A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Profª Denise Neves Ago/2009. OBJETIVOS DA DISCIPLINA Entender os mecanismos que regem o relacionamento entre as pessoas. Refletir e agir sobre as relações.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Profª Denise Neves Ago/2009. OBJETIVOS DA DISCIPLINA Entender os mecanismos que regem o relacionamento entre as pessoas. Refletir e agir sobre as relações."— Transcrição da apresentação:

1 Profª Denise Neves Ago/2009

2 OBJETIVOS DA DISCIPLINA Entender os mecanismos que regem o relacionamento entre as pessoas. Refletir e agir sobre as relações que se estabelecem dentro de uma organização entre os indivíduos e os grupos identificando fatores determinantes nessas relações.

3 METODOLOGIA Aulas Expositivas e Reflexivas com exercícios e análise de casos. Discussões em Grupo Debates

4 AVALIAÇÃO Duas provas teóricas bimestrais: P1 e P2 PIM

5 Contrato de Relacionamento

6 Ser é ser no mundo com o outro. Heidegger Nós somos criaturas sociais. Não apenas gostamos da companhia uns dos outros, mas também buscamos uns aos outros situação após situação. (Porque as Equipes Não Funcionam - Ed. Campus) O que obtemos uns dos outros? Dinâmica da Relações Interpessoais

7 Afeto Amizade Amor Ligação Relação AFEIÇÃO AFILIAÇÃO Sobrevivência VALORIZAÇÃO PESSOAL Reconhecimento Estima Comparação com outras pessoas TROCA DE IDÉIAS APRENDIZAGEM Forma rápida de aprender através de outras pessoas Dinâmica da Relações Interpessoais

8 Relacionamento na Empresa – Emprego de A a Z – Max Gehringer Dinâmica da Relações Interpessoais

9 Você sabe o que são Relações Humanas? Dinâmica da Relações Interpessoais O termo Relações Humanas tem sido empregado, com freqüência para se referir a: Esse relacionamento poderá ocorrer entre: a.Uma pessoa e outra: marido e mulher, vendedor comprador, professor e aluno, etc... b.Entre membros de um grupo: pai, mãe, filhos (no lar), professores e alunos (em uma classe) funcionários e chefes (em uma empresa) c.Entre grupos em uma organização: os grupos de trabalho nos departamentos, projetos, etc... RELAÇÕES INTERPESSOAIS

10 Relações Humanas podem ser entendidas como: Dinâmica da Relações Interpessoais COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL OU COMUNICAÇÃO INTRAPESSOAL Comunicação Intrapessoal é quando você estabelece um diálogo consigo mesmo, isto é, Você conversa com Você. Vejamos um exemplo bem típico no ambiente empresarial: Imaginemos essa situação: O expediente em sua organização se encerra ás 18h00. Como você vai estar ausente no dia seguinte e há um serviço que não pode deixar de ser feito, você chama um subordinado – o Antonio – para encarregá-lo disso. Só que você o chama às 17h45, e diz algo assim...

11 Dinâmica da Relações Interpessoais Relações Humanas Os relacionamentos interpessoais podem apresentar conflitos. Dizemos então que há um problema nas relações humanas. Sabe-se que o Gestor eficiente tem que ser capaz de compreender e de lidar com os problemas financeiros e técnicos de sua área ou profissão, mas precisa também ser capaz de compreender e de lidar com pessoas. (Comportamento Interpessoal)

12 Conflito Latim: Conflictus Significa: EMBATE Dizemos que há um Conflito quando nos deparamos com uma luta de partes. E toda luta de partes é carregada de Sentimentos. RAIVA REVOLTA MEDO INSEGURANÇA POSSE ÓDIO COMPETIÇÃO VINGANÇA Dinâmica da Relações Interpessoais

13 Fonte: Gerenciando Conflitos De onde se originam os conflitos?

14 Disputa de poder Falta de recursos Diferenças de Valores Busca de Autonomia Mudanças Acomodação Insatisfação Busca de Status Papéis não Resolvidos Desejo de Sucesso Direitos não Atendidos Ambiente Hostil Manipulação Diferença de Objetivos Informações Insuficientes Surpresas Indesejadas Preconceitos Liderança Ruim Dinâmica da Relações Interpessoais

15 Agenda Oculta 1. Não estou aqui para trabalhar com a equipe, mas para levar os créditos pelos seus sucessos. 2. Não estou aqui para trabalhar com a equipe, mas para associar-me a alguns de seus membros. 3. Não estou aqui para trabalhar com a equipe, mas para usá-la como trampolim para coisas melhores. Dinâmica da Relações Interpessoais

16 Gerenciar pessoas, significa interagir com pessoas, conciliar vontades, gostos, emoções e estilos peculiares e mediar interesses, percepções, necessidades e expectativas diversas. Como a gestão de pessoas pode envolver aspectos subjetivos ou inconscientes, é importante considerar esses elementos sutis envolvidos no processo. Assim sendo, gerir organizações implica também gerir pessoas e, conseqüentemente, conflitos. Gerenciando Conflitos Podemos definir a gestão de conflitos como a capacidade de prever tensões, identificar as fontes, impedir o crescimento dos desacordos e encontrar soluções satisfatórias para todas as partes envolvidas, visando uma gestão eficaz.

17 Dinâmica da Relações Interpessoais Gerenciando Conflitos 1.Servem de termômetro e indicam que algo não está bem e precisa ser tratado. 2.Atuam como molas propulsoras do crescimento individual e organizacional. 3.Funcionam como catalisadores para atingir metas. 4.São bons elementos de socialização. 5.Proporcionam a união de equipes em busca de soluções e motivam pessoas a resolverem problemas em conjunto. 6.Levam à descoberta de novidades que resultam em benefícios para a empresa. Os conflitos geram repercussão positiva quando: 1.Causam tensão excessiva nos envolvidos provocando danos físicos e mentais. 2.Criam ambientes improdutivos, gerados por desmotivação e incertezas. 3.Desviam a atenção dos reais objetivos 4.Prolongam-se por tempo demais sem solução, causando desgaste nas partes envolvidas. 5.Mobiliza recursos e perda da produtividade. 6.Distorcem comportamentos individuais. 7.Desperdiçam tempo e esforços. Os conflitos geram repercussão negativa quando: Na minha civilização, aquele que é diferente de mim não me empobrece; me enriquece. (Saint-Exupéry)

18 Dinâmica da Relações Interpessoais Estilos de Gestão de Conflitos

19 Dinâmica da Relações Interpessoais Algumas alternativas para indivíduos e equipes tratarem os conflitos são possíveis. Conflitos podem ser negados ou ignorados, ou enfrentados e transformados num elemento auxiliar para o crescimento e amadurecimento dos indivíduos e da organização. Conflitos: que atitude tomar?

20 Dinâmica da Relações Interpessoais Eu não disse que não disse isso. Eu disse que não disse que disse isso. Quero deixar isso bem claro. (G.Romney) Negociação e Gestão de Conflitos Negociar é a arte de compreender a pluralidade de opiniões e saber acordar entre as partes, de maneira que todos saiam ganhando. Negociar é um processo necessário que indivíduos com objetivos comuns ou divergentes usam para apresentar e discutir propostas que levem a um acordo em que ambas as partes saiam ganhando. Consegue-se negociar a partir de um diálogo franco e aberto.

21 Dinâmica da Relações Interpessoais Os conflitos se instalam devido a uma sucessão de falhas, passando pela série de barreiras defensivas existentes no sistema. Uma vez instalados, necessitam de atenção.

22 Dinâmica da Relações Interpessoais Definição de Organização Desde os primórdios de sua presença na Terra, o homem buscou se agrupar para conseguir suprir as necessidades básicas de segurança e alimentação. O homem não é o único animal gregário, lobos e hienas vivem e caçam em grupo, outros exemplos poderiam ser facilmente encontrados. O que diferencia substancialmente o homem dos outros animais é o domínio de uma linguagem complexa que permite a colaboração intensa entre os membros do grupo. É a partir da possibilidade de se comunicar e de interagir com os semelhantes que surgirão as primeiras tentativas de organização. Podemos definir organização como uma combinação intencional de pessoas e de tecnologias para atingir determinados fins.

23 Dinâmica da Relações Interpessoais O modelo de estrutura organizacional vertical ainda é o mais comum na maioria das empresas. É herdeiro dos antigos modelos rigidamente hierarquizados de sociedades, nas quais os papéis dos indivíduos estavam muito bem configurados, dependentes quase que exclusivamente de suas origens sociais. Os modelos verticais refletem uma concepção de mundo na qual os fluxos de produção de mercadoria ainda eram lentos e pouco diversificados. A estrutura piramidal dessas organizações também é o reflexo de uma visão militar, na qual as decisões importantes cabem exclusivamente aos poucos indivíduos que ocupam a posição mais alta. ORGANIZAÇÃO VERTICAL

24 Dinâmica da Relações Interpessoais ORGANIZAÇÃO VERTICAL centralização das decisões e informações muitas camadas hierárquicas departamentalização estanque cargos muito bem delimitados dificuldades de acesso dos membros das camadas mais baixas aos ocupantes das camadas superiores da hierarquia. CARACTERÍSTICAS

25 Dinâmica da Relações Interpessoais ORGANIZAÇÃO HORIZONTAL As organizações com estruturas hierárquicas horizontais acontece simultaneamente às inúmeras transformações que a sociedade mundial viveu no transcorrer do século XX. É provável que a aceleração dos processos produtivos, sua diversificação e o surgimento de meios de comunicação rápidos e eficazes tenham contribuído para a passagem de modelos verticais e centralizados para os atuais modelos horizontais e em rede.

26 Dinâmica da Relações Interpessoais Alguns autores definem organização como: "um sistema de atividades conscientemente coordenadas de duas ou mais pessoas". Para estes autores, a organização só existe quando se cumprirem os seguintes requisitos:

27 Dinâmica da Relações Interpessoais ORGANIZAÇÃO HORIZONTAL número reduzido de camadas hierárquicas divisão departamental baseada em processos relações entre departamentos é intensa ênfase na gestão por projetos descentralização nas decisões facilidade de comunicação acesso das camadas mais baixas aos postos mais elevados valorização do conhecimento gerado pela organização CARACTERÍSTICAS

28 Dinâmica da Relações Interpessoais Introdução aos processos de negociação O trabalho em equipe, as relações interpessoais, os contatos que devemos realizar cotidianamente em nossas vidas, por vezes deflagram resistências e conflitos. Ao nos relacionarmos com o outro podemos encontrar interesses opostos aos nossos que representem obstáculos para alcançarmos nossos objetivos. Nesses momentos em que os interesses ou opiniões se apresentam contraditórios é necessário que negociemos. Quem negocia visa obter um resultado superior àquele que seria obtido, caso a negociação não tivesse ocorrido. 1. Mas será que existe uma maneira especial de negociar? 2. Existem técnicas que podem nos tornar bons negociadores? 3. Podemos encontrar tipos diferentes de negociação?

29 Dinâmica da Relações Interpessoais Carlos Martins F. de Mello define negociação como: (...) um processo social utilizado para fazer acordos e resolver ou evitar conflitos. É utilizada quando as partes interessadas desejam estabelecer regras de relacionamento mútuo ou quando desejam mudar as regras de um acordo já existente. O QUE É NEGOCIAÇÃO? ESTRATÉGIAS DE NEGOCIAÇÃO Estratégia de competição Estratégia de cooperação Estratégia de relacionamentos Estratégia da indiferença Existem várias estratégias possíveis para uma negociação. A escolha de uma delas dependerá do tipo de relacionamento que desejamos manter com a outra parte e do grau de conflito que estamos dispostos a assumir. A partir da intersecção dessas duas variáveis, definimos quatro tipos possíveis de estratégias

30 Dinâmica da Relações Interpessoais O Diagrama exibido mostra os quadrantes respectivos de cada estratégia e os aspectos relevantes em cada uma.

31 Dinâmica da Relações Interpessoais NEGOCIAÇÃO COMPETITIVA Quando realizamos uma negociação competitiva, devemos nos preocupar com uma série de fatores que serão decisivos para o sucesso. O primeiro deles é a questão do poder. Na negociação competitiva ocorre um jogo de forças, logo, o pólo que melhor mobilizar suas forças poderá sair vitorioso. O poder é a capacidade de fazer prevalecer essa força. Existe uma dimensão real e outra aparente do poder, ele é instável e depende da percepção dos negociadores. Dividiremos o poder em duas partes: pessoal e externo

32 Dinâmica da Relações Interpessoais Legitimidade

33 Dinâmica da Relações Interpessoais ETAPAS DA NEGOCIAÇÃO COMPETITIVA

34 Dinâmica da Relações Interpessoais TÁTICAS PARA NEGOCIAÇÃO COMPETITIVA

35 Dinâmica da Relações Interpessoais TÁTICAS PARA NEGOCIAÇÃO COMPETITIVA A negociação cooperativa é resultado da necessidade de manter e aprofundar o relacionamento com o outro negociador. Nestes casos o mais importante é o relacionamento e não os ganhos imediatos, portanto, o estilo da negociação obedecerá a outra lógica com conseqüências nas atitudes dos negociadores. Diferentemente da negociação competitiva na qual cada uma das partes visa obter o máximo de concessões de seu oponente, a negociação cooperativa é um processo de criatividade e conhecimento mútuo. Algumas atitudes são fundamentais para que se estabeleça este tipo de negociação: 1.Troca transparente de informações 2.Construção de uma relação de confiança 3.Atenção de cada uma das partes as necessidades e percepções da outra 4.Busca de resultados equilibrados

36 Dinâmica da Relações Interpessoais ETAPAS DA NEGOCIAÇÃO COOPERATIVA

37 Dinâmica da Relações Interpessoais TÁTICAS PARA NEGOCIAÇÃO COOPERATIVA

38 Dinâmica da Relações Interpessoais

39 MOTIVAÇÃO Nesta unidade veremos o conceito de motivação, alguns links com dados importantes de motivação e um teste para que você avalie sua motivação.

40 Dinâmica da Relações Interpessoais

41

42 Para entendermos melhor veremos a seguir a teoria desenvolvida por Maslow, psicólogo comportamentalista. Maslow afirma que as necessidades humanas são de natureza biológica ou instintiva, possuem uma base genética, influenciam comportamentos muitas vezes de um modo inconsciente, e desse modo caracterizam os seres humanos. Maslow analisa a motivação humana como uma hierarquia de cinco necessidades. 01/04/1908 – 08/06/1970 A Hierarquia das Necessidades de Maslow "Se você planeja ser qualquer coisa menos do que aquilo que você é capaz, provavelmente você será infeliz todos os dias de sua vida." A. H. Maslow

43 Dinâmica da Relações Interpessoais

44 Cultura do Medo e Motivação Qual é o princípio da motivação na cultura do medo? INTIMIDAÇÃO Gestores acreditam que esse fator melhora o desempenho e aumenta a produtividade Texto: Wagner Dias

45 Dinâmica da Relações Interpessoais Infelizmente a realidade de muitas organizações é de um quadro de funcionários que não tem a mínima motivação pelo que fazem. Buscam em outros locais a motivação, assim, tornando o trabalho um verdadeiro sofrimento no qual não são saciadas as necessidades como: auto-estima, auto-realização,etc. Cultura do Medo e Motivação

46 Dinâmica da Relações Interpessoais TESTE SUA MOTIVAÇÃO Você está motivado no seu trabalho Folha de Exercício

47 Bibliografia Consultada Dinâmica da Relações Interpessoais MOSCOVICI, F. Desenvolvimento Interpessoal. Rio de Janeiro: Prentice Hall, 2004 BERGAMINI, Cecília W. Motivação nas Organizações. São Paulo: Atlas, 1997 GOLEMAN, Daniel. Inteligência Emocional. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001 ROBBINS, Stephen. Comportamento Organizacional. Rio de Janeiro: Prentice-Hall, Sites Consultados


Carregar ppt "Profª Denise Neves Ago/2009. OBJETIVOS DA DISCIPLINA Entender os mecanismos que regem o relacionamento entre as pessoas. Refletir e agir sobre as relações."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google