bibliografia Consultada ÁVILA, F. B. de S.J. Pequena Enciclopédia de Moral e Civismo. Rio de Janeiro: M.E.C., ENCICLOPÉDIA MIRADOR INTERNACIONAL. São Paulo: Encyclopaedia Britannica, POLIS - ENCICLOPÉDIA VERBO DA SOCIEDADE E DO ESTADO. São Paulo: Verbo, REALE, Giovanni. O Saber dos Antigos: Terapia para os Dias Atuais. Tradução de Silvana Cobucci Leite. São Paulo: Loyola, TRINGALE, D. Introdução à Retórica: A Retórica como Crítica Literária. São Paulo: Duas Cidades, Texto em HTML:HTML retorica.htm


Carregar ppt "15/12/2010Persuasão e Retórica1 (Org. por Sérgio Biagi Gregório) Título da Palestra."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google