A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE ENFERMAGEM DA FAMÍLIA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE ENFERMAGEM DA FAMÍLIA."— Transcrição da apresentação:

1 RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE ENFERMAGEM DA FAMÍLIA

2 A CIÊNCIA É APENAS UM DOS OLHOS POSSÍVEIS NA IMENSA BUSCA DE SIGNIFICADOS

3 RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE INFLUÊNCIAS NAS FAMÍLIAS Valores Tamanho Cuidados de saúde Hábitos sociais

4 RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE/ EXEMPLOS APOIO DA COMUNIDADE RELIGIÕES: MÓRMONS/ JUDAICA FAVORECE APOIO INTER E INTRAGERA- ÇÕES

5 RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE/ EXEMPLOS TRADIÇÕES POPULARES DE CURA GRUPOS ÉTNICOS PRÁTICAS RELIGIOSAS E SAÚDE

6 RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE/ EXEMPLOS MÉDIUM COMO CONSELHEIRO AJUDAM A EXORCISAR OS ESPÍRITOS CAUSADORES DE DOENÇAS

7 RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE/ EXEMPLOS CURADORES LÍDERES RELIGIOSOS CLERO RECURSOS PARA FAMÍLIAS QUE ENFRENTAM CRISES E NECESSIDADES A LONGO PRAZO.

8 RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE EMOÇÕES: MEDO PAZ CULPA ESPERANÇA

9 DEFINIÇÃO DE ESPIRITUALIDADE Princípios da Espiritualidade: Princípios da Espiritualidade: 1) Admitir o encadeamento lógico; 2) Suspender julgamento; 3) Ter confiança no universo; 4) Criar realidades; 5) Percorrer o caminho do coração. Becvar,1997

10 RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE As atitudes descritas na Bíblia de Jesus Cristo para com os doentes mostram-se bastante próximas ao que hoje se denomina humanização dos serviços de saúde, além de estimularem o auto-cuidado (tua fé te curou) e o acolhimento dos excluídos da sociedade, colocando tais atos como paradigmas bastante apropriados para aquele que escolhe a enfermagem como profissão que possui como objeto de estudo o cuidar do ser humano.

11 RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE INFLUENCIAM AS PRÁTICAS DE CUIDADOS DA SAÚDE DA FAMÍLIA? RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE INFLUENCIAM AS PRÁTICAS DE CUIDADOS DA SAÚDE DA FAMÍLIA?

12 RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE A espiritualidade é um tema que vem chamando a atenção dos profissionais da saúde no que se refere ao cuidado humano. Pode ser um caminho para melhorar a qualidade de vida dos enfermos, assim como estimular maior rapidez no processo de cura e/ou enfrentamento das doenças.

13 RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE NÓS, ENFERMEIROS, DEVEMOS ADMITIR QUE O SOFRIMENTO E FREQUENTEMENTE, A INSENSIBILIDADE A ELE SÃO QUESTÕES BÁSICAS DE ESPIRITUALIDADE SÃO QUESTÕES BÁSICAS DE ESPIRITUALIDADE.

14 RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE O ser humano, quando possui um propósito para sua vida, enfrenta melhor o momento da morte e aqueles momentos associados ao sofrimento. Sendo o Enfermeiro o profissional que permanece mais tempo ao lado do paciente, deve ser preparado para desenvolver um olhar holístico para o ser humano; Necessita atuar de forma humanística com o intuito de proporcionar um apoio efetivo no que se refere ao campo espiritual ; O Enfermeiro sabe cuidar do corpo físico do paciente, mas o lado psico-sócio-espiritual, fica relegado a um plano secundário.

15 RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE Discutir a religiosidade e espiritualidade tem como objetivo: Reflexão sobre ser a própria espiritualidade do Enfermeiro um meio de encarar os processos do ciclo vital, de forma a que ajude o paciente/família no enfrentamento de crises geradas por alterações no processo saúde-doença; Respeitar as diferentes crenças e culturas com as quais terá contato em sua vida profissional; O Cuidar da atuação do Enfermeiro junto ao ser humano quando lhe presta cuidado.

16 RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE A espiritualidade intimamente ligada a uma forma de injetar fé e esperança no ser humano doente, com o objetivo de alcançar melhor qualidade de vida e rumar, assim, para a cura.

17 RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE Atuar mais Humanista: Paradigma com as atitudes de Jesus Cristo e o cuidar do Enfermeiro no cuidado a ser dispensado ao enfermo, independentemente de sua convicção religiosa, visto que Jesus agia em prol da inclusão social, da tolerância, do alívio do sofrimento e do incentivo à luta pela vida e pela fé, proporcionando conforto aos que sofrem.

18 RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE SINAIS DE INFLUÊNCIA RELIGIOSA NO LAR: ESTÁTUAS ESTÁTUAS VELAS VELAS BANDEIRAS BANDEIRAS TEXTOS RELIGIOSOS TEXTOS RELIGIOSOS BÍBLIA, EVANGELHO. BÍBLIA, EVANGELHO.

19 RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE SINAIS DE INFLUÊNCIA RELIGIOSA NO LAR: RESTRIÇÕES E HÁBITOS DIETÉTICOS RESTRIÇÕES E HÁBITOS DIETÉTICOS PRÁTICAS SAÚDE TRADICIONAIS INFLUENCIADAS PELAS CRENÇAS RELIGIOSAS. PRÁTICAS SAÚDE TRADICIONAIS INFLUENCIADAS PELAS CRENÇAS RELIGIOSAS.

20 RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE PERGUNTAS A SEREM FEITAS À FAMÍLIA: 1) VOCÊ PARTICIPA DE IGREJA OU TEMPLO RELIGIOSO? 2) CONVERSAR COM ALGUÉM DE SUA IGREJA AJUDARIA A ENFRENTAR A DOENÇA NA FAMÍLIA?

21 RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE PERGUNTAS A SEREM FEITAS À FAMÍLIA: 3) SUAS CRENÇAS RELIGIOSAS SÃO UM RECURSO PARA VOCÊ? 4) PARA VOCÊ E OS OUTROS MEMBROS DA FAMÍLIA? 5) VOCÊ DESCOBRIU QUE SUAS PRECES AJUDARAM-NO A ENFRENTAR O CANCER DE SEU FILHO?

22 CRENÇAS POPULARES A população, no enfrentamento de seus problemas, utiliza diferentes estratégias num processo de apropriação e construção de saberes. Constatou-se que as pessoas que utilizam práticas populares não se preocupam com a cientificidade dos recursos utilizados no tratamento de doenças e sim com as respostas às suas necessidades em determinado momento.

23 CRENÇAS POPULARES A medicina popular se manifesta em duas áreas distintas: a caseira, baseada principalmente nas ervas medicinais e a medicina religiosa, relacionada especialmente às benzeduras e promessas. Manifestações de fé voltadas para a terapêutica e cura de doenças

24 CRENÇAS POPULARES Antes de procurar o serviço de saúde a maioria dos clientes costuma utilizar recursos populares em busca da solução para seus problemas de saúde. Recursos: chás caseiros outras práticas como banhos, emplastos ( plantas curativas quentes ) alimentos e benzeduras

25 CRENÇAS POPULARES Eu acredito em benzições [...] para muitas coisas a benzição vale, Eu acredito porque vale da fé, e eu tenho fé ; já aconteceu do meu filho estar doente, um jeitinho quieto, parado e eu mandar benzer e resolver ; Eu também acredito em benzer porque na minha família minha avó benzia todo mundo. Eu acho que muitas doenças vêm de mau-olhado, inveja, por isso tem que benzer

26 CRENÇAS POPULARES A medicina religiosa pertence a um contexto sócio- cultural e, geralmente, é influenciada por familiares ou grupos sociais; Pertencendo a um processo histórico, consegue sobreviver mesmo diante das inovações tecnológicas da atualidade. A religiosidade envolve um sistema de culto e doutrina que é compartilhado por um grupo, e, portanto, tem características comportamentais, sociais, doutrinárias e valorais específicas.

27 CRENÇAS POPULARES As práticas religiosas são carregadas de atitudes de acolhimento, por isso ajudam o paciente e sua família a reelaborar a experiência de sofrimento vivenciada, reorganizando suas posturas diante da vida. É possível entender os motivos pelos quais as pessoas buscam alternativas de cuidado à saúde, além das soluções oferecidas pelo sistema oficial de assistência.

28 CRENÇAS POPULARES A religiosidade e os terapeutas populares representados por : raizeiros, benzedeiras e rezadeiras Tem significado importante dentro do processo saúde-doença, pois oferecem, respostas àquilo que é inexplicável dentro do modelo biomédico de assistência à saúde. Ofertam aos indivíduos que se encontram em situação de fragilidade : conforto e a força para a reelaboração e enfrentamento de seu sofrimento.

29 PRÁTICAS POPULARES E MEDICINA OFICIAL A maioria dos profissionais de saúde preferem não se posicionar quanto ao uso de métodos populares; Quando há orientação para abandonar ou substituir os recursos populares, a população geralmente prefere continuar usando o recurso baseado no saber popular porque acredita na contribuição do mesmo para solucionar seus problemas de saúde; O processo cultural mantém a adoção dessas práticas e, de certa forma, dificulta a mudança de comportamentos referentes ao processo saúde-doença.

30 PRÁTICAS POPULARES E MEDICINA OFICIAL O saber popular deve ser compreendido e acrescido de conhecimentos e atitudes respaldadas pelo saber científico. Crenças em benzeduras, chás caseiros e simpatias ultrapassam diversas gerações e fazem parte do cotidiano da população, por isso, dificilmente são passíveis de mudanças. A assistência direcionada pelo profissional ao cliente que procura o serviço de atendimento à saúde precisa contemplar aspectos sócio- culturais e se desenvolver de forma respeitosa e livre de preconceitos. É importante o respeito às tradições e opiniões para que se estabeleçam formas adequadas de assistência e o convívio saudável entre os saberes popular e científico

31 PRÁTICAS POPULARES E MEDICINA OFICIAL A mudança de hábitos relacionados à saúde entre usuários de práticas populares é um processo difícil, porque : Tem aspectos sócio-culturais, transmitidos entre diferentes gerações ou na comunidade; A comprovação empírica desses recursos, baseada em experiências anteriores, contribui para sua aceitação e utilidade


Carregar ppt "RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE ENFERMAGEM DA FAMÍLIA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google