A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Elementos de Protocolo e Cerimonial Prof. Dr. Luiz Alberto de Farias ECA-USP.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Elementos de Protocolo e Cerimonial Prof. Dr. Luiz Alberto de Farias ECA-USP."— Transcrição da apresentação:

1 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Elementos de Protocolo e Cerimonial Prof. Dr. Luiz Alberto de Farias ECA-USP

2 n Protocolo - Conjunto de regras preestabelecidas que disciplinam a organização de qualquer evento. n Cerimonial – Aplicação prática e concreta do protocolo. Implementação de normas previamente fixadas pelo protocolo. Designa a ordem de precedência. n Etiqueta – Formalidade no trato social. É um fenômeno cultural. Ampara-se nos costumes de cada região do mundo.

3 Breve histórico n Rituais religiosos entre homens pré- históricos – rudimentos de cerimônias n Rituais no antigo Egito n Cerimonial e etiqueta na Grécia e em Roma n China: cerimonial no séc. XII a.C. n França: reinado dos reis Luiz: etiqueta apurada n Gestão da disputa pelo poder n Estabelecimento de posições

4 Breve histórico Idade Média Idade Média Intercâmbio entre as cortes e as guerrasIntercâmbio entre as cortes e as guerras Questões diplomáticasQuestões diplomáticas Surgimento da HeráldicaSurgimento da Heráldica Importância dos HeraldosImportância dos Heraldos Cerimonial no Brasil Cerimonial no Brasil Corte de D. João VI: influência francesaCorte de D. João VI: influência francesa República: EUARepública: EUA

5 Tipos de cerimonial Público/Executivo Público/Executivo (Decreto Federal – 09/03/72) Legislativo, Judiciário, Eclesiástico Legislativo, Judiciário, Eclesiástico Universitário, Militar Universitário, Militar Privado: adaptação do cerimonial público Privado: adaptação do cerimonial público

6 Precedência n Definição de quem se senta onde, ao lado de quem, qual a bandeira que tem mais destaque, quem fala primeiro ou por último. Define a importância de cada elemento em um evento público ou privado.

7 Razões de Precedência n Funcional: a partir do cargo que a pessoa desempenha no momento n Pessoal: as características pessoais, currículo, formação, histórico, cargos anteriores, gênero, idade etc n Local: em função de onde acontece o evento e se desenvolve o cerimonial n Material: de acordo com o assunto, a temática a ser desenvolvida

8 Precedência Federal n O Presidente da República presidirá sempre a cerimônia a que comparecer (art. 1o.) n Seguido de: Vice-Presidente, Presidente do Supremo Tribunal Federal, antigos Chefes de Estado e em seguida os antigos VPR (desde que não exerçam outra função pública – neste caso a precedência respeitará sua atual posição)

9 Precedência Federal n Não comparecendo o PR, presidirá o VPR (art. 2o.) n Os ministros presidirão as solenidades promovidas por seus Ministérios. A precedência dos Ministros seguirá a ordem de criação de seus Ministérios – ex. primeiro mandato Luiz Inácio Lula da Silva n Os ex-Ministros passarão logo após os atuais ou pela função atual que exerçam

10 Ordem de criação e precedência dos ministérios Justiça Justiça Marinha Marinha Exército Exército Relações Exteriores Relações Exteriores Fazenda Fazenda Transportes Transportes Agricultura Agricultura Educação Educação n Trabalho n Aeronáutica n Saúde n Indústria e Comércio n Minas e Energia n Planejamento n Comunicações n Previdência n Ciência e Tecnologia n Cultura etc

11 Precedência Estados, DF e Territórios Governador preside cerimônias a que comparecer, exceto as dos Poderes Legislativo e Judiciário e as de caráter exclusivamente Militar, mas terá lugar de honra (art. 6o.) Governador preside cerimônias a que comparecer, exceto as dos Poderes Legislativo e Judiciário e as de caráter exclusivamente Militar, mas terá lugar de honra (art. 6o.) No respectivo Estado, o Governador, o VG, o Presidente da Assembléia Legislativa e o Presidente do Tribunal de Justiça terão precedência sobre as autoridades Federais, salvo Presidente do Congresso Federal (e Senado), Câmara dos Deputados e Supremo Tribunal Federal e autoridades com status de Ministro, que passarão logo após o Governador No respectivo Estado, o Governador, o VG, o Presidente da Assembléia Legislativa e o Presidente do Tribunal de Justiça terão precedência sobre as autoridades Federais, salvo Presidente do Congresso Federal (e Senado), Câmara dos Deputados e Supremo Tribunal Federal e autoridades com status de Ministro, que passarão logo após o Governador

12 Precedência entre os Estados n Por ordem de Constituição –Bahia, Rio de Janeiro, Maranhão, Pará, Pernambuco, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Ceará, Paraíba, Espírito Santo, Piauí, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Alagoas, Sergipe, Amazonas, Paraná, Acre, Distrito Federal, Amapá, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Roraima, Tocantins P.s.: anfitrião (Governador, Bandeira) tem precedência sobre os demais – Lei 8421/92 P.s.: anfitrião (Governador, Bandeira) tem precedência sobre os demais – Lei 8421/92

13 Ordem de precedência privada n Critérios: –Anfitrião – pessoa mais importante da empresa –Executivos mais ligados ao centro de decisão (VP, diretores) –Importância nas áreas da empresa (diretorias industrial, comercial etc) –Cargos iguais: relação com o tema do evento, idade, tempo de serviço prestado

14 Ordem de precedência privada n Assessorias n Gerências n Chefias de Filiais n Outros critérios: –Cultural –Gênero –Ordem alfabética –Homenagem especial

15 Precedência nos Municípios n Prefeito preside solenidades municipais, seguido da ordem de precedência das autoridades do respectivo Município n Em casos omissos o Chefe do Cerimonial determinará a ordem de colocação das autoridades

16 Representações n Em jantares e almoços não se poderá fazer-se representar n Representantes do Presidente da República ocupam o lugar após a autoridade que presida o evento n Representantes dos Poderes Legislativo e Judiciário terão para si os lugares reservados a seus Presidentes n Em cerimônia na qual compareça o Presidente da República não poderá haver representação

17 Observações n Chefes de Secretarias de Assuntos Estratégicos, Casa Civil, Casa Militar, Secretaria-Geral da PR, EMFA, Consultor- Geral da República têm status de Ministro de Estado n Em havendo autoridades estrangeiras o Ministro de Relações Exteriores passa à frente de seus colegas de Ministério n Cardeais e Embaixadores estrangeiros como representantes de seus países têm mais alta precedência, passando logo após o Governador do Estado

18 Ordem de fala n Do menos importante para o mais importante. O presidente da cerimônia fecha o evento, dá a última palavra

19 Ordem de mesa n Mesa ímpar: a partir do centro, designa-se a esquerda de quem olha (do presidente) e depois a esquerda, e assim sucessivamente, como os locais de destaque da mesa. n Mesa par: determina-se o centro imaginário, localiza-se o presidente à esquerda de quem olha (a partir do centro) e o próximo à esquerda do presidente. Após isso, mantém- se o mesmo ritmo.

20 Ordem de bandeiras n A do país ao centro, observando-se a mesma distribuição da posição de mesa (pares e ímpares) n A ordem de precedência dos Estados é a de constituição. Dos países é alfabética.

21

22 Territórios vs geografia n ONU n Embaixadas e Consulados Cerimônias mistas Cerimônias mistas

23 Mestre de Cerimônias vs. Cerimonialista n Características essenciais ao MC n Cerimônia ou show? n Cerimonialista apresenta? n MC é passivo?

24 Quando se utiliza das regras de cerimonial e protocolo? Cerimonial privado.

25


Carregar ppt "UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Elementos de Protocolo e Cerimonial Prof. Dr. Luiz Alberto de Farias ECA-USP."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google