A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

NIGRO, C.. Roncos: prevalência: 40% homens / 28% mulheres em 90 a 95% dos pacientes com SAHOS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "NIGRO, C.. Roncos: prevalência: 40% homens / 28% mulheres em 90 a 95% dos pacientes com SAHOS."— Transcrição da apresentação:

1 NIGRO, C.

2 Roncos: prevalência: 40% homens / 28% mulheres em 90 a 95% dos pacientes com SAHOS

3 NIGRO, C. Roncos: prevalência: 40% homens / 28% mulheres em 90 a 95% dos pacientes com SAHOS SAHOS: pausas respiratórias com obstrução parcial (hipopneia) ou completa (apneia) das VAS durante o sono prevalência: anos = 4% homens / 2% mulheres > 60 anos = 28-67% homens / 20-50% mulheres

4 NIGRO, C. Fases do Sono Sono Não REM diminuição atividades autonômicas diminuição atividade cerebral constitui 80% do sono adulto jovem 1 => 2-5% 2=> 45-55% 3=> 3-8% 4=> 10-15% Sono REM aumento da atividades autonômicas / sonhos diminuição atividade muscular constitui 20% do sono adulto jovem

5 NIGRO, C. Fases do Sono Falta de sono desequilibra a produção de hormônios associados à regulação do peso corporal: Grelina: aum. produzida no estômago. Aumenta a fome. Leptina: dim. sintetizada nas células adiposas. Saciedade. Cortisol: favorece o acúmulo de gordura abdominal e perda de massa magra. GH: aumenta durante o sono. queima gordura abdominal e mantém a massa magra.

6 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Hipopneia é a diminuição do fluxo aéreo oronasal entre 30 a 50% por 10 seg ou mais, acompanhado pela diminuição de saturação (3 a 4%)

7 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Hipopneia é a diminuição do fluxo aéreo oronasal entre 30 a 50% por 10 seg ou mais, acompanhado pela diminuição de saturação (3 a 4%) Apneia é a parada do fluxo aéreo por 10 seg ou mais obstrutiva = sem fluxo aéreo com esforço respiratório central = sem fluxo aéreo sem esforço respiratório mista

8 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Hipopneia é a diminuição do fluxo aéreo oronasal entre 30 a 50% por 10 seg ou mais, acompanhado pela diminuição de saturação (3 a 4%) Apneia é a parada do fluxo aéreo por 10 seg ou mais obstrutiva = sem fluxo aéreo com esforço respiratório central = sem fluxo aéreo sem esforço respiratório mista Índice distúrbio respiratório A + H / hora de sono

9 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Estadiamento IDR dessaturação Leve Moderada Grave > risco de morte cardíaca 85 a 90% 65 a 84% menor 65% 5 a 15/h 15 a 30/h maior 30/h

10 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Fatores Contribuintes Tônus incompetente (palato / língua / faringe) Hipotireoidismo, Sind. Down, paralisia cerebral, relaxamento pós prandial, flacidez musculatura lateral da faringe

11 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Fatores Contribuintes Tônus incompetente (palato / língua / faringe) Hipotireoidismo, Sind. Down, paralisia cerebral, relaxamento pós prandial, flacidez musculatura lateral da faringe Massas que diminuem a luz na faringe-laringe tonsilas palatinas, tumor, cisto tireoglosso, aumento epiglote

12 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Fatores Contribuintes Tônus incompetente (palato / língua / faringe) Hipotireoidismo, Sind. Down, paralisia cerebral, relaxamento pós prandial, flacidez musculatura lateral da faringe Massas que diminuem a luz na faringe-laringe tonsilas palatinas, tumor, cisto tireoglosso, aumento epiglote Estreitamento orifício nasofaríngeo palato mole e úvula, retrognatismo

13 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Fatores Contribuintes Tônus incompetente (palato / língua / faringe) Hipotireoidismo, Sind. Down, paralisia cerebral, relaxamento pós prandial, flacidez musculatura lateral da faringe Massas que diminuem a luz na faringe-laringe tonsilas palatinas, tumor, cisto tireoglosso, aumento epiglote Estreitamento orifício nasofaríngeo palato mole e úvula, retrognatismo Via respiratória nasal obstruída deformidades septo, conchas, adenóide, cistos, pólipos, tumores

14 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Classificação de Fujita Fujita I = orofaringe Fujita II = orofaringe + hipofaringe II a = maior em orofaringe II b = maior em hipofaringe Fujita III = hipofaringe

15 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Sintomas e Sinais ronco alto obstrução nasal hiperssonolência diurna sono agitado obesidade cefaléia matinal capacidade intelectual mudança de personalidade macroglossia / hipert tonsilas hipertensão arterial arritmia cardíaca cor pulmonale impotência sexual enurese noturna depressão

16 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Escala de Epworth sonolência sentado e lendo vendo TV sentado em lugar público como passageiro de ônibus / trem / carro deitando-se para descansar à tarde sentado e conversando com alguém sentado após almoço (sem ter ingerido álcool) se tiver parado no trânsito

17 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Critérios Clínicos sonolência Leve aparece em situações sedentárias Moderado presente diariamente em situações de atenção moderada incapacidade Grave diariamente, o tempo todo incapacitante

18 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Classificação de Stanford Grau 0 = sem ronco Grau 1-3 (leve) = ronco não incomoda pessoas no mesmo ambiente Grau 4-7 (moderado) = ronco incomoda pessoas no mesmo ambiente Grau 8-10 (severo) = ronco incomoda pessoas em ambientes diferentes

19 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Exame físico peso (obesidade) peso (obesidade) tamanho da circunferência do pescoço tamanho da circunferência do pescoço nariz e orofaringe nariz e orofaringe

20 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Doenças associadas à SAOS Doenças cardiovasculares HA em 50% Hipertensão pulmonar em 10 a 20% arritmias

21 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Doenças associadas à SAOS Doenças cardiovasculares HA em 50% Hipertensão pulmonar em 10 a 20% arritmias Hipotireoidismo

22 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Doenças associadas à SAOS Doenças cardiovasculares HA em 50% Hipertensão pulmonar em 10 a 20% arritmias Hipotireoidismo Obesidade

23 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Doenças associadas à SAOS Doenças cardiovasculares HA em 50% Hipertensão pulmonar em 10 a 20% arritmias Hipotireoidismo Obesidade DRGE

24 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Exames Complementares Nasofibroscopia com manobra de Müller 2 sítios: retropalatal e retrolingual I: 75%

25 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Exames Complementares Nasofibroscopia com manobra de Müller 2 sítios: retropalatal e retrolingual I: 75% Cefalometria retrognatismo diminuição da distância do plano mandibular ao osso hióide relação palato duro

26 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Exames Complementares Polissonografia Avalia: posição de dormir, EEG, ECG, EOculoGrama, EMiograma submental e tibial anterior, movimento torácico e abdominal, pressão arterial, oximetria

27 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Exames Complementares Polissonografia Avalia: posição de dormir, EEG, ECG, Eoculograma, EMiograma submental e tibial anterior, movimento torácico e abdominal, pressão arterial, oximetria Estuda: latência do sono, eficiência do sono, IDR, tipos de distúrbios respiratórios, efeito da posição no distúrbio respiratório, quantidade e severidade das dessaturações

28 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Exames Complementares Polissonografia Hipnograma: análise do EEG com as fases do sono Latência de sono; latência de sono REM Sono de ondas lentas diminuido devido às apnéias Sono REM diminuido se îapnéias Posição supina piora Dessaturação >3% Eventos Respiratórios: Obstr / Central / Mista Î Freq Cardíaca

29 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Tratamento 1. 1.Orientações 2. 2.Clínico 3. 3.Cirúrgico

30 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Tratamento 1. 1.Orientações diminuir peso evitar ingestão de bebidas alcoólicas evitar medicamentos sedativos Benzodiazepínicos relaxam a mm; zolbiden, zolbiclina se possível dormir em decúbito lateral evitar refeições abundantes à noite

31 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Tratamento 2. 2.Clínico medicamentos aparelhos ortodônticos CPAP / BPAP

32 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Tratamento

33 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Tratamento

34 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Tratamento 3. 3.Cirúrgico cirurgia nasal cirurgia palatal com tonsilectomia cirurgia da base de língua cirurgia maxilo-mandibular traqueostomia

35 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Uvulopalatoplastia (LAUP) Kamami (1993) para roncos oximetria quase normal LASER LAUP à curto prazo 77 a 89% melhora ronco LAUP à longo prazo 75% melhora AOS 52% melhora ronco

36 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Uvulopalatoplastia (Somnoplastia) função de promover retração e encurtamento da úvula e palato Radiofreqüência

37 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Uvulopalatofaringoplastia (UPFP) Fujita (1980) para apneia palato mole - úvula - parede lateral da faringe - tonsilas melhora SAOS 50% melhora do ronco 87% depois de 12 meses 46%

38 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Faringoplastia lateral Cahali, M (200) a mais indicada atualmente PSG 6meses após cirurgia

39 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Complicações - Cirurgia Palatal dor e sangramento insuficiência velofaríngea mudança na voz estenose nasofaringe (+freq se realizada junto com adenoidectomia) sensação de corpo estranho em faringe ressecamento

40 NIGRO, C. Roncos e apneia do sono Procedimentos maxilomandibular Osteotomia mandibular com avanço genioglosso Osteotomia mandibular com avanço do osso hióide Osteotomia maxilomandibular e avanço atua na mm lateral; não na base da lingua

41 NIGRO, C. Muito obrigado


Carregar ppt "NIGRO, C.. Roncos: prevalência: 40% homens / 28% mulheres em 90 a 95% dos pacientes com SAHOS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google