A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Autoanticorpos, Autoantígenos e o Sistema Nervoso no LES Paula Miguel Lara - Reumatologia – - SCMSP-

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Autoanticorpos, Autoantígenos e o Sistema Nervoso no LES Paula Miguel Lara - Reumatologia – - SCMSP-"— Transcrição da apresentação:

1 Autoanticorpos, Autoantígenos e o Sistema Nervoso no LES Paula Miguel Lara - Reumatologia – - SCMSP-

2 Introdução O envolvimento do sistema nervoso é comum no LES O envolvimento do sistema nervoso é comum no LES Descartar causas medicamentosas, infecciosas e metabólicas Descartar causas medicamentosas, infecciosas e metabólicas Antigamente acreditava-se que quase todas as formas de acometimento do SN no LES fossem devido à vasculite Antigamente acreditava-se que quase todas as formas de acometimento do SN no LES fossem devido à vasculite

3 Introdução No entanto hoje sabe-se que a vasculite necrotizante e inflamatória ocorre em menos de 15% das lesões vasculares do SNC No entanto hoje sabe-se que a vasculite necrotizante e inflamatória ocorre em menos de 15% das lesões vasculares do SNC 70% das lesões são atribuídas a eventos trombóticos em pequenos vasos intracranianos levando à micro e/ou macro-infartos no parênquima cerebral 70% das lesões são atribuídas a eventos trombóticos em pequenos vasos intracranianos levando à micro e/ou macro-infartos no parênquima cerebral Importante relação dos anticorpos antifosfolípede Importante relação dos anticorpos antifosfolípede

4 Introdução O mecanismo que ainda não está bem entendido é o de anticorpos presentes no SN podendo ter papel na patogênese das manifestações clínicas do LES O mecanismo que ainda não está bem entendido é o de anticorpos presentes no SN podendo ter papel na patogênese das manifestações clínicas do LES

5 Sistema Imune no SNC O SNC tem uma situação de privilégio imunológico em que em situações normais não existem muitas células imune-efetoras no parênquima cerebral O SNC tem uma situação de privilégio imunológico em que em situações normais não existem muitas células imune-efetoras no parênquima cerebral Isso é possível pela presença da barreira hemato-encefálica, poucos antígenos classe I e II expressos nos neurônios e céls da glia, produção de citocinas imunossupressoras (TGF- ß), e poucos linfócitos circulantes Isso é possível pela presença da barreira hemato-encefálica, poucos antígenos classe I e II expressos nos neurônios e céls da glia, produção de citocinas imunossupressoras (TGF- ß), e poucos linfócitos circulantes

6 Sistema Imune no SNC Existem algumas maneiras dos auto- anticorpos causarem disfunção neurológica: Existem algumas maneiras dos auto- anticorpos causarem disfunção neurológica: 1. O Sistema imune e o SNC apresentam estreita relação: através do eixo hipotálamo- hipófise-adrenal (HHA) A ativação generalizada e crônica do sistema imune, levando a produção de anticorpos no LES é um fator estressor e estimulante do eixo HHA A ativação generalizada e crônica do sistema imune, levando a produção de anticorpos no LES é um fator estressor e estimulante do eixo HHA

7 Sistema Imune no SNC De forma aguda, a ativação do eixo HHA é fator de proteção do SNC diminuindo efeitos deletérios da inflamação De forma aguda, a ativação do eixo HHA é fator de proteção do SNC diminuindo efeitos deletérios da inflamação No entanto a estimulação crônica leva a danos neurológicos: hipocampo e amigdalas e suas conexões, que clinicamente representam ansiedade, perda de memória e distúrbios de comportamento No entanto a estimulação crônica leva a danos neurológicos: hipocampo e amigdalas e suas conexões, que clinicamente representam ansiedade, perda de memória e distúrbios de comportamento

8 Sistema Imune no SNC As citocinas implicadas nessa estimulação crônicas são: IL-1 e IL-6, prostaglandinas, serotonina e prolactina As citocinas implicadas nessa estimulação crônicas são: IL-1 e IL-6, prostaglandinas, serotonina e prolactina Desregulação das céls imune-regulatórias Desregulação das céls imune-regulatórias 2. Modo de ação + simples seria por ligação direta ao antígeno específico que por sua vez pode ser um receptor ou responsável por controlar um canal iônico

9 Sistema Imune no SNC Ex: anticorpo anti-receptor de glutamato, principal neurotransmissor excitatório do SNC, necessário para manter a função neurológica normal Ex: anticorpo anti-receptor de glutamato, principal neurotransmissor excitatório do SNC, necessário para manter a função neurológica normal A super-estimulação dos receptores de glutamato levam ao aumento do influxo de Ca + dentro dos neurônios causando dano celular A super-estimulação dos receptores de glutamato levam ao aumento do influxo de Ca + dentro dos neurônios causando dano celular

10 Sistema Imune no SNC 3. Parece também haver a deposição de IC no plexo coróide, estrutura vascular que filtra líquor e tem semelhanças com os glomérulos renais causando inflamação e ativação da cascata do complemento Efeitos na vasculatura e vias da coagulação, levando a isquemia e perda de neurônios Efeitos na vasculatura e vias da coagulação, levando a isquemia e perda de neurônios

11 Anticorpos associados ao LES e SN 1. Limphocyte 2. Neuroblastoma cell membranes 3. Brain plasma membrane 4. Antiphospholipid antibodies 5. Ribosomal P 6. Glycolipid 7. Lupus Brain antigen 1 (anti-glutamato, anti-neuronal, anti-glial)

12 Anticorpos e quadro clínico no LES/SNC + comum anormalidades clínicas relacionadas ao lobo frontal e ao sistema límbico + comum anormalidades clínicas relacionadas ao lobo frontal e ao sistema límbico Quadro emocional/cognitivo: anticorpos de ligação direta a canais iônicos e/ ou receptores Quadro emocional/cognitivo: anticorpos de ligação direta a canais iônicos e/ ou receptores

13 Anticorpos e quadro clínico no LES/SNC Ataxias: anticorpos contra as mesmas estruturas encontradas em sd paraneoplásica Ataxias: anticorpos contra as mesmas estruturas encontradas em sd paraneoplásica Doença vascular e anormalidades de coagulação: anticorpos antifosfolípede Doença vascular e anormalidades de coagulação: anticorpos antifosfolípede

14 Anticorpos e quadro clínico no LES/SNC Reação cruzada entre anticorpo anti- linfocitotóxico e o tecido cerebral Reação cruzada entre anticorpo anti- linfocitotóxico e o tecido cerebral Anticorpo anti-P ribossomal ocorre em baixa % dos pcts lúpicos, variando de 5 a 20% Anticorpo anti-P ribossomal ocorre em baixa % dos pcts lúpicos, variando de 5 a 20% Antígeno bem definido P0, P1 e P2 Antígeno bem definido P0, P1 e P2 Relação com a psicose lúpica e depressão Relação com a psicose lúpica e depressão

15 Anticorpos e quadro clínico no LES/SNC Coréia: associada a anticorpo anti-núcleo caudado e recentemente a anticorpos antifosfolípede (patogênese incerta) Coréia: associada a anticorpo anti-núcleo caudado e recentemente a anticorpos antifosfolípede (patogênese incerta) Anticorpos afetando a liberação de dopamina Anticorpos afetando a liberação de dopamina Rápida resposta a plasmaférese, ausência de um dano estrutural e caráter intermitente afirmam a possível ação de anticorpos nessa patogênese Rápida resposta a plasmaférese, ausência de um dano estrutural e caráter intermitente afirmam a possível ação de anticorpos nessa patogênese

16 Anticorpos e quadro clínico no LES/SNC Convulsões: refratárias ao tratamento com anticonvulsivantes e pulsoterapia têm respondido bem à plasmaferese Convulsões: refratárias ao tratamento com anticonvulsivantes e pulsoterapia têm respondido bem à plasmaferese Distúrbio cognitivo: recentemente observou-se associação com anticorpo antifosfolípede Distúrbio cognitivo: recentemente observou-se associação com anticorpo antifosfolípede Persistente IgG ACL tiveram pior performance cognitiva num estudo Persistente IgG ACL tiveram pior performance cognitiva num estudo

17 Anticorpos e quadro clínico no LES/SNC Eventos trombóticos tb tiveram relação com redução cognitiva Eventos trombóticos tb tiveram relação com redução cognitiva

18 Anticorpos e o acesso ao SNC Normalmente um quadro infeccioso leva a quebra da barreira hematoencefálica e a passagem de autoanticorpos para o SNC Normalmente um quadro infeccioso leva a quebra da barreira hematoencefálica e a passagem de autoanticorpos para o SNC Aumento da produção de imunoglobulinas intratecal em pcts lúpicos com manifestações SNC Aumento da produção de imunoglobulinas intratecal em pcts lúpicos com manifestações SNC

19 Obrigada!


Carregar ppt "Autoanticorpos, Autoantígenos e o Sistema Nervoso no LES Paula Miguel Lara - Reumatologia – - SCMSP-"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google