A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PAS. Texto em que você deve responder a uma pergunta, posicionando-se sobre o tema apresentado.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PAS. Texto em que você deve responder a uma pergunta, posicionando-se sobre o tema apresentado."— Transcrição da apresentação:

1 PAS

2 Texto em que você deve responder a uma pergunta, posicionando-se sobre o tema apresentado.

3 Primeiramente, apresente a tese (de preferência, não relativizem pois você não tem espaço para isso). Justifique-a com informações que apóiem a validade da sua tese. Em seguida, apresente argumentos que respaldem a proposição e sua análise. Dentre eles, sugerimos: exemplos, dados estatísticos, testemunho de autoridade (citação).

4 Para finalizar, exponha uma conclusão que decorra das informações anteriormente expostas.

5 Você pode usar informações do texto de apoio como base para sua reflexão pessoal, no entanto é fundamental a contemplação de informações novas, pertencentes ao seu conhecimento de mundo.

6 São várias as possibilidades de textos a serem interpretados e cada um deles apresenta características próprias.

7 Faça referência à modalidade textual, à autoria e à temática (contextualize seu leitor). Mantenha essa referência como assunto principal ao longo de todo o texto produzido (cuidado para não usar o tema do texto como base para uma dissertação). Descreva, denotativamente e na medida do interesse da interpretação, os elementos textuais presentes no texto, de modo a estabelecer para o leitor o ponto de partida dos raciocínios que o texto desenvolve.

8 Em caso de interpretação de textos poéticos, apresente o excerto textual selecionado que se articule à sua interpretação. Faça referências contextuais da época de publicação, na exata medida em que sejam importantes para a interpretação do texto.

9 Sempre compartilhamos com nossos amigos, familiares e colegas de classe, as experiências do cotidiano. Geralmente, quando algo de novo nos acontece, mal esperamos o momento certo de relatar tudo o que ocorreu, não é verdade? Trata-se de algo tão rotineiro e natural, que nem nos damos conta de seus muitos aspectos.

10 Possui os mesmos elementos do texto narrativo, pois contém personagens, o fato acontece em um determinado lugar, num determinado momento e, sem dúvida, é narrado por alguém. Assim sendo, qualquer pessoa pode revelar fatos de sua vida, permitindo assim que todos possam conhecê- los.

11 Pretérito (anterior ao discurso), pois é uma narrativa que conta uma história do passado.

12 Apresentar fatos marcantes da vida de quem escreve. Serve para a pessoa descrever o que aconteceu em determinado momento.

13 Clareza nas idéias Tempo e espaço marcados Uso da primeira pessoa Apresenta trechos descritivos e pode conter diálogos.

14 Na última sexta-feira à tarde, as letras "e" e "r" do meu teclado entraram em greve. Rapidamente, outras companheiras da mesma carreira aderiram ao movimento. Como boa direitista, demiti todas! Daí que, no único dia da semana que eu havia reservado para estudar para a prova final do curso de inglês, que aconteceria no sábado de manhã, tive que sair para comprar um teclado, sob pena de não poder trabalhar na minha tese durante todo o final de semana, expectativa que provoca uma certa fobia incontrolável em workaholics como eu.

15 Como eu estava com muita pressa... Não, na verdade, confesso que, no mais das vezes, sou desleixada com o visual mesmo... enfim... coloquei uma camiseta de malha simples, uma saia esporte qualquer e calcei uma rasteirinha, me dirigindo então a uma loja especializada em informática, que fica razoavelmente perto da minha casa. Chegando lá, fiquei um tempão em pé no saguão de vendas, olhando várias estantes com vitrines de produtos diversos, enquanto um vendedor nem se dava conta da minha presença, ocupado com o atendimento a um empresário, que fazia uma encomenda grande de computadores, em nome de um grupo empresarial, para uma doação.

16 Cansei de ficar ali, já tinha visto cada produto, então, gentilmente, perguntei ao vendedor se não haveria outro funcionário para me atender. Ele chamou uma moça pelo telefone e, nisso, o empresário foi embora. Quando a moça chegou, tocou o telefone, ela atendeu e ficou mais uns bons minutos falando, enquanto eu esperava na frente dela e o outro vendedor, a esta altura, estava livre na mesa dele... sem nem me olhar. Aí, ela desligou e eu falei que precisava de um teclado com urgência, porque o meu tinha acabado de quebrar. Ela me mostrou um que estava exposto ao lado dela, mas era de tecla alta, o que odeio. Perguntei então por outros modelos e... dou um doce para quem adivinhar o que ouvi: "dos mais básicos, é só este mesmo".

17 Pois é... Agora, não me perguntem em que momento da conversa eu teria dito a ela: "moça, qual seu teclado mais barato?" ou algo do gênero. Porém, como ando muito bem humorada e não queria brigar, para não ter que ir ao centro ou para um shopping fazer minha compra, simplesmente disse que eu tinha visto um que me agradava em uma vitrine e levei o dito cujo, que, aliás, já foi trocado uma vez por defeito no plugue e, agora, está com defeito na letra "d" (nunca sai de primeira, deve ser do sindicato do "e" e do "r" do teclado antigo).

18 O interessante é que, sem esforço algum, ela me vendeu um teclado que custava exatamente o dobro do tal "mais básico" e, se tivesse apostado um pouco mais em clientes de camiseta de malha, podia ter acabado vendendo um modelo sem fio, bem mais caro, já que sou absolutamente vidrada em tecnologia, coisa que certamente ela não deduziu da minha aparência, pois, como o colega, preferiu, por uma estranha lógica, inferir que, se não sou uma cliente interessante para salões de beleza e boutiques, também não devo sê-lo para lojas de informática.

19 E esta não foi a primeira ocasião em que recebi este tipo de tratamento. Quando eu estava para comprar a Mel, por exemplo, antes de me responderem se tinha filhote de Schnauzer no Petshop, me falavam que era muito caro rsrs Então, estava pensando, se eu não fosse muito mais branquela do que gostaria de ser, certamente, isto se tornaria um relato do que é o racismo no Brasil, mas eu sinto na pele é a discriminação (burra) pela (enganosa) aparência social. Imagino se eu fosse como aquele empresário, coadjuvante lá do começo da história, e tivesse ligado antes para a loja, avisando quem eu era e o que eu ia fazer, então aparecesse lá de terno e gravata, dentro de um carrão, mas... sendo negro. Tenho certeza que iam me receber bem do mesmo jeito. Acha que o Ronaldinho vai ser distratado em algum lugar? Negro é distratado, quando inferem, do fato de ser negro, que o cara é pobre, porque, se você deixa que eles pensem que você é pobre... pode ser da cor da Xuxa...

20 Objetivo: apresentação fiel das informações principais contidas em um texto de base, as quais devem ser parafraseadas, sem haver cópias de trechos do texto a ser resumido. Preferencialmente, respeite a ordem em que são apresentadas, de modo a preservar suas relações lógico-semânticas. Em hipótese alguma, opine ou faça comentários sobre o texto resumido.

21 31/05/2009 Oi, Francine! Gostei muito de saber que você foi classificada no concurso de fotografias. Parabéns garota, você merece! Continue firme, pois a vitória é sua! Pode comigo no que precisar, viu? Com carinho, Jaqueline

22 Data Para quem o bilhete foi escrito O assunto A despedida O nome de quem escreveu o bilhete (assinatura)

23 Linguagem (predominantemente) coloquial Permite o emprego (até) de apelido para o destinatário ou para o emissor Usado para mensagens rápidas, urgentes, convenientes Não há preocupação com as normas gramaticais da língua padrão Quase sempre indica a data em que está sendo escrito.

24 Escrevemos uma carta pessoal quando queremos nos comunicar com alguém próximo de nós, como amigos ou familiares. As características desse tipo de gênero textual são simples, ou seja, não possuem muitas regras e estrutura para serem seguidas. Vejamos: O assunto é livre, geralmente de ordem íntima, sentimental. O tamanho varia entre médio e grande. Quando é pequeno, é considerado bilhete e não carta. O tipo de linguagem acompanhará o grau de intimidade entre remetente e destinatário. Portanto, cabe ao escritor saber se pode usar termos coloquiais ou mesmo gírias. Quanto à estrutura, a carta pessoal deve seguir a sequencia: 1. local e data escritos à esquerda, 2. vocativo, 3. corpo do texto e 4. despedida e assinatura.comunicarescritor

25 A carta pessoal é um gênero textual utilizado quando um remetente deseja entrar em contato com um amigo, familiar, conhecido - o destinatário. Características da carta pessoal comunicação geralmente breve e pessoal, de assunto livre; sua estrutura é composta de local e data, vocativo, corpo e assinatura. Às vezes, também, apresenta P.S. ( post-scriptum), a linguagem varia de acordo com o grau de intimidade entre os interlocutores, podendo ser menos ou mais formal, culta ou coloquial, e, eventualmente, incluir gírias; verbos geralmente no presente do indicativo

26 O local e data são colocados no início da carta, normalmente à esquerda. O vocativo pode conter apenas o nome do destinatário ou vir acompanhado de palavras de cortesia, como Caro senhor, Querida amiga, por exemplo, ou pode mesmo ser um apelido, que varia conforme o grau de intimidade entre as pessoas que se correspondem. O vocativo pode ser seguido de dois pontos, de vírgula, ou não conter pontuação. A despedida varia muito, podendo ser cortês, carinhosa ou formal. A assinatura do remetente, normalmente o nome manuscrito, sem o sobrenome, finaliza a carta. Se algo importante foi esquecido, pode ser incluído depois da assinatura um P.S.

27 Rio de Janeiro, 12 de abril de Meu caro amigo, Me perdoe, por favor, se eu não lhe faço uma visita. Mas como agora apareceu um portador, mando notícias nessa fita. Aqui na terra, estão jogando futebol. Tem muito samba, muito choro e rock'n'roll. Uns dias chove, noutros dias bate sol. Mas o que eu quero é lhe dizer é que a coisa aqui está preta. Muita mutreta pra levar a situação, que a gente vai levando de teimoso e de pirraça. E a gente vai tomando, e também, sem a cachaça, ninguém segura esse rojão. Eu não pretendo provocar nem atiçar suas saudades. Mas acontece que não posso me furtar a lhe contar as novidades. É pirueta pra cavar o ganha-pão, que a gente vai cavando só de birra, só de sarro. E a gente vai fumando que, também, sem um cigarro, ninguém segura esse rojão. Eu quis até telefonar, mas a tarifa não tem graça. Eu ando aflito pra fazer você ficar a par de tudo que se passa. Muita careta pra engolir a transação, e a gente está engolindo cada sapo no caminho... E a gente vai se amando que, também, sem um carinho, ninguém segura esse rojão. Eu bem queria lhe escrever, mas o correio andou arisco. Se me permitem, vou tentar lhe remeter notícias frescas nesse disco. A Marieta manda um beijo para os seus. Um beijo na família, na Cecília e nas crianças. O Francis aproveita pra também mandar lembranças a todo o pessoal. Adeus, Chico Buarque

28 São textos que nos orientam em relação a procedimentos que devemos seguir para alcançar determinado fim.

29 Receitas Manuais Regras de jogo Bulas de remédio Guias de uso etc.

30 Para quem necessita de informação específica a respeito de como proceder para alcançar um objetivo específico. Ex: Fazer um bolo Ligar ou instalar um aparelho Usar um remédio

31 Apresentação dos procedimentos Esses procedimentos são apresentados em uma ordem que deve ser respeitada Uso de verbos no modo imperativo

32 Porque o imperativo afirmativo é o modo verbal associado às ordens, aos comandos. Como esse gênero apresenta uma série de procedimentos que precisam ser seguidos pelo leitor, recorre- se ao modo Imperativo para deixar clara tal expectativa.

33 AS CARACTERÍSTICAS DA CRÔNICA : Ligada à vida cotidiana; Narrativa informal, familiar, intimista; Uso da oralidade na escrita: linguagem coloquial; Sensibilidade no contato com a realidade; Síntese; Uso do fato como meio ou pretexto para o artista exercer seu estilo e criatividade; Leveza; Diz coisas sérias por meio de uma aparente conversa fiada; Uso do humor; Brevidade.

34 Minha mulher e eu temos o segredo para fazer um casamento durar: Duas vezes por semana, vamos a um ótimo restaurante, com uma comida gostosa, uma boa bebida e um bom companheirismo. Ela vai às terças-feiras e eu, às quintas. Nós também dormimos em camas separadas: a dela é em Fortaleza e a minha, em SP. Eu levo minha mulher a todos os lugares, mas ela sempre acha o caminho de volta. Perguntei a ela onde ela gostaria de ir no nosso aniversário de casamento, "em algum lugar que eu não tenha ido há muito tempo!" ela disse. Então, sugeri a cozinha. Nós sempre andamos de mãos dadas... Se eu soltar, ela vai às compras! Ela tem um liquidificador, uma torradeira e uma máquina de fazer pão, tudo elétrico. Então, ela disse: "nós temos muitos aparelhos, mas não temos lugar pra sentar". Daí, comprei pra ela uma cadeira elétrica. Lembrem-se: o casamento é a causa número 1 para o divórcio. Estatisticamente, 100 % dos divórcios começam com o casamento. Eu me casei com a "senhora certa". Só não sabia que o primeiro nome dela era "sempre". Já faz 18 meses que não falo com minha esposa. É que não gosto de interrompê-la. Mas, tenho que admitir: a nossa última briga foi culpa minha. Ela perguntou: "O que tem na TV?" E eu disse: "Poeira.

35 Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida... Um dia, quando os funcionários chegaram para trabalhar, encontraram na portaria um cartaz enorme, no qual estava escrito: "Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida na Empresa. Você está convidado para o velório na quadra de esportes". No início, todos se entristeceram com a morte de alguém, mas depois de algum tempo, ficaram curiosos para saber quem estava atrapalhando sua vida e bloqueando seu crescimento na empresa. A agitação na quadra de esportes era tão grande, que foi preciso chamar os seguranças para organizar a fila do velório. Conforme as pessoas iam se aproximando do caixão, a excitação aumentava:

36 - Quem será que estava atrapalhando o meu progresso ? - Ainda bem que esse infeliz morreu ! Um a um, os funcionários, agitados, se aproximavam do caixão, olhavam pelo visor do caixão a fim de reconhecer o defunto, engoliam em seco e saiam de cabeça abaixada, sem nada falar uns com os outros. Ficavam no mais absoluto silêncio, como se tivessem sido atingidos no fundo da alma e dirigiam-se para suas salas. Todos, muito curiosos mantinham-se na fila até chegar a sua vez de verificar quem estava no caixão e que tinha atrapalhado tanto a cada um deles. Luís Fernando Veríssimo

37 A pergunta ecoava na mente de todos: "Quem está nesse caixão"? No visor do caixão havia um espelho e cada um via a si mesmo... Só existe uma pessoa capaz de limitar seu crescimento: VOCÊ MESMO! Você é a única pessoa que pode fazer a revolução de sua vida. Você é a única pessoa que pode prejudicar a sua vida. Você é a única pessoa que pode ajudar a si mesmo. "SUA VIDA NÃO MUDA QUANDO SEU CHEFE MUDA, QUANDO SUA EMPRESA MUDA, QUANDO SEUS PAIS MUDAM, QUANDO SEU(SUA) NAMORADO(A) MUDA. SUA VIDA MUDA... QUANDO VOCÊ MUDA! VOCÊ É O ÚNICO RESPONSÁVEL POR ELA." O mundo é como um espelho que devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos e seus atos. A maneira como você encara a vida é que faz toda diferença. A vida muda, quando "você muda".


Carregar ppt "PAS. Texto em que você deve responder a uma pergunta, posicionando-se sobre o tema apresentado."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google