A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Docência universitária: repensando a aula Maria Regina de Carvalho Teixeira de Oliveira Adaptação de Marcos T. Masetto – Ensinar e aprender no ensino superior.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Docência universitária: repensando a aula Maria Regina de Carvalho Teixeira de Oliveira Adaptação de Marcos T. Masetto – Ensinar e aprender no ensino superior."— Transcrição da apresentação:

1 Docência universitária: repensando a aula Maria Regina de Carvalho Teixeira de Oliveira Adaptação de Marcos T. Masetto – Ensinar e aprender no ensino superior

2 Como poderiam ser melhor aproveitadas as aulas pelos alunos? Atrás do modo de lecionar existe um paradigma que precisa ser explicitado, analisado, discutido, a fim de que a partir dele possamos pensar em fazer alterações significativas em nossas aulas

3 Que paradigma é este? Como se manifesta? Grande preocupação do ensino superior: transmissão de informações e experiências consolidadas para que o aprendiz as absorva e reproduza.

4 Que paradigma é este? Como se manifesta? 3 pilares: na organização curricular: privilegia disciplinas conteudistas e técnicas, estanques e fechadas, nem sempre consonantes com as necessidades e exigências do profissional do curso; Na construção de um corpo docente altamente capacitado profissionalmente mas nem sempre com competência pedagógica Em metodologia que deve dar conta do programa a ser cumprido, em determinado tempo, com a turma toda: 90% de aulas expositivas e avaliação da apreensão ou não dos conteúdos esperados.

5 Que paradigma é este? Como se manifesta? Sujeito desse processo: professor Sua grande e constante pergunta: o que devo ensinar aos meus alunos? Aluno: elemento que segue, receptor, repetidor. Age em resposta a ordens ou perguntas do professor. Necessidade: rever este paradigma e propor outro: qual?

6 Substituir a ênfase do ensino pela da aprendizagem Desenvolvendo o universitário nos diversos aspectos de sua personalidade: Capacidades intelectuais: pensar, raciocinar, refletir, buscar informações, analisar, criticar, argumentar, dar significado pessoal às informações, relacioná-las e produzir conhecimento.

7 Substituir a ênfase do ensino pela da aprendizagem Habilidades humanas e profissionais para um profissional atualizado: trabalhar em equipe, buscar novas informações, conhecer fontes e pesquisas, dialogar com profissionais de outras especialidades, comunicar-se em pequenos e grandes grupos, apresentar trabalhos. –Observação: verificar se os currículos permitem que todas as habilidades profissionais possuem espaço para aprendizagem, ou são preteridas em função de conteúdos teóricos

8 Substituir a ênfase do ensino pela da aprendizagem Desenvolvimento de atitudes e valores integrantes à vida profissional: importância da formação continuada, a busca de soluções técnicas que junto com o aspecto tecnológico contemplem o contexto da população, do meio ambiente, da comunidade, condições culturais, políticas e econômicas, princípios éticos.

9 Substituir a ênfase do ensino pela da aprendizagem Altera o papel dos participantes do processo: aprendiz: papel central de sujeito que exerce ações necessárias para que aconteça sua aprendizagem, buscar informações, trabalhá-las, produzir conhecimento, adquirir habilidades, mudar atitudes e adquirir valores. Essas ações são realizadas junto. O professor: papel de mediador pedagógico ou orientador do processo de aprendizagem de seu aluno. Pergunta: o que meu aluno precisa aprender de todo o conhecimento que tenho e da experiência que tenho vivido?

10 3 pilares, com outros conteúdos Organização curricular: integra atividades e disciplinas que colaboram para a formação do profissional, com conhecimento tratado de forma integrada, aberta, flexível, atualizada e interdisciplinar, facilitando a integração teoria prática, universidade e situações profissionais, disciplinas básicas e profissionalizantes.

11 3 pilares, com outros conteúdos Corpo docente: professores excelentes profissionais, pesquisadores e de formação continuada quanto à competência pedagógica. Se entendem educadores que assumem que a aprendizagem se constrói num relacionamento interpessoal aluno-colega, aluno-professor, aluno- profissionais; assume seu papel de mediador pedagógico entre o conhecimento e seus alunos; e que entende que a aprendizagem se faz com colaboração, participação dos alunos, respeito mútuo e trabalhos em conjunto.

12 3 pilares, com outros conteúdos Metodologia: busca a redefinição dos objetivos da aula e de seu espaço, o uso de técnicas participativas e variadas e a implantação de um processo de avaliação como feedback motivador da aprendizagem

13 Características da aprendizagem no ensino universitário 1.Pressupõe por parte do aluno, –aquisição e domínio de um conjunto de conhecimentos, métodos e técnicas científicas de forma crítica; –iniciativa para buscar informações, relacioná-las, conhecer e analisar várias teorias e autores sobre determinado assunto, compará-las, discutir sua aplicação em situações reais com suas possíveis consequências para a população. Faz parte da aprendizagem –adquirir progressiva autonomia na aquisição de conhecimentos ulteriores, –desenvolvendo a capacidade de reflexão e valorização da educação continuada, –que se inicia na universidade e prolonga por toda a vida e que não se fará com advertências apenas, mas com atividades que permitam aprender como se faz a educação continuada

14 Características da aprendizagem no ensino universitário 2. integrar o processo ensino aprendizagem com a atividade de pesquisa do aluno e do professor. Dificilmente o aluno incluirá investigação em seu processo de aprendizagem se o professor também não o fizer em sua atividade de docente. A produção de artigos e trabalhos que reflitam reflexões pessoais do professor e suas contribuições para assuntos de sua área e que permitam a comunicação em publicações.

15 Características da aprendizagem no ensino universitário 3. toda aprendizagem, para que aconteça, precisa ser significativa para o aprendiz, envolvê-lo como pessoa, como um todo: idéias, inteligência, sentimentos, cultura,profissão, sociedade. Esse processo exige: –que a aprendizagem do novo se faça a partir do universo de conhecimentos, experiências e vivências anteriores dos alunos –que se dê importância a motivar e despertar o interesse do aluno pelas novas aprendizagens com uso de estratégias apropriadas –o incentivo à formulação de perguntas e questões que, de algum modo, digam respeito ao aprendiz, que lhe interessem. –que se permita ao aprendiz entrar em contato com situações concretas e práticas de sua profissão e da realidade que o envolve. –que o aprendiz assuma o processo de aprendizagem como seu e possa fazer transferência do que aprendeu na universidade para outras situações profissionais

16 Características da aprendizagem no ensino universitário 4. porque coloca o aprendiz mais em contato com sua realidade profissional, em geral, a aprendizagem se realiza mais facilmente e com maior compreensão e retenção quando acontece nos mais variados ambientes profissionais, fora da sala de aula, do que nas aulas tradicionais.

17 Características da aprendizagem no ensino universitário 5. teoricamente, hoje há um consenso de que “ aprender a aprender” é o papel mais importante de qualquer instituição educacional. Isto é mais que uma técnica de como se faz, é a capacidade do aprendiz de refletir sobre sua própria experiência de aprender, identificar os procedimentos necessários para aprender, suas melhores opções, suas potencialidades e suas limitações.


Carregar ppt "Docência universitária: repensando a aula Maria Regina de Carvalho Teixeira de Oliveira Adaptação de Marcos T. Masetto – Ensinar e aprender no ensino superior."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google