A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ABORDAGENS COMPARATIVAS DA AVALIAÇÃO ESCOLAR. Retirado de:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ABORDAGENS COMPARATIVAS DA AVALIAÇÃO ESCOLAR. Retirado de:"— Transcrição da apresentação:

1 ABORDAGENS COMPARATIVAS DA AVALIAÇÃO ESCOLAR

2 Retirado de: http://www.topeducacao.com.br/mysql-noticias2//not_topeducacao.php?id=536

3 PARA QUEM SERVE A AVALIAÇÃO? “Avaliar para planejar. Avaliar para evoluir. Avaliar para (a)firmar valores.”- Dilvo I. Ristoff.

4 AVALIAÇÃO COMO UM REMÉDIO!- 1 “PROPRIEDADES:... Sua principal função é subsidiar o professor, a equipe escolar e o próprio sistema no aperfeiçoamento do ensino. Desde que utilizada com as cautelas previstas e já descritas em bibliografia especializada, fornece informações que possibilitam tomar decisões sobre quais recursos educacionais devem ser organizados quando se quer tomar o ensino mais efetivo.”- (SOUZA, 1991).

5 AVALIAÇÃO COMO UM REMÉDIO!- 2 “PRECAUÇÕES: A avaliação escolar não deve ser empregada quando não se tem interesse em aperfeiçoar o ensino e, consequentemente, quando não se definiu o sentido que sena dado aos resultados da avaliação.”- (SOUZA, 1991).

6 AVALIAÇÃO COMO UM REMÉDIO!- 3 “ CONTRAINDICAÇÕES: A avaliação é contraindicada como único instrumento para decidir sobre aprovação e reprovação do aluno. O seu uso somente para definir a progressão vertical do aluno conduz a reduções e descompromissos. A decisão de aprovação ou retenção do aluno exige do coletivo da Escola uma análise das possibilidades que essa Escola pode oferecer para garantir um bom ensino. A avaliação escolar também é contraindicada para fazer um diagnóstico sobre a personalidade do aluno, pois sua abrangência limita-se aos objetivos do ensino do programa escolar.”- (SOUZA, 1991).

7 AVALIAÇÃO COMO UM REMÉDIO!- 4 “INDICAÇÕES:... Recomenda-se então sua aplicação não só para diagnosticar as dificuldades e facilidades do aluno, como, principalmente, para compreender o processo de aprendizagem que ela está percorrendo.”- (SOUZA, 1991).

8 AVALIAÇÃO COMO UM REMÉDIO!- 5 “POSOLOGIA: A avaliação deve ser utilizada com o apoio de múltiplos instrumentos de coleta de informações, sempre de acordo com as características do plano de ensino, isto é, dos objetivos que se está buscando junto ao aluno.”- (SOUZA, 1991).

9 ABORDAGENS DO PROCESSO DE ENSINO ABORDAGENSPRINCIPAIS AUTORES TRADICIONAL Émile Durkheim; Émile Chartier; etc COMPORTAMENTALISTA Burrhus Skinner; Robert Mager; etc HUMANISTA Carl Rogers; Alexander Neill; etc COGNITIVISTA Jean Piaget; Lev Vygotsky; etc SÓCIO-CULTURAL Paulo Freire; Alexander Lúria; etc

10 AVALIAÇÃO NA ABORDAGEM TRADICIONAL “A avaliação visa a exatidão da reprodução do conteúdo comunicado em sala de aula. As notas obtidas funcionam na sociedade como níveis de aquisição do patrimônio cultural.”- (MIZUKAMI, 1986).

11 AVALIAÇÃO NA ABORDAGEM COMPORTAMENTALISTA “Decorrente do pressuposto de que o aluno progride em seu ritmo próprio, em pequenos passos, sem cometer erros, a avaliação consiste, nesta abordagem, em se constatar se o aluno aprendeu e atingiu os objetivos propostos quando o programa foi conduzido até o final de forma adequada. Utilização de pré-testagem.”- (MIZUKAMI, 1986).

12 AVALIAÇÃO NA ABORDAGEM HUMANISTA “Só o indivíduo pode conhecer realmente sua experiência, que só pode ser julgada a partir de critérios internos do organismo. O aluno deverá assumir formas de controle de sua aprendizagem definir e aplicar os critérios para avaliar até onde estão sendo atingidos os objetivos que pretende, com responsabilidade. Aplicação de auto avaliações.”- (MIZUKAMI, 1986).

13 AVALIAÇÃO NA ABORDAGEM COGNITIVISTA “A avaliação terá de ser realizada a partir de parâmetros extraídos da própria teoria e implicará verificar se o aluno já adquiriu noções, conservações, realizou operações, relações etc. O rendimento poderá ser avaliado de acordo como a sua aproximação a uma norma qualitativa pretendida, pois o conhecimento é uma operação contínua.”- (MIZUKAMI, 1986).

14 AVALIAÇÃO NA ABORDAGEM SÓCIO-CULTURAL “A utilização da auto avaliação e/ou avaliação mútua e permanente da prática educativa, pelo professor e pelo aluno. O professor se torna um observador do progresso dos alunos. A elaboração e o desenvolvimento do conhecimento estão ligados ao processo de conscientização sócio-cultural.”- (MIZUKAMI, 1986).

15 MUITO OBRIGADO! Fabrício Felippe de Lima Coordenador de Área Responsável pelo Núcleo de Gestão Pedagógica e Acadêmica da Etec “Cel. Fernando Febeliano da Costa” (056). pedagogico.etec.piracicaba@hotmail.com

16 REFERÊNCIAS MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti- Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986. (Temas básicos da educação e ensino). SOUZA, Clarilza Prado de- Avaliação escolar: Limites e possibilidades. 1991.


Carregar ppt "ABORDAGENS COMPARATIVAS DA AVALIAÇÃO ESCOLAR. Retirado de:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google