A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

BIOcombustíveis PATRÍCIA VIEIRA DENNER RIBEIRO PAMELLA KELLEY

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "BIOcombustíveis PATRÍCIA VIEIRA DENNER RIBEIRO PAMELLA KELLEY"— Transcrição da apresentação:

1 BIOcombustíveis PATRÍCIA VIEIRA DENNER RIBEIRO PAMELLA KELLEY
ELLEN BARABOSA CAROLINA ????

2 O QUE SÃO? Biocombustíveis: São materiais biológicos que, quando em combustão, possuem a capacidade de gerar energia para realizar trabalhos. Biodiesel: óleo virgem derivado de algumas espécies de plantas A cor e o odor do biodiesel variam um pouco em relação ao óleo vegetal escolhido como matéria prima. Em geral, o produto é amarelo podendo ser muito claro ou mesmo alaranjado. O odor é parecido com o do óleo vegetal de origem.

3 COMO É GERADO? A utilização de combustíveis biológicos ou bioenergéticos produzidos a partir de plantas que usam a energia solar é a única alternativa viável para a substituição do petróleo, que se acumulou no subsolo há milhares de anos e que num período não muito distante será esgotado. O uso de petróleo como fonte energética representa uma das maiores causas da poluição do ar. Por esta razão, os biocombustíveis obtidos de plantas que produzem álcool e de palmeiras que produzem óleo representam a melhor alternativa para reduzir o “efeito estufa”.

4 O biodiesel pode ser produzido a partir de diversas matérias-primas, tais como óleos vegetais, gorduras animais, óleos e gorduras residuais, por meio de diversos processos. Pode também, ser usado puro ou em mistura de diversas proporções com o diesel mineral.

5

6 IMPACTOS AMBIENTAIS Com o estímulo ao pró-álcool, grande área de Mata Atlântica foi substituída por plantações de cana de açúcar, particularmente no nordeste brasileiro. Isto acarretou graves problemas climáticos e edáficos, com elevação das temperaturas e da erodibilidade dos solos. Para a geração de energia será preciso muitas áreas cultivada, aumentando o desmatamento, queimadas. As áreas destinadas à agricultura será tomada por cultivos de matérias primas para a produção de energia.

7 Impactos positivos O uso de biocombustíveis já reduziu o conteúdo de chumbo na atmosfera em 75%, e carros que utilizam álcool também têm a vantagem de emitirem 57% menos CO2, 64% menos hidrocarbonetos e 13% menos óxidos de nitrogênio do que carros que utilizam gasolina.

8 CUSTO DA ENERGIA Baixo custo de produção: (um terço do preço médio do óleo diesel europeu), poderá ser produzido e comercializado em moeda nacional, desvinculado da moeda americana, ao contrário do petróleo nacional e gás. No Brasil, a política de preços dos derivados de petróleo é muito distorcida, inviabilizando algumas alternativas importantes, como a maioria das plantas oleaginosas e gorduras animais, mas não atinge o dendê que é a oleaginosa de maior potencial produtivo que se conhece. Baixo custo de investimento para produção de óleo. Baixo custo de transporte e distribuição.

9 União da Agroindústria Canavieira de São Paulo – UNICA segundo informou, o custo do biodiesel pode ser reduzido pelo uso de tecnologias adequadas na produção de matérias-primas e em sua transformação, a exemplo do que ocorreu com o álcool, cujo custo de produção, da ordem de US$ 700/m3, na década de 1980, passou para cerca de US$ 200/m3. Existe uma planta-piloto, em funcionamento há seis meses, com capacidade de produção de até 200 litros de biodiesel por dia, cuja implantação custou cerca de R$6.500,00, valor compatível com as possibilidades de um assentamento ou associação de agricultores familiares, segundo observou o representante do MDA.

10 Biodiesel produzido pela empresa Soyminas Biodiesel - Grupo Biobrás é competitivo, pois tem um custo de produção de R$ 0,30 por litro e que, segundo levantamentos realizados, a geração de um emprego, no setor, custaria apenas R$ ,00.

11 A implantação de grupo gerador requer um estudo minucioso de operação, conexão com a rede e proteções do sistema elétrico, exigidas pela concessionária no paralelismo. Dependendo do tipo de utilização, o custo de instalação varia de 10 a 30% do equipamento e sua vida útil é de 20 a 25 anos, com custo de manutenção a R$ 0,30/ kW, chegando a um custo de geração pós racionamento (fim de 2002) de R$280,00/MW para óleo diesel e R$340,00 para biodiesel, e de R$480,00/MW e R$ 610,00/MW (valores atualizados de 2004). Tais quantias podem sofrer variações intimamente ligadas ao custo do combustível. Do ponto de vista técnico-econômica, indica-se o óleo diesel como fonte mais vantajosa, pois o prazo de retorno de capital investido é de 2 a 2,5 anos operando na ponta de indústrias com fatores de carga e demanda típicas. O biodiesel ainda não é viável economicamente, no entanto apresenta vantagens ambientais com baixas emissões de poluentes e a possibilidade de tornar-se um produto promissor para o setor agrícola. USINA DE BIODIESEL

12 VANTAGENS E DESVANTAGENS
Sua principal vantagem é a menor poluição que causa, em comparação aos combustíveis derivados do petróleo. Não resolve o problema da dependência do petróleo, devido à inflexibilidade no refino do mesmo. Biodiesel:como a possibilidade real de substituir quase todos os derivados do petróleo sem modificação nos motores, eliminando a dependência do petróleo; evita gastos dos governos e dos cidadãos no combate aos males da poluição, estimados em cerca de R$ 900 milhões anuais.

13 Substituir o que resta dos biomas brasileiros por mais monoculturas de plantas exóticas, existindo altos potenciais nativos, não parece ser a estratégia mais eficiente para levar o Brasil crescentemente à independência ao petróleo, à melhor contribuir para o controle das mudanças climáticas e para a preservação ambiental. A melhor saída seria estimular sistemas agro-florestais consorciando nativas e exóticas (a serem substituídas à medida que os estudos sobre as nativas, e a tecnologia associada, avancem), arbustos, árvores e palmeiras.

14 o biodiesel reduz as emissões poluentes dos derivados de petróleo (em cerca de 40%, sendo que seu potencial cancerígeno é cerca de 94% menor que os derivados do petróleo), possui elevada capacidade de lubrificar as máquinas ou motores reduzindo possíveis danos, é seguro para armazenar e transportar porque é biodegradável, não- tóxico e não explosivo nem inflamável à temperatura ambiente, não contribui para a chuva ácida por não apresentar enxofre em sua composição, permite dispensar investimentos em grandes usinas, ou linhas de transmissão, para atendimento local de energia em regiões com pequena demanda

15 Vantagens 1- Agrícolas: Durante a implantação. Produção de alimentos, por culturas de subsistência de ciclo curto. Durante a produção. Produção de energia sem exportação de nutrientes minerais. Produção integrável, permitindo objetivos diversificados. Produção paralela de proteínas, energia calorífica e insumos para diversos fins.

16 Técnicas: É uma solução universal. Não requer modificações nos sistemas que o utilizam (tanques, bombas e motores), nem capacitação técnica especial. Consome energia própria e produz excedentes para outras aplicações. É de fácil manuseio, transporte e armazenagem. Proporciona aos motores autonomia e durabilidade, bem maiores do que outros combustíveis. Permite a geração de energia elétrica, a baixo custo, para diversos fins, inclusive para irrigação em regiões distantes das redes de alta tensão. Permite substituir, diretamente, óleos combustíveis de origem fóssil em motores de grande porte, caldeiras, fornos, etc, (para navios, máquinas pesadas, indústrias e geração termoelétrica).

17 MATÉRIA PRIMA As plantas mais utilizadas atualmente para produção do biodiesel são a soja, a colza (canola), o pinhão manso, mamona, dendê, girassol e macaúba. As mais produtivas são o dendê (Elaeis guineensis) e a macaúba (Acrocomia aculeata – típica do litoral brasileiro), confirmando a potencialidade das palmeiras.

18 A colza (Brassica napus) é a principal planta estudada e plantada para a produção de biocombustível na União Européia.

19 A soja (Glycine Max) é a mais utilizada nos EUA, onde também é comum misturar com restos de óleos usados para fritura.

20 Existem outras muito produtivas, como a castanha do Pará,
o coco e a copaíba, Porém outros derivados seus são mais interessantes economicamente.

21 BRASIL O tipo mais difundido de biocombustível no Brasil é o álcool proveniente da cana de açúcar; O mais grave do Proálcool talvez tenha sido a necessidade de se utilizar um motor específico que não permite a utilização alternada entre álcool e gasolina, quando for interessante.

22 A produção e comercialização do biodiesel, sendo o marco principal a publicação do Decreto No , em 20 de maio de 2005, que regulamenta a lei (janeiro/2005). Essa lei dispõe sobre a introdução do biodiesel na matriz energética brasileira. Inicialmente a proporção autorizada é 2% do diesel comum até 2008, 5% até 2013 e já é pensado 20%, sendo que nos Estados Unidos, os automóveis movidos com 100% de biodiesel têm apresentado rendimentos surpreendentes. BIODIESEL

23 CURIOSIDADES Uma área de cinco milhões de hectares de dendê, o país seria auto-suficiente em óleo Diesel, supondo uma produtividade média de 4 toneladas/hectare-ano, que é modesta em relação ao potencial hoje possível de 8 toneladas/hectare-ano; Isso poderia gerar vários milhões de empregos diretos e indiretos, abrindo inclusive perspectivas agroindustriais, com múltiplas possibilidades de geração de renda, bem como geração de outros postos de trabalho; O dendê pode constituir um grande aliado do álcool a partir da cana-de-açúcar, mandioca, batata, beterraba, abacaxi, etc, uma vez que estes e o dendê são cultivos complementares e um pode contribuir para consolidar o outro, através de misturas ou reações químicas do álcool com o óleo; O motor do ciclo Diesel foi criado para usar óleo vegetal como combustível. BIODIESEL

24 USINA DE BIODIESEL

25 Referencias bibliográficas
ARBIX, G. et al Biocombustíveis. Cadernos NAE, número 2. Núcleo de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Secretaria de Comunicação do Governo e Gestão Estratégica. Sá, H. Biocombustíveis - Álcool, Óleos e Gorduras-Biodiesel. POMBO, L Brasil se prepara para produzir biocombustível. Folha de São Paulo 16/08/2005. (http://www.biodieselbrasil.com.br/clip2005/agosto/clipping215bb html) Faupel, K. & Kurki, A Biodiesel: a brief overview. Attra: 1-8 (http://www.attra.ncat.org/attra-pub/PDF/biodiesel.pdf) BRANCA M. O. Medina - Bióloga licenciada e bacharel em ecologia pela UFRJ e mestre em ecologia, conservação e manejo da vida silvestre pela UFMG. COSTA,Paulo . Petrobras Biocombustível :Outro Pulo do Gato. Disponível em: <http://portalexame.abril.com.br/rede-de-blogs/bioagroenergia/2010/06/22/petrobras-biocombustivel-outro-pulo-do-gato/>. Acesso em : 003 jul

26 Referências bibliográficas
BIOTECNOLOGIA – Ciência e Desenvolvimento. Disponível em: <http://www.biotecnologia.com.br/revista/bio04/4hp_5.pdf> Acesso em: 03 de julho AMBIENTE BRASIL. Disponível em: < bustivel.html> Acesso em: 03 de julho glicerina-gerada-biodiesel htm. acesso em: 03 jul


Carregar ppt "BIOcombustíveis PATRÍCIA VIEIRA DENNER RIBEIRO PAMELLA KELLEY"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google