A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE Marcelo Neri – Centro de Políticas Sociais do IBRE e da EPGE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE Marcelo Neri – Centro de Políticas Sociais do IBRE e da EPGE."— Transcrição da apresentação:

1 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE Marcelo Neri – mcneri@fgv.br Centro de Políticas Sociais do IBRE e da EPGE

2 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE Miséria – % da População Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE Brasil 35.31 28.50 27.18 28.17 25.38 28.38 27.63 28.79 28.99 35.16 26.72 22.77 22.00 25.00 28.00 31.00 34.00 37.00 40.00 1992199419961998200020022004

3 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE -19.18% -18.47% -2.15% -35.53% 2005/20031995/19932003/19952005/1993 Variação Acumulada da Miséria – Brasil Os Dois Reais

4 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE -3.58% -33.76% -25.92% -31.46% -36.06% -35.38% -32.48% -43.48% -37.25% -47.57% -54.61% 19931995199619971998199920012002200320042005 Variação Acumulada da Pobreza Extrema 1U$S dia PPP Das Metas do Milênio

5 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE EFEITOS DO SEGUNDO REAL EFEITOS DISTRIBUTIVOS EXPANSÃO DO BOLSA-FAMÍLIA AUMENTO DA FOCALIZAÇÃO FISCAL DO SALÁRIO MÍNIMO* MENOR INFLAÇÃO DOS POBRES QUEDA DA POBREZA (AUMENTO DO BEM-ESTAR SOCIAL) EFEITOS ESTABILIDADE AUMENTO DA OFERTA E DEMANDA POR CRÉDITO REDUÇÃO DE POUPANÇA PRECAUCIONAL GERAÇÃO E FORMALIZAÇÃO DO EMPREGO EFEITO CRESCIMENTO

6 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE Fonte: Kakwani e Son (2006), elaborado a partir dos microdados da POF/IBGE, SINPC/IBGE e CPS/FGV. 2000-012001-022002-032003-042004-052005-06 0 5 10 15 20 LaspeyresGeral Inflacao Pro-Pobre (P0) Inflação Geral e dos Pobres

7 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE C-Bond Spread 658.30 2052.91 363.67 720.20 1355.34 0.00 500.00 1000.00 1500.00 2000.00 2500.00 jan/95jan/96jan/97jan/98jan/99jan/00jan/01jan/02jan/03jan/04jan/05 Mensal Fonte: CPS/FGV – Valor Econômico

8 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE 98,532 350,031 147,718 492,903 1,229,702 591,079 762,414 645,433 1,523,276 1,253,981 721,986 19951996199719981999200020012002200320042005 Geração Anual de Emprego Formal Obs: CPS processando microdados do CAGED/MTE

9 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE Crescimento Anual da Renda per Capita- Haiti ou India ? PIB per Capita Renda Domiciliar per Capita 50% + Pobres40% Médios10% + Ricos 20020.45% 0.30% 3.65%0.34%-0.68% 2003-0.91% -5.81% -4.15%-4.67%-7.32% 20043.43% 3.14% 8.34%4.13%0.68% 20050.83% 6.63% 8.56%5.74%6.89% Fonte: CPS/FGV - PNAD/IBGE e Contas Nacionais

10 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE Cenários Sobre a Miséria Renda Domiciliar Per Capita % MiseráveisVariação Brasil 2005 437.44 22.77 Efeito Crescimento* 3% 450.5621.94-3.62% 12% 489.9319.74-13.28% Efeito Desigualdade (RJ) ** taxa de crescimento* 0% 437.4421.82-4.18% 3% 450.5620.85-8.44% 12% 489.9318.23-19.94% Efeito Desigualdade (BA) *** taxa de crescimento* 0% 437.4418.14-20.33% 3% 450.5617.40-23.58% 12% 489.9315.01-34.05% * Crescimento da renda per capita ** Trocamos a desigualdade do Brasil pela desigualdade do Rio de Janeiro no ano 2004 (Gini cai de 0,568 para 0,561) *** Trocamos a desigualdade do Brasil pela desigualdade da Bahia no ano 2004 (Gini cai de 0,568 para 0,548)

11 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE Efeitos do Segundo Real EFEITOS DISTRIBUTIVOS EXPANSÃO DO BOLSA-FAMÍLIA AUMENTO DA FOCALIZAÇÃO FISCAL DO SALÁRIO MÍNIMO* MENOR INFLAÇÃO DOS POBRES AUMENTO DO BEM-ESTAR SOCIAL REDUÇÃO DE INCERTEZAS (Políticas e Externas) AUMENTO DA OFERTA E DEMANDA POR CRÉDITO REDUÇÃO DE POUPANÇA PRECAUCIONAL GERAÇÃO E FORMALIZAÇÃO DO EMPREGO EFEITO CRESCIMENTO * com perda de efetividade trabalhista METAS INFLACIONÁRIAS CRÉDITO CONSIGNADO APRECIAÇÃO CAMBIAL REFORMAS MEIA SOLA CARGA TRIBUTÁRIA TAXA DE JUROS REDUZ AUMENTA REDUZ RESPONSABILIDADE FISCAL

12 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE Evolução do Gini – Renda Domiciliar Per Capita Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE 0.583 0.607 0.599 0.602 0.600 0.594 0.596 0.589 0.583 0.572 0.568 0.540 0.550 0.560 0.570 0.580 0.590 0.600 0.610 199219931995199619971998199920012002200320042005 Sera a Decada da Queda da Desigualdade?

13 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE 6166717681869196 População Renda 200520042001 Desigualdade da Renda Familiar per Capita Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE A Decada da Queda da Desigualdade?

14 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE 2 16111621263136414651566166717681869196 2005-20042005-20032005-20022005-2001 em relação a 2005 Distância Acumulada das Curvas de Lorenz

15 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE EFEITOS-COMPENSATORIOS EXPANSÃO DO BOLSA - FAMÍLIA AUMENTO DO SALÁRIO MÍNIMO* MENOR INFLAÇÃO DOS POBRES REDUÇÃO DA DESIGUALDADE - OUTRAS MUDANÇAS INSTITUCIONAIS E POLITICAS PUBLICAS RETORNO DA EDUCAÇÃO AUMENTO DA OFERTA DE EDUCAÇÃO DEMANDA POR EMPREGO (FORMAL) EFEITOS-ESTRUTURAIS * com efeito adverso sobre emprego formal e pobreza trabalhista - vide Neri (2006) METAS INFLACIONÁRIAS POLITICAS EDUCACIONAIS APRECIAÇÃO CAMBIAL REFORMAS MEIA SOLA CARGA TRIBUTÁRIA TAXA DE JUROS REDUZ AUMENTA VIA RESPONSABILIDADE FISCAL CANAIS DE REDUÇÃO DA DESIGUALDADE 2001-2005

16 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE Decomposição a la Atkinson (1970) Medida de Desigualdade - Thini? Pesos a la Gini e função utilidade a la Theil (logs) Função Bem-Estar Social

17 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE O mesmo e valido para taxas de crescimento da renda Dinâmica Renda Pró-pobre = Renda Media - Desigualdade Decompomos a renda pró-pobre em: Desigualdade = Renda Pró-pobre - Renda Media Temos uma contabilidade de crescimento detalhada por componente (tipo de renda/conceito)

18 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE EFEITOS-COMPENSATORIOS EFEITO - BOLSA 0,21 e 2 - FAMÍLIA EFEITO SALÁRIO MÍNIMO (via previdencia)* 0,4 e 0,4 EFEITO I NFLAÇÃO PRO-POBRE Ligeiranmente - 2001-05 REDUÇÃO DA DESIGUALDADE 0,44 e 4,8 - RETORNO DA EDUCAÇÃO -4,85 e -3,8 EFEITO - OFERTA DE EDUCAÇÃO 4,0 e 6,3 GERACAO TRABALHO 1,4 e 1,8 EFEITOS-ESTRUTURAIS 0,18 e 2,3 renda do trabalho com efeito adverso sobre emprego formal e pobreza trabalhista - vide Neri (2006) CANAIS DE QUEDA DA DESIGUALDADE 2001-2005 OBS: primeiro numero crescimento medio, segundo crescimento pro-pobre e diferenca = efeito equidade

19 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE www.fgv.br/cps

20 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE 95-9696-9797-9898-9999-0101-0202-0303-0404-05 -15 -10 -5 0 5 10 15 20 Growth rate Pro-poor growth Pro-poor growth and Growth in Brazil: 1995-2005

21 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE

22

23

24 Evolução da desigualdade trabalhista pelo índice Gini Fonte: CPS/IBRE/FGV a partir dos microdados da PME/IBGE.

25 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE Séries de miséria trabalhista Fonte: CPS/IBRE/FGV a partir dos microdados da PME/IBGE. Séries de miséria trabalhista Fonte: CPS/IBRE/FGV a partir dos microdados da PME/IBGE.

26 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE

27 Dados sobre a miséria (em %) por tipo de transição de 2003 a 2006 - Trabalhadores com carteira Total Trabalhadores com Carteira - Tipo de Transição (%) Continua pobre Saiu da miséria Entrou na miséria Continua não pobre Total 1.279.2842.37 2.783.83 91.02 2002 2003 1.472.2012.41 2.613.59 91.39 2004 1.610.4471.09 4.501.82 92.60 2005 1.823.3240.80 1.181.53 96.50 2006 1.798.9860.98 1.182.26 95.58 Fonte: microdados da PME/IBGE EPISODIOS DE REAJUSTE DO MINIMO

28 Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE Dados sobre a miséria (em %) por tipo de transição de 2003 a 2006 - Trabalhadores com carteira Total Pobreza Contin ua pobre Saiu da miséri a Entrou na miséri a Contin ua não pobre Total 2002 39,482 6.706.915.2581.14 2003 50,420 9.975.843.2980.90 2004 97,765 5.423.653.8187.12 2005 96,710 2.985.273.4388.32 2006 142,32 7 1.050.883.7394.34 Fonte: CPS/IBRE/FGV a partir dos microdados da PME/IBGE. Total Pobreza Continua pobre Saiu da miséria Entrou na miséria Continua não pobre Total 2002 39,4826.70 6.915.25 81.14 2003 50,4209.97 5.843.29 80.90 2004 97,7655.42 3.653.81 87.12 2005 96,7102.98 5.273.43 88.32 2006 142,3271.05 0.883.73 94.34 Fonte: microdados da PME/IBGE EPISODIOS DE REAJUSTE DO MINIMO


Carregar ppt "Fonte: CPS/IBRE/FGV processando os microdados da PNAD/IBGE Marcelo Neri – Centro de Políticas Sociais do IBRE e da EPGE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google