A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sistema Nervoso Sistema Nervoso Central (SNC) – Encéfalo e Medula Espinhal Sistema Nervoso Periférico (SNP) – Neurônios situados fora do SNC e os nervos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sistema Nervoso Sistema Nervoso Central (SNC) – Encéfalo e Medula Espinhal Sistema Nervoso Periférico (SNP) – Neurônios situados fora do SNC e os nervos."— Transcrição da apresentação:

1

2 Sistema Nervoso Sistema Nervoso Central (SNC) – Encéfalo e Medula Espinhal Sistema Nervoso Periférico (SNP) – Neurônios situados fora do SNC e os nervos cranianos e espinhais que ligam o encéfalo e a medula espinhal com as estruturas periféricas. Sistema Nervoso Autônomo (SNA) – Consiste de nervos que inervam os músculos lisos, o músculo cardíaco, os epitélios glandulares.

3 Formação do tubo neural

4 O Tubo neural – Se diferencia em SNC, que consiste em encéfalo e Medula espinal A Crista neural – dá origem às células formadoras da maior parte do SNP e SNA, constituídos pelos gânglios cranianos, espinhais e autônomos.

5 Secção diagramática sagital de embrião mostrando a comunicação transitória do canal neural com a cavidade amniótica (setas) A abertura cefálica o neuróporo rostral, ou anterior, se fecha em torno do 25° dia, o neuróporo caudal, ou posterior, se fecha dois dias mais tarde.

6 As paredes do tubo neural se espessam, formando o encéfalo e a medula espinhal. O canal neural do tubo neural converte-se no sistema ventricular do encéfalo e no canal central da medula espinhal.

7 Diagramas esquemáticos ilustrando a histogênese das células do sistema nervoso central

8 Formação da medula espinhal O terço caudal da placa e do tubo neural representa a futura medula espinhal. Diagrama ilustrando o desenvolvimento da medula espinhal

9 A proliferação e a diferenciação de células neuroepiteliais na medula espinhal em desenvolvimento levam a formação de: paredes espessas e as placas do teto e do soalho delgadasSlide 8Slide 8 sulco limitante Este sulco separa a parede dorsal, a placa alar, da parede ventral a placa basal.Slide 8Slide 8 O espessamento diferencial das paredes laterais da medula espinhal produz: As placas alar estarão associadas as funções aferentes – sensitivas e as placas basais as funções eferentes – motoras

10 Fotomicrografia de uma secção transversal da medula espinhal em desenvolvimento de um embrião humano de 20mm, com cerca de 50 dias(60x). Os axônios dos neurônios da placa alar não saem do SNC; constituem os neurônios de associação, em corte transversal da medula, estas constituem os cornos dorsais(cinzentos)- os neurônios são aferentes. Com o crescimento das placas alares forma-se o septo dorsal. Corpos celulares das placas alares Corpos celulares das placas basais

11 Corpos celulares das placas basais formam as colunas cinzentas ventrais e laterais. Cortes transversais da medula espinhal, estas colunas constituem cornos ventrais (cinzentos) e cornos laterais (cinzentos). Slide 10Slide 10 Os axônios das células do corno ventral dirigem-se para fora da medula espinhal, formando as raízes ventrais dos nervos espinhais. Slide 10Slide 10

12 Ao crescimento das placas basais fazem saliência, ventralmente, de ambos os lados do plano mediano. Forma- se um sulco longitudinal profundo – fissura ventral mediana. Na superfície ventral da medula.

13 Formação dos gânglios espinhais Diagramas mostrando alguns derivados da crista neural

14 Os neurônios pseudounipolares dos gânglios espinhais originam-se de células da crista neural. Ambos os processos das células dos gânglios espinhais têm características estruturais de axônios, mas o processo periférico é um dendrito, pois a condução ocorre em direção ao corpo celular. Os prolongamentos periféricos das células dos gânglios espinhais seguem pelos nervos espinhais com terminações sensitivas em estruturas somáticas ou viscerais. Slide 13Slide 13

15 Secção transversal de um embrião (100 x), cerca de 40 dias A raiz do Nervo espinhal é constituída por fibras nervosas originárias de neuroblastos da placa basal (corno ventral da medula espinhal em desenvolvimento), e a raiz dorsal é formada por prolongamentos nervosos originários de neuroblastos do gânglio espinhal (raiz dorsal)

16 Formação das Meninges da Medula Espinhal A dura-máter – do mesênquima – mesoderma que envolve o tubo neural. As Leptomeninges – pia-máter e a aracnóide originam-se das células das cristas neurais. Durante a quinta semana, começa a formar-se um fluido cerebro –espinhal (FCS, líquor), que pode constituir um meio nutritivo para as células epiteliais dos tecidos neurais.

17 Com 6 meses, a medula fica ao nível da primeira vértebra sacra Diagramas mostrando a posição da extremidade caudal da medula espinhal em relação com a coluna vertebral e as meninges, em vários estágios de desenvolvimento.

18 Mielinização das Fibras Nervosas Oligodendrócitos – bainhas de mielina que envolvem as fibras nervosas situadas dentro da medula espinhal. As membranas plasmáticas destas células enrolam-se em torno do axônio, formando várias camadas. Células do neurilema (Schwann) –Estas células derivam células da crista neural. Enrolam-se em torno dos axônios dos neurônios somáticos motores e dos neurônios motores autônomos pré-gânglionares fora do SNC. Enrolam-se também em torno dos neurônios somáticos e viscerais sensitivos, assim como em torno dos axônios dos neurônios motores autônomos pós-gânglionares.

19 Esboços diagramáticos ilustrando a mielinização das fibras nervosas


Carregar ppt "Sistema Nervoso Sistema Nervoso Central (SNC) – Encéfalo e Medula Espinhal Sistema Nervoso Periférico (SNP) – Neurônios situados fora do SNC e os nervos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google