A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A LENDA DO JOGO DE XADREZ Um conto de Malba Tahan.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A LENDA DO JOGO DE XADREZ Um conto de Malba Tahan."— Transcrição da apresentação:

1 A LENDA DO JOGO DE XADREZ Um conto de Malba Tahan

2 Em um reino muito distante havia um rei que estava muito triste. Sua vida era monótona. Um dia, afinal, o rei foi informado de que um moço brâmane solicitava uma audiência que vinha pleiteando havia já algum tempo. Como estivesse, no momento, com boa disposição de ânimo, mandou o rei que trouxessem o desconhecido à sua presença.

3 E o jovem começou a falar: Meu nome é Lahur Sessa e venho da aldeia de Namir, que trinta dias de marcha separam desta bela cidade. Ao recanto em que eu vivia chegou a de que o nosso bondoso rei arrastava os dias em meio de profunda tristeza, amargurado pela ausência de um filho que a guerra viera roubar-lhe. Grande mal será para o país, se o nosso dedicado soberano se enclausurar, como um brâmane cego dentro de sua própria dor. Deliberei, pois, inventar um jogo que lhe desse alegria novamente. E é isto que me traz aqui.

4 Como todos os soberanos, este também era muito curioso, e não aguentou para saber o que o jovem sábio lhe trouxera. O que Sessa trazia ao rei consistia num grande tabuleiro quadrado, dividido em sessenta e quatro quadradinhos, ou casas, iguais. Sobre esse tabuleiro colocavam-se, não arbitrariamente, duas coleções de peças que se distinguiam, uma da outra, pelas cores branca e preta, repetindo porém, simetricamente, os engenhosos formatos e subordinados a curiosas regras que lhes permitiam movimentar-se por vários modos. Sessa explicou pacientemente ao rei, aos monarcas vizires e cortesãos que rodeavam, em que consistia o jogo, ensinando-lhes as regras essenciais.

5 Depois, dirigindo-se ao jovem brâmane, disse-lhe: Quero recompensar-te, meu amigo, por este maravilhoso presente, que de tanto me serviu para o alívio de velhas angústias. Diz-me o que queres, qualquer das maiores riquezas, que te será dado. Rei poderoso, não desejo nada. Apenas a gratidão de ter-te feito algum bem que basta.

6 Causa-me assombro tanto desdém e desamor aos bens materiais. Por favor, diga-me o que pode ser-te dado. Ficarei magoado se não aceitar. Então, o invés de ouro, prata, palácios, desejo em grãos de trigo. Dar-me-ás um grão de trigo pela primeira casa, dois pela segunda, quatro pela terceira, oito pela quarta, dezesseis pela quinta, e assim sucessivamente, até a sexagésima quarta e última casa do tabuleiro.

7 Após muito tempo, voltaram: Rei magnânimo! Calculamos o número de grãos de trigo que constituirá o pagamento e obtivemos um número cuja grandeza é inconcebível para a imaginação humana. Lathur Sessa abriu mão de seu pedido, mas mostrou ao rei uma nova maneira de pensar. Ganhou com isso um manto de honra e ainda 100 sequins de ouro.

8 Explicação, Arthur Sessa pediu: para a 1ª casa do tabuleiro 1 grão de trigo (2 0 ); para a 2ª casa do tabuleiro 2 grãos de trigo (2 1 ); para a 3ª casa do tabuleiro 4 grãos de trigo (2 2 ); para a 4ª casa do tabuleiro 8 grãos de trigo (2 3 ); (...) Como o tabuleiro de xadrez possui 64 casas o número total de grãos pedidos foi: cujo resultado é:

9 De acordo com John Wallis, matemático inglês, essa quantidade de trigo poderia encher um cubo que tivesse metros de aresta. Se contássemos 5 grãos a cada segundo, trabalhando dia e noite sem parar, levaríamos milhões de séculos para contar toda essa quantidade de grãos.


Carregar ppt "A LENDA DO JOGO DE XADREZ Um conto de Malba Tahan."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google