A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Iluminismo e Revolução Francesa Prof. Ms. Fernando Carvalho.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Iluminismo e Revolução Francesa Prof. Ms. Fernando Carvalho."— Transcrição da apresentação:

1 Iluminismo e Revolução Francesa Prof. Ms. Fernando Carvalho

2 Definição: movimento filosófico, intelectual e científico que contrariou as bases do Antigo Regime; Quando: século XVIII; Onde? ING (início), FRA (auge); Quem? O iluminismo representou basicamente a forma da burguesia interpretar o mundo; Características básicas: –Racionalismo; –Cientificismo; –Antiabsolutismo; –Anticlericalismo; –Defesa das liberdades individuais.

3 Principais representantes do Iluminismo: A) JHON LOCKE (ING): –Precursor do Iluminismo (considerado o Pai do Iluminismo). –Direitos naturais e inalienáveis dos homens: vida, liberdade e propriedade. –Os governos existem para preservar esses direitos. –LIBERALISMO POLÍTICO. –Defesa da Monarquia Parlamentar (Constitucional);. –Conhecimento = experiência e razão.

4 B) ADAM SMITH (ING): –Pai da economia. –Não intervenção do Estado na Economia. –Livre concorrência, lei da oferta e da procura, divisão do trabalho. –Riqueza = trabalho. –LIBERALISMO ECONÔMICO.

5 C) FISIOCRACIA (FRA): –Versão francesa do liberalismo econômico. –Não intervenção do Estado na economia. –Riqueza = agricultura. –Teóricos destacados: QUESNAY, GOURNAY, MIRABEU, DUPONT E TURGOT. –Lema: Laissez faire, laissez passer, le monde va de lui-même (Deixai fazer, deixai passar, que o mundo anda por si mesmo).

6 D) C. S. MONTESQUIEU (FRA): –Divisão de poderes: executivo, legislativo e judiciário. –Harmonia e autonomia entre os poderes. –Submissão de TODOS perante a lei. E) J. M. VOLTAIRE (FRA): –Crítica ao clero e a intolerância. –Igualdade jurídica. –Liberdade de expressão. –Monarquia ilustrada.

7 F) J. J. ROUSSEAU (FRA): –Soberania popular. –Poder = povo (democracia). –Teoria do bom selvagem. –O mais importante e influente. G) DIDEROT e DALEMBERT (FRA): –Enciclopedistas.

8 O Despotismo Esclarecido: –Reis absolutistas que influenciados pelas idéias iluministas promovem reformas em seus países, porém sem abdicar de seu imenso poder. –Tentativa de evitar rebeliões internas.

9 PAÍSREIMEDIDAS ÁUSTRIAJOSÉ IIFim da servidão e relativa liberdade de imprensa RÚSSIACATARINA IICriação do ensino leigo e de uma Universidade em Moscou PRÚSSIAFREDERICO IIChamado o rei filósofo, eliminou as torturas em seu país e criou o ensino obrigatório PORTUG AL JOSÉ I (orientado pelo ministro Pombal) Combate a influência inglesa na economia de seu país, incrementa a produção industrial e combate a influência política da Igreja no seu país atacando e expulsando os jesuítas do reino ESPANH A CARLOS III (orientado pelo ministro Aranda) Reduziu a tortura e a influência da Inquisição no país e expulsou os jeusítas

10 Importância do movimento: –Influenciou uma série de movimentos na Europa e fora dela que abalam definitivamente o Antigo Regime ao longo dos séculos XVIII e XIX, como por exemplo a Independência dos EUA e a Revolução Francesa; –Base do pensamento contemporâneo em muitas sociedades ocidentais, no que diz respeito a organização política, econômica e social.

11 Revolução Francesa

12 Contexto Geral da França Pré- revolucionária Crise Econômica: A França era basicamente agrária e semifeudal, aliada ao crescimento demográfico e catástrofes naturais. Crise Política: Crise do antigo regime, fortalecimento econômico da burguesia. Crise Social: A sociedade francesa era dividida em: 1º estado (clero), 2º estado (nobreza) e 3º estado (povo). Obs: o primeiro e o segundo estado não pagavam impostos, ficando toda a carga tributária para o terceiro estado.

13

14 As Fases da Revolução A convocação dos Estados Gerais (1789): Convocada pelo rei Luís XVI; Reunião dos representantes dos três estados; 1º estado (291 deputados), 2º estado (270) e o 3º estado (578); O voto era por estado e não por representante individual. O 3º estado se retiram e trancados na sala de jogo da péla declararam-se Assembléia Nacional Constituinte

15 As Fases da Revolução Criação de uma Guarda Nacional financiada pela burguesia contra o rei; A queda da Bastilha em 14/07/1789; O Grande Medo – reação camponesa contra os privilégios da aristocracia, invadiram, saquearam e incendiaram propriedade rurais.

16 As Fases da Revolução Assembléia Nacional ( ) Período caracterizado pelo fim do absolutismo e pela promulgação de uma nova constituição; Abolição dos direitos feudais; A Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão; A Constituição Civil do Clero. Em 1791 foi proclamada a primeira Constituição da França.

17 As Fases da Revolução Assembléia Nacional ( ) A Primeira Constituição da França: Estabelecia a monarquia constitucional; Composta pelos três poderes (executivo, legislativo e judiciário); O voto era censitário. Os grupos políticos: Os girondinos; Os jacobinos; Reação da nobreza contra os revolucionários; O rei Luís XVI é preso.

18 As Fases da Revolução Convenção Nacional ( ) Foi a fase mais radical da Revolução Francesa e dominada pelos jacobinos; Aprovação de uma nova constituição em 1793; Ocorreu a execução do rei Luís XVI (21/01/1793) A fundação do museu do Louvre; Criação do comitê de Salvação Pública (responsável pela administração e defesa externa do país); O Comitê de Salvação Nacional (segurança interna); O Tribunal revolucionário (julgava os opositores da Revolução); O regime de terror (Robespierre); O Golpe do Termidor – pôs fim a era jacobina e iniciou o diretório

19

20 As Fases da Revolução Diretório ( ) Caracterizado pela supremacia girondina; Era exercido por um diretório composto por 5 membros; Enfrentou levantes populares e crise econômica e social; Em 1796, ocorreu a Conspiração dos Iguais – liderado por Graco Babeuf. Externamente a França obtinha vitórias contra as forças absolutistas da Espanha, Holanda, Prússia e reinos da Itália (a segunda coligação); Destaque para as vitórias militares de Napoleão Bonaparte; Napoleão Bonaparte (apoiado pelos girondinos) promoveu o Golpe 18 Brumário que pôs fim ao Diretório instaurando o Consulado.

21 O Consulado era representado por três elementos; O poder na prática concentrou-se nas mãos de Napoleão; Período marcado pela consolidação das conquistas burguesas. Obs: o saldo da Revolução: a aristocracia perdeu seus privilégios, fim das amarras feudais,a destruição do Antigo Regime, criação de um mercado nacional, transformação de um estágio feudal para o capitalista e a consolidação de um Estado burguês.

22 A Era Napoleônica e o Congresso de Viena (1799 – 1815) Napoleão Bonaparte: Nascido na Córsega em 1769; Alcançou o generalato com apenas 24 anos; Ganhou prestígio popular e junto as suas tropas devido as sucessivas vitórias militares; Comandou a Campanha da Itália, em 1797 e assinou a Paz de Campofórmio com os austríacos obtendo importantes vantagens territoriais; Comandou a campanha do Egito (1798 – 1799); Venceu a Segunda Coligação – países contra a França.

23 A Era Napoleônica e o Congresso de Viena (1799 – 1815) O Consulado (1799 – 1804): As prioridades desse governo era enfrentar as ameaças externas e reorganizar a economia e a sociedade francesa; Assinou com a Inglaterra a Paz de Amiens (1802); Fundou o Banco da França; Criou um novo padrão monetário – o franco Estimulou a indústria nacional e a produção agrícola

24

25 ERA DAS REVOLUÇÕES

26 Europa no século XIX Fatores: Queda de colheitas; Situação de miséria do proletariado; Ausência de garantias e direitos fundamentais para o trabalhador; Repressão à liberdade de expressão; Aliança temporária entre setores da pequena e média burguesias com o proletariado; Ideais nacionalistas, liberais e socialistas

27 Liberalismo Democracia; Poderes separados em Executivo, Legislativo e Judiciário; O Estado deveria servir o cidadão respeitando a sua liberdade; Liberalismo econômico (iniciativa privada); O Estado deveria estar separado da Igreja; Liberdade religiosa e filosófica

28 Nacionalismo Respeito pela formação natural dos povos, ligados por laços étnicos, lingüísticos e por outros laços culturais; Direito de todos os povos lutarem por sua independência como nação; Direito dos povos de viverem, com autodeterminação, num território unificado.

29 As revoluções liberais na França A restauração dos Bourbon: Luís XVIII e Carlos X Luís XVIII ( ): Terror Branco: violenta repressão aos grupos bonapartistas e liberais; Equilíbrio entre o liberalismo burguês e as forças aristocráticas tradicionais. Carlos X ( ): Desejava a instituição do Absolutismo de direito divino; Foi apoiado pela Igreja e por setores ultraconservadores; Deu à Igreja o controle do ensino promovendo o retorno dos jesuítas; Indenizou aristocratas que tiveram suas propriedades confiscadas durante a Revolução Francesa.

30 Revolução de 1830: a alta burguesia contra o rei 1830: Carlos X, para reprimir o liberalismo, dissolveu a Câmara dos Deputados e impôs severa censura à imprensa; julho/1830: estoura a revolução liderada pela alta burguesia financeira que conseguiu depor Carlos X. Em seu lugar subiu Luís Felipe DOrleans que governou até Luís Felipe, o rei burguês: Governou para a burguesia (banqueiros); Foi apoiado por seu ministro François Guizot; Procurou harmonizar o apoio da burguesia liberal e a resistência conservadora para que, garantindo a ordem social interna, pudesse dar liberdade econômica às classes dominantes. Expansão colonial em direção à África e à Oceania; O proletariado vivia numa situação de miséria absoluta.

31 Revolução de 1848: o levante popular contra o reinado dos banqueiros Com o descontentamento das classes populares, um grande levante (estudantes, trabalhadores e membros da Guarda Nacional), liderados por liberais e socialistas, rebelaram-se contra Luís Felipe e seu ministro Guizot que foram derrubados do poder; Formou-se um governo provisório composto de representantes da burguesia liberal (Alphonse de Lamartine) e de socialistas (Louis Blanc); Tentando melhorar a situação dos trabalhadores foram criadas as Oficinas Nacionais que eram empresas dirigidas e sustentadas pelo Estado. Todavia, para mantê-las foram criados impostos, fato este que a burguesia não gostou.

32 Para conter os trabalhadores o general Eugène Cavaignac, recebeu plenos poderes para reprimir violentamente o povo. Resultado: 16 mil pessoas assassinadas e 4 mil expulsas do país. Mesmo depois da violenta repressão aos trabalhadores, a burguesia sentia a necessidade de consolidar as instituições políticas para impor um clima de ordem pública ao país. Promulgou-se uma nova Constituição e foram marcadas eleições para presidente; Foi eleito Luís Napoleão Bonaparte que governou com o apoio do exército, Igreja e da burguesia. Em 1852, ele deu um golpe de Estado e implantou uma ditadura na qual ele recebeu o título de Napoleão III. Governou até Conclusão: a revolução de 1848 foi um fracasso para o proletariado, todavia a burguesia industrial chegara ao poder. O ciclo revolucionário iniciado em 1789 chegava ao fim.


Carregar ppt "Iluminismo e Revolução Francesa Prof. Ms. Fernando Carvalho."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google