A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Aluno: Carlos Eduardo Bobroff da Rocha Medicina- UEL- 6º ano BRADIARRITMIAS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Aluno: Carlos Eduardo Bobroff da Rocha Medicina- UEL- 6º ano BRADIARRITMIAS."— Transcrição da apresentação:

1 Aluno: Carlos Eduardo Bobroff da Rocha Medicina- UEL- 6º ano BRADIARRITMIAS

2 -CAUSAS INTRÍNSECAS:.Degeneração idiopática;.IAM;.Doenças vasculares do colágeno;.Trauma cirúrgico;.Doenças familiares;.Doenças infecciosas (Chagas, endocardite); -CAUSAS EXTRÍNSECAS:.Síndromes mediadas autonomicamente: Síncope neurocardiogênica Hipersensibilidade carotídea Distúrbios situacionais (tosse, micção,...).Drogas: beta-bloqueadores, digitálicos, amiodarona, sotalol, clonidina, propafenona, diltiazem, verapamil;.Hipotireoidismo, hipotermia, distúrbios neurológicos, distúrbios eletrolíticos;

3 Ritmos de Escape Falha no nó sino-atrial, e um novo foco assume o ritmo. -Ritmo Idiojuncional: junção AV assume o ritmo. QRS estreito e idêntico ao sinusal; FC= bpm; onda P pode não aparecer, ou aparecer negativa em D2, e junto ao QRS. -Ritmo Idioatrial: escape atrial. QRS estreito e idêntico ao sinusal; FC= bpm; intervalo PR 120 ms; onda P de morfologia diferente. -Bradicardia Atrial Multifocal: marca-passo migratório. QRS estreito e idêntico ao sinusal; FC= bpm; três ou mais morfologias de onda P na mesma derivação. -Ritmo Idioventricular: ramos D ou E, ou fibras Purkinje. QRS alargado e aberrante; FC< 40 bpm; grandes pausas em assistolia.

4

5 Pausa Sinusal Pausa na atividade sinusal superior a 1,5 vezes o ciclo PP básico

6 Bloqueio Sino-Atrial Bloqueio de saída da despolarização sinusal, ocorrendo ausência de inscrição da onda P em um ciclo. -1º, 2º, e 3º grau; -2º grau: tipo 1 (intervalo P-P vai reduzindo-se progressivamente até a pausa sinusal). tipo 2 (sem redução do intervalo P-P; relacionada à doença do nó sinusal).

7 Doença do Nó Sinusal Doença fibro-degenerativa que acomete o nó sinusal ou região peri-nó. -Forma comum é idiopática; -Acomete mais idosos; -Associada à taquiarritmias atriais (50%), e doença degenerativa AV ou intraventricular (25-30%); -Principal sintoma é síncope; -Diagnóstico por ECG-Holter, e teste ergométrico; -Tratamento com implante de marca-passo definitivo; Características:.Bradicardia sinusal crônica inapropriada;.Pausas sinusais longas (> 3 seg), e sem escape apropriado;.Bloqueio sino-atrial;.Síndrome bradicardia-taquicardia;

8

9 Bloqueio Atrio-Ventricular 1º grau: intervalo PR > 200ms; 2º grau Mobitz I: aumento progressivo do PR até P bloqueada com redução progressiva do intervalo R-R até bloqueio; relação P e QRS 3:2, 4:3, 5:4; 2º grau Mobitz II: sem aumento progressivo do PR antes de P bloqueada; QRS alargado e aberrante; FC < 40 bpm; relação P e QRS 3:2, 4:3, 5:4; 2º grau (2:1): - QRS estreito + aumento PR = benigno; - QRS alargado + sem aumento PR = maligno; -QRS estreito + sem aumento PR / QRS alargado + aumento de PR = teste ergométrico, teste com atropina, EEF; Avançado: relação P:QRS = 3:1, 4:1; 3º grau: completa dissociação AV; escape pode ser juncional, ou ventricular;

10

11 Bloqueio do Ramo Direito Definido pela presença de onda R alargada em V1 e onda S alargadas em D1 e V6. -Nos bloqueios incompletos, R e S não são alargados. Bloqueio do Ramo Esquerdo Definido pela presença de onda S alargada em V1 e onda R alargada + ausência de onda q em D1 e V6. - Nos bloqueios incompletos S e R não são muito alargados.

12

13

14 Hemibloqueio Anterior Esquerdo Definido por importante desvio de eixo do QRS para a esquerda (entre -30º e -120º). -QRS negativo em D2 e AVF, com complexo rS. Hemibloqueio Posterior Esquerdo Definido por importante desvio do eixo QRS para a direita (+120º). -QRS negativo e com complexo rS (D1, AVL); -QRS positivo e com complexo qR (AVR);

15

16

17 Bloqueio Bifascicular Associação de BRD, com HBAE ou HBPE. -BRD + HBAE é comum; -Pode evoluir para BAVT; Bloqueio Trifascicular -BRD + HBAE alternado com HBPE; -BRD alternando com BRE; -Bloqueio bifascicular + BAV 1º grau;

18

19 Indicações para Marca-Passo Provisório -Bradiarritmias sintomáticas de provável localização intra/infra-Hissiana (BAV Mobitz II, BAVT); -Bradiarritmias sintomáticas de provável localização supra- Hissiana, mas não responsivas à atropina; -Fase aguda do IAM (terapêutico/ profilático); Qualquer bradiarritmia sintomática não responsiva à atropina; Assistolia; BAV de 2º grau Mobitz II; BAVT; Bloqueio trifascicular (bloqueio de ramo bilateral); Bloqueio bifascicular novo + BAV de 1. grau; BRE novo + BAV de 1º grau;

20 Indicações para Marca-Passo Definitivo -Doença do Nó Sinusal.Espontânea, irreversível ou induzida por fármacos necessário e insubstituíveis, com manifestações documentadas de síncopes, pré-síncopes ou tonturas, ou com IC relacionadas à bradicardia;.Com intolerância aos esforços, claramente relacionada à incompetência cronotrópica; -Síndrome do Seio Carotídeo.Síncope recorrente em situações cotidianas que envolvem a estimulação mecânica do seio carotídeo provocando assistolia > 3 seg documentada, na ausência de medicamentos depressores da função sinusal ou condução AV. -Bloqueio Intraventricular.Bloqueio de ramo bilateral alternante documentado com síncopes, pré-síncopes ou tonturas recorrentes;

21 Indicações para Marca-Passo Definitivo -BAV 1º grau.Nenhuma. - BAV 2º grau.Permanente ou intermitente, irreversível ou causado por drogas necessárias e insubstituíveis, independente do tipo e localização, com sintomas definidos de baixo fluxo cerebral ou IC conseqüentes à bradicardia;.Tipo II, com QRS largo ou infra-His, assintomático, permanente ou intermitente e irreversível;.Com flutter atrial ou FA, com períodos de resposta ventricular baixa, em pacientes com sintomas definidos de baixo fluxo cerebral ou IC conseqüentes à bradicardia; -BAV 3º grau.Permanente ou intermitente, irreversível, de qualquer etiologia ou local, com sintomas de hipofluxo cerebral ou IC conseqüentes à bradicardia;.Assintomático, conseqüente à IAM, persistente > 15 dias;.Assintomático, com QRS largo após cirurgia cardíaca, persistente > 15 dias;.Assintomático, irreversível, com QRS largo ou infra/intra-His, ou ritmo de escape infra-His;.Assintomático, irreversível, QRS estreito, com indicação de antiarrítmicos depressores do ritmo de escape;.Adquirido, irreversível, assintomático, com FC média 3 seg e sem resposta adequada ao exercício;.Irreversível, assintomático, com assistolia > 3 seg na vigília;.Irreversível, assintomático, com cardiomegalia progressiva;.Congênito, assintomático, com ritmo de escape de QRS largo, com cardiomegalia progressiva ou com FC inadequada para idade;.Adquirido, assintomático, de etiologia chagásica ou degenerativa;.Irreversível, permanente ou intermitente, conseqüente à ablação do nó AV;

22 OBRIGADO


Carregar ppt "Aluno: Carlos Eduardo Bobroff da Rocha Medicina- UEL- 6º ano BRADIARRITMIAS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google