A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ALGUNS CONCEITOS E TÉCNICAS DE GESTÃO DE ESTOQUE Prof.Eduardo Bonetti Prof.Eduardo Bonetti.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ALGUNS CONCEITOS E TÉCNICAS DE GESTÃO DE ESTOQUE Prof.Eduardo Bonetti Prof.Eduardo Bonetti."— Transcrição da apresentação:

1 ALGUNS CONCEITOS E TÉCNICAS DE GESTÃO DE ESTOQUE Prof.Eduardo Bonetti Prof.Eduardo Bonetti

2 ALGUNS CONCEITOS E TÉCNICAS DE GESTÃO DE ESTOQUE JUST IN TIME JUST IN TIME KAN BAN KAN BAN

3 JUST IN TIME Just in time é um sistema de Administração da produção que determina que nada deve ser produzido, transportado ou comprado antes da hora exata. Just in time é um sistema de Administração da produção que determina que nada deve ser produzido, transportado ou comprado antes da hora exata. Administração da produção Administração da produção

4 JUST IN TIME Just in time é uma derivação do sistema japonês KANBAN. Just in time é uma derivação do sistema japonês KANBAN. Os cartões KANBAN especificam: Os cartões KANBAN especificam: a) Quanto será feito- Quantidade b) Quando será necessário- Momento

5 JUST IN TIME Pode ser aplicado em qualquer organização, para reduzir estoques e os custos decorrentes. Pode ser aplicado em qualquer organização, para reduzir estoques e os custos decorrentes.

6 Just In Time O Just in time é o principal pilar do Sistema Toyota de Produção ou Produção enxuta. O Just in time é o principal pilar do Sistema Toyota de Produção ou Produção enxuta.Sistema Toyota de Produção enxutaSistema Toyota de Produção enxuta

7 SISTEMA TOYOTA DE PRODUÇÃO O Sistema Toyota de Produção, também chamado de Produção enxuta e Lean Manufacturing, surgiu no Japão, na fábrica de automóveis Toyota, logo após a Segunda Guerra Mundial. O Sistema Toyota de Produção, também chamado de Produção enxuta e Lean Manufacturing, surgiu no Japão, na fábrica de automóveis Toyota, logo após a Segunda Guerra Mundial.Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial

8 SISTEMA TOYOTA DE PRODUÇÃO Nesta época a indústria japonesa tinha uma produtividade muito baixa e uma enorme falta de recursos, o que naturalmente a impedia adotar o modelo da Produção em massa. Nesta época a indústria japonesa tinha uma produtividade muito baixa e uma enorme falta de recursos, o que naturalmente a impedia adotar o modelo da Produção em massa.Produção em massaProdução em massa

9 CRIADORES DO SISTEMA TOYOTA DE PRODUÇÃO A criação do sistema se deve a três pessoas: O fundador da Toyota e mestre de invenções, Toyoda Sakichi, seu filho Toyoda Kiichiro e o principal executivo o engenheiro Taiichi Ohno. A criação do sistema se deve a três pessoas: O fundador da Toyota e mestre de invenções, Toyoda Sakichi, seu filho Toyoda Kiichiro e o principal executivo o engenheiro Taiichi Ohno. ToyotaTaiichi Ohno ToyotaTaiichi Ohno

10 OBJETIVOS DO SISTEMA TOYOTA DE PRODUÇÃO O sistema objetiva aumentar a eficiência da produção pela eliminação contínua de desperdícios. O sistema objetiva aumentar a eficiência da produção pela eliminação contínua de desperdícios.

11 QUANDO SURGIU O JUST IN TIME O Just in time Surgiu no Japão no início dos anos 50 pela Toyota Motor Company. O Just in time Surgiu no Japão no início dos anos 50 pela Toyota Motor Company.

12 PRINCÍPIOS DO JUST IN TIME São 5 os princípios do JIT: São 5 os princípios do JIT: Qualidade Qualidade Velocidade Velocidade Confiabilidade Confiabilidade Flexibilidade Flexibilidade Compromisso Compromisso

13 PRINCÍPIOS DO JUST IN TIME - QUALIDADE Alta pois os erros no proc. Produção reduzem o fluxo de materiais Alta pois os erros no proc. Produção reduzem o fluxo de materiais

14 PRINCÍPIOS DO JUST IN TIME - VELOCIDDE É essencial para atender a demanda. É essencial para atender a demanda.

15 PRINCÍPIOS DO JUST IN TIME - CONFIABILIDADE É um pré-requisito para um fluxo rápido de produção. É um pré-requisito para um fluxo rápido de produção.

16 PRINCÍPIOS DO JUST IN TIME-FLEXIBILIDADE É a capacidade de adequação á mudanças, é importante para conseguir produzir. É a capacidade de adequação á mudanças, é importante para conseguir produzir.

17 PRINCÍPIOS DO JUST IN TIME-COMPROMISSO Essencial entre Fornecedor/Cliente, assim o cliente na fica sem produto/matéria prima, não tem sua produção comprometida. Essencial entre Fornecedor/Cliente, assim o cliente na fica sem produto/matéria prima, não tem sua produção comprometida.

18 FILOSOFIA DO JUST IN TIME Em cada etapa do processo produtivo deve se produzir apenas o produto necessário para a fase posterior na quantidade e no momento exato. Em cada etapa do processo produtivo deve se produzir apenas o produto necessário para a fase posterior na quantidade e no momento exato. Transferir o Estoque do consumidor para o fornecedor. Transferir o Estoque do consumidor para o fornecedor.

19 OBJETIVOS E PROPÓSITOS DO JIT Visa atender a demanda de maneira instantânea com qualidade e sem desperdício. Visa atender a demanda de maneira instantânea com qualidade e sem desperdício. Melhoria do processo produtivo. Melhoria do processo produtivo.

20 OBJETIVOS E PROPÓSITOS DO JIT O produto ou matéria prima chega ao local de utilização somente no momento exato em que for necessário. O produto ou matéria prima chega ao local de utilização somente no momento exato em que for necessário. Os produtos somente são fabricados ou entregues a tempo de serem vendidos ou montados. Os produtos somente são fabricados ou entregues a tempo de serem vendidos ou montados.

21 OBJETIVOS E PROPÓSITOS DO JIT O conceito de Just in time está relacionado ao de produção por demanda, onde primeiramente vende-se o produto para depois comprar a matéria prima e posteriormente fabricá-lo ou montá-lo. O conceito de Just in time está relacionado ao de produção por demanda, onde primeiramente vende-se o produto para depois comprar a matéria prima e posteriormente fabricá-lo ou montá-lo.

22 OBJETIVOS E PROPÓSITOS DO JIT Nas fábricas onde está implantado o Just-in-time o estoque de matérias primas é mínimo e suficiente para poucas horas de produção. Para que isto seja possível, os fornecedores devem ser treinados, capacitados e conectados para que possam fazer entregas de pequenos lotes na frequência desejada. Nas fábricas onde está implantado o Just-in-time o estoque de matérias primas é mínimo e suficiente para poucas horas de produção. Para que isto seja possível, os fornecedores devem ser treinados, capacitados e conectados para que possam fazer entregas de pequenos lotes na frequência desejada.

23 KANBAN KANBAN Kanban é uma palavra japonesa que significa literalmente registro ou placa visível. Kanban é uma palavra japonesa que significa literalmente registro ou placa visível.

24 CARTÕES KANBAN

25 KANBAN KANBAN Em Administração da produção significa um cartão de sinalização que controla os fluxos de produção em uma indústria. Em Administração da produção significa um cartão de sinalização que controla os fluxos de produção em uma indústria.Administração da produçãoAdministração da produção

26 HISTÓRIA DO KANBAN HISTÓRIA DO KANBAN A idéia do Kanban nasceu em 1953 em uma pequena indústria de Caminhões chamada Toyota. A idéia do Kanban nasceu em 1953 em uma pequena indústria de Caminhões chamada Toyota.

27 HISTÓRIA DO KANBAN HISTÓRIA DO KANBAN Taiichi Ohno, um empresário da Toyota em visita aos Estados Unidos da América, observou o funcionamento de um supermercado. Taiichi Ohno, um empresário da Toyota em visita aos Estados Unidos da América, observou o funcionamento de um supermercado.

28 HISTÓRIA DO KANBAN HISTÓRIA DO KANBAN Notou que: As mercadorias estavam distribuídas em prateleiras; As mercadorias estavam distribuídas em prateleiras; Informações necessárias em um pequeno cartão. Informações necessárias em um pequeno cartão. A mercadoria era retirada pelo próprio consumidor. A mercadoria era retirada pelo próprio consumidor. A reposição era realizada de acordo com a demanda. A reposição era realizada de acordo com a demanda.

29 UTILIZAÇÃO DO S KANBAN COMO UM SISTEMA UTILIZAÇÃO DO S KANBAN COMO UM SISTEMA O cartão pode ser substituído por outro sistema de sinalização, como luzes, caixas vazias e até locais vazios demarcados. O cartão pode ser substituído por outro sistema de sinalização, como luzes, caixas vazias e até locais vazios demarcados.

30 CARACTERÍSTICA DO KANBAN Qualquer produção que seja maior que o numero de Kanbans será proibida. Qualquer produção que seja maior que o numero de Kanbans será proibida.

31 VANTAGENS DO KANBAN SIMPLES SIMPLES AUTO CONTROLADO AUTO CONTROLADO DESBUROCRATIZANTE DESBUROCRATIZANTE MOTIVACIONAL MOTIVACIONAL LIMITA ESTOQUE LIMITA ESTOQUE BASEIA-SE NA DEMANDA REAL. BASEIA-SE NA DEMANDA REAL.

32 UTILIZAÇÃO DO KANBAN Coloca-se um Kanban em peças ou partes específicas de uma linha de produção, para indicar a entrega de uma determinada quantidade. Coloca-se um Kanban em peças ou partes específicas de uma linha de produção, para indicar a entrega de uma determinada quantidade.

33 UTILIZAÇÃO DO KANBAN

34 Quando se esgotarem todas as peças, o mesmo aviso é levado ao seu ponto de partida, onde se converte num novo pedido para mais peças.. Quando se esgotarem todas as peças, o mesmo aviso é levado ao seu ponto de partida, onde se converte num novo pedido para mais peças..

35 UTILIZAÇÃO DO KANBAN

36 Quando for recebido o cartão ou quando não há nenhuma peça na caixa ou no local definido, então deve-se movimentar, produzir ou solicitar a produção da peça. Quando for recebido o cartão ou quando não há nenhuma peça na caixa ou no local definido, então deve-se movimentar, produzir ou solicitar a produção da peça.

37 UTILIZAÇÃO DO KANBAN O Kanban permite agilizar a entrega e a produção de peças. Pode ser empregado em indústrias montadoras, desde que o nível de produção não oscile em demasia. O Kanban permite agilizar a entrega e a produção de peças. Pode ser empregado em indústrias montadoras, desde que o nível de produção não oscile em demasia.

38 UTILIZAÇÃO DO KANBAN Os Kanbans físicos (cartões ou caixas) transitam entre os locais de armazenagem e produção substituindo formulários e outras formas de solicitar peças, permitindo enfim que a produção se realize Just in time - metodologia desenvolvida e aperfeiçoada por Taiichi Ohno e Toyota Sakichi conhecida como Sistema Toyota de Produção. Os Kanbans físicos (cartões ou caixas) transitam entre os locais de armazenagem e produção substituindo formulários e outras formas de solicitar peças, permitindo enfim que a produção se realize Just in time - metodologia desenvolvida e aperfeiçoada por Taiichi Ohno e Toyota Sakichi conhecida como Sistema Toyota de Produção.Just in timeTaiichi Ohno Sistema Toyota de ProduçãoJust in timeTaiichi Ohno Sistema Toyota de Produção

39 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PACE, João Henrique. O Kanban na prática. Rio de janeiro:Qualitymark, ISBN PACE, João Henrique. O Kanban na prática. Rio de janeiro:Qualitymark, ISBN RITZMAN, Larry P. Administração da produção e operações. São Paulo: Prentice Hall, ISBN RITZMAN, Larry P. Administração da produção e operações. São Paulo: Prentice Hall, ISBN ISBN ISBN


Carregar ppt "ALGUNS CONCEITOS E TÉCNICAS DE GESTÃO DE ESTOQUE Prof.Eduardo Bonetti Prof.Eduardo Bonetti."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google