A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Universidade Federal do Amazonas Iniciação a Pesquisa e Prática Pedagógica III Anna Margareth Ávila Hayden Débora Fernandes Érika Braz Fabiane Catete Flávia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Universidade Federal do Amazonas Iniciação a Pesquisa e Prática Pedagógica III Anna Margareth Ávila Hayden Débora Fernandes Érika Braz Fabiane Catete Flávia."— Transcrição da apresentação:

1 Universidade Federal do Amazonas Iniciação a Pesquisa e Prática Pedagógica III Anna Margareth Ávila Hayden Débora Fernandes Érika Braz Fabiane Catete Flávia Bindá José Carlos Olinne Gomes Rebeca Frota

2 ÁLCOOL

3 Bebidas Alcoólicas Bebidas Alcoólicas É toda a bebida que contenha álcool etílico ou etanol. Origem Bebida Fermentada Bebida Destilada Sumo da Uva Vinho, Champagne Bagaceira, armagnac, brand, conhaque, grappa, água ardente de vinho Caldo da Cana de Açúcar Cachaça, Rum, Pitú Cereal Cerveja (cevada), saquê (arroz) Bourbon, gim, uísque, vodka Suco de Agave Tequila, Mezcal MelHidromel Anis Arak, ouzo, pastis Suco da Maçã SidraCalvados Suco da Ameixa Slivovitz, schnaps

4 O que é alcoolismo? O que é alcoolismo? O alcoolismo é geralmente definido como o consumo consistente e excessivo e/ou preocupação com bebidas alcoólicas ao ponto que este comportamento interfira com a vida pessoal, familiar, social ou profissional da pessoa. O alcoolismo pode potencialmente resultar em condições (doenças) psicológicas e fisiológicas, assim como, por fim, na morte. Com exceção do tabagismo, o alcoolismo é mais custoso para os países do que todos os problemas de consumo de droga combinados.

5 Uso, Abuso e Dependência Uso, Abuso e Dependência Uso: Faz se referência a aquele consumo que, por produzir-se com uma freqüência mínima e em quantidades pequenas não levam o indivíduo a conseqüências negativas. Abuso: Considera-se abuso do álcool quanto uma pessoa utiliza, mesmo que não constantemente, álcool em quantidade suficiente para causar problemas de saúde ou de outra espécie, como brigas e acidentes automobilísticos. Dependência: Este tipo de consumo se dá nas pessoas que têm desenvolvimento tolerância ante ao álcool (cada vez tem que beber maiores quantidades) e sentem abstinência. Uso: Faz se referência a aquele consumo que, por produzir-se com uma freqüência mínima e em quantidades pequenas não levam o indivíduo a conseqüências negativas. Abuso: Considera-se abuso do álcool quanto uma pessoa utiliza, mesmo que não constantemente, álcool em quantidade suficiente para causar problemas de saúde ou de outra espécie, como brigas e acidentes automobilísticos. Dependência: Este tipo de consumo se dá nas pessoas que têm desenvolvimento tolerância ante ao álcool (cada vez tem que beber maiores quantidades) e sentem abstinência.

6 Os efeitos do álcool sobre o organismo Os efeitos do álcool sobre o organismo O consumo excessivo do álcool pode causar problemas clínicos e psicológicos. Problemas clínicos: Sistema Nervoso - Amnésias nos períodos de embriaguez acontecem em 30 a 40% das pessoas no fim da adolescência e início da terceira década de vida. Sistema Gastrintestinal - Grande quantidade de álcool ingerida de uma vez pode levar a inflamação no esôfago e estômago o que pode levar a sangramentos além de enjôo, vômitos e perda de peso. Câncer - Os alcoólatras estão 10 vezes mais sujeitos a qualquer forma de câncer que a população em geral.O consumo excessivo do álcool pode causar problemas clínicos e psicológicos. Problemas clínicos: Sistema Nervoso - Amnésias nos períodos de embriaguez acontecem em 30 a 40% das pessoas no fim da adolescência e início da terceira década de vida. Sistema Gastrintestinal - Grande quantidade de álcool ingerida de uma vez pode levar a inflamação no esôfago e estômago o que pode levar a sangramentos além de enjôo, vômitos e perda de peso. Câncer - Os alcoólatras estão 10 vezes mais sujeitos a qualquer forma de câncer que a população em geral.

7 Sistema Cardiovascular - Doses elevadas por muito tempo provocam lesões no coração provocando arritmias e outros problemas como trombos e derrames conseqüentes. Hormônios Sexuais - O metabolismo do álcool afeta o balanço dos hormônios reprodutivos no homem e na mulher. Pode contribuir para a feminilização dos homens, com o surgimento, por exemplo, de ginecomastia (presença de mamas no homem). Hormônio Antidiurético - Esse hormônio inibe a perda de água pelos rins, o álcool inibe esse hormônio: como resultado a pessoa perde mais água que o habitual, urina mais, o que pode levar a desidratação. Ociticina - Esse hormônio é responsável pelas contrações do útero no parto.

8 Problemas Psicológicos: Hipocampo: está ligado aos processos de memorização e aprendizagem. Lobo Frontal: O lobo frontal está ligado à concentração, ao planejamento e à iniciativa; essa área é essencial para qualquer pessoa controlar o impulso e medir as conseqüências de seus próprios atos.Problemas Psicológicos: Hipocampo: está ligado aos processos de memorização e aprendizagem. Lobo Frontal: O lobo frontal está ligado à concentração, ao planejamento e à iniciativa; essa área é essencial para qualquer pessoa controlar o impulso e medir as conseqüências de seus próprios atos.

9 Etanol no sangue Etanol no sangue (gramas/litro) EstágioSintomas 0,1 a 0,5SobriedadeNenhuma influência aparente 0,3 a 1,2Euforia Perda de eficiência, diminuição da atenção, julgamento e controle 0,9 a 2,5Excitação Instabilidade das emoções, incoordenação muscular. Menor inibição. Perda do julgamento crítico 1,8 a 3,0Confusão Vertigens, desequilíbrio, dificuldade na fala e disturbios da sensação. 2,7 a 4,0Estupor Apatia e inércia geral. Vômitos, incontinência urinária e fezes. 3,5 a 5,0ComaInconsciência, anestesia. Morte Acima de 4,5MorteParada respiratória

10 Consumir ou Não Consumir Álcool Consumir ou Não Consumir Álcool Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), estudos apontam que o consumo baixo ou moderado de álcool resulta em uma redução no risco de doenças coronárias. Porém, a OMS adverte que outros riscos para a saúde e o coração associados ao álcool não favorecem uma recomendação geral de seu uso. Razões para Beber Razões para não Beber Os meus amigos o bebem Prejudica a saúde Me ajuda a ser mais simpático Perco o controle de meus atos Me faz esquecer meus problemas Diminui a capacidade de reação Para passar bem Produz ressaca Porque as pessoas maiores o fazem É Caro

11 Mitos sobre o Álcool Mitos sobre o Álcool O álcool não: abre o apetite; facilita a digestão; alimenta e dá forças; mata a sede; aquece; estimula; faz bem ao coração.O álcool não: abre o apetite; facilita a digestão; alimenta e dá forças; mata a sede; aquece; estimula; faz bem ao coração.

12 Nossa sociedade e o abuso do álcool Nossa sociedade e o abuso do álcool O abuso do álcool e o alcoolismo estão entre os principais problemas da nossa sociedade. O álcool é uma droga como a heroína, a cocaína e o crack. Por que ? Porque vicia, altera o estado mental da pessoa que o utiliza, levando-a a atos insensatos, muitas vezes violentos. Pior, causa mais problemas à família e à sociedade. Infelizmente, faz parte da nossa cultura o seu uso. Algumas estatísticas sobre o álcool O alcoolismo acomete de 10% a 12% da população mundial e 11,2% dos brasileiros que vivem nas 107 maiores cidades do país. A incidência de alcoolismo é maior entre os homens do que entre as mulheres. A incidência do alcoolismo é maior entre os mais jovens, especialmente na faixa etária dos 18 aos 29 anos, reduzindo com a idade. O abuso do álcool e o alcoolismo estão entre os principais problemas da nossa sociedade. O álcool é uma droga como a heroína, a cocaína e o crack. Por que ? Porque vicia, altera o estado mental da pessoa que o utiliza, levando-a a atos insensatos, muitas vezes violentos. Pior, causa mais problemas à família e à sociedade. Infelizmente, faz parte da nossa cultura o seu uso. Algumas estatísticas sobre o álcool O alcoolismo acomete de 10% a 12% da população mundial e 11,2% dos brasileiros que vivem nas 107 maiores cidades do país. A incidência de alcoolismo é maior entre os homens do que entre as mulheres. A incidência do alcoolismo é maior entre os mais jovens, especialmente na faixa etária dos 18 aos 29 anos, reduzindo com a idade.

13 A álcool é responsável por cerca de 60% dos acidentes de trânsito e aparece em 70% dos laudos cadavéricos das mortes violentas. De acordo com a última pesquisa realizada pelo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (CEBRID) entre estudantes do 1º e 2º graus de dez capitais brasileiras, as bebidas alcoólicas são consumidas por mais de 65% dos entrevistados, estando bem à frente do tabaco. Dentre esses, 50% iniciaram o uso entre os 10 e 12 anos de idade. Então por isso proibirão venda de álcool a menores de 16 anos. Continuamos assistindo a propagandas na televisão, na rua e no rádio, mostrando que vinho e uísque são adequados a pessoas de fino trato e, pior, que beber cerveja é pré-requisito para um bom convívio social. Algumas dizem claramente que o homem que não bebe cerveja não consegue mulheres. A álcool é responsável por cerca de 60% dos acidentes de trânsito e aparece em 70% dos laudos cadavéricos das mortes violentas. De acordo com a última pesquisa realizada pelo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (CEBRID) entre estudantes do 1º e 2º graus de dez capitais brasileiras, as bebidas alcoólicas são consumidas por mais de 65% dos entrevistados, estando bem à frente do tabaco. Dentre esses, 50% iniciaram o uso entre os 10 e 12 anos de idade. Então por isso proibirão venda de álcool a menores de 16 anos. Continuamos assistindo a propagandas na televisão, na rua e no rádio, mostrando que vinho e uísque são adequados a pessoas de fino trato e, pior, que beber cerveja é pré-requisito para um bom convívio social. Algumas dizem claramente que o homem que não bebe cerveja não consegue mulheres.

14 Alcoólicos Anônimos Alcoólicos Anônimos Os Alcoólicos Anônimos são uma comunidade, com caráter voluntário, de homens e mulheres que se reúnem para alcançar e manter a sobriedade através da abstinência total de ingestão de bebidas alcoólicas. Foi criado em 1935 por William Wilson e Doutor Bob Smith nos Estados Unidos. Tradicionalmente, os membros de A.A. sempre cuidaram de manter seu anonimato em nível público: na imprensa, no rádio na televisão, no cinema e, mais recentemente, na Internet. Por diversas razões, um membro de A.A. pode "romper" seu anonimato deliberadamente perante o público. Já que isso é um assunto de escolha e consciência pessoais, obviamente a Irmandade como um todo não tem nenhum controle sobre tais desvios da Tradição. Não obstante, fica bem claro que os membros que o fazem, não têm a aprovação da maioria esmagadora de seus companheiros de Alcoólicos Anônimos. Os Alcoólicos Anônimos são uma comunidade, com caráter voluntário, de homens e mulheres que se reúnem para alcançar e manter a sobriedade através da abstinência total de ingestão de bebidas alcoólicas. Foi criado em 1935 por William Wilson e Doutor Bob Smith nos Estados Unidos. Tradicionalmente, os membros de A.A. sempre cuidaram de manter seu anonimato em nível público: na imprensa, no rádio na televisão, no cinema e, mais recentemente, na Internet. Por diversas razões, um membro de A.A. pode "romper" seu anonimato deliberadamente perante o público. Já que isso é um assunto de escolha e consciência pessoais, obviamente a Irmandade como um todo não tem nenhum controle sobre tais desvios da Tradição. Não obstante, fica bem claro que os membros que o fazem, não têm a aprovação da maioria esmagadora de seus companheiros de Alcoólicos Anônimos.

15 Alcoólicos Anônimos Alcoólicos Anônimos Cálculo aproximado de grupos e membros LocalGruposMembros Estados Unidos Canadá Instituições Correcionais Intercionalistas108 Solitários312 Total Fora dos EUA e Canadá Total Geral

16 Alcoólicos Anônimos Alcoólicos Anônimos Os dois tipos de reunião mais comuns em A.A. são: Reuniões Abertas: Como indicam as palavras, as reuniões desse tipo são abertas aos alcoólicos e suas famílias, bem como a qualquer pessoa que se interesse em solucionar seu problema com bebida alcoólica ou em ajudar outra pessoa a solucionar um problema de alcoolismo. Reuniões Fechadas: Essas reuniões são somente para os alcoólicos. Nelas os membros encontram uma oportunidade de compartilhar, uns com os outros, tudo o que se refere aos problemas relacionados com formas e costumes de beber, assim como seus esforços para alcançar uma sobriedade estável. Os dois tipos de reunião mais comuns em A.A. são: Reuniões Abertas: Como indicam as palavras, as reuniões desse tipo são abertas aos alcoólicos e suas famílias, bem como a qualquer pessoa que se interesse em solucionar seu problema com bebida alcoólica ou em ajudar outra pessoa a solucionar um problema de alcoolismo. Reuniões Fechadas: Essas reuniões são somente para os alcoólicos. Nelas os membros encontram uma oportunidade de compartilhar, uns com os outros, tudo o que se refere aos problemas relacionados com formas e costumes de beber, assim como seus esforços para alcançar uma sobriedade estável.

17 Alcoólicos Anônimos Alcoólicos Anônimos O programa de Doze Passos é um programa criado nos Estados Unidos em 1935 por William Griffith e Doutor "Bob" Smith, inicialmente para o tratamento de alcoolismo e mais tarde estendido para praticamente todos os tipos de dependência química. Os Doze Passos (para os Alcoólicos Anônimos) são: 1. Admitimos que éramos impotentes perante o álcool – que tínhamos perdido o domínio sobre nossas vidas. 2. Viemos a acreditar que um Poder superior a nós mesmos poderia devolver-nos à sanidade. 3. Decidimos entregar nossa vontade e nossa vida aos cuidados de Deus, na forma em que O concebíamos. 4. Fizemos minucioso e destemido inventário moral de nós mesmos. 5. Admitimos perante Deus, perante nós mesmos e perante outro ser humano, a natureza exata de nossas falhas. 6. Prontificamo-nos inteiramente a deixar que Deus removesse todos esses defeitos de caráter. O programa de Doze Passos é um programa criado nos Estados Unidos em 1935 por William Griffith e Doutor "Bob" Smith, inicialmente para o tratamento de alcoolismo e mais tarde estendido para praticamente todos os tipos de dependência química. Os Doze Passos (para os Alcoólicos Anônimos) são: 1. Admitimos que éramos impotentes perante o álcool – que tínhamos perdido o domínio sobre nossas vidas. 2. Viemos a acreditar que um Poder superior a nós mesmos poderia devolver-nos à sanidade. 3. Decidimos entregar nossa vontade e nossa vida aos cuidados de Deus, na forma em que O concebíamos. 4. Fizemos minucioso e destemido inventário moral de nós mesmos. 5. Admitimos perante Deus, perante nós mesmos e perante outro ser humano, a natureza exata de nossas falhas. 6. Prontificamo-nos inteiramente a deixar que Deus removesse todos esses defeitos de caráter.

18 Alcoólicos Anônimos Alcoólicos Anônimos 7. Humildemente rogamos a Ele que nos livrasse de nossas imperfeições. 8. Fizemos uma relação de todas as pessoas que tínhamos prejudicado e nos dispusemos a reparar os danos a elas causados. 9. Fizemos reparações diretas dos danos causados a tais pessoas, sempre que possível, salvo quando fazê-lo significasse prejudicá- las ou a outrem. 10. Continuamos fazendo o inventário pessoal e, quando estávamos errados, nós o admitíamos prontamente. 11. Procuramos, através da prece e da meditação, melhorar nosso contato consciente com Deus, na forma em que O concebíamos, rogando apenas o conhecimento de Sua vontade em relação a nós, e forças para realizar essa vontade. 12. Tendo experimentado um despertar espiritual, graças a esses Passos, procuramos transmitir essa mensagem aos alcoólicos e praticar esses princípios em todas as nossas atividades

19 Conclusões Conclusões Concluindo, o álcool é responsável, além de diversas doenças, por grande parte dos atos de violência e dos acidentes dos mais variados, desde trânsito até de trabalho. Apesar das suas conseqüências desastrosas, o ato de beber é considerado parte fundamental do convívio social, dificultando as campanhas (muito aquém do necessário) de conscientização. No extremo do ato de beber, encontramos os alcoólatras, dependentes do álcool que devem contar com o apoio e compreensão da sociedade para sua recuperação, que deve abandonar o preconceito e tratá-los com respeito. Concluindo, o álcool é responsável, além de diversas doenças, por grande parte dos atos de violência e dos acidentes dos mais variados, desde trânsito até de trabalho. Apesar das suas conseqüências desastrosas, o ato de beber é considerado parte fundamental do convívio social, dificultando as campanhas (muito aquém do necessário) de conscientização. No extremo do ato de beber, encontramos os alcoólatras, dependentes do álcool que devem contar com o apoio e compreensão da sociedade para sua recuperação, que deve abandonar o preconceito e tratá-los com respeito.


Carregar ppt "Universidade Federal do Amazonas Iniciação a Pesquisa e Prática Pedagógica III Anna Margareth Ávila Hayden Débora Fernandes Érika Braz Fabiane Catete Flávia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google