A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita: Reencarnação. A reencarnação é a mais excelente demonstração da Justiça Divina, em relação as infratores das.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita: Reencarnação. A reencarnação é a mais excelente demonstração da Justiça Divina, em relação as infratores das."— Transcrição da apresentação:

1 Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita: Reencarnação. A reencarnação é a mais excelente demonstração da Justiça Divina, em relação as infratores das Leis, na trajetória humana, facultando-lhes a oportunidade de ressarcirem numa os erros cometidos nas existências transatas. (Joanna de Ângelis).

2 I)Introdução: Reencarnação. 1.1) Etimologia: Reencarnação o ingresso repetido num invólucro físico ou carnal. 1.2) Conceito: É o retornar do Espírito ao corpo tantas vezes quantas se tornarem necessárias para o autoburilamento, libertando-se das paixões e adquirindo experiências superiores, sublimando as expressões do instinto ao tempo em que desenvolve a inteligência e penetra nas potencialidades transcendentes da intuição.

3 II) Isaac Newton ( ) Em 1687 publica sua obra Princípios Matemáticos da Filosofia Natural, onde descreve a Lei de Gravitação Universal e as Três Leis de Newton. A terceira destas leis revela: A uma ação sempre se opõe uma reação igual. Esta lei não se aplica somente ao universo físico, também rege a mecânica extrafísica ou espiritual. Atrelando-se a sim, a Lei de Progresso. É a Lei de Ação e Reação ou Causa e Efeito. Neste mecanismo o ser espiritual é autor do próprio destino.(Justiça Divina).

4 III) Entendendo o Carma ou a Lei Natural de Causa e Efeito: Carma: palavra de origem sânscrita, que significa ação. Muita usada entre budistas e hinduístas, trazendo o entendimento sobre o conjunto de ações dos homens e suas conseqüências. Não é uma palavra usada por Kardec na Codificação, porém, é amplamente difundida nos meios espíritas. Nada tem haver com destino ou predestinação, é a lei infalível de Causa e Efeito que governa o universo; é a verdade e a força propulsora que estão por trás do renascimento.Tanto é o poder latente que existe dentro das ações quanto os resultados que nossas ações trazem. A Lei de Causa e Efeito não é estática, mas sim, dinâmica. Em palavras simples: O que quer que façamos com nosso corpo, nossa fala ou nossa mente terá sempre um resultado correspondente. Cada ação mesmo a menor delas, está prenhe de suas conseqüências.

5 Não faça vista grossa às ações negativas só porque elas são pequenas, por menor que seja a faísca, pode queimar um monte de feno do tamanho de uma montanha. Não despreze as pequenas boas ações pensando que elas não ajudam em nada; mesmo pequenas gostas de água, no final, enchem o vaso. (Buda).

6 A vida não é uma jogo de dados, mas resultado de nossas ações. O resultado de nossas ações ocorrem quando as condições necessárias e os personagens se encontram presentes em determinada existência. Muitas experiências que passamos hoje são frutos de uma soma extremamente complexa de muitos carmas, amadurecendo juntos. O que você é, é o que você foi; o que você será, é o que você faz agora. (Buda) Se deseja conhecer sua vida passada, olhe para sua condição presente. Se quiser conhecer sua vida futura, olha para suas ações presentes.(Padmasambhava).

7 IV) Tendências Instintivas: 399) Os acontecimentos da vida corporal são, ao mesmo tempo, uma expiação pelas faltas passadas e provas que visam ao futuro. Pode-se dizer que da natureza dessas situações se possa deduzir o gênero da existência anterior? Muito freqüentemente, uma vez que cada um é punido pelos erros que cometeu; entretanto, não deve ser isso uma regra absoluta. As tendências instintivas são a melhor indicação, visto que as provas pelas quais o Espírito passa se referem tanto ao futuro quanto ao passado.

8 V) Evidências Históricas: A crença nas vidas sucessivas é tão antiga quanto à evolução do pensamento religioso humano. Na Índia, desde remotíssima antiguidade, de que nos dão notícias os Vedas (XIV a.C.) e o Bhagavad Gitâ (séc. IV a.C.). No Antigo Egito (2700 a.C.) Na Pérsia (648 a.C.). A história religiosa greco-romana sempre defendeu a crença na reencarnação: Pitágoras, Sócrates, Heródoto, Plotino, Jâmblico, etc. Pitágoras ( a.C) e o escudo de Euphorbus. As tradições religiosas do Budismo, do Hinduísmo e do próprio Cristianismo, se baseiam na crença das vidas sucessivas.

9 VI) Evidências Cientificas: 6.1) Ian Stevenson( ) foi médico psiquiatra e chefe do Departamento de Psiquiatria da Escola de Medicina da Universidade de Virgínia, nos EUA. Considerado, no mundo, como a maior autoridade sobre pesquisas científicas em torno da reencarnação. Obra: Vinte casos que sugerem reencarnação e Almas Antigas.

10 Hernani Guimarães Andrade ( ) 6.2) Hernani Andrade foi fundador dos Instituto Brasileiro de Pesquisas Psicobiofísicas, onde realizou importantes experiências sobre a paranormalidade humana e reencarnação. Foi considerado o maior pesquisador espírita brasileiro. Escreveu vários livros, destacando-se a obra Reencarnação no Brasil, que tornou-se um clássico do gênero. Viajou o Brasil e o mundo, estudando e pesquisando fenômenos paranormais.

11 6.3)Dr. Brain Weiss

12 Dr. Brian Weiss é médico diplomado pela Universidade de Yale, com especialização em Psiquiatria na Universidade de Columbia. Foi professor de Medicina em várias faculdades americanas e publicou mais de quarenta ensaios científicos nas áreas de psicofarmacologia, química cerebral, distúrbios do sono, depressão, ansiedade, distúrbios causados pelo abuso de drogas e mal de Alzheimer. Diretor emérito do Departamento de Psiquiatria do Mount Sinai Hospital, em Miami, Dr. Weiss viaja constantemente para promover palestras e workshops sobre seu trabalho. Contribui para diversas publicações acadêmicas, jornais e revistas, como The Boston Globe, The Miami Herald, The Chicago Tribune e The Philadelphia Inquirer, entre outros. Além disso, ele é diretor de uma clínica particular em Miami que conta com psicólogos e assistentes sociais altamente capacitados e treinados para aplicar a Terapia de Vidas Passadas (TVP). Dr. Weiss foi responsável pela popularização da TVP, embora ela já fosse utilizada por alguns psicanalistas na tentativa de curar pacientes com problemas psicológicos mais graves. A publicação do livro Muitas Vidas, Muitos Mestres foi decisiva para este processo.

13 6.4) Outras Evidências: Gênios Precoces. Recordações espontâneas de vidas passadas (Prof. Dr. Benerjee: 1000 casos comprovados de reencarnação). Regressão de Memória. Sensações de lugares familiares sem contato prévio. Antipatias gratuitas e simpatias não cultivadas.

14 A Reencarnação na Bíblia

15 VII) Ressurreição e Reencarnação: A reencarnação fazia parte dos dogmas dos judeus, sob o nome de ressurreição. Só os saduceus, cuja crença era a de que tudo acaba com a morte, não acreditavam nisso. As idéias dos judeus sobre esse ponto, como sobre muitos outros, não eram claramente definidas, porque apenas tinham vagas e incompletas noções acerca da alma e da sua ligação com o corpo. Criam eles que um homem que vivera podia reviver, sem saberem precisamente de que maneira o fato poderia dar- se. Designavam pelo termo ressurreição o que o Espiritismo, mais judiciosamente, chama reencarnação. Com efeito, a ressurreição dá idéia de voltar à vida o corpo que já está morto, o que a Ciência demonstra ser materialmente impossível, sobretudo quando os elementos desse corpo já se acham desde muito tempo dispersos e absorvidos (...). (Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. IV, item 4.)

16 7.1) Ressuscitar significa tornar a viver, ressurgir. Não para vida física, mas para o plano espiritual, pelo processo da desencarnação. Reencarnação é o ressurgimento do ser no plano físico, pelo retorno à veste corpórea. Embora se acredite na volta da alma, ou espírito, ao corpo atingido pela morte, quem ressuscita é o ser imortal e não o organismo perecível, já desagregado pelo processo de decomposição. Importante: As escrituras bíblicas falam em ressurreição dos mortos, não em ressurreição dos corpos ou da carne.

17 7.2) O historiador judeu Flávio Josefo (37-103) informou sobre a crença dos fariseus: Eles julgam que as almas são imortais, que são julgadas em um outro mundo e recompensadas ou castigadas segundo foram neste, viciosas ou virtuosas; que umas são eternamente retidas prisioneiras nessa outra vida e que outras voltam a esta.( História dos Hebreus.Primeira parte.Livro décimo oitavo.Capítulo dois.)

18 7.3) Alguns trechos do Velho Testamento:Reencarnação no Decálogo. Não te encurvarás diante delas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos na terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.(Ex 20:5). Vulgata é uma tradução para o latim da Bíblia escrita em meados do século IV por São Jerônimo a pedido do Papa Dâmaso I, que foi usada pela Igreja Católica e ainda é muito respeitada: in tertiam et quartam generationem (na terceira e quarta geração e não até a terceira e quarta geração, como alguns tradutores escrevem). Que teriam bisnetos e trinetos a ver com os pecados de seus antepassados se não fossem eles mesmos reencarnados em sua própria descendência? Os antigos delinqüentes em novos corpos. Omiti-se a primeira e segunda geração!

19 7.4) Os Gêmeos de Rebeca: Ora, Isaque orou insistentemente ao Senhor por sua mulher, porquanto ela era estéril; e o Senhor ouviu as suas orações, e Rebeca, sua mulher, concebeu. E os filhos lutavam no ventre dela; então ela disse: Por que estou eu assim? E foi consultar ao Senhor. Respondeu-lhe o Senhor: Duas nações há no teu ventre, e dois povos se dividirão das tuas estranhas, e um povo será mais forte do que o outro povo, e o mais velho servirá ao mais moço. Cumpridos que foram os dias para ela dar à luz, eis que havia gêmeos no seu ventre. Saiu o primeiro, ruivo, todo ele como um vestido de pelo; e chamaram-lhe Esaú. Depois saiu o seu irmão, agarrada sua mão ao calcanhar de Esaú; pelo que foi chamado Jacó. E Isaque tinha sessenta anos quando Rebeca os deu à luz. (Gn. 25:21-25) O relato traz, em linguagem simbólica, a incompatibilidade espiritual de dois seres, e não uma luta corpórea. Desconsiderando a reencarnação, Deus teria criado duas almas inimigas? O texto fala de uma rivalidade originada em existências anteriores.

20 7.5) A Prova de Jó: Então Jó se levantou, rasgou o seu manto, rapou a sua cabeça e, lançando- se em terra, adorou e disse: Nu saí do ventre de minha mãe, e nu tornarei para lá. O Senhor deu, e o Senhor tirou; bendito seja o nome do Senhor. (Jó 1:20-22) A versão da Igreja Grega é clara demais: Jó diz: Quando o homem está morto, vive sempre; findando-se os dias da minha existência terrestre, esperai, porque a ela voltarei novamente. (A Bíblia de Jerusalém. Nota 50, p.883.) (...) o que constitui para teologia um beco sem saída, o Espiritismo o explica sem dificuldade e de maneira racional, pela anterioridade da alma e pela pluralidade das existências, lei sem a qual tudo é mistério e anomalia na vida do homem. (A Gênese.XII:23)

21 7.6) Tornar a subir do Sheol: Os que eram fartos se alugam por pão, e deixam de ter fome os que eram famintos; até a estéril teve sete filhos, e a que tinha muitos filhos enfraquece. O Senhor é o que tira a vida e a dá; faz descer ao Sheol e faz subir dali. O Senhor empobrece e enriquece; abate e também exalta. Levanta do pó o pobre, do monturo eleva o necessitado, para os fazer sentar entre os príncipes, para os fazer herdar um trono de glória; porque do Senhor são as colunas da terra, sobre elas pôs ele o mundo. (I Sm 2: 5-8). Sheol para os hebreus correspondia a uma região espiritual de sofrimento, para onde iam espíritos viciosos e materialistas, geralmente no interior da crosta. Como o Hades dos gregos. Faz descer ao Sheol e subir dele. Trata das mudanças que o espírito experimenta durante a reencarnação. Vemos incontestável referência a reencarnação.

22 VIII) A Reencarnação no Novo Testamento

23 8.1) A Cegueira de Nascença: E passando Jesus, viu um homem cego de nascença. Perguntaram-lhe os seus discípulos: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?Respondeu Jesus: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi para que nele se manifestem as obras de Deus. Importa que façamos as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; vem a noite, quando ninguém pode trabalhar.Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo.Dito isto, cuspiu no chão e com a saliva fez lodo, e untou com lodo os olhos do cego, disse-lhe: Vai, lava-te no tanque de Siloé (que significa Enviado). E ele foi, lavou-se, e voltou vendo. (Jo 9: 1-7).

24 8.1.1) Comentários: Na pergunta dos discípulos vemos a duas doutrinas que se debatiam a época: pecado original e da preexistência da alma. A idéia da reencarnação era familiar aos discípulos. Expiações e provas. Não há crer, no entanto, que todo sofrimento suportado neste mundo denote a existência de uma determinada falta. Muitas vezes são simples provas buscadas pelo Espírito para concluir a sua depuração e ativar o seu progresso. Assim, a expiação serve sempre de prova, mas nem sempre a prova é uma expiação. Provas e expiações, todavia, são sempre sinais de relativa inferioridade, porquanto o que é perfeito não precisa ser provado. Pode, pois, um Espírito haver chegado a certo grau de elevação e, nada obstante, desejoso de adiantar-se mais, solicitar uma missão, uma tarefa a executar, pela qual tanto mais recompensado será, se sair vitorioso, quanto mais rude haja sido a luta. (Evangelho segundo e Espiritismo. Cap.V, item 9.)

25 8.2) Não Tornes a Pecar! Depois disso havia uma festa dos judeus; e Jesus subiu a Jerusalém. Ora, em Jerusalém, próximo à porta das ovelhas, há um tanque, chamado em hebraico Betesda, o qual tem cinco alpendres. Nestes jazia grande multidão de enfermos, cegos, mancos e ressicados [esperando o movimento da água.] Porquanto um anjo descia em certo tempo ao tanque, e agitava a água; então o primeiro que ali descia, depois do movimento da água, sarava de qualquer enfermidade que tivesse. Achava-se ali um homem que, havia trinta e oito anos, estava enfermo.Jesus, vendo-o deitado e sabendo que estava assim havia muito tempo, perguntou-lhe: Queres ficar são? Respondeu-lhe o enfermo: Senhor, não tenho ninguém que, ao ser agitada a água, me ponha no tanque; assim, enquanto eu vou, desce outro antes de mim. Disse-lhe Jesus: Levanta-te, toma o teu leito e anda. Imediatamente o homem ficou são; e, tomando o seu leito, começou a andar. Ora, aquele dia era sábado. Depois Jesus o encontrou no templo, e disse-lhe: Olha, já estás curado; não peques mais, para que não te suceda coisa pior. (Jo 5: 1-14).

26 8.2.1) Comentários: Não tornes a pecar: fica patente que a causa da paralisia, segundo nosso Mestre, era o pecado, isto é, transgressão à lei divina, cometida no passado. Todo efeito tem uma causa, se a causa não está nesta vida, certamente, em uma causa remota. A causa de nossos males está em nós mesmos.


Carregar ppt "Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita: Reencarnação. A reencarnação é a mais excelente demonstração da Justiça Divina, em relação as infratores das."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google