A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1º Fórum Bi-Nacional Brasil/Uruguai pela Melhoria das Bibliotecas Escolares 25ª Reunião do Fórum Gaúcho pela Melhoria das Bibliotecas Escolares em Santana.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1º Fórum Bi-Nacional Brasil/Uruguai pela Melhoria das Bibliotecas Escolares 25ª Reunião do Fórum Gaúcho pela Melhoria das Bibliotecas Escolares em Santana."— Transcrição da apresentação:

1 1º Fórum Bi-Nacional Brasil/Uruguai pela Melhoria das Bibliotecas Escolares 25ª Reunião do Fórum Gaúcho pela Melhoria das Bibliotecas Escolares em Santana do Livramento/RS Profª Drª Eliane Lourdes da Silva Moro Profª Drª Lizandra Brasil Estabel Setembro 2011

2 LEITURA Comunicação e Interação Acesso à informação nos diversos suportes Acessibilidade Inclusão 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

3 LEITURA A leitura possibilita a descoberta de um novo mundo, navegar por lugares nunca imaginados e a interação do eu com o texto lido é única, pois este texto é percebido por cada pessoa de uma forma. É um encontro único entre o leitor e o autor, mediado por um outro, que é um instrumento (texto). (MORO; ESTABEL, 2009). 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

4 LER É... Recuperar a história e a memória Fruição do belo, da estética Prazer Gosto Ludismo Sentimento Vínculo Afeto... 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

5 MEDIADORES DE LEITURA Mediatore (latim): aquele que medeia ou intervém. Na Leitura: é aquele que aproxima o leitor da narrativa e que facilita/permite esta relação. 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

6 MEDIADORES DE LEITURA Significado nos processos: de inclusão social; de acesso e uso da informação; de acesso e uso das TICs; do exercício da cidadania; da formação do leitor; do incentivo à leitura. 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

7 BIBLIOTECA ESCOLAR Missão da Biblioteca Escolar: estimular o processo do ensino e da aprendizagem visando ao desenvolvimento da informação, da alfabetização, da educação (ensino e aprendizagem) e da cultura, devendo compor os serviços fundamentais da Biblioteca Escolar. (MORO; ESTABEL, 2004).

8 BIBLIOTECA ESCOLAR Ambiente democr á tico que valoriza a participa ç ão do aluno. Propicia condi ç ões para o gosto pela leitura e o incentivo para o uso do livro e da biblioteca. Disponibiliza os servi ç os de igual modo a todos os membros da comunidade escolar, independente da idade, ra ç a, sexo, religião, nacionalidade, l í ngua e status profissional ou social. (MANIFESTO DA UNESCO SOBRE BIBLIOTECAS ESCOLARES, 1999). 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

9 BIBLIOTECA ESCOLAR MISSÃO: Promove serviços de apoio à aprendizagem e livros aos membros da comunidade escolar, oferecendo-lhes a possibilidade de se tornarem pensadores críticos e efetivos usuários da informação, em todos os formatos e meios. 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

10 BIBLIOTECA ESCOLAR OBJETIVOS (alguns) apoiar e intensificar a consecução dos objetivos educacionais definidos na missão e no currículo da escola; desenvolver e manter nas crianças o hábito e o prazer da leitura e da aprendizagem, bem como o uso dos recursos da biblioteca ao longo da vida; trabalhar em conjunto com alunos, professores, administradores e pais, para o alcance final da missão e objetivos da escola; promover leitura, recursos e serviços da biblioteca escolar junto à comunidade escolar e ao seu derredor 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

11 Aspectos dos Planos do Livro e da Leitura (PNLL) no Uruguai e no Brasil 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

12 PNLL: URUGUAI (2005- ) 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

13 PNLL: URUGUAI (2005- ) Una nueva perspectiva:La lectura como política pública en el Uruguay de hoy Ministério da Educação e Cultura: marco do Plano Ibero-americano de Leitura Implica reconhecer que a leitura é: Direito de todas as pessoas. Instrumento de desenvolvimento do potencial humano (requisito para alcançar melhores níveis educativos). Elemento fundamental para a construção de uma sociedade democrática. Ato criativo de construção realizada pelos leitores e leitoras. Competência leitora: la comprensión, uso y reflexión sobre textos escritos, con el fin de alcanzar objetivos personales, desarrollar el conocimiento y potencial individual, y participar en la sociedad. 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

14 PNLL: URUGUAI (2005- ) Linhas de trabalho do PNLL: Nº 1: Formação Nº 2: Investigação Nº 3: Leitura e Tecnologias de Informação e de Comunicação (TICs) Nº 4: Difusão e sensibilização Nº 5: Fortalecimento de Acervos

15 PNLL: URUGUAI (2005- )... la alfabetización lectora no es una habilidad que se adquiere en la infancia, sino que se la concibe, como un conjunto de conocimientos, destrezas y estrategias en expansión que los individuos construyen a lo largo de su vida en variadas situaciones y a través de la interacción con sus pares y con las comunidades más amplias en las que participan. Competência Leitora: a compreensão, uso e reflexão sobre textos escritos para alcançar objetivos pessoais; Desenvolver conhecimento e aprendizagem individual; participar na sociedade. Palavra escrita e a importância de outros códigos e linguagens das TICs digitais. 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

16 PNLL: URUGUAI (2005- ) Política pública de leitura Público: ponto de encontro de interesses coletivos. Políticas públicas: forma de ação organizada, com objetivos comuns. Política: deve ser pensada a longo prazo e ter um caráter permanente; deve nascer de um debate de todos os atores de todos os niveis; deve articular esforços, experiências e recursos do setor público, privado, organizações sociais, empresas, etc. Necessidade de pensar a leitura como um assunto ligado a processos sociais que a convertem em um poderosa ferramenta para a democratização e participação social. 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

17 PNLL: URUGUAI (2005- ) Dimensões de política pública: Uma representação ou imagem social da realidade sobre aqual se deseja intervir em princípios que fundamentam a ação. Um conjunto de meios e processos organizativos, financeiros, administrativos, jurídicos e humanos para que uma política não finalize no plano intelectual, mas que tome forma em processos sociais concretos. 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

18 PNLL: URUGUAI: objetivos Uma política pública de leitura ao serviço da inclusão social deve estar aberta a reconhecer que não existe uma forma privilegiada de ler e escrever. Existe um universo muito diferente de atores que põem em prática distintas formas de ler e escrever com diferentes objetivos, valores e projetos. Exige a superação entre o poder público e a sociedade e debate e discussão de múltiplas visões que permitam: aproveitar esforços e experiências nacionais e internacionais; aprovar iniciativas da sociedade civil; articular o público com o privado em forma criativa e participativa; incentivar o trabalho conjunto das pessoas vinculadas à cadeia do livro; promover o trabalho em redes das mais diversas modalidades;

19 PNLL: URUGUAI: objetivos promover o trabalho em redes das mais diversas modalidades; desenvolver e coordenar investigações no tema; promover o apoio dos meios de comunicação em campanhas para sensibilizar, valorizar e compreender o valor da leitura; reafirmar as bibliotecas como centros culturais da comunidade, promotoras da democracia e da educação para todos; articular processos de desenvolvimento comunitário com a promoção da leitura: TICs = novas linguagens. 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

20 PNLL: URUGUAI (2005- ) Ações para o PNLL: Eixos transversais: articulação: uma tarefa de interlocução e contato entre o Estado, a sociedade civil e outros a atores privados vinculados à leitura. divulgação: pretende difundir os saberes e experiências existentes e o desenvolvimento dos mesmos. 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

21 PNLL: URUGUAI (2005- ) Linhas de ação: Difusão do PNLL através de folhetos, marcalivros e publicações de documentos como marco de políticas públicas. Seminários que promovam intercâmbio, reflexão e formação sobre experiências de promoção e apoio à leitura em todos os âmbitos e leitura e TICs digitais. Apoio à criação e funcionamento de bibliotecas populares em zonas de pobreza com dotação de acervos. Apoio à criação de centros de acesso à informática e Internet em zonas de pobreza. Capacitação de promotores de leitura como nexo entre os leitores e os textos em suas diferentes modalidades. Difusão e coordenação de projetos de caráter regional: MERCOSUR LEE e Bibliotecas escolares del MERCOSUR. [...] 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

22 PNLL: BRASIL (2011- )

23 PNLL: BRASIL (2011) DECRETO Nº (1º/09/2011): Dispõe sobre o Plano Nacional do Livro e Leitura - PNLL e dá outras providências. PNLL: consiste em estratégia permanente de planejamento, apoio, articulação e referência para a execução de ações voltadas para o fomento da leitura no País. Objetivos do PNLL: I - a democratização do acesso ao livro; II - a formação de mediadores para o incentivo à leitura; III - a valorização institucional da leitura e o incremento de seu valor simbólico; e IV - o desenvolvimento da economia do livro como estímulo à produção intelectual e ao desenvolvimento da economia nacional. 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

24 PNLL: BRASIL (2011) As ações, programas e projetos do PNLL serão implementados de forma a viabilizar a inclusão de pessoas com deficiência, observadas as condições de acessibilidade. PNLL: coordenado em conjunto pelos Ministérios da Cultura e da Educação. 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

25 I - eixo estratégico I - democratização do acesso: a) linha de ação 1 - implantação de novas bibliotecas contemplando os requisitos de acessibilidade; b) linha de ação 2 - fortalecimento da rede atual de bibliotecas de acesso público integradas à comunidade, contemplando os requisitos de acessibilidade; c) linha de ação 3 - criação de novos espaços de leitura; 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES PNLL: Eixos estratégicos e linhas de ação

26 I - eixo estratégico I - democratização do acesso: d) linha de ação 4 - distribuição de livros gratuitos que contemplem as especificidades dos neoleitores jovens e adultos, em diversos formatos acessíveis; e) linha de ação 5 - melhoria do acesso ao livro e a outras formas de expressão da leitura; e f) linha de ação 6 - disponibilização e uso de tecnologias de informação e comunicação, contemplando os requisitos de acessibilidade; 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES PNLL: Eixos estratégicos e linhas de ação

27 II - eixo estratégico II - fomento à leitura e à formação de mediadores: a) linha de ação 7 - promoção de atividades de reconhecimento de ações de incentivo e fomento à leitura; b) linha de ação 8 - formação de mediadores de leitura e de educadores leitores; c) linha de ação 9 - projetos sociais de leitura; 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES PNLL: Eixos estratégicos e linhas de ação

28 II - eixo estratégico II - fomento à leitura e à formação de mediadores: d) linha de ação 10 - estudos e fomento à pesquisa nas áreas do livro e da leitura; e) linha de ação 11 - sistemas de informação nas áreas de biblioteca, bibliografia e mercado editorial; f) linha de ação 12 - prêmios e reconhecimento às ações de incentivo e fomento às práticas sociais de leitura; 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES PNLL: Eixos estratégicos e linhas de ação

29 III - eixo estratégico III - valorização institucional da leitura e de seu valor simbólico: a) linha de ação 13 - ações para converter o fomento às práticas sociais da leitura em política de Estado; e b) linha de ação 14 - ações para criar consciência sobre o valor social do livro e da leitura; 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES PNLL: Eixos estratégicos e linhas de ação

30 IV - eixo estratégico IV - fomento à cadeia criativa e à cadeia produtiva do livro: a) linha de ação 15 - desenvolvimento da cadeia produtiva do livro; b) linha de ação 16 - fomento à distribuição, circulação e consumo de bens de leitura; c) linha de ação 17 - apoio à cadeia criativa do livro e incentivo à leitura literária; 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES PNLL: Eixos estratégicos e linhas de ação

31 IV - eixo estratégico IV - fomento à cadeia criativa e à cadeia produtiva do livro: d) linha de ação 18 - fomento às ações de produção, distribuição e circulação de livros e outros materiais de leitura, contemplando as especificidades dos neoleitores jovens e adultos e os diversos formatos acessíveis; e e) linha de ação 19 - maior presença da produção nacional literária, científica e cultural no exterior. 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES PNLL: Eixos estratégicos e linhas de ação

32 GRUPO DE PESQUISA LEIA: leitura, informação e acessibilidade

33 CURSO MEDIADORES DE LEITURA NA BIBLIODIVERSIDADE

34 REFERENCIAS Bibliotecas Escolares : Disponível em:http://archive.ifla.org/VII/s11/pubs/schoolmanif.htm BRASIL. Decreto Nº 7.559, de 1º de Setembro de Disponível em: BRASIL. Plano Nacional do Livro e Leitura. Disponível em: CASTELLS, Manuel. A Sociedade em Rede: a era da informação: economia, sociedade e cultura. Trad. Roneide Venâncio Majer. 6. ed. São Paulo: Paz e Terra, V.1. CENTRO Regional para el Fomento del Libro en América Latina y el Caribe –CERLALC. Disponível em: MORO, E. L. S.; ESTABEL, L. B. A Interação entre os Alunos, Educadores, Bibliotecários e a Pesquisa Escolar. Revista Informática na Educação: teoria e prática, v.7, p , MORO, E. L. S., ESTABEL, L. B. O Processo da Leitura na Família, na Escola e na Biblioteca através das Tecnologias de Informação e de Comunicação e a Inclusão Social das Pessoas com Necessidades Educacionais Especiais. Disponível em: OLIVEIRA, João Batista Araujo e.Políticas e Práticas de Alfabetização no Brasil: avanços e desafios. Disponível em: PLAN Nacional de Lectura. Una nueva perspectiva: la lectura como política pública en el Uruguay de hoy. Disponível em: 25ª REUNIÃO DO FÓRUM GAÚCHO PELA MELHORIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

35 OBRIGADA! Profª Eliane Moro – Profª Lizandra Estabel –


Carregar ppt "1º Fórum Bi-Nacional Brasil/Uruguai pela Melhoria das Bibliotecas Escolares 25ª Reunião do Fórum Gaúcho pela Melhoria das Bibliotecas Escolares em Santana."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google