A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Linguagem de Programação IV Carlos Oberdan Rolim Ciência da Computação Sistemas de Informação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Linguagem de Programação IV Carlos Oberdan Rolim Ciência da Computação Sistemas de Informação."— Transcrição da apresentação:

1 Linguagem de Programação IV Carlos Oberdan Rolim Ciência da Computação Sistemas de Informação

2 Criação de processos paralelos *baseado no material do Prof. Edison Ishikawa

3 Como iniciar um processo em C? Similar a rodar um programa na linha de comando Usando a família de chamadas de sistemas exec…(…) exec, execl, execv, execve, … exec…() troca o processo corrente pelo novo que foi especificado

4 Exec.... O processo que chamou exec... É completamente substituído pelo novo programa, e o novo programa inicia sua execução como se fosse a função principal (main). Não existe a criação de um novo processo mas sim a substituição do programa em execução Com fork cria-se novos processos Com exec inicia-se novos programas

5 Exec – Diferentes funções #include extern char **environ; int execl( const char *path, const char *arg,...); int execle( const char *path, const char *arg,..., char* const envp[]); int execlp( const char *file, const char *arg,...); int execv( const char *path, char *const argv[]); int execvp( const char *file, char *const argv[]);

6 Exec Diferenças os execl(), para o qual o número de argumentos do programa lançado é conhecido; os execv(), para o qual esse número é desconhecido. Em outras palavras, estes grupos de primitivas se diferenciam pelo número de parâmetros passados.

7 Exec Diferenças Modo de passar os argumentos l = lista execl, execlp, execle Requer que cada um dos argumentos da linha de comando passada ao novo programa seja especificada por argumentos em separado. O último argumento é o null pointer - (char *) 0 Ex: char* arg0, char* arg1,....,char *argn, (char *) 0 v = vetor execv, execvp, execve Os argumentos são passados em um array de ponteiros, e o endereço deste array é passado como argumento

8 Exec Propriedades O novo programa herda do processo que o invoca Process ID e parent process ID Real user ID and real group ID Supplementary group IDs Process group ID Session ID Controlling terminal Time left until alarm clock Current working directory Root directory File mode creation mask File locks Process signal mask Resource limits tms_utime, tms_stime, tms_cutime and tms ustime values

9 execv() - exemplo int execv(const char *path, char *const argv[]) path - command path argv - argumentos (por um null no final) Exemplo char* prog[3]={/usr/bin/ps, -a, NULL}; execv(prog[0], prog); Sugestão consulte o man

10 execv – exemplo //gcc -o execv execv.c //Existem diversas chamadas execXXX #include int main(){ char *my_program[3] = {"/bin/ls", "-l,NULL}; execv(my_program[0],my_program); printf("Cannot execute the command.\n"); return 0; }

11 Como executar vários processo em um único programa C? System call fork() quando um processo é forkeado, um novo processo é criado o segmento de dados e códigos do novo processo é o mesmo do original uma entrada na tabela de processos é criada para o novo processo

12 Fork Processo 1 shell fork Processo 1 Processo 2 PAI FILHO shell exec shell ps

13 System call fork Copia o processo corrente e o executa valor de retorno ZERO no processo filho O Id do processo filho (PID) no processo pai use o valor de retorno para identificar aonde o programa está

14 Exemplo de fork #include int main(){ if (fork()==0) { printf(Eu sou o filho\n); } else { printf(Eu sou o pai\n); } Cria o processo filho Código executado pelo filho Código executado pelo pai

15 Comportamento fork

16 Comportamento do fork

17 Sequencia fork() + execve()

18 Fork vs Execve()

19 O que acontece com o processo filho quando ele morre antes que o pai?

20 Zombie Quando o processo filho termina, ele tem que avisar o pai antes de se matar Se o pai não tomar conhecimento da morte do filho, o filho se tornará um Zombie O filho ficará no estado Zombie até que o pai tome conhecimento

21 Zombie Os recursos usados pelo Zombie não são liberados! Os processos zombie são rotulados como na listagem do comando ps -u username Se o seu programa(pai) rodar por muito tempo, criando zombies, ele irá esgotar a memória É obrigação do programador (sua) evitar isso

22 Exemplo de zombie #include int main(){ int pid; pid = fork(); if (pid==0){ printf(I am child. I become a zombie now.\n); exit (0); child process terminate here } else { printf(I am parent. I loop here. My child pid is [%d]\n, pid); while(1); parent process continue to run } return 0; } #./zombie I am parent. I loop here. My child pid is [2966] I am child. I become a zombie now. Saída do ps -ax 2965 pts/0 R+ 0:24./zombie 2966 pts/0 Z+ 0:00 [zombie]

23 Como evitar o Zombie Usando a system call wait e waitpid no processo pai para tomar conhecimento da morte do filho A função wait suspende a execução do processo até a morte de seu filho. Se o filho já estiver morto no instante da chamada da primitiva (caso de um processo zumbi), a função retorna imediatamente. A função waitpid suspende a execução do processo até que o filho especificado pelo argumento pid tenha morrido. Se ele já estiver morto no momento da chamada, o comportamento é idêntico ao descrito anteriormente.

24 Esperar pela terminação Chamado também de join

25 Wait: cenários possíveis

26 Waitpid

27 Exemplo

28

29 #include int main(){ int pid; pid = fork(); if (pid==0){ printf(I am child.\n); exit (0); o processo filho termina aqui } else { printf(I am parent. My child pid is [%d]\n, pid); wait(NULL); espera o filho aqui while(1); } return 0; } #./zombie2 I am parent. My child pid is [2982] I am child. Saída do ps -ax 2981 pts/0 R+ 0:04./zombie2

30 /* arquivo test_wait1.c */ #include #include #include #include #include #include int main() { int pid ; printf("\nBom dia, eu me apresento. Sou o processo %d.\n",getpid()) ; printf("Estou sentindo uma coisa crescendo dentro de minha barriga..."); printf("Sera um filho?!?!\n") ; if (fork() == 0) { printf("\tOi, eu sou %d, o filho de %d.\n",getpid(),getppid()) ; sleep(3) ; printf("\tEu sao tao jovem, e ja me sinto tao fraco!\n") ; printf("\tAh nao... Chegou minha hora!\n") ; exit(7) ; } else { int ret1, status1 ; printf("Vamos esperar que este mal-estar desapareca.\n") ; ret1 = wait(&status1) ; if ((status1&255) == 0) { printf("Valor de retorno do wait(): %d\n",ret1) ; printf("Parametro de exit(): %d\n",(status1>>8)) ; printf("Meu filho morreu por causa de um simples exit.\n") ; } else printf("Meu filho nao foi morto por um exit.\n") ;

31 printf("\nSou eu ainda, o processo %d.", getpid()); printf("\nOh nao, recomecou! Minha barriga esta crescendo de novo!\n"); if ((pid=fork()) == 0) { printf("\tAlo, eu sou o processo %d, o segundo filho de %d\n", getpid(),getppid()) ; sleep(3) ; printf("\tEu nao quero seguir o exemplo de meu irmao!\n") ; printf("\tNao vou morrer jovem e vou ficar num loop infinito!\n") ; for(;;) ; } else { int ret2, status2, s ; printf("Este aqui tambem vai ter que morrer.\n") ; ret2 = wait(&status2) ; if ((status2&255) == 0) { printf("O filho nao foi morto por um sinal\n") ; } else { printf("Valor de retorno do wait(): %d\n",ret2) ; s = status2&255 ; printf("O sinal assassino que matou meu filho foi: %d\n",s) ; } } } exit(0); }

32 #./test_wait Bom dia, eu me apresento. Sou o processo Estou sentindo uma coisa crescendo dentro de minha barriga...Sera um filho?!?! Vamos esperar que este mal-estar desapareca. Oi, eu sou 3016, o filho de Eu sao tao jovem, e ja me sinto tao fraco! Ah nao... Chegou minha hora! Valor de retorno do wait(): 3016 Parametro de exit(): 7 Meu filho morreu por causa de um simples exit. Sou eu ainda, o processo Oh nao, recomecou! Minha barriga esta crescendo de novo! Este aqui tambem vai ter que morrer. Alo, eu sou o processo 3017, o segundo filho de 3015 Eu nao quero seguir o exemplo de meu irmao! Nao vou morrer jovem e vou ficar num loop infinito! Saída do ps –ax 3015 pts/0 S+ 0:00./test_wait 3017 pts/0 R+ 0:17./test_wait

33 Criando dados compartilhados - IPC

34 shmget vs mmap

35 Bibliografia Operating Systems, 4th Ed, William Stallings, Prentice Hall Advanced Programming in the UNIX Environment, W. R. Stevens, Addison-Wesley Programming with GNU Software, M. Loukides e A. Oram, O'Reilly Managing Projects with make, A. Oram e S. Talbott, O'Reilly


Carregar ppt "Linguagem de Programação IV Carlos Oberdan Rolim Ciência da Computação Sistemas de Informação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google