A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Competitividade da Industria Nacional no Setor de Óleo e Gás Desafios, oportunidades e riscos na nova perspectiva da cadeia da indústria de óleo e gás.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Competitividade da Industria Nacional no Setor de Óleo e Gás Desafios, oportunidades e riscos na nova perspectiva da cadeia da indústria de óleo e gás."— Transcrição da apresentação:

1 Competitividade da Industria Nacional no Setor de Óleo e Gás Desafios, oportunidades e riscos na nova perspectiva da cadeia da indústria de óleo e gás no Brasil Carlos Camerini 15 de maio de 2012 A CCELERATE O IL &G AS 2012

2 Tópicos ONIP O setor de óleo e gás no Brasil Oportunidades de desenvolvimento de fornecedores Esclarecendo a política de conteúdo local 1. 2. 3. 4. 2

3 ONIP 1.

4 Missão C ONTRIBUIR PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE E SUSTENTABILIDADE DA INDÚSTRIA NACIONAL, PARA MAXIMIZAÇÃO DO CONTEÚDO LOCAL E A GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NO SETOR DE PETRÓLEO E GÁS 4

5 O PERADORES G OVERNO F EDERAL ONIP – Organização Nacional da Indústria do Petróleo G OVERNO E STADUAL Associados ONIP

6 S ISTEMA N ACIONAL DA I NDÚSTRIA I NDÚSTRIA Associados ONIP ONIP - Organização Nacional da Indústria do Petróleo

7 Cadastro ONIP 7 M ARÇO /2012

8 CadFor O C AD F OR - S ISTEMA DE C ADASTRO DE F ORNECEDORES PARA O S ETOR DE Ó LEO E G ÁS – TEM COMO OBJETIVO AMPLIAR PARA AS EMPRESAS OPERADORAS O CONHECIMENTO SOBRE OS FORNECEDORES NACIONAIS, AUMENTANDO A PARTICIPAÇÃO DA INDÚSTRIA NACIONAL NOS INVESTIMENTOS E EMPREENDIMENTOS. 8

9 CadFor 9 M ARÇO /2012

10 Fatores de Competitividade e Sustentabilidade 10 Tecnologia Recursos Humanos Regime Fiscal Financiamento Escala Continuidade Tecnologia Recursos Humanos Regime Fiscal Financiamento Escala Continuidade Preço Prazo Qualidade Fonte: Agenda da Competitividade. ONIP (2010).

11 D ESENVOLVIMENTO T ECNOLÓGICO E I NOVAÇÃO Demandas tecnológicas das unidades operacionais da Petrobras, de seus grandes fornecedores e outras operadoras Demandas tecnológicas das redes temáticas e Centros de Pesquisas PLATEC Desenvolvimento de Fornecedores com P&D&I 11 R OTA 1 R OTA 2 R OTA 3

12 Rota 3 - Plataformas Tecnológicas Navipeças FPSO Sondas E&P Onshore Campos Inteligentes 12

13 Infra Estrutura de P&D Mapeamento de Oportunidades Desenvolvimento Tecnológico Desenvolvimento Empresarial Royalties e 1% Concessionários E TAPAS DE D ESENVOLVIMENTO DE F ORNECEDORES DE B ASE T ECNOLÓGICA A P ARTIR DE R EDES T EMÁTICAS E C ENTROS DE P ESQUISAS M ECANISMOS DE A POIO E F INANCIAMENTO Competitividade Internacional Prointer Apex Rota 2: Redes Temáticas - Convênio Petrobras/SEBRAE Workshops e Rodadas de Negócios 1% Concessionários Lab Prototipagem Worshops e Rodadas de Negócios

14 O setor de óleo e gás no Brasil 2.

15 Visão Geral Estimativa de Investimentos (2011 - 2015) - US$ 270 bilhões Investimentos em E&P no Brasil (2011-2015) - US$ 151 bilhões 314 Áreas Exploratórias (144 onshore; 170 offshore) 78 Campos em Fase de Desenvolvimento da Produção (44 onshore; 34 offshore) 15

16 Evolução do Investimento Petrobras* US$ bilhões * Total no Brasil Fonte: Petrobras.(2011) 16

17 Investimento no setor de O&G no Brasil 2011-2015 Fonte: Petrobras e IBP. US$ 270 bilhões Petrobras US$ 212 bilhões Outras US$ 58 bilhões US$ 270 bilhões Petrobras US$ 212 bilhões Outras US$ 58 bilhões 79% 21% Petrobras Outras Empresas 17

18 Investimento em E&P no Brasil 2011-2015 Fonte: Petrobras e IBP. US$ 151 bilhões Petrobras US$ 121 bilhões Outras US$ 30 bilhões US$ 151 bilhões Petrobras US$ 121 bilhões Outras US$ 30 bilhões 80% 20% Petrobras Outras Empresas 18

19 A demanda por bens e serviços no setor Offshore será em torno US$ 400 bilhões até 2020 Escala suficiente para desenvolver sólida cadeia produtiva de bens e serviços local 19 0,5 2018 30,1 2,3 4,7 2012 22,3 1,7 6,0 2,7 1,0 2010 2,4 2020 33,8 5,0 25,1 1,5 7,5 1,0 2008 0,6 2014 30,3 1,9 5,0 0,5 2016 33,6 2,1 4,7 Nota: Inclui sondas e unidades produtivas já arrendadas Fonte: Agenda da Competitividade. ONIP (2010). Sísmica Construção de Sondas Exploração e Avaliação Construção de Unidades Produtoras Desenvolvimento da Produção Construção de Petroleiros e Barcos de Apoio G ASTOS E I NVESTIMENTOS NO S ETOR DE E&P O FFSHORE (US$ bi 2009) Investimento consolidado do setor D ISPÊNDIO T OTAL (I NVESTIMENTO E G ASTOS O PERACIONAIS ) I NVESTIMENTO A CUMULADO 3,8 5,3 6,0 4,2 6,8 4,7 9,5 8,7 14,5 5,3 10,1 10,9 5,7 9,4 7,6 6,0 10,2 9,8 25 30 86 71 155 129 191 231 255 312 324 400

20 Sondas para Exploração Offshore 2007/20122008/2013 Petrobras PrópriasAfretada Navios SS 2 0 0 0 9 0 8 4 2012/2018 Petrobras PrópriasAfretada 0 0 22 11 PrópriasAfretada 20 Fonte: Petrobras, Brasil Energia e outras mídias.

21 61 2 Offshore Production Units 21 Pré-Sal15 Petrobras International Operators U NDER CONSTRUCTION AND P LANNED FPSO/SS / TLWP Jack-Up Fixas OGX 23 24 Source: Petrobras and Brazil Energy 2 73

22 TM - Navios 22 L ICITADOS A L ICITAR S UEZMAX A FRAMAX P ANAMAX P RODUTOS G ASEIROS O UTROS 10 5 4 4 3 0 26 4 3 0 18 9 19 53 Fonte: Petrobras, Brasil Energia e outras mídias.

23 TM - Barcos de Apoio 136 18 11 42 3 5689 23 Ú LTIMOS 8 ANOS A TÉ 2013A TÉ 2015A TÉ 2020 M ANUSEIO DE ÂNCORA R EBOCADORES S UPRIMENTOS R ECOLHIMENTO DE ÓLEO 74281 Fonte: Petrobras, Brasil Energia e outras mídias.

24 1.330 mil bpd Abastecimento Investimento: R$ 27 bilhões Expansão e Modernização N OVAS R EFINARIAS R EFINARIAS E XISTENTES Comperj Renest Rio Grande do Norte Ceará Maranhão Capacidade: 150 mil bpd Capacidade: 200 mil bpd Capacidade: 80 mil bpd Capacidade: 300 mil bpd Capacidade: 600 mil bpd 24 Fonte: Petrobras, Brasil Energia e outras mídias.

25 A Nova Província (Pré-Sal)

26 Fonte: Petrobras e IBP. US$ 72 bilhões Petrobras US$ 53 bilhões Outras US$ 19 bilhões US$ 72 bilhões Petrobras US$ 53 bilhões Outras US$ 19 bilhões 74% 26% Petrobras Outras Empresas Investimento no Brasil: Pré Sal 2011-2015 26

27 Impacto sobre as Reservas Reservas provadas 27 Fonte: Anuário Estatístico 2011. ANP(2011) e Petrobras. 30 Bilhões de bbl 0 5 10 15 20 25 1995199619971998199920002001200220032004200520062007200820092010 Tupi, Iara e Guará (Pré-Sal) ~ 13 bi

28 * Noruega e Reino Unido. Fonte: Statistical Review of World Energy 2011. BP (2011). Reservas Mundiais 28 Tupi, Iara e Guará (Pré-Sal) ~ 13 bi Bilhões de bbl

29 Investimentos Industriais e Infra-Estrutura 2011-2014 29 Total: R$ 990 bilhões Setor Petróleo: 38% Total: R$ 990 bilhões Setor Petróleo: 38% Fonte: BNDES. Visão do Desenvolvimento nº 91 / 25 Fevereiro 2011 R$ Bilhões 0 0

30 Oportunidades de desenvolvimento de fornececedores 3.

31 F ORNECIMENTO DE E QUIPAMENTOS E S ISTEMAS Oportunidades x Desafios Poucos fornecedores habilitados em grande parte do fornecimento 31 Outros PaísesBrasil E MPRESAS NO V ENDOR L IST P-ZZ N ÚMERO DE E MPRESAS 18% 37% 38% Somente Empresas Nacionais Predomínio de Empresas Nacionais Predomínio de Empresas Estrangeiras Somente Empresas Estrangeiras 112 7% F ORNECEDORES G RUPOS % V ALOR E STIMADO 42-46% 48-52% 3-5% 1-2% Fonte: Agenda da Competitividade. ONIP (2010).

32 Platec Navipeças E XPERIÊNCIA DO P LATEC N AVIPEÇAS 1876 Equipamentos mapeados 622 Analisados nos 6 workshops 63 Projetos Identificados (itens que serão nacionalizados) 48 Projetos potenciais (itens com grande potencial de nacionalização) W ORKSHOPS T ECNOLÓGICOS WST 1 - Eletrônica de Navegação e Sistemas de Governo (RS) WST 2 - Propulsão e Geração de Energia (SC) WST 3 – Superestrutura,Acomodações,Acessórios de Casco e Convés (MG) WST4- Bombas,Válvulas,Tubulações,Comunicação e Equipamentos de Fundeio e Atracação (SP) WST5 - Automação, Controle, Utilidades, Segurança e Salvatagem (PE) WST 6 - Segurança da Navegação/Operações e Meio Ambiente (RJ)

33

34 Esclarecendo a política de conteúdo local 4.

35 Objetivos  Aumento de Renda e Emprego Políticas 1.Regras da ANP para as rodadas de concessão; 2.Requisitos da PETROBRAS; 3.Critério do BNDES Políticas de Conteúdo Local 35

36 Conteúdo Local Requisitos de Conteúdo Local da ANP Rodadas 1 a 4 –> Proposta livre Rodadas 5 to 6 –> Proposta mínima Rodadas 7 a 10 –> Limites máximos e mínimos (Auditagem independente e certificação) 36

37 Topside CL min = 60% Power Generation Module CL min = 75% Turbo generators CL = 0% Compression Module CL min = 75% Gas Compressors LC = 0% Hull Normally CL = 0% to 60% “R OUND ZERO ” Local Content Policies - PETROBRAS requirements 37

38 Medição do Conteúdo Local Regra de origem- BNDES O critério de 60% ; Metodologia ONIP Contrato com a Petrobras : P-51, P-52, P-53, P-54 e PRA1; projetos na área de refino Conceito do valor adicionado 1 - importado = % de conteúdo local(impostos não incluídos) contrato local 38

39 UK Local Content Fonte: UPSTREAM. Wednesday 7, September 2011.

40 Muito obrigado! www.onip.org.br Carlos Camerini ccamerini@onip.org.br


Carregar ppt "Competitividade da Industria Nacional no Setor de Óleo e Gás Desafios, oportunidades e riscos na nova perspectiva da cadeia da indústria de óleo e gás."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google