A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Cordados Disciplina: Biologia Professora: Roberta Fontoura 2ª série do Ensino Médio.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Cordados Disciplina: Biologia Professora: Roberta Fontoura 2ª série do Ensino Médio."— Transcrição da apresentação:

1 Cordados Disciplina: Biologia Professora: Roberta Fontoura 2ª série do Ensino Médio

2 Ocorrência, em pelo menos uma fase da vida de: n Tubo Nervoso Dorsal n Notocorda n Fendas Branquiais ou Faringeanas

3 Os cordados – protocordados e vertebrados –. Apresentam três características fundamentais no período embrionário: a notocorda, as fendas branquiais e o sistema nervoso dorsal. Estas características podem persistir no adulto. A notocorda é uma estrutura interna que serve de eixo de sustentação para o animal e que deu nome ao grupo. Ela persiste durante toda a vida dos cordados mais simples, os protocordados. Nos cordados superiores, ou vertebrados, a notocorda desaparece no fim da fase embrionária, sendo substituída pela coluna vertebral. As fendas branquiais são permanentes nos cordados aquáticos mais primitivos e, nos demais, são estruturas apenas embrionárias. O sistema nervoso dorsal que se forma nos embriões, persiste nos cordados durante toda a vida.

4 Classificação dos Cordados Cordados ProtocordadosVertebrados Peixes, Anfíbios, Répteis, Aves e Mamíferos

5 Protocordados - Cordados Primitivos Dividem-se em: Urocordados - apresentam notocorda na região caudal durante a fase larval n Cefalocordados - apresentam notocorda até a fase adulta n Hemicordados – apresentam forma vermiforme

6 Protocordados São um grupo com poucos representantes, todos marinhos, como as ascídia e o anfioxo. Vivem no litoral, enterrados na areia ou fixos às rochas.

7 Notocorda na cabeça Mede Aproximadamente 5 cm. Cirros bocais. Nadadeiras dorsal, caudal e ventral. Ex: Anfioxo Cefalocordados

8

9

10 Presença de uma substância semelhante a celulose: Isolado ou em colônia; São filtradores; Ex: ascídia; As larvas das ascídias são de vida livre. Os adultos são fixos. Urocordados ou Tunicados

11 Ex: ASCÍDIA

12

13 Urocordados - Ascídias

14

15 Urocordados - Ascídias Coloniais

16 Hemicordados Ex: Balanoglossus

17 Eucordados -Vertebrados n São o grupo mais evoluído dos cordados e apresentam todos os sistemas altamente desenvolvidos. n A presença da coluna vertebral caracteriza o grupo. n Compreendem peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos. n Todos os vertebrados apresentam coluna vertebral, que é uma série de pequenos ossos articulados, as vértebras. n A coluna vertebral protege o sistema nervoso, pois nela há um canal onde se localiza a medula raquidiana, que vai da parte posterior do crânio até as vértebras da região da cintura posterior.

18 Subfilo Vertebrata Classes de peixes: Classe Agnatha Classe Placodermi (extinta) Classe Acanthodii (extinta) Classe Chondrichthyes Classe Osteichthyes Classes de tetrápodos: Classe Amphibia Classe Reptilia Classe Aves Classe Mammalia

19 Subfilo Vertebrata - Classe Agnatha n Peixes sem mandíbulas: Feiticeiras e lampréias n Duas linhagens evolutivas distintas. n Ambas são alongados, sem escamas, não possuindo tecidos duros internos são necrófagas e ectoparasitas. n Cerca de 50 espécies. n Dióicos, fecund. Externa c/ fase larval Feiticeira (esq.) e lampréias (dir.) parasitando peixe ósseo.

20 Lampréia - ectoparasita

21 Peixe-bruxa

22 Subfilo Vertebrata - Classe Condrichthyes n Peixes cartilaginosos n Tubarões, raias e quimera; n Cerca de 800 espécies; n Principalmente marinhos; n Presença de escamas placóides; n Boca ventral com 5 fendas faríngeas; n São heterotérmicos; n Agilidade devido a musculatura segmentada; n Ausência de bexiga natatória. ARRAIA TUBARÃO QUIMERA

23 Subfilo Vertebrata - Classe Osteichthyes n Peixes ósseos : Cerca de espécies. n Boca terminal c/ 4 fendas branquiais, protegidas por um opérculo; n Pele c/ escamas de origem dérmica lubrificada por um muco n Presença de linha lateral; n Circulação fechada c/ coração: 2 cav.>1 A e 1 V n Bexiga Natatória; n Peixes pulmonados.

24 Subfilo Vertebrata - Classe Amphibia n Amphi= dos dois lados e bios= vida n Sapos, salamandras e cecílias; 4000 espécies. n Ciclo de vida complexo com fase larval aquática e adulto terrestre; n Pele nua, usada em trocas gasosas, hídricas e iônicas; n Respiração branquial, cutânea e pulmonar; n Ambientes úmidos, porém há desérticos; n Pobre em queratina e alguns c/ glândulas de veneno; n 2 atrios e 1 ventriculo.

25 Vertebrados - Anfíbios Anuros: sapos, rãs e perecas Urodelos: salamandras e tritões; Ápodes: cecílias e cobra- cegas

26 Vertebrados - Metamorfose dos Anfíbios n Fecundação externa, desenv. Indireto; n Diócos; n Amplexo sexual; n Fase larval GIRINO; n A fase de IMAGO é a mais predada;

27 Subfilo Vertebrata - Classe Reptilia n Cobras, largatos, jacarés, tartarugas espécies n Corpo coberto por escamas n Reprodução independente da água. n 1° bem sucedidos em meio terrestre; n Tegumento bem queratinizado(Economia de água); n Àc. Úrico( produto nitrogenado) n Circulação: 2 A e 2 V >incompleto;

28 Introdução n Os répteis incluem 4 ordens e 6500 espécies atuais. –Chelonia (ou Testudines) - tartarugas e jabutis –Sphenodonta (ou Rhyncocephalia) - lagarto tuatara. –Squamata - cobras, lagartos e anfisbenas –Crocodylia - crocodilos e jacarés. n Grande parte do grupo foi extinto: 25 ordens extintas, incluindo os dinossauros.

29 Termorregulação: n Ectotérmicos - os répteis dependem de fontes externas de calor - particularmente da radiação solar (heliotérmicos). n Répteis mantém a temperatura corporal próxima aos 34 o C durante seu período de atividade através de termorregulação comportamental em que controlam a quantidade de calor trocado com seu ambiente. n Olho parietal (terceiro olho), presente em muitos lagartos, monitora a quantidade de radiação solar recebida. Características gerais

30 n Não existem sinapomorfias que definam os répteis (grupo parafilético). n O táxon Reptilia não é um clado (grupo monofilético), mas um grado (grupo com o mesmo nível de organização) intermediário entre os anfíbios e os amniotas endotérmicos (aves e mamíferos). n As características consideradas típicas dos répteis, na verdade são sinapomorfias dos amniotas, várias já ultrapassadas nas aves e mamíferos: –Respiração pulmonar predominante, área pulmonar ampliada e respiração cutânea pouco significante. –Fertilização interna, presença de órgão copulador. –Maioria ovípara; ovos amnióticos com casca. –Garras nas pontas dos dedos. –Cornificação da pele, com poucas glândulas mucosas. –Esqueleto bem ossificado e forte e 2 vértebras sacrais para suportar a cintura pélvica. –Maior atividade metabólica, com manutenção de uma temperatura córporea elevada por termorregulação. –Divisão mais completa do coração, reduzindo a mistura de sangue oxigenado e não-oxigenado.

31 Vertebrados Répteis

32 Sistema Respiratório n A pele escamosa seca dos répteis reduz a respiração cutânea. n Aumento da superfície respiratória dos pulmões. n Pulmões aspiradores ventilados por mudanças de forma e pressão na cavidade torácica. n Lagartos - um dos pulmões é maior. n Cobras - pulmão esquerdo reduzido ou ausente.

33 Subfilo Vertebrata - Classe Aves n Linhagem que desenvolveu capacidade de vôo. n Caracterizadas pelas penas. n 9000 espécies. n Vertebrados endotérmicos. Atobá (esq.) Sula sula, ave marinha piscívora Ema (Dir.) Rhea americana ave que perdeu a capacidade de vôo

34 n Diápsidas n Cerca de 9000 espécies - maior classe de tetrápodes n Ocorrem em todos os continentes, incluindo o litoral da Antártida, e mesmo nas ilhas mais remotas. n Grupo mais especializado dos vertebrados (mais que os mamíferos) 1. vôo; 2. metabolismo alto (esforço muscular intenso); 3. temperaturas corporais elevadas; 4. sistema respiratório único (não há mistura do ar que entra com o que sai dos pulmões) n O vôo apareceu cedo em sua história evolutiva, mesmo as espécies que perderam a capacidade de vôo ainda possuem muitas estruturas residuais e forte condicionamento morfológico/fisiológico. n O vôo consome grande quantidade de energia. n Capacidade de vôo e endotermia propiciaram altíssima mobilidade que refletiu na ampla distribuição das aves.

35 Sinapomorfias n penas (presentes em alguns dinosauros?) n apêndices peitorais em forma de asas (asas de pterosauros e morcegos possuem estrutura diferente). n ossos pneumáticos (presentes em pterosauros). n fúrcula (osso da sorte) formada pela fusão das clavículas e interclavícula. (ossos não fundidos em aves que não voam e presentes em dinosauros?) n crânio diapsida modificado (avidiapsida): fenestras temporais unidas às órbitas.

36 Esqueleto n costelas apresentam processo uncinado. n esterno achatado e largo, com quilha mediana n clavículas unidas formando a fúrcula (osso-da-sorte).

37 Vertebrados - Aves

38 Reconstrução artística Ave mais antiga conhecida. Apenas 6 indivíduos conhecidos (3 completos, 2 incompletos e 1 pena) Primeiras aves - Archaeopteryx lithographica

39 Características gerais n Características ausentes nas primeiras aves: –vértebras caudais fundidas (pigóstilo); –mandíbulas formam um bico, sem dentes; n Características ausentes em aves que não voam: –Esterno grande e geralmente em forma de quilha, para inserção dos músculos peitorais. n Plesiomorfias (características primitivas dos répteis): –escamas córneas retidas nos pés, –ovíparas. Somente um ovário e um oviduto. –glândulas cutâneas ausentes (exceto uropigeana); n Características derivadas (apomorfias) compartilhadas com Mamíferos: –endotérmicos; –vilosidades presentes no intestino delgado;

40 Subfilo Vertebrata - Classe Mammalia n Mamíferos n Vertebrados endotérmicos. n Corpo coberto por pelos. n Cerca de espécies. Éqüidna – Zaglossus bruijni, mamífero monotremado da Nova Guiné Golfinho, mamífero que retornou à vida aquática.

41 n ordens viventes, englobando 4629 espécies, sendo: –2015 espécies de roedores (1326 na família Muridae). –925 espécies de morcegos. n Os mamíferos ocorrem naturalmente em todos continentes (inclusive o litoral da Antártida - focas) e oceanos, exceto: ilhas isoladas, regiões extremamente frias (altitudes extremamente elevadas e regiões polares). n Grupo bem sucedido em diversos tipos de ambientes, sendo adaptados a diversos modos de vida: cursorial, voador, aquático e fossorial.

42 n Este sucesso se deve a uma série de características: –endotermia, –mecanismos de retenção e dissipação de calor: presença de pêlos, glândulas cutâneas sudoríparas, –cuidado parental –glândulas mamárias. –desenvolvimento do encéfalo, –membros eficientes em posição ventral (melhor locomoção), –sentidos desenvolvidos (olfato, audição e às vezes a visão), –Heterodontia (melhor trituração do alimento) Introdução

43 Os mamíferos são o grupo com melhor registro fossil, devido à sua diversificação recente, grande tamanho e ossos compactos.

44 A maioria dos mamíferos tem hábitos noturnos. Habitaram os mais diversos ambientes

45 Sinapomorfias n glândulas mamárias – característica boa em animais vivos, difícil fossilização; n pêlos – boa característica em animais vivos, difícil fossilização; n diafragma muscular; n arco aórtico esquerdo; n hemácias anucleadas; n Mandíbula formada por um único osso (dentário) de cada lado. n articulação dentário-esquamosal - o osso dentário (mandíbula) se articula com o esquamosal (crânio). O ossos quadrado e articular faziam a articulação crânio-mandíbula nos répteis. n Ouvido médio com 3 ossos: articular (martelo), quadrado (bigorna) e estribo.

46 Vertebrados - Mamíferos

47

48

49

50

51

52 Subfilo Vertebrata - Diversidade

53 Filo Chordata - Filogenia tradicional


Carregar ppt "Cordados Disciplina: Biologia Professora: Roberta Fontoura 2ª série do Ensino Médio."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google