A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sistemas Operacionais Gerenciamento de Memória Curso Técnico em Informática Professora: Michelle Nery.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sistemas Operacionais Gerenciamento de Memória Curso Técnico em Informática Professora: Michelle Nery."— Transcrição da apresentação:

1 Sistemas Operacionais Gerenciamento de Memória Curso Técnico em Informática Professora: Michelle Nery

2 Ementa Sistemas Operacionais Quatro Operações Básicas Gerenciamento de Processos Gerenciamento de Memória Gerenciamento de Dispositivo de Entrada/Saída Gerenciamento de Sistema de Arquivos

3 Conteúdo Gerenciamento de Memória Troca de Processos Memória Virtual Algoritmos de Substituição de Páginas Sistemas de Paginação

4 Gerenciamento de Memória Apesar de atualmente os computadores pessoais possuírem milhares de vezes mais memória que os computadores de antigamente, ainda sim são motivo de estudo. Lei de Parkinson: "programas tendem a se expandir a fim de ocupar toda memória disponível".

5 Gerenciamento de Memória A função do gerenciamento de memória localizado no sistema operacional é manter o controle de quais partes da memória estão em uso e quais não estão, alocando memória aos processos quando eles precisam e liberando a memória quando esses processos terminam, além de gerenciar a troca de processos (swapping) entre a memória e o disco quando a memória principal não é suficiente para conter todos os processos.

6 Conceitos Básicos de Memória Os sistemas de gerenciamento de memória podem ser divididos em duas classes: sistemas que, durante a execução levam e trazem processos entre a memória principal e o disco multiprogramação e, sistemas mais simples, que não o fazem monoprogramação. A monoprogramação raramente é usada hoje, a não ser em sistemas embarcados simples.

7 Realocação e Proteção A multiprogramação introduz dois problemas que devem ser resolvidos – realocação e proteção. Quando um programa é ligado, é necessário saber em que endereço o programa deve começar na memória realoção Em sistemas multiusuário é altamente indesejável permitir que processos leiam ou escrevam em partições de memória pertencentes a outros usuários proteção.

8 Realocação e Proteção Uma solução para realocação e proteção, é fornecer ao processador dois registradores especiais denominados registrador-base e registrador-limite. O registrador-base é carregado com o endereço do início da partição alocada a esse processo e o registrador-limite é carregado com o tamanho dessa partição. realocação. Os endereços gerados são verificados em relação ao registrador-limite para certificar-se de que não tentarão endereçar memória fora da partição alocada ao processo em execução. proteção.

9 Troca de Processos Em computadores gráficos pessoais pode não haver memória suficiente para todos os processos ativos, de modo que os excedentes devem ser mantidos em disco e trazidos dinamicamente para a memória. Dois métodos de gerência de memória são usados: Troca de processos (swapping): consiste em trazer totalmente cada processo para a memória, executá-lo durante um certo tempo e então devolvê-lo ao disco. Memória virtual: permite que programas possam ser executados mesmo que estejam apenas parcialmente carregados na memória principal.

10 Troca de Processos Então, como funciona a troca de processos na memória? a) Somente o processo A está na memória. b) O processo B é criado ou trazido do disco. c) O processo C é criado ou trazido do disco. d) O processo A é devolvido para o disco. e) O processo D entra na memória. f) O processo B é retirado da memória. g) O processo A é novamente trazido do disco para a memória.

11 Troca de Processos Quando as trocas de processos deixam muitos espaços vazios na memória, é possível combiná-los em um único espaço contíguo de memória - compactação de memória.

12 Conceitos Básicos de Memória Para dividir a memória você pode ter: Partições fixas Partições Variáveis

13 Multiprogramação com Partições Fixas Ao chegar, um job pode ser colocado em uma fila de entrada associada à menor partição, grande o suficiente para armazená-lo. Como o tamanho das partições é fixo, todo espaço de uma partição não usado pelo job é perdido.

14 Gerenciamento de Memória Alocada Dinamicamente Existem duas maneiras do sistema operacional gerenciar a memória quando ela é alocada dinamicamente: Mapa de bits e Lista de disponíveis. a) Parte da memória com cinco segmentos alocados a processos e três segmentos de memória livre. b) O mapa de bits. c) As mesmas informações do mapa de bits em uma lista encadeada.

15 Gerenciamento de Memória com Listas Encadeadas É possível utilizar diversos algoritmos para alocar memória a um processo recém-criado (ou a um processo já existente em disco que esteja sendo transferido para a memória). First-Fit (O Primeiro que Couber). O gerenciador de memória procura ao longo da lista de segmentos de memória por um segmento livre que seja suficientemente grande para esse processo. Next-Fit (O Próximo que Couber). Funciona da mesma maneira que o algoritmo First-Fit, exceto pelo fato de sempre memorizar a posição em que encontra um segmento de memória disponível de tamanho suficiente. Best-Fit (O que Melhor Couber). Esse algoritmo pesquisa a lista inteira e escolhe o menor segmento de memória livre que seja suficiente ao processo. Worst-Fit (O que Pior Couber), isto é, sempre escolher o maior segmento de memória disponível.

16 Atividades 1. O que é memória virtual? 2. O que é Swapping? 3. Como funciona a troca de processos? 4. Como se da a alocação de memória para processos com variaveis dinâmicas? 5. O que é compatação de memória? 6. Explique como funciona a alocação de memória por mapa de bits e lista encadeada. 7. Explique os algoritmos para alocação de memória em listas encadeadas. Dê vantagens e desvantagens. Dê um exemplo utilizando a figura do slide onde mostra uma lista encadeada, para explicar a diferença de alocação para cada um dos algoritmos.

17 Memória Virtual O tamanho total do programa pode exceder a quantidade de memória física disponível para ele. Sendo assim, o sistema operacional mantém as partes ativas do programa na memória e o restante em disco.

18 Técnica de Paginação Exemplo de mapeamento: Um computador pode gerar endereços virtuais de 0 a 64 K. Contudo, esse computador tem somente 32 KB de memória física. Embora seja possível escrever programas de 64K, eles não podem ser totalmente carregados na memória para serem executados. Uma cópia completa do código do programa, deve estar presente em disco, de modo que partes possam ser carregadas dinamicamente na memória, quando necessário.

19 Técnica de Paginação O espaço de endereçamento virtual é dividido em unidades denominadas páginas. As unidades em memória física são denominadas molduras de página. As páginas e as molduras de página são sempre do mesmo tamanho. No exemplo dado, as páginas têm 4 KB, mas páginas de 512 bytes a 64 KB têm sido utilizadas em sistemas reais. Com 64 KB de espaço de endereçamento virtual e 32 KB de memória física, podemos ter 16 páginas virtuais e oito molduras de página.

20 Técnica de Paginação Qual endereço físico a MMU deve apontar quando a instrução for MOV REG, 8192? É transformada em MOV REG 24576, pois o endereço virtual 8192 está na página virtual 2, e essa página está mapeada na moldura de página física 6 (endereços físicos de24576 a 28671).

21 Estrutura de uma Tabela de Páginas Como é uma entrada na tabela de páginas? O tamanho da tabela geralmente é de 32 bits. O campo mais importante é o Número da Moldura de Página, do qual se refere a página da memória RAM. Próximo a ele temos o bit presente/ausente. Se esse bit for 1, a entrada será válida e poderá ser usada. Se ele for 0, a página virtual não estará presente na memória, ocorre uma falta de página. Os bits de proteção dizem quais tipos de acesso são permitidos à página. Em sua configuração mais simples, esse campo contém um bit, com 0 para leitura/escrita e 1 somente para leitura. Uma forma mais sofisticada tem 3 bits, 1 bit para habilitar/desabilitar cada uma das operações básicas na página: leitura, escrita e execução.

22 Tabela de Páginas O objetivo da tabela de páginas é mapear páginas virtuais em molduras de página física. Matematicamente, a tabela de páginas é uma função que usa o número da página virtual como argumento e tem o número da moldura de página física correspondente como resultado.

23 Tabela de Páginas Dois pontos importantes devem ser considerados: A tabela de páginas pode ser extremamente grande. Com um tamanho de página de 4 KB, um espaço de endereçamento de 32 bits tem um milhão de páginas virtuais; um espaço de endereçamento de 64 bits tem mais do que se possa imaginar. Com um milhão de páginas virtuais no espaço de endereçamento virtual, a tabela de páginas deve ter um milhão de entradas. O mapeamento deve ser rápido.

24 Atividades 1. O que é memória virtual? 2. O que é paginação? 1. O que são endereço virtuais? 2. O que são endereços físicos? 3. O que são páginas? 4. O que são molduras de páginas? 5. Qual o número de páginas possível para uma memória virtual com endereços de 6 bits? 6. Dado 256KB de tamanho total da memória virtual, com 8KB para cada página. Quantos bits são necessários para o endereçamento de cada umas dessas páginas? 7. Qual moldura de página está o endereço virtual 1459KB de acordo com o exemplo da figura da aula. 8. Qual o endereço físico correspondente ao endereço virtual 1459KB.

25 Algoritmo de Substituição de Página Quando uma falta de página ocorre, o sistema operacional precisa escolher uma página a ser removida da memória a fim de liberar espaço para uma nova página a ser trazida para a memória. Embora seja possível escolher aleatoriamente uma página a ser descartada, o desempenho do sistema será muito melhor se a página escolhida for uma que não estiver sendo muito usada.

26 O Algoritmo de Substituição de Página Ótimo Alguns algoritmos O algoritmo ótimo retira da memória a página que vai demorar mais tempo para ser referenciada novamente. O algoritmo NUR (não usada recentemente) remove uma página não referenciada e não modificada. No algoritmo FIFO, a página mais antiga é removida e a nova página é adicionada no final da lista. Entre outros…

27 Atividades 1. Qual o objetivo dos algoritmos de substituição de páginas? 2. Por que o algoritmo ótimo não é implementável em sistemas reais?

28 Trabalho Busque na Internet Quais sistemas operacionais operam com memória virtual, e como configurá-los.

29 Referências Sistemas Operacionais Modernos – Andrew S. Tanembaum, 2 Edição, Editora Pearson. Paginas: 139 até 195


Carregar ppt "Sistemas Operacionais Gerenciamento de Memória Curso Técnico em Informática Professora: Michelle Nery."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google