A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Drágeas, Cápsulas e Supositórios Prof. Fernando Antonio A. Oliveira SENAC – Campinas.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Drágeas, Cápsulas e Supositórios Prof. Fernando Antonio A. Oliveira SENAC – Campinas."— Transcrição da apresentação:

1 Drágeas, Cápsulas e Supositórios Prof. Fernando Antonio A. Oliveira SENAC – Campinas

2 Drágeas Comprimidos revestidos com açúcar e corante. Vantagens: –Todas as dos comprimidos; –Mascaram sabor e odor; –Possibilidade de desintegração entérica; –Questões comerciais. Desvantagens –Todas as presentes nos comprimidos; –Impossibilidade de baixo custo; –Difícil preparação.

3 Preparo de drágeas Drageadeira ou drageadoras O núcleo deve ser preparado com formato esférico ou oval, pequeno, duro. Impossibilidade de baixo custo Difícil preparação

4 Preparo Isolamento do núcleo com PVP e goma laca; Sub revestimento ou camada branca: xarope simples e pó bem fino como talco; Alisamento: retirada das irregularidades do sub-revestimento; Coloração: Fase optativa é estética, adição de corante; Polimento: Feito para dar brilho e tornar o produto impermeável a umidade. Parafinas, ceras naturais ou sintéticas

5 Cápsulas

6 São formas farmacêuticas constituídas de um invólucro amiláceo ou gelatinoso, contendo um ou mais fármacos. Vantagens –Mascaramento de odor e sabor; –Fácil liberação do PA; –Possibilidade de ter um invólucro gastrintestinal; –Boa apresentação; –Fácil administração; –Rapidez no preparo; –Possibilidade de obtenção de pequenas quantidades.

7 Cápsulas Desvantagens Impossibilidades de produção em baixa escala quando revestidas; Sensibilidade a temperaturas maiores que 32ºC; Classificação –Moles (glóbulos, pérolas ou capsulinas com 0,5 a 5ml) –Duras (feiras com gelatina, corante e antioxidantes, com capa e tampa ou ainda corpo e gorro)

8 Supositórios Supositórios são formas farmacêuticas de consistência firme, forma cônica ou ogival, destinadas à aplicação a aplicação retal, obtidas por solidificação ou compressão. Indicações Existências ou possibilidade de lesões de mucosa gástrica Evitar metabolismo hepático de primeira passagem Possibilidade de inativação gástrica.

9 Excipientes Características –Inertes –Temperatura de fusão próxima da temperatura corporal; –Boa conservação à temperatura ambiente e ao oxigênio; –Homogeneidade; –Viscosidade adequada; –Não irritante; Lipossolúveis: Ceras, manteiga de cacau; Hidrodisperssíveis: Elevado ponto de fusão.

10 Adjuvantes Agentes emulsificantes –Lauril sulfato de sódio, estearato de sódio –Lanolina (A/O) oleosa; Corretivos para o ponto de fusão –Elevam o ponto de fusão: Cera, espermacete, parafina; –Baixam o ponto de fusão, glicerina, água, sorbitol; Corretivos de cor –Efeitos estéticos. Geralmente corantes hidrossolúveis; Conservantes: Nipagin e Nipazol Antioxidantes

11 Preparo Fusão e solidificação –Excipientes fundidos; –Incorporação dos princípios ativos; –Utilização de moldes adequados. Compressão –Principio ativo é misturado ao excipiente e a mistura resultante é comprimida; –Este método somente é utilizado em caso de fármacos sensíveis ao calor.

12 Incompatibilidades Físicas –Fenol, cânfora, essências, diminuem o ponto de fusão da manteiga de cacau. Químicas –Entre sais que interagem entre si, com AAS e o sulfato ferroso Acondicionamento –Embalados individualmente em invólucros de papel impermeável, celofane ou alumínio.


Carregar ppt "Drágeas, Cápsulas e Supositórios Prof. Fernando Antonio A. Oliveira SENAC – Campinas."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google