A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Contemplarmos Nossa Senhora como morada de Deus é tomarmos consciência da dignidade da pessoa humana, enquanto habitação do Espírito Santo. De modo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Contemplarmos Nossa Senhora como morada de Deus é tomarmos consciência da dignidade da pessoa humana, enquanto habitação do Espírito Santo. De modo."— Transcrição da apresentação:

1

2

3 Contemplarmos Nossa Senhora como morada de Deus é tomarmos consciência da dignidade da pessoa humana, enquanto habitação do Espírito Santo. De modo especial, Maria é o templo de Deus por excelência, ela é a Arca da Aliança. Ela trouxe em seu seio Imaculado, o próprio Filho de Deus. De tal forma amou o Pai e guardou as palavras do seu Filho que, o Filho e o Pai vieram a ela e nela fizeram sua morada.

4 Ao concebermos Maria como habitação do Sagrado, compreendemos o quanto Deus nos ama, apesar de nossa condição frágil. É impossível nos aproximarmos de Maria sem nos aproximarmos de Jesus. Maria nos leva a Cristo. Ela é toda cercada de santidade que a envolve e plenifica. Por isso, junto de Maria somos banhados pela luz do Espírito Santo que a cumulou de graça.

5 Em toda a Sagrada Escritura não há mulher que tenha sido agraciada dessa maneira a ponto de ter sido convidada para ser a mãe do Filho de Deus. O Concílio Vaticano II nos diz: Maria foi plasmada e feita uma nova criatura pelo Espírito Santo... Pelo que nada há de estranho em chamar a Mãe de Deus de totalmente santa e imune do pecado...

6 Enriquecida desde o primeiro instante de sua concepção com o resplendor de uma santidade inteiramente singular. São Lucas nos relata: O Altíssimo te cobrirá com sua sombra (Lc 1, 34). Aqui, o evangelista nos apresenta Maria como uma nova tenda do encontro de Deus com a humanidade. Coberta pela sombra do Altíssimo, Maria se torna o santuário onde Jesus toma imagem visível.

7 Ao nos aproximarmos de Nossa Senhora, entramos no templo do Senhor, onde está o primeiro tabernáculo que Jesus habitou por nove meses. Em Maria, Deus encarnado visita seu povo. Entre todos os santos, a santíssima Virgem Maria resplandece como modelo de santidade e de espiritualidade eucarística. Maria está de tal modo, ligada ao mistério eucarístico que mereceu que o Papa João Paulo II a chamasse de Mulher Eucarística.

8 Ela viveu este espírito eucarístico antes que o Sacramento da Eucaristia fosse instituído por Jesus, isto pelo fato de ter oferecido seu seio virginal à encarnação do Verbo de Deus. Logo após o nascimento de Jesus, ela realizou um gesto puramente eucarístico e ao mesmo tempo, eclesial: apresentou o Menino Jesus aos pastores, aos magos e ao sumo-sacerdote no templo em Jerusalém; o fruto bendito de seu ventre apresenta-o ao povo de Deus e aos gentios para que o adorassem e o reconhecessem como o Messias, o próprio Filho de Deus.

9 Em Caná da Galiléia a solícita intercessão de Maria livra do vexame os noivos na hora do primeiro sinal que seu Filho deu, oferecendo-se através de um milagre. Aos pés da cruz, participando nos sofrimentos de seu Filho, oferece-o ao Pai como vítima pura e perfeita. Depois, acolhendo-o morto em seus braços, faz a entrega total depositando-o numa sepultura como semente secreta de ressurreição e de vida nova para a salvação do mundo.

10 Foi ainda uma oferta de natureza eucarística e eclesial a sua presença em Pentecostes quando da efusão do Espírito Santo, primeiro dom do Senhor Ressuscitado à sua Igreja nascente. Nossa Senhora teve consciência de ter concebido Cristo para a salvação de toda a humanidade. Essa consciência tornou-se mais clara na sua participação no mistério pascal, quando seu Filho, com as palavras: Mulher, eis o teu Filho (Jo 19, 26), lhe confiou, na pessoa do apóstolo João, todos os seus fiéis.

11 Como a Virgem Maria, também a Igreja torna presente o Senhor Jesus por meio da celebração eucarística para dá-lo a todos, a fim de que tenham a vida em abundância (Jo 10, 10). Para ser como Maria, Mulher Eucarística, Seta Indicadora e Arca da Aliança, devemos transformar a nossa vida que deve ser toda ela eucarística. Os cristãos daqueles primeiros dias em Jerusalém, reunidos para ouvir a doutrina dos apóstolos, para a oração, para a fração do pão (Eucaristia), para a prática da caridade, continuavam a gozar, certamente da presença de Maria.

12 A Mãe de Jesus, que estava com eles no desabrochar da Igreja no dia de Pentecostes, continuava no meio deles, participando da fração do pão. A Eucaristia, que por assim dizer, viera dela, que tem com ela relação e origem, era seu alimento de cristã, que caminhava com a Igreja nas sendas da fé e da caridade. Esse caminhar com a Igreja ocupa no pensamento e na linguagem do Papa João Paulo II, uma extensa parte em sua encíclica Redemptoris Mater (Mãe do Redentor).

13 27/02/ /03/2010


Carregar ppt "Contemplarmos Nossa Senhora como morada de Deus é tomarmos consciência da dignidade da pessoa humana, enquanto habitação do Espírito Santo. De modo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google