A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Parte da linguística que estuda os recursos afetivo-expressivos da língua. A estilística, como ciência, apresenta um caráter mais descritivo-interpretativo,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Parte da linguística que estuda os recursos afetivo-expressivos da língua. A estilística, como ciência, apresenta um caráter mais descritivo-interpretativo,"— Transcrição da apresentação:

1

2 Parte da linguística que estuda os recursos afetivo-expressivos da língua. A estilística, como ciência, apresenta um caráter mais descritivo-interpretativo, sem considerações de natureza normativa.

3 Gostaria de convidá-la para um jantar. Gostaria de convidá-la para uma janta. Quanto ao sentido, qual a diferença entre os elementos destacados? Nem sempre a substituição por um sinônimo produz o mesmo sentido.

4 Eu cá sei das minhas dores. Aqui comigo é preciso andar na linha. Eles lá é que se entendem

5 Os muitos eus que sou, só eu conheço. Seu não irredutível deixou-me desolada. O cantar do pássaro alegra a alma.

6 Expressividade obtida com as palavras, seja por sua flexão, formação, classificação ou por seu significado no contexto. Observe: Também eu tenho servido de agulha a muita linha ordinária (Machado de Assis) Qual o sentido das palavras agulha e linha?

7 Uma aflição mordeu-o no íntimo, Otto Lara Resende Não quero a rosa que me dás, quero a rosa que tu és. Que filmezinho horroroso! Pedro não é um professor; ele é o professor.

8 Observe o anúncio: Finalmente uma revista semanal que trata a mulher como dona da casa, não de casa. Dona da casa x Dona de casa. Qual a diferença semântica? A presença de um artigo definido pode gerar uma mudança de sentido.

9 A posição do adjetivo como marcador semântico- estilístico pobre homem = homem infeliz; homem pobre = carente de recursos.

10 O homem: as viagens O homem, bicho da Terra tão pequeno chateia-se na Terra lugar de muita miséria e pouca diversão, faz um foguete, uma cápsula, um módulo toca para a Lua desce cauteloso na Lua pisa na Lua planta bandeirola na Lua experimenta a Lua coloniza a Lua civiliza a Lua humaniza a Lua.

11 O homem chateia-se na Lua. Vamos para Marte – ordena a suas máquinas. Elas obedecem, o homem desce em Marte Pisa em Marte experimenta coloniza civiliza humaniza Marte com engenho e arte. Marte humanizado, que lugar quadrado. Vamos a outra parte? Claro – diz o engenho sofisticado e dócil. Vamos a Vênus. O homem põe o pé em Vênus, Vê o visto – é isto? idem idem.

12 O homem funde a cuca se não for a Júpiter proclamar justiça junto com a justiça repetir a fossa repetir o inquieto repetitório. Outros planetas restam para outras colônias. O espaço todo vira Terra-a-terra. O homem chega ao Sol ou dá uma volta só para tever? Não- vê que ele inventa roupa insiderável de viver no Sol. Põe o pé e: mas que chato é o Sol, falso touro espanhol domado.

13 Restam outros sistemas fora do solar a colonizar. Ao acabarem todos só resta ao homem (estará equipado?) a dificílima dangerosíssima viagem de si a si mesmo: pôr o pé no chão do seu coração experimentar colonizar civilizar Humanizar o homem descobrindo em suas próprias inexploradas entranhas a perene, insuspeitada alegria de con-viver.

14 Desvio das regras de sintaxe com o objetivo de atingir mais expressividade, para alcançar uma maior identificação com o público.

15 Hoje você é uma uva Mas cuidado, uva passa. Passa pode ser verbo ou adjunto adnominal.

16 Ao final do processo de reciclagem, aquele lixo de lata vira lata de luxo, embalando as bebidas que todo mundo gosta, das marcas em que todo mundo pode confiar.

17 Algumas regras gramaticais podem ser burladas de forma proposital visando a obter efeitos de sentido. Dê-me um cigarro Diz a gramática Do professor e do aluno E do mulato sabido. Mas o bom negro e o bom branco Da Nação Brasileira Dizem todos os dias Deixa disso camarada Me dá um cigarro. (OSWALD DE ANDRADE)

18 Beija Eu Marisa MonteMarisa Monte Seja eu, Seja eu, Deixa que eu seja eu. E aceita O que seja seu. Então deita e aceita eu. Molha eu, Seca eu, Deixa que eu seja o céu E receba O que seja seu. Anoiteça e amanheça eu. Beija eu, Beija eu, Beija eu, me beija. Deixa

19

20


Carregar ppt "Parte da linguística que estuda os recursos afetivo-expressivos da língua. A estilística, como ciência, apresenta um caráter mais descritivo-interpretativo,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google