A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

LITERACY NA BIBLIOTECA ESCOLAR Profª Drª Eliane L. da Silva Moro – CRB10/881 Profª Drª Lizandra Brasil Estabel - CRB10/1405 São Leopoldo 2015 48º Fórum.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "LITERACY NA BIBLIOTECA ESCOLAR Profª Drª Eliane L. da Silva Moro – CRB10/881 Profª Drª Lizandra Brasil Estabel - CRB10/1405 São Leopoldo 2015 48º Fórum."— Transcrição da apresentação:

1 LITERACY NA BIBLIOTECA ESCOLAR Profª Drª Eliane L. da Silva Moro – CRB10/881 Profª Drª Lizandra Brasil Estabel - CRB10/1405 São Leopoldo º Fórum Gaúcho pela Melhoria das Bibliotecas Escolares e Públicas

2 INFORMAÇÃO “A informação, em seu sentido mais amplo, tem sido fundamental em todas as sociedades, [... ] e o paradigma digital fez emergir a sociedade da informação e com ela a sociedade em rede. As ferramentas tecnológicas tornaram-se essenciais para a formalização e a disseminação do conhecimento.” (CASTELLS, 1999).

3 COMPETÊNCIA INFORMACIONAL determinar extensão da informacão necessária Acesso e uso da informação legalmente Uso da informação para alcançar/ realizar objetivos Uso da informação com ética Avaliar a Informação e suas fontes criticamente Acesso necessário à informação

4 COMPETÊNCIA Saber algo ou saber fazer alguma coisa bem. Saber algo ou saber fazer alguma coisa bem. Envolve mobilização de habilidades, conhecimentos e atitudes. Envolve mobilização de habilidades, conhecimentos e atitudes. Construção social: consiste na percepção que os outros têm sobre nossas ações. Construção social: consiste na percepção que os outros têm sobre nossas ações. A construção da competência nunca termina pois é um processo dinâmico complexo, de auto- renovação e transformação. (BELLUZZO, 2007). A construção da competência nunca termina pois é um processo dinâmico complexo, de auto- renovação e transformação. (BELLUZZO, 2007).

5

6 (BELLUZZO, 2007)

7 ALFABETIZAÇÃO INFORMACIONAL é incorporar “a prática de ler e escrever com competência, em outras palavras, que possam participar da cultura, reproduzir e produzir conhecimentos.” (PADILHA, 2004). “O seu objetivo deve estar em criar aprendizes ao longo da vida, pessoas capazes de encontrar, avaliar e usar a informação para resolver problemas ou tomar decisões, seja na vida pessoal, acadêmica e/ou profissional”. (TARAPANOFF, SUAIDEN; OLIVEIRA, 2002). “Uma pessoa alfabetizada em informação é aquela que reconhece a necessidade da informação; organiza-a para uma aplicação prática; e a integra a nova informação a um corpo de conhecimento existente.” (DUDZIAK, 2000).

8 AVALIAÇÃO E DESEMPENHO EM BIBLIOTECAS Gestão da Qualidade e Gestão de Competências Foco nos Serviços (usuários) Pacote de serviços: valor = experiência SRI: processo de atendimento Responsabilidade social, ética, econômica e ambiental

9 GESTÃO EM BIBLIOTECAS Proposta de Proposta de estudo comparativo: utilização do benchmarking e do sensemaking:“a biblioteca escolar aparece como um ambiente de aprendizagem e de construção do conhecimento que deve propiciar ao usuário ser o objeto do serviço”. Sensemaking: essencial entender os anseios dos usuários nas entrelinhas, isto é, o contexto da problemática ;… “ neste momento iniciará um processo de: interpretar e transpor o problema; utilizar uma estratégia para abordar e para solucionar o problema; obter um feedback do que foi feito; e reiniciar uma nova fase de busca da informação”. (BEHR, MORO, ESTABEL, 2010).

10 ÊNFASE NA INFORMAÇÃO/TECNOLOGIA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO Acesso e uso do computador e da internet Sistemas de Informação Aprendizado: Constatação - Cotejo - Transformação Habilidades e competências Escola/ensino: tradicional Biblioteca: suporte ao ensino Bibliotecário: intermedidário

11 ÊNFASE NA COGNIÇÃO SOCIEDADE DO CONHECIMENTO Processos mentais de aprendizagem Aprendizado: Constatação - Cotejo - Transformação Construção do conhecimento Escola/ensino: sabe que precisa mudar Biblioteca: espaço de aprendizado Bibliotecário: mediador de novas aprendizagens

12 ÊNFASE NO APRENDIZADO SOCIEDADE DA APRENDIZAGEM Aprendizado significativo: transformação Aprendizes: sujeitos Habilidades, conhecimentos e atitudes Visão sistêmica Escola/ensino: aprendente Biblioteca: aprendente e espaço de expressão Bibliotecário: sujeito e agente educacional; educador e aprendiz ao longo da vida.

13 Bibliotecário Intermediário Bibliotecário como Suporte Bibliotecário Intermediário Bibliotecário como Suporte

14 Missão da biblioteca escolar: Missão da biblioteca escolar: estimular o processo do ensino e da aprendizagem. Objetivos da biblioteca escolar: Objetivos da biblioteca escolar:  Apoiar e fortalecer as metas da educação como parte integrante do currículo escolar;  estimular a aprendizagem e a prática da leitura à identificação, seleção, recuperação, uso, aplicação e interpretação da informação, independente do suporte, incluindo a tradição oral; MISSÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR

15 Objetivos... Objetivos...  oportunizar atividades individuais e em grupos no uso e criação da informação, para desenvolver o conhecimento, a imaginação e a recreação;  promover a pesquisa em nível local, nacional e mundial, organizando atividades que desenvolvam a sensibilidade e a consciência cultural e social ;  garantir um ambiente em que a importância da alfabetização, da capacidade para a leitura e cálculos seja reconhecida; MISSÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR (2)

16 Objetivos... Objetivos...  promover a educação continuada, de forma individual e em grupo;  promover pesquisas e aprendizagem que representam diversidade de idéias, experiências e opiniões, que atendam as necessidades e condições locais e nacionais;  enfatizar o conceito de que a liberdade intelectual e o acesso à informação são pré- requisitos básicos para o fortalecimento da cidadania e da democracia; MISSÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR (3)

17 Objetivos... Objetivos...  fornecer apoio e acompanhamento no uso da informação tecnológica e das pesquisas divulgadas nos meios de comunicação;  facilitar a formação de um centro de informação na escola e o acesso à informação nos diferentes suportes (bibliográficos e eletrônicos). Fonte: UNESCO. Manifesto da Unesco de Declaração Mundial Sobre Educação para Todos III: Missão e Objetivos da Biblioteca Escolar, 1998, p.2-3 MISSÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR (4)

18 Constitui uma das principais atividades realizadas no processo de ensino e de aprendizagem, desde as séries iniciais do Ensino Fundamental ao Ensino Médio. Os professores devem orientar e subsidiar todas as etapas para a realização da pesquisa escolar, seguindo uma metodologia para um melhor resultado da atividade. Os professores devem orientar e subsidiar todas as etapas para a realização da pesquisa escolar, seguindo uma metodologia para um melhor resultado da atividade. PESQUISA ESCOLAR

19 Uma atividade sistematizada, um processo formal, que visa encontrar respostas para questões propostas pelo professor ou pela própria turma. Possibilita aos alunos: a captação, a geração, a disseminação e a aplicação dos conhecimentos adquiridos.

20 PESQUISA ESCOLAR [...]...é necessário que as etapas de desenvolvimento sejam orientadas pelo professor e seguidas pelos alunos, bibliotecários e técnicos em Biblioteconomia, quanto à seleção do assunto, estratégias de busca e identificação das fontes, planejamento do trabalho, seleção e coleta de informações, organização das referências consultadas, organização dos registros para apresentação do trabalho (oral ou escrito).

21 PRINCÍPIOS BÁSICOS DA PESQUISA ESCOLAR (1) auxiliar o aluno a estudar com independência; auxiliar o aluno a estudar com independência; planejar, conviver e interagir em grupo; planejar, conviver e interagir em grupo; aceitar as opiniões dos outros; aceitar as opiniões dos outros; usar adequadamente a biblioteca; usar adequadamente a biblioteca; utilizar as fontes de consulta; utilizar as fontes de consulta;

22 desenvolver o pensamento crítico e o gosto pela leitura; desenvolver o pensamento crítico e o gosto pela leitura; adquirir autonomia no processo de conhecimento; adquirir autonomia no processo de conhecimento; aprender a trabalhar colaborativa e cooperativamente, entre outros. aprender a trabalhar colaborativa e cooperativamente, entre outros. PRINCÍPIOS BÁSICOS... (2)

23 PROCEDIMENTOS PARA A PESQUISA ESCOLAR o que (de que trata o trabalho) o que (de que trata o trabalho) para que (será realizado) para que (será realizado) quanto (dimensão) quanto (dimensão) quando (prazo para entrega) quando (prazo para entrega) onde (o assunto pode ser encontrado) onde (o assunto pode ser encontrado) como (forma da comunicação do trabalho). como (forma da comunicação do trabalho).

24 FONTES DA PESQUISA ESCOLAR suporte bibliográfico suporte bibliográfico suporte eletrônico. suporte eletrônico. Tecnologias de Informação e de Comunicação (TICs): Tecnologias de Informação e de Comunicação (TICs): devem ser utilizadas através de estratégias que propiciem a interação entre os professores, os alunos, bibliotecário e estes entre si, criando um ambiente de estímulo e apoio às atividades de ensino e de aprendizagem. devem ser utilizadas através de estratégias que propiciem a interação entre os professores, os alunos, bibliotecário e estes entre si, criando um ambiente de estímulo e apoio às atividades de ensino e de aprendizagem.

25 As TICs propiciam a utilização da Internet aos sistemas educacionais e tornam-se mais um recurso e uma fonte de informação facilitando o processo de aprender. Possibilitam: As TICs propiciam a utilização da Internet aos sistemas educacionais e tornam-se mais um recurso e uma fonte de informação facilitando o processo de aprender. Possibilitam: acessar as fontes e cruzar a informação; comunicar-se em tempo real ou virtual com outras pessoas; comunicar-se em tempo real ou virtual com outras pessoas; disponibilizar meios rápidos e eficientes de processamento da informação; disponibilizar meios rápidos e eficientes de processamento da informação; AS TICs E A PESQUISA ESCOLAR

26 mediar o processo de ensino e de aprendizagem, através do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA); mediar o processo de ensino e de aprendizagem, através do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA); estabelecer a dialogicidade: dois ou mais sujeitos constróem seu conhecimento através da discussão, da reflexão e da tomada de decisões. estabelecer a dialogicidade: dois ou mais sujeitos constróem seu conhecimento através da discussão, da reflexão e da tomada de decisões. AS TICs E A PESQUISA ESCOLAR

27 A PESQUISA ESCOLAR E OS PRESSUPOSTOS TEÓRICOS Construir conhecimentos implica numa ação partilhada, já que é através dos outros que as relações entre sujeito e objeto se estabelecem.(VYGOTSKY,1984). "O processo pedagógico deve focalizar a construção de conhecimento associado ao processo de apropriação dos recursos tecnológicos tendo o aporte de aprender a se comunicar, aprender a aprender, aprender com o outro e aprender a ser." (SANTAROSA, 1997) Construir conhecimentos implica numa ação partilhada, já que é através dos outros que as relações entre sujeito e objeto se estabelecem.(VYGOTSKY,1984). "O processo pedagógico deve focalizar a construção de conhecimento associado ao processo de apropriação dos recursos tecnológicos tendo o aporte de aprender a se comunicar, aprender a aprender, aprender com o outro e aprender a ser." (SANTAROSA, 1997)

28 A PESQUISA ESCOLAR E OS... O processo de avaliação do professor deve estar em harmonia com o ambiente de aprendizagem e com o processo construtivo do aluno. O professor exerce papel de orientador, questionando, sugerindo, aproveitando-se do saber do aluno para melhor conduzi-lo na construção do conhecimento. Por isso, a importância de estimular a re-elaboração dos textos lidos ao invés da cópia. (ESTABEL ; MORO ; SANTAROSA, 2004).

29 “Quando um(a) professor(a) se transforma em pesquisador(a), dá-se conta que conhecimento vem da pesquisa e bota os alunos a pesquisar. Ora, se o conhecimento não é uma simples aquisição de fora para dentro, mas uma construção (ou uma reconstrução) que o sujeito faz a partir de suas interações com o que o cerca, é conseqüência natural entender-se que o aluno precisa buscar ativamente o conhecimento”. (FRANCO, 2003). “Quando um(a) professor(a) se transforma em pesquisador(a), dá-se conta que conhecimento vem da pesquisa e bota os alunos a pesquisar. Ora, se o conhecimento não é uma simples aquisição de fora para dentro, mas uma construção (ou uma reconstrução) que o sujeito faz a partir de suas interações com o que o cerca, é conseqüência natural entender-se que o aluno precisa buscar ativamente o conhecimento”. (FRANCO, 2003). A PESQUISA ESCOLAR E OS...

30  realizar consultas em diferentes fontes (pessoais, bibliográficas, tecnológicas, entre outras);  localizar os assuntos com autonomia;  relacionar assuntos correlatos;  elaborar sínteses, resumos e conclusões;  estruturar, organizar e apresentar adequadamente o trabalho realizado;  referenciar as fontes consultadas. COMPETÊNCIAS DOS ALUNOS NO PROCESSO DA PESQUISA ESCOLAR

31 O ensino informativo e enciclopédico substituído por um ensino mais formativo, com maior participação e interação dos alunos, professores, bibliotecários e técnicos em Biblioteconomia, que compartilham responsabilidades colaborativas e solidárias. O ensino informativo e enciclopédico substituído por um ensino mais formativo, com maior participação e interação dos alunos, professores, bibliotecários e técnicos em Biblioteconomia, que compartilham responsabilidades colaborativas e solidárias. A informação e o conhecimento são fundamentais para que as pessoas consigam efetivamente exercer a sua cidadania com competência para efetuar escolhas. A informação e o conhecimento são fundamentais para que as pessoas consigam efetivamente exercer a sua cidadania com competência para efetuar escolhas. CONSIDERAÇÕES FINAIS

32 No ambiente escolar, os aprendizes, educadores, bibliotecários e técnicos em Biblioteconomia devem exercer um papel ativo de atores principais e não de coadjuvantes, em um cenário onde a colaboração, o compartilhamento e a cooperação estejam presentes em todos os atos da realização da pesquisa escolar, propiciando uma inter- relação de pessoas na busca de um novo paradigma na Sociedade da Informação, irradiando o benefício coletivo e o exercício da cidadania. No ambiente escolar, os aprendizes, educadores, bibliotecários e técnicos em Biblioteconomia devem exercer um papel ativo de atores principais e não de coadjuvantes, em um cenário onde a colaboração, o compartilhamento e a cooperação estejam presentes em todos os atos da realização da pesquisa escolar, propiciando uma inter- relação de pessoas na busca de um novo paradigma na Sociedade da Informação, irradiando o benefício coletivo e o exercício da cidadania. CONSIDERAÇÕES FINAIS

33 REFERÊNCIAS BEHR, Ariel; MORO, Eliane Lourdes da S.; ESTABEL, Lizandra Brasil. Uma proposta de atendimento às necessidades de informação dos usuários da biblioteca escolar por meio do benchmarking e do sensemarking.Informação e Informação, Londrina, v.15, n.1, p , jun./jul, BELLUZZO, R. C.B. Competência em Informação. Disponível em: _-_Competencia_em_Informacao.pdf CASTELLS, M. A. A Sociedade em Rede. 2.ed. São Paulo : Paz e Terra, DEMO, P. Pesquisa Princípio Científico e Educativo. São Paulo: Cortez, DUDZIAK. E.; GABRIEL, M. A.; VILLELA, M. C. E. A educação de usuários de bibliotecas universitárias frente à sociedade do conhecimento e sua inserção nos novos paradigmas educacionais. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS, 11., Anais... Florianópolis: UFSC, Biblioteca Universitária, CD-ROM. FRANCO, S. R. K. O Construtivismo e a Educação. 6ª. ed. Porto Alegre : Mediação, 1997.

34 REFERÊNCIAS FRANCO, S. R. K. Educação Através da Pesquisa. Disp. em:.. FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia : saberes necessários à prática educativa. 6ª. ed. São Paulo: Paz e Terra, FREITAS, M. T. de A. Vygotsky & Bakhtin: psicologia da educação : um intertexto. 2ª. ed. São Paulo: Ática, MORO, Eliane; ESTABEL, Lizandra Brasil. Um Novo Paradigma na Sociedade da Informação: a pesquisa escolar propiciando a integração dos atores – aprendizes, arofessores e bibliotecários – irradiando o benefício coletivo e a cidadania. RENOTE: Revista Novas Tecnologias na Educação. Disponível em: MORO, Eliane L.S. ; ESTABEL, Lizandra B.; SANTAROSA, L. M. C. O Uso da Tecnologias da Informação e Comunicação na Pesquisa Escolar: um estudo de caso com PNEEs com limitação visual. Renote, v. 2, n. 2, p. 1-10,

35 REFERÊNCIAS NITZKE, J.; FRANCO, S. R. K. Aprendizagem Cooperativa: Utopia ou Possibilidade? In: Revista Informática na Educação: Teoria & Prática, Porto Alegre, v 5, n.2, p.23-30, nov PADILHA, A. M. L. Infância, conhecimento, práticas educativas e inclusão. Cadernos de Pesquisa em Educação do PPGE/UFES, Vitória, v. 10, n. 19, p , PIAGET, J. Ensaio da Lógica Operatória. São Paulo: Ed. da USP, TARAPANOFF, K.; SUAIDEN, E.; OLIVEIRA, C. L. Funções sociais e oportunidades para profissionais da informação. Datagramazero: Revista de Ciência da Informação, Brasília, v. 3, n. 5, out UNESCO. Biblioteca Escolar e Centro de Pesquisa: Esboço do Manifesto da Unesco. APB Circular, São Paulo, n.2, p.2-3, set VYGOTSKY, L. S. Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1987.

36 Eliane Moro Lizandra Estabel OBRIGADA!


Carregar ppt "LITERACY NA BIBLIOTECA ESCOLAR Profª Drª Eliane L. da Silva Moro – CRB10/881 Profª Drª Lizandra Brasil Estabel - CRB10/1405 São Leopoldo 2015 48º Fórum."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google