A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PROGRAMA FUNDAMENTAL Módulo XVII: A Perfeição Moral Federação Espírita Brasileira Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PROGRAMA FUNDAMENTAL Módulo XVII: A Perfeição Moral Federação Espírita Brasileira Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita."— Transcrição da apresentação:

1 PROGRAMA FUNDAMENTAL Módulo XVII: A Perfeição Moral Federação Espírita Brasileira Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita

2 ROTEIRO 1 Os caracteres da perfeição moral

3 OBJETIVOS ESPECÍFICOS: Dizer quais os caracteres da perfeição moral. Identificar os obstáculos que dificultam a conquista da perfeição moral e os recursos para vencer esses obstáculos.

4 Se à criatura fosse dado ser tão perfeita quanto o Criador, tornar-se-ia ela igual a este, o que é inadmissível. [...] Aquelas palavras [de Jesus], portanto, devem entender-se no sentido da perfeição relativa, a de que a Humanidade é suscetível e que mais a aproxima da Divindade. Em que consiste essa perfeição? Jesus o diz: em amarmos os nossos inimigos, em fazermos o bem aos que nos odeiam, em orarmos pelos que nos perseguem. Mostra ele desse modo que a essência da perfeição é a caridade na sua mais ampla acepção, porque implica a prática de todas as outras virtudes. Allan Kardec: O evangelho segundo o espiritismo. Cap. 17, item 2.

5 Obstáculos à perfeição: O apego às coisas materiais constitui sinal notório de inferioridade, porque, quanto mais se aferrar aos bens deste mundo, tanto menos compreende o homem o seu destino. Allan Kardec: O livro dos espíritos, questão 895. Dentre os vícios, qual o que se pode considerar radical? Temo-lo dito muitas vezes: o egoísmo. Daí deriva todo mal. Estudai todos os vícios e vereis que no fundo de todos há egoísmo. Allan Kardec: O livro dos espíritos, questão 913.

6 Os Caracteres da Perfeição Moral Os caracteres da perfeição, apresentados por Jesus, no Evangelho, desdobram-se em três pontos fundamentais: amar os vossos inimigos; fazer o bem aos que vos odeiam, e orar pelos que vos perseguem e caluniam. E isso porque – explica o Mestre Divino – se somente amarmos os que nos amam, que recompensa teremos disso? Não fazem o mesmo os publicanos? Se somente saudarmos os nossos irmãos, que fazemos com isso mais do que outros? Não fazem o mesmo os pagãos? Concluindo o seu ensinamento, diz Jesus: Sede, pois, vós outros, perfeitos, como perfeito é o vosso Pai celestial. KARDEC, Allan. O evangelho segundo o espiritismo. Cap. 17, item 1, p

7 A [...] virtude, no mais alto grau, é o conjunto de todas as qualidades essenciais que constituem o homem de bem. Ser bom, caritativo, laborioso, sóbrio, modesto, são qualidades do homem virtuoso. [...] Não é virtuoso aquele que faz ostentação da sua virtude, pois que lhe falta a qualidade principal: a modéstia, e tem o vício que mais se lhe opõe: o orgulho. A virtude, verdadeiramente digna desse nome, não gosta de estadear-se. Advinham-na; ela, porém, se oculta na obscuridade e foge à admiração das massas. KARDEC, Allan. O evangelho segundo o espiritismo. Cap. 17, item 8, p Toda virtude tem o seu mérito próprio, porque todas indicam progresso na senda do bem. Há virtude sempre que há resistência voluntária ao arrastamento dos maus pendores. A sublimidade da virtude, porém, está no sacrifício do interesse pessoal, pelo bem do próximo, sem pensamento oculto. A mais meritória é a que assenta na mais desinteressada caridade. KARDEC, Allan. O livro dos espíritos. Questão 893, p. 461.

8 Dizem os Espíritos Superiores que, de todos os vícios aquele que se pode considerar radical é o egoísmo. [...] Daí deriva todo mal. Estudai todos os vícios e vereis que no fundo de todos há egoísmo. Por mais que lhes deis combate, não chegareis a extirpá-los, enquanto não atacardes o mal pela raiz, enquanto não lhe houverdes destruído a causa. KARDEC, Allan. O livro dos espíritos. Questão 913, p Note-se entretanto que, fundando-se o egoísmo no interesse pessoal, só poderá ser extirpado do coração à medida que o homem se instrui a respeito das coisas espirituais, o que fará que dê menos valor aos bens materiais. KARDEC, Allan. O livro dos espíritos. Questão 914. p. 470.

9 O egoísmo é irmão do orgulho e procede das mesmas causas. É uma das mais terríveis enfermidades da alma, é o maior obstáculo ao melhoramento social. Por si só ele neutraliza e torna estéreis quase todos os esforços que o homem faz para atingir o bem. DENIS, Léon. Depois da morte. Tradução de João Lourenço de Souza. Cap. 46 (O egoísmo), p Portanto, o [...] egoísmo, chaga da Humanidade, tem que desaparecer da Terra, a cujo progresso moral obsta. Ao Espiritismo está reservada a tarefa de fazê-la ascender na hierarquia dos mundos. O egoísmo é, pois, o alvo para o qual todos os verdadeiros crentes devem apontar suas armas, dirigir suas forças, sua coragem. Digo: coragem, porque dela muito mais necessita cada um para vencer-se a si mesmo, do que para vencer os outros. KARDEC, Allan. O evangelho segundo o espiritismo. Cap. 11, item 11, p

10 Todos nós trazemos gravados no íntimo do ser [...] os rudimentos da lei moral. É neste mundo mesmo que ela recebe um começo de sanção. Qualquer ato bom acarreta para o seu autor uma satisfação íntima, uma espécie de ampliação da alma; as más ações, pelo contrário, trazem, muitas vezes, amargores e desgostos em sua passagem. DENIS, Léon. Depois da morte. Cap. 42 (A vida moral), p Afirma o Espírito Lázaro, em comunicação inserida em O Evangelho segundo o Espiritismo que: O dever é a obrigação moral da criatura para consigo mesma, primeiro, e, em seguida, para com os outros. O dever é a lei da vida. Com ele deparamos nas mais ínfimas particularidades, como nos atos mais elevados. Quero aqui falar apenas do dever moral e não do dever que as profissões impõem. KARDEC, Allan. O evangelho segundo o espiritismo. Cap. 11, item 7, p

11 JESUS E VOCÊ Nosso Mestre não se serviu de condições excepcionais no mundo para exaltar a luz da verdade e a bênção do amor. Em razão disso, não aguarde renovação exterior na vida diária, para ajudar. Comece imediatamente a própria sublimação. Jesus não tinha uma pedra para recostar a cabeça. Se você dispõe de mínimo recurso já possui mais que Ele [...]. Jesus partiu aos 33 anos. Se você na idade amadurecida e dispõe do ensejo de auxiliar agradeça ao Alto dando mais de si mesmo. Jesus não encontrou ninguém que o amparasse na hora difícil. Se você recebe o apoio de alguém nos momentos críticos, saiba ser grato.

12 Jesus nada pôde escrever. Se você consegue grafar pensamentos na expressão do bem, colabore sem tardança para a felicidade de todos. Vemos, assim, que a vida real nasce e evolui no espírito eterno e não depende de aparências para projetar-se no rumo da Perfeição. Jesus segue à frente de nós. Se você deseja acertar, basta apenas segui-lo. Sigamo-lo, pois. André Luiz XAVIER, Francisco Cândido & VIEIRA, Waldo. O Espírito da Verdade. Item 40. Ed. FEB.


Carregar ppt "PROGRAMA FUNDAMENTAL Módulo XVII: A Perfeição Moral Federação Espírita Brasileira Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google