A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 A ENERGIA NUCLEAR NO BRASIL E NO MUNDO Gunter de Moura Angelkorte Físico – M.Sc. Engenharia Nuclear.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 A ENERGIA NUCLEAR NO BRASIL E NO MUNDO Gunter de Moura Angelkorte Físico – M.Sc. Engenharia Nuclear."— Transcrição da apresentação:

1 1 A ENERGIA NUCLEAR NO BRASIL E NO MUNDO Gunter de Moura Angelkorte Físico – M.Sc. Engenharia Nuclear

2 2 FUNCIONAMENTO DE UMA USINA NUCLEAR

3 3 Absorção dos produtos de fissão pelo próprio combustível Absorção dos produtos de fissão pelo próprio combustível Vaso do reator e circuito primário Revestimento da vareta de combustível Vaso (edifício) de contenção Contenção de aço BARREIRAS FÍSICAS MÚLTIPLAS CONTRA A LIBERAÇÃO DE PRODUTOS RADIOATIVOS

4 4 PRÉDIO DA CONTENÇÃO DE ANGRA 2

5 5 A ENERGIA NUCLEAR NO BRASIL

6 6 Usinas Angra 1 e 2 EMPRESAS BRASILEIRAS DE ENGENHARIA DE ENGENHARIA Engenharia INB Fornecimento de CombustívelCNEN Licenciamento Coordenação do Programa Elétrico / Financiamento ELETROBRÁS ELETRONUCLEAR INDÚSTRIA BRASILEIRA Equipamento Eletromecânico NUCLEP Equipamentos Pesados ESTRUTURA DO SETOR NUCLEOELÉTRICO NO BRASIL

7 7 LocalizaçãoLocalização Belo Horizonte Angra dos Reis Parati Ilha Grande Angra 1 Angra 2 Angra 3 Angra 1 Angra 2 Angra Km 350 Km 220 Km Rio de Janeiro São Paulo PRAIA DE ITAORNA

8 8 Carvão 6,6% Gás Natural 7,5% Petróleo 43,2% Biomassa 27,2% Urânio 1,8% Hidroeletricidade 13,7% Matriz Energética Brasileira Fonte : MME (31/05/2003)

9 9 ANGRA 1 - BALANÇO ENERGÉTICO - (ATÉ 31/12/2001)

10 10 Fonte: Nucleonics Week USINAS NUCLEARES - MAIORES GERADORAS DE ENERGIA ELÉTRICA EM ,5 Valores em milhões de MWh 12,4 10,8

11 11 USINAS NUCLEARES - COMPETITIVAS Fonte: ONS - Programa Mensal de Operação - abril/2004

12 12 CICLO DO COMBUSTÍVEL NUCLEAR

13 13 RESERVAS DE URÂNIO RESERVAS MUNDIAIS RECUPERÁVEIS Canadá 10,9% 100% = tU Brasil = 6ª reserva mundial suficiente para o atendimento de todo o Sistema Interligado Brasileiro por 17 anos. Adicionando as reservas de Pitinga e Cristalino teremos 3 a Fonte: OECD / NEA IAEA 1995 Austrália 28,5% Resto 11,2% Nigéria 2,3% EUA 4,1% Brasil 6,7% Namïbía 8,5% África do Sul 9,4% Cazaquistão 18,4%

14 14 Combustível Quantidade necessária para operar uma usina de MWe por ano 3 caminhões de 10 t 5,5 metaneiros de t 7 petroleiros de t 11 cargueiros de t t Carvão t Óleo t Gás Natural (GNL) 30 t Nuclear

15 15 RESERVAS BRASILEIRAS DE URÂNIO PARA 1,8 % DA MALHA ENERGÉTICA CONSIDERANDO U235 PARA 18 % DA MALHA ENERGÉTICA CONSIDERANDO U235– 100 ANOS

16 16 CAETITÉ Angra 1/2/3 USINAS PWR CICLO DO COMBUSTÍVEL Usina de Conversão (em construção) UF6 - CANADÁ INBINDÚSTRIASNUCLEARES DO BRASIL Mineração de Urânio e Produção de concentrados ELETRONUCLEAR Fábrica de Elementos Combustíveis (RESENDE) Usina de enriquecimento (comissionamento)

17 17 TRATADOS DE NÃO PROLIFERAÇÃO DE ARMAS NUCLEARES ASSINADOS PELO BRASIL

18 18 O PRIMEIRO TRATADO DE NÃO PROLIFERAÇÃO DE ARMAS NUCLEARES ASSINADOS PELO BRASIL Em 1991 assinamos o tratado bilateral com a Argentina, o qual criou a Agência Brasileiro-Argentina de Contabilidade e Controle de Materiais Nucleares (Abacc)

19 19 DEVIDO AO ACORDO BILATERAL COM A ARGENTINA Posteriormente foi assinado o acordo quadripartite entre Brasil, Argentina, Abacc e AIEA. Este acordo deu credibilidade ao tratado bilateral.

20 20 TERCEIRO TRATADO DE NÃO PROLIFERAÇÃO DE ARMAS NUCLEARES ASSINADOS PELO BRASIL Em 1994, aderimos ao Tratado de Tlatelolco, que proíbe armas nucleares na América Latina e Caribe

21 21 QUARTO E ÚLTIMO TRATADO DE NÃO PROLIFERAÇÃO DE ARMAS NUCLEARES ASSINADO PELO BRASIL Em 1998 assinamos o Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares

22 22 PROIBIÇÃO DEFINITIVA DE SE DESENVOLVER ARMAS NUCLEARES NO BRASIL A constituição de 1988 proibiu qualquer pesquisa que leve à fabricação de armas nucleares

23 23 PRESERVANDO O MEIO AMBIENTE

24 24 POLÍTICA DE REJEITOS/SITUAÇÃO ATUAL (I) APÓS 12 ANOS DE TRAMITAÇÃO, APROVAÇÃO DA LEI N.º , EM , QUE REGULAMENTA O DESTINO FINAL DOS REJEITOS RADIOATIVOS NO BRASIL DISPÕE SOBRE: TIPOS DE DEPÓSITO (BAIXA E MÉDIA ATIVIDADE) SELEÇÃO DE LOCAIS CONSTRUÇÃO, LICENCIAMENTO, OPERAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DAS INSTALAÇÕES REMOÇÃO E FISCALIZAÇÃO DOS REJEITOS CUSTOS E INDENIZAÇÕES RESPONSABILIDADE CIVIL E GARANTIAS

25 25 REJEITO SÓLIDO Armazenamento de rejeitos radioativos de baixa e média atividade

26 26 Laboratório de Monitoração Ambiental Foi criado em 1978 Está localizado na Praia de Mambucaba Controle Ambiental na região entre Angra dos Reis e Paraty Foram desenvolvidos estudos pré-operacionais destas regiões (1979 a 1981)

27 27 A ENERGIA NUCLEAR NO MUNDO

28 28

29 29

30 30 PARTICIPAÇÃO DA ENERGIA NUCLEAR NA GERAÇÃO DOS EUA 51 % 20 % 15 % 8 % 3 % EUA: Energia Elétrica Gerada

31 31 USINAS NUCLEARES EM OPERAÇÃO

32 32 DOIS IMPORTANTES FATORES INFLUENCIARÃO A COMPOSIÇÃO DA MATRIZ ENERGÉTICA MUNDIAL

33 Administração de Informações Energéticas do Departamento de Energia dos EUA Entre 2020 e 2040 – John Edwards – Universidade do Colorado 2010 – Campbell e Laherrère – Scientific American 2010 – Craig Hatfield – Universidade de Toledo 2009 – Kenneth S. Deffeyes – Universidade de Princeton PICO MUNDIAL DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO

34 34 ENTRADA EM VIGOR DO PROTOCOLO DE KIOTO FOI RATIFICADO POR 141 PAÍSES REDUZIR 8% (DOS NÍVEIS DE 1990) A EMISSÃO DE GASES QUE CONTRIBUEM COM O AUMENTO DO EFEITO ESTUFA OS EUA SÃO RESPONSÁVEIS POR 25% DAS EMISSÕES MUNDIAIS, NÃO SÃO SIGNATÁRIOS AQUECIMENTO GLOBAL

35 35 PWR X USINA A CARVÃO Consumo anual de combustível e produção de rejeitos de uma usina de 1300 MW operando com fator de utilização de 6500 horas equivalentes a plena carga. R= 1,3µSv 170t urânio natural Com radioatividade média 42 m 3 REATOR A ÁGUA LEVE DE 1300 MW Efluentes radioativos (quantidades desprezíveis) USINA DE CARVÃO DE 2* 650 MW M = metais R= radioatividade 9µSv 32t urânio enriquecido Altamente radioativo 4,8 m 3 C/ baixa radioatividade 531 m 3 REJEITOS COM REPROCESSAMENTO t cinzas t gesso do sistema de dessulfurização 2.8 milhões de t antracita (1,8% de S ) t material particulado (50mg/m) t SO2 (400mg/m 3) t NOx (200mg/m 3) t CO2 R MM RR IMPACTO AMBIENTAL DA TÉRMICA A CARVÃO

36 36 IMPACTOS AMBIENTAIS DE USINAS A GÁS

37 37 A RETOMADA DA OPÇÃO NUCLEAR

38 38 ENERGIA NUCLEAR NO MUNDO 31 PAÍSES COM CENTRAIS EM OPERAÇÃO EXPERIÊNCIA OPERATIVA: REATORES ANO CENTRAIS EM CONSTRUÇÃO: UNIDADES: 31 CAPACIDADE LÍQUIDA: MWe UNIDADES: 441 CAPACIDADE LÍQUIDA: MWe ( 5 VEZES A CAPACIDADE BRUTA INSTALADA BRASILEIRA) ENERGIA LÍQUIDA PRODUZIDA: 2.448,4 TWh ( 8 VEZES A GERAÇÃO BRUTA BRASILEIRA) CENTRAIS EM OPERAÇÃO: Fonte: IAEA Status: 31/12/2004

39 39 CHINA - quadruplicar a capacidade instalada até De 8500 MW para MW EUA - mais de 20 Usinas conseguiram prolongamento de vida por mais 20 anos. O aumento de produção das usinas nucleares nos EUA entre 1993 e 2003 eqüivale ao output de 18 novas usinas de MW cada, operando a 90% da sua capacidade. Propiciado pelo aumento de potência das usinas. O senado americano aprovou em 2003 verba para construção do primeiro reator de pesquisa para produzir hidrogênio e gerar energia elétrica. POLÔNIA - estuda a implantação de um programa nuclear para construção de usinas nucleares a partir de 2020 FRANÇA - O parlamento Francês aprovou a construção do primeiro EPR, reator de geração III avançado CORÉIA DO SUL - planeja reduzir em 20% a dependência do combustível fóssil na área de transporte usando o hidrogênio, a ser produzido em reatores nucleares PERSPECTIVA DA ENERGIA NUCLEAR NO MUNDO

40 40 O crescimento econômico exige oferta de energia CONSUMO MÉDIO ANUAL DE ENERGIA ELÉTRICA POR HABITANTE

41 41 energia nuclear é ambientalmente segura Um dos fundadores do Greenpeace afirmou perante a Comissão de Energia e Recursos Naturais do Senado americano, na quinta-feira, 28/04, que há evidência científica abundante demonstrando que a energia nuclear é uma opção ambientalmente segura. Patrick Moore, presidente e cientista-chefe da companhia de consultoria ambiental Greenspirit Strategies, com sede no Canadá, ressaltou que seus colegas ambientalistas estão fora da realidade ao defender seu abandono.. Tendo que escolher entre energia nuclear de um lado e carvão, óleo e gás natural do outro, a energia nuclear é de longe a melhor opção, já que não emite CO2 ou qualquer outro poluente do ar, comentou. Ele ressaltou ao comitê – que se reunia para discutir a iniciativa Energia Nuclear 2010 do Governo, que prevê a construção de uma nova usina até o fim da década – que, praticamente, não existem outros usos benéficos do urânio além da produção de energia elétrica. Já os combustíveis fósseis são um recurso não- renovável valioso e têm uma variedade de usos construtivos, incluindo a produção de bens duráveis, como o plástico. Fonte: Nucnet PATRICK MORE - CO-FUNDADOR DO GREENPEACE AFIRMA

42 42 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA NUCLEAR UFA!!!! ACABOU!!!! OBRIGADO!!! UFA!!!! ACABOU!!!! OBRIGADO!!!


Carregar ppt "1 A ENERGIA NUCLEAR NO BRASIL E NO MUNDO Gunter de Moura Angelkorte Físico – M.Sc. Engenharia Nuclear."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google