A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ÁREAS DE ATUAÇÃO DO BIOMÉDICO ANÁLISES CLÍNICAS Professor Luis Carlos Arão.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ÁREAS DE ATUAÇÃO DO BIOMÉDICO ANÁLISES CLÍNICAS Professor Luis Carlos Arão."— Transcrição da apresentação:

1 ÁREAS DE ATUAÇÃO DO BIOMÉDICO ANÁLISES CLÍNICAS Professor Luis Carlos Arão

2 LABORATÓRIO CLÍNICO Suporte laboratorial para o clínico melhor entendimento do paciente e da patologia. Objetivo: melhoria na qualidade de vida e da saúde das pessoas: –Diagnóstico das patologias. –Acompanhamento da evolução prognóstico. –Controle de doenças crônicas. –Avaliação do tratamento após o diagnóstico.

3 LABORATÓRIO CLÍNICO De acordo com o Cadastro Nacional de Estabelecimentos: – laboratórios de análises clínicas no Brasil. Serviços realizados no laboratório: –Pré-analíticos. –Intra-analíticos. –Pós-analíticos.

4 LABORATÓRIO CLÍNICO Responsabilidade Técnica: –Biomédico. –Farmacêutico. –Bioquímico. –Biólogo*. –Médico Patologista Clínico. –Veterinário.

5 O BIOMÉDICO NO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS Atuação aplicada à: –Prevenção. –Diagnóstico. –Tratamento de doenças. Esse profissional deve ter consciência no auxilio de diagnóstico com o objetivo da saúde do paciente.

6 O BIOMÉDICO NO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS Características necessárias para que o biomédico atue em um LAC: –Memória apurada. –Capacidade de concentração. –Iniciativa e perseverança. –Atenção a detalhes. –Capacidade de análise.

7 O BIOMÉDICO NO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS –Capacidade de observação. –Capacidade de síntese e exatidão. –Curiosidade e meticulosidade. –Gosto pela pesquisa e pelos estudos. –Habilidade para trabalhar em equipe. –Interesse pelas ciências. –Raciocínio lógico desenvolvido.

8 O BIOMÉDICO NO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS Áreas de atuação no laboratório: –Exames toxicológicos. –Exames laboratoriais para o diagnóstico. –Gerenciamento de laboratórios. –Assessoria em análises clínicas. –Pesquisa e extensão. –Garantia e controle de qualidade. –Magistério superior. –Planejamento e gestão no setor.

9 O BIOMÉDICO NO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS Papel do biomédico no LAC: –Compreender a importância do laboratório de análises clínicas no contexto multidisciplinar. –Compreender a organização e funcionamento gerais de um laboratório de análises clínicas. –Conceber, planejar, organizar, aplicar e avaliar o processo de trabalho laboratorial.

10 O BIOMÉDICO NO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS –Recolher e processar amostras biológicas. –Executar procedimentos laboratoriais diversos, avaliar e interpretar os resultados. –Compreender e aplicar os procedimentos de garantia de qualidade (pré-analítica, analítica e pós-analítica). –Intervir de forma profissional nas suas principais áreas de atuação.

11 O BIOMÉDICO NO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS Entidades empregadoras: –Unidades hospitalares públicas ou privadas. –Laboratórios privados de análises clínicas. –Laboratórios universitários. –Laboratórios de saúde pública. –Institutos de investigação. –Clínicas privadas.

12 O BIOMÉDICO NO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS Conhecimentos necessários para atuar em um LAC: –Bioquímica básica e clínica. –Hematologia clínica e suas subclasses, tais como coagulação e imuno-hematologia. –Microbiologia básica e clínica e suas subclasses. –Imunologia básica e clínica.

13 O BIOMÉDICO NO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS –Endocrinologia básica e clínica. –Conhecimento dos líquidos biológicos e derrames cavitários, tais como urina, líquor, esperma, etc. –Parasitologia básica e clínica. –Citologia e citopatologia.

14 O BIOMÉDICO NO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS –Biologia molecular. –Controle interno e externo da qualidade laboratorial. –Fisiologia humana. –Química analítica e instrumental. –Toxicologia ocupacional, forense e ambiental.

15 LABORATÓRIO CLÍNICO Setorização agrupamento dos diversos exames ali realizados de acordo com o principio de execução, os objetivos, as técnicas e até mesmo o tipo de patologias diagnosticadas. Setores básicos do laboratório: –Hematologia, Bioquímica, Microbiologia, Urinálise, Imunologia, Parasitologia, além dos setores de coleta, fracionamento ou separação de amostras, limpeza e esterilização. Necessidade de um espaço físico que favoreça a organização e a eficiência dos procedimentos.

16 RECEPÇÃO Setor da Recepção: –Setor responsável pelo atendimento e cadastro do cliente e dos exames. –Recebimento de amostras. –Encaminhamento dos clientes ao setor de coleta. –Entrega dos resultados. –Esclarecimentos de dúvidas.

17 RECEPÇÃO Requisitos para o profissional da recepção: –Conhecer os procedimentos gerais realizados no laboratório. –Ter a habilidade de se relacionar com as pessoas. –Ser atencioso, educado e disposto a resolver os problemas que surgem.

18 COLETA DE MATERIAIS Setor de Coleta de Materiais: –Setor onde são realizadas as mais diversas coletas de materiais biológicos tais como sangue, secreções, urina, etc.

19 COLETA DE MATERIAIS Requisitos para o profissional da coleta: –Ter qualificação e preparo para os procedimentos de coleta. –Conhecer os procedimentos de execução de exames. –Identificar as principais interferências que a coleta mal realizada pode provocar nos exames. –Conhecer os demais setores do laboratório,mantendo excelente relação com estes, para que nenhuma falha prejudique o andamento da rotina laboratorial.

20 SEPARAÇÃO DE AMOSTRAS Setor de Separação de Amostras: –A amostra colhida é conferida com os exames cadastrados e, em seguida, fracionada, de acordo com os exames solicitados e encaminhada para o setor técnico.

21 SEPARAÇÃO DE AMOSTRAS EXAME SOLICITADO SANGUE TOTAL SORO PLASMA

22 HEMATOLOGIA Hematologia origem grega. –Haima (de haimatos) = "sangue. –Lógos = "estudo, tratado, discurso". Hematologia: ciência que estuda o sangue. –Elementos figurados do sangue: eritrócitos (glóbulos vermelhos), leucócitos (glóbulos brancos) e plaquetas. –Produção desses elementos e os órgãos onde eles são produzidos (órgãos hematopoiéticos). –Coagulação.

23 HEMATOLOGIA Setor de Hematologia: –Setor responsável pelos exames que visem, primariamente, diagnosticar as patologias hematológicas, tais como as anemias, as desordens da coagulação e as leucemias.

24 HEMATOLOGIA Exames Laboratoriais: –Hemograma. –Mielograma. –Velocidade de hemossedimentação (VHS). –Tempo de tromboplastina parcial ativada (PTTa). –Tempo de protrombina (PT). –Fibrinogênio. –Reticulócitos. –Eletroforese de hemoglobina. –Pesquisa de hematozoários, etc.

25 HEMATOLOGIA Amostras utilizadas: –Sangue: Sangue total. Plasma. –Punção de medula óssea.

26 HEMATOLOGIA Doenças hematológicas diagnosticadas no setor de Hematologia: –Anemias. –Hemoglobinopatias. –Coagulopatias. –Neoplasias do tecido hematopoiético. –Processos infecciosos.

27 SOROLOGIA Sorologia = Imunologia Imunologia: ramo da biologia que estuda o sistema imunológico. –Funcionamento do sistema imune de um indivíduo no estado sadio ou não. –Características físicas, químicas e fisiológicas dos componentes do sistema imune.

28 SOROLOGIA Setor de Sorologia: –Setor que visa o diagnóstico de patologias através da detecção de reações antígeno-anticorpo.

29 SOROLOGIA Anticorpo x Antígeno

30 SOROLOGIA Exames ou técnicas laboratoriais: –VDRL –E.L.I.S.A. –Imunofluorescência Indireta –FR, AEO e PcR, etc.

31 SOROLOGIA Amostras utilizadas: –Sangue: Sangue total. Soro. –Líquidos corporais. –Fezes. –Biópsias, etc.

32 SOROLOGIA Doenças imunológicas diagnosticadas no setor de Imunologia: –Doenças infecto-contagiosas. –Doenças autoimunes. –Hipersensitividade. –Rejeição pós enxerto.

33 PARASITOLOGIA Parasitologia: ciência que estuda os parasitas, os seus hospedeiros e relações entre eles. Parasitas: –Protozoários. –Helmintos (nematelmintos e platelmintos). –Artrópodes ectoparasitas. Vetores.

34 PARASITOLOGIA Setor de Parasitologia: –Setor em que são realizadas técnicas para exame parasitológico de fezes, visando a pesquisa de parasitos nas fezes, além de outros exames.

35 PARASITOLOGIA Exames/ técnicas Laboratoriais: –Exame parasitológico de fezes. –Análise de solo. –Pesquisa de hematozoários. Amostra Utilizada: –Fezes.

36 PARASITOLOGIA Doenças parasitárias diagnosticadas no setor de Parasitologia: –Protozooses intestinais amebíase, giardíase, etc. –Protozooses sanguíneas doença de Chagas, malária, toxoplasmose, etc. –Helmintoses intestinais esquistossomose, teníase/cicticercose, enterobiose, ancilostomose, ascaridíase, etc. –Outras helmintoses filariose. –Ectoparasitoses pediculose e ptiríase.

37 MICROBIOLOGIA Microbiologia: ciência que estuda os microrganismos, incluindo bactérias, fungos e vírus.

38 MICROBIOLOGIA Setor de Microbiologia: –Setor que visa identificar os agentes infecciosos responsáveis pelos mais diversos tipos de infecções causadas por bactérias e fungos. Divisões: –Bacteriologia. –Virologia. –Micologia.

39 MICROBIOLOGIA Exames/ técnicas Laboratoriais: –Coleta de materiais. –Bacterioscopia. –Culturas. –Testes bioquímicos. –Antibiograma.

40 MICROBIOLOGIA Amostras Utilizadas: –Sangue hemocultura. –Urina urocultura. –Fezes coprocultura. –Líquidos diversos. –Secreções. –Catéteres. –Raspados de pele e unha, etc.

41 MICROBIOLOGIA Doenças diagnosticada no setor de Microbiologia: –Infecções bacterianas. –Micoses.

42 BIOQUÍMICA Bioquímica: ciência que estuda os processos químicos que ocorrem nos organismos vivos. –Trata da estrutura e função metabólica de componentes celulares como proteínas, carboidratos, lipídios, ácidos nucléicos e outras biomoléculas. –Estuda a química de reações catalisadas por enzimas.

43 BIOQUÍMICA Setor de Bioquímica: –Setor onde se executam exames que visam determinar a concentração dos constituintes químicos das amostras. –Analitos marcadores de diversas patologias. –Exemplos: Dosagem de glicose diagnóstico de diabetes mellitus. Dosagem de uréia diagnóstico de insuficiência renal.

44 BIOQUÍMICA Exames Laboratoriais: –Glicemia. –Uréia, ácido úrico e creatinina. –Colesterol e triglicérides. –Enzimas. –Proteínas, albumina, etc.

45 BIOQUÍMICA Amostras Utilizadas: –Sangue: Plasma. Soro. –Líquidos corpóreos. –Urina. –Fezes, etc.

46 BIOQUÍMICA Doenças diagnosticadas no setor de Bioquímica: –Distúrbios metabólicos. –Disfunções em determinados órgãos. –Lesões em órgãos. –Prevenção e controle de doenças crônicas.

47 URINÁLISE Urinálise: é uma subespecialidade da patologia clínica que visa a análise da urina para fins diagnósticos e prognósticos, sobretudo no que se refere às patologias do trato urinário.

48 URINÁLISE Setor de Urinálise: –Setor onde são realizadas as análises físicas, químicas e microscópicas da urina, dosagens e testes na urina.

49 URINÁLISE Exames Laboratoriais: –Urina rotina ou EAS. –Proteinúria. –Clearance de creatinina. –Dosagens de constituintes químicos (sódio, potássio, glicose, cálcio, etc). –Toxicologia e análise forense.

50 URINÁLISE Amostras Utilizadas: –Jato médio da primeira urina da manhã. –Urina de primeiro jato. –Urina de 24 horas.

51 URINÁLISE Doenças diagnosticadas no setor de Urinálise: –Infecções do trato urinário. –Uretrites. –Doenças metabólicas Diabetes mellitus. –Litíase urinária. –Hepatopatia. –Insuficiência renal.

52 BIOLOGIA MOLECULAR Biologia Molecular: é o estudo da Biologia em nível molecular, com especial foco no estudo da estrutura e função do material genético e seus produtos de expressão, as proteínas.

53 BIOLOGIA MOLECULAR A biologia molecular está na interface entre a Bioquímica e a Genética: –São frequentemente combinadas técnicas e idéias provindas da Genética, Bioquímica e Biofísica.

54 BIOLOGIA MOLECULAR Setor de Biologia Molecular: –Investiga as interações entre os diversos sistemas celulares, incluindo a relação entre DNA, RNA e síntese protéica. –Obtenção, identificação e caracterização de genes.

55 BIOLOGIA MOLECULAR Técnicas em Biologia Molecular –Reação em cadeia da polimerase ou PCR. –Eletroforese em gel. –Southern blot determinada sequência de DNA. –Northern blot RNA mensageiro. –Western blot proteínas.

56 CITOPATOLOGIA Citopatologia: é o estudo das células e suas alterações em casos patológicos.

57 CITOPATOLOGIA Exame citopatológico preventivo ginecológico: –Avaliação morfológica celular detecção de uma pré-malignidade. –Papanicolaou ou preventivo de câncer de colo uterino. –HPV.

58 CITOPATOLOGIA Profissionais que podem exercer a Citopatologia: Biomédicos, farmacêuticos e médicos. Especializações necessárias ao exercícios da Citopatologia: Citopatologia, Citologia Clínica ou Citologia Oncótica.

59 ENDOCRINOLOGIA Endocrinologia: especialidade médica que estuda as desordens do sistema endócrino e suas secreções específicas chamadas hormônios.

60 CONTROLE DE QUALIDADE Setor responsável pela política de qualidade do Laboratório. Política da Qualidade: –Garantir a satisfação dos pacientes com serviços; –Colaborar para melhoria da qualidade dos serviços prestados; –Oferecer aos seus colaboradores oportunidades de desenvolvimento profissional.

61 LIMPEZA E ESTERILIZAÇÃO Setor de Limpeza e Esterilização (Expurgo) –Descontaminação, lavagem, secagem e esterilização do material utilizado no laboratório. –Fundamental importância para o andamento da rotina laboratorial. –Complementação às exigências relacionadas à biossegurança de quem trabalha no laboratório. –Garantia da boa qualidade dos serviços prestados.

62 Recepção do Paciente (Cadastro) Sala de Espera Sala de Coleta Coleta de Material Separação e Distribuição de Amostras Bioquímica HematologiaImunologiaMicrobiologiaParasitologia Urinálise CPD (Laudos) Análise e Assinatura dos Laudos Entrega para o Paciente Lavagem e Esterilização Descarte de Material (Lixo) 1 2 2

63 LABORATÓRIO CLÍNICO A divisão do laboratório em setores, entretanto, não deve impedir a mais completa interação entre si. Sabe-se que é essa interação que pode melhorar cada vez mais a qualidade dos procedimentos realizados e minimizar cada vez mais os erros cometidos. Embora subdivido em setores, o laboratório deve funcionar como uma máquina equipada com diversas engrenagens, em que uma delas é dependente e ao mesmo tempo indispensável ao bom funcionamento da outra.

64 ORGANOGRAMA DE UM LABORATÓRIO CLÍNICO

65 FISCALIZAÇÃO DOS LAC CRBM –Fiscaliza de forma orientativa. –Qualifica e defende a profissão biomédica. –Promove a valorização do profissional biomédico perante a sociedade. –Garante benefícios à saúde pública.

66 SBAC Entidade científica profissional, sem fins lucrativos. –Objetiva desenvolver a especialidade de análises clínicas e os laboratórios clínicos e acompanhar as necessidades da população para receber uma atenção primária de saúde com melhor qualidade. –Apóia a estruturação e o desenvolvimento de seus associados.

67 MERCADO DE TRABALHO Mercado amplo e muito promissor. 80% dos biomédicos inseridos nessa área. No contexto mundial, o profissional biomédico brasileiro é um dos melhores, pois está envolvido em importantes pesquisas: –Projeto Genoma Humano. –Biotecnologia produção de vacinas e novos medicamentos. –Mercado externo.


Carregar ppt "ÁREAS DE ATUAÇÃO DO BIOMÉDICO ANÁLISES CLÍNICAS Professor Luis Carlos Arão."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google