A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Profª : Rozani A. Braunn

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Profª : Rozani A. Braunn"— Transcrição da apresentação:

1 Profª : Rozani A. Braunn

2 De forma sucinta, o inventário físico é o levantamento físico e financeiro dos bens, nos determinados locais, tendo como objetivo primordial a verificação entre o estado do bem e o seu registro existente.

3 É também verificado neste processo, a utilização primordial do bem, além seu estado de conservação, para posterior avaliação de depreciação. Depreciação: é o desgaste mensal ou anual de um bem tangível, de acordo com o período de vida útil aceito pelo fisco.

4 No processo de inventário físico dos bens, é verificado o real estado do mesmo, assim como a correta fixação de sua identificação com a plaqueta/etiqueta de patrimônio referente. É identificado também se o determinado bem está em pleno funcionamento, ou se encontra ocioso, ou apresenta alguma avaria que o impossibilita da utilização otimizada.

5 Permite a verificação das discrepâncias entre os registros de estoque; Permite a verificação das discrepâncias entre o estoque físico e o estoque contábil, em valores monetários;

6 Proporciona a apuração do valor total do estoque (contábil), para efeito de balanço ou balancete, quando o inventário é realizado próximo ao encerramento do exercício fiscal.

7 A necessidade do inventário físico: 1. O inventário físico atende à exigência fiscal, pois deve ser transcrito no livro de inventário, conforme a legislação. 2. O inventário físico atende à necessidade contábil, para a verificação, na realidade, da existência do material e apuração do consumo real.

8 Inventário Geral:são efetuado no final do exercício fiscal da empresa, abrangendo a totalidade dos itens de estoque de uma só vez. Pelo volume de contagens feitas, ele demandam algum tempo, exigindo a paralisação de cada área inventariada.

9 Inventário Rotativo: são efetuados através de uma programação mensal, envolvendo determinados itens de material a cada mês. Com a menor quantidade de itens, esse tipo de inventário não exige a paralisação da área inventariada e permite condições de análise das causas das discrepâncias entre o registrado e o real, bem como melhor controle.

10 Convocação das equipes de inventariantes: os inventariantes devem ser escolhidos e agrupados em duas equipes: Equipe de primeira contagem ou de reconhecimento; Equipe de segunda contagem ou de revisão.

11 Arrumação Física: os itens a serem inventariados deverão ser adequadamente arrumados, agrupando itens iguais, identificando- os com os respectivos cartões, desimpedindo corredores para facilitar a movimentação etc... A arrumação física dos materiais a inventariar permite um trabalho mais rápido e eficiente.

12 Cartão de inventário: também chamado de ficha de inventário, constitui o meio de registro de contagem de cada item. O cartão de inventário pode ser impresso em diferentes cores para identificar os vários tipos de estoque e pode ter partes descartáveis para até três contagens do mesmo item.

13 Atualização dos registros de estoque: os registros de entradas,saídas e saldos de estoques deverão ser atualizados até a data do inventário. No dia do inventário também não deve haver movimentação de materiais: entrada e saídas de materiais. Deverão ser suspensas para evitar o risco de dupla contagem de um mesmo material.

14 Contagem do estoque: cada item de estoque a ser inventariado deverá ser obrigatoriamente contado duas vezes. A primeira contagem pela equipe reconhecedora. A segunda contagem pela equipe revisora. O coordenador do inventário deverá verificar se a primeira contagem confere com a segunda.

15 Reconciliações e ajustes: nos casos de divergências entre o real e o registrado, as seções envolvidas no controle de estoque deverão justificar as variações ocorridas entre o estoque contábil e o inventariado por meio do relatório de diferenças de inventário.

16 Arrumar o armazenamento a cada levantamento de inventário, é como arranjar as gavetas quando se arruma nossa casa. Remover a poeira, limpar as áreas, fazer uma faxina, tudo isso é recomendado a cada inventário físico.

17 Logística é a área responsável por prover recursos, equipamentos e informações para a execução de todas as atividades de uma empresa. Entre as atividades da logística está o transporte, movimentação de materiais, armazenamento, processamento de pedidos e gerenciamento de informações.

18 "Logística é a arte de comprar, receber, armazenar, separar, expedir, transportar e entregar o produto/serviço certo, na hora certa, no lugar certo, ao menor custo possível".

19

20 A logística interna: refere-se a todo o processo de recebimento, guarda, controle e distribuição dos materiais utilizados dentro de uma organização. Nas indústrias a logística interna é um fator primordial para a obtenção da eficiência e do aumento nas quantidades produzidas.

21 A logística externa refere-se a toda a movimentação de mercadoria de uma empresa para outra empresa. Um canal de distribuição ou um canal de Marketing ou seja; "conjuntos de organizações interdependentes envolvidos no processo de disponibilizar um produto ou serviço para uso ou consumo".

22 Transporte: Significa a movimentação de alguma coisa de um lugar para outro. Representa todos os meios através dos quais os produtos acabados chegam às mãos do cliente ou da empresa intermediária que o venderá ao consumidor final.

23 O conceito de transporte para o nosso propósito refere às cargas de Produtos Acabados que saem do depósito com destino ao mercado. Existem várias Modalidades de Transporte de carga:

24 1. Transporte Rodoviário; 2. Transporte Ferroviário; 3. Transporte Hidroviário e Marítimo; 4. Transporte Aeroviário; 5. Transporte Intermodal; 6. Transporte Dutoviário.

25 Transporte Rodoviário: É o transporte de cargas que utiliza as estradas e rodovias para levar os produtos do depósito da empresa até o cliente ou instalações da empresa que os comprou para vendê-los no mercado. É o tipo de transporte mais utilizado no Brasil.

26 Subordinado ao DTR – Departamento de Transportes Rodoviários vinculado ao MT; Realizado em estradas de rodagem, utilizando veículos como caminhões e carretas; Realizado de forma: nacional – dentro de um país Internacional – abrange 2 ou mais países.

27 mais flexível, ágil no acesso às cargas, integrando regiões afastadas,interior dos países, e quando não há outros modais disponíveis; permite a venda porta a porta; menos manuseio de carga (+ segurança, pois o caminhão é lacrado no local de carregamento e aberto no local de entrega);

28 rapidez na entrega de curta distância; transporte vai até a carga, em vez do exportador levá-la até ele; Utilização de embalagens simples e de baixo custo.

29 frete elevado do que alguns modais concorrentes; menor capacidade de carga entre todos os modais; custo elevado da sua infra-estrutura; poluidor do meio-ambiente; provocam congestionamento; construção contínua de estradas e a sua manutenção.

30 Variam bastante no seu tipo e capacidade, podem carregar qualquer tipo de carga, dependendo da viabilidade econômica e tamanho. Caminhões tem 2 (no toco) ou 3 eixos (trucado), e carretas de 3 a 6 eixos, dependendo de sua finalidade.

31 Caminhões – veículos fixos,monoblocos, constituídos de uma única parte que incorpora a cabine, como motor e a unidade de carga (carroceria), apresentam 2 à 3 eixos, com capacidade de cerca de 23 tons; Vários modelos: aberta, gaiola, plataforma, tanque e baú, equipados com equipamentos de refrigeração.

32 CAVALO MECÂNICO REBOQUE CAMINHÃO TRUCADO

33 Carretas – veículos articulados, possuem unidades de tração e de carga em módulos separados, chamados de cavalo mecânico e reboque; Os reboques são equipamentos que não apresentam eixo na dianteira, somente na traseira, tendo se ser acoplados a um cavalo mecânico;

34 Possuem diversos tipos (abertos, gaiolas...) com equipamentos de refrigeração também; Apresentam diversas capacidades, dependendo do número de eixos da cavalo mecânico, variam até 30 tons;

35 são mais versáteis que os caminhões, podendo deixar o reboque para ser carregado, e transitar com o cavalo, ou seja, possibilidade de uma quantidade maior de reboques do que de cavalos mecânicos.

36 BI-TREM RODO-TREM*

37 Transporte Hidroviário: é realizado em rios interior, podendo ser: Nacional – vias aquáticas do país Internacional – navegação que liga países.

38 Grande capacidade de transporte Frete baixo, alta capacidade de carga; Considerado o mais seguro; menos poluente, 4x menores que a ferrovia, 20x menores que a rodovia;

39 Equipamentos utilizados são balsas, chatas, barcaças, pequenos barcos, e navios de médio e grande porte; Freqüente a utilização de comboios (diversas barcaças, chatas ou balsas), cuja tração é dada por um empurrador;

40 Neste modo de transporte pode ser transportado petróleo e derivados, carvão, minério de ferro, cereais, bauxita, alumínio e fosfatos, entre outros). Paralelamente a estes transportes a granel, produtos previamente acondicionados em sacas, caixotes ou outro tipo de embalagens, conhecidos como carga geral.

41 É o transporte efetuado por meio de navios, barcos, barcaças etc. A navegação pode ser fluvial ou marítima. A primeira serve para o transporte nacional e de médio alcance, enquanto a segunda para o transporte de cabotagem ou para o transporte internacional.

42 O transporte hidroviário e marítimo serve para cargas de grandes volumes, de baixíssimo custo unitário, cujo fator tempo seja secundário. É um dos mais baratos meios de transporte. O transporte marítimo pode ser de:

43 LONGO CURSO: navegação internacional, entre portos de diversos países. CABOTAGEM: navegação nacional, transporte de cargas entre portos marítimos nacionais. Esta divisão nada tem a ver com a distância, mas com a característica da navegação: nacional ou internacional.

44 Veículo apropriado para a navegação em mares, rios e lagos, onde sua construção obedece especificações necessárias para a perfeita flutuabilidade e navegabilidade e a longo prazo; Possuem vários tamanhos, tipos, finalidades e configurações

45 Velocidade variável de 20/22 knots, e os mais velozes em torno de 26 knots; Pode ser utilizado como cargueiro = transporte de cargas e veículo de turismo = transporte de pessoas.

46

47

48

49

50

51

52

53

54 O transporte marítimo pode englobar todo o tipo de cargas desde químicos, combustíveis, alimentos, areias, cereais, minérios a automóveis e por ai adiante. A carga chamada carga geral é transportada em caixas, paletes, barris containers etc.

55 É o transporte que utiliza a malha ferroviária existente no país. A tração pode ser elétrica, a diesel ou a vapor. Os vagões podem ter varias estruturas ou conformações para abrigar diferentes tipos de cargas sólidas, a granel ou líquida. O comboio pode transportar vários vagões, reduzindo o custo do transporte e tornando o frete mais barato.

56 O seu traçado é prefixado e limitado, não permitindo a flexibilidade das rodovias. Há que se entregar a carga e retirá-la no terminal ferroviário, o que provoca certas dificuldades. É destinado às cargas de maior volume e grande peso, mas cujo prazo de entrega não seja fator preponderante.

57

58

59

60 O transporte ferroviário tem sofrido significativas evoluções técnicas, tornando-se cada vez mais rápido, seguro, cômodo e econômico. Com a evolução, houve a criação de vagões que dão resposta à necessidade de deslocação de certas mercadorias, tais como, os vagões – frigorífico, vagões – cisterna, entre outros.

61 O Transporte Aéreo é realizado com aeronaves, podendo ser efetivado apenas dentro do país ou envolvendo outros países.

62 Internacional – transporte entre aeroportos de países diferentes = comércio exterior; Nacional – chamado de transporte doméstico, ou cabotagem (termo não comum) ligando aeroportos de mesmo país.

63 O transporte aéreo é destinado a pequenos volumes, de baixo peso, mas de alta sofisticação e de preço elevado, em que o fator tempo de entrega seja imperioso. É o meio de transporte mais caro, mais rápido e indicado para cargas nobres ou para cidades longínquas onde o acesso rodoviário ou ferroviário seja difícil.

64 Rapidez da expedição; Eficaz para transporte de amostras; Mercadoria com prioridade de entrega; Documentos obtidos com maior rapidez; Aeroportos localizados próximos aos locais de produção;

65 Frete relativamente alto; Capacidade de carga menor, ganhando apenas do rodoviário; Custo elevado da sua infra- estrutura.

66 Tipos de Aeronaves: Full Pax All Cargo Kombi

67 ANTONOV 124 / 100CAPACIDADE: 115t / 770m3

68 BOEING 747CAPACIDADE: 100t / 600m3

69 MD 11 CAPACIDADE: 60t / 400m3

70 DC 8 CAPACIDADE: 45t / 270m3

71 BOEING 777 CAPACIDADE: 28t / 160m3

72

73 Todo tipo de carga pode ser transportada neste modal, sem oferecer risco a aeronave, passageiros e operadores e demais...ex. animais vivos, cargas secas, congeladas, armamentos; Cargas perigosas possuem restrições mais intensas;

74

75

76 Transbordo de Carga: transferência de carga de uma aeronave para outra entre o aeroporto de embarque e de destino, sendo de responsabilidade dos transportadores;

77 Carga em Trânsito: Aquela que transita por terceiros países antes de chegar ao seu destino, porém ser deixar a aeronave onde foi embarcada; Irá atingir o destino final no mesmo veículo onde foi embarcada no aeroporto de origem, sem haver troca de aeronave.

78 O transporte Dutoviário pode ser dividido em: 1 - Oleodutos, cujos produtos transportados são, em sua grande maioria: petróleo, óleo combustível, gasolina, diesel, álcool, querosene e nafta, e outros.

79 2 - Minerodutos, cujos produtos transportados são: Sal-gema, Minério de ferro e Concetrado Fosfático. 3 - Gasodutos, cujo produto transportado é o gás natural. O Gasoduto Brasil-Bolívia (3150 km de extensão) é um dos maiores do mundo.

80 Estima-se que no Brasil, de litros de hidrocarbonetos sejam transportados diariamente através de oleodutos. No Brasil também são transportados suco de laranja e minério de ferro através deste método.

81 O transporte tubular tem como principais vantagens: A redução dos custos de transporte de líquidos, a médias e a longas distâncias; A diminuição da poluição, pois os riscos de acidente e de derrame ou fuga são reduzidos;

82 A redução do consumo de combustíveis fósseis, pois os motores acionadores das bombas e compressores usados neste modal são acionados, na maior parte das vezes, por energia elétrica, que no Brasil, é proveniente de usinas hidroelétricas.

83 Transporte Intermodal: É aquele que requer tráfego misto ou múltiplo, envolvendo mais de uma ou várias modalidades de transporte, é indicado para atingir locais de difícil acesso.


Carregar ppt "Profª : Rozani A. Braunn"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google