A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

R EINO P LANTAE Prof. CARLOS ROBERTO DAS VIRGENS ESCOLA ANGELINA JAIME TEBET WWW.CARLOSROBERTODASVIRGENS.WIKISPACES.COM/

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "R EINO P LANTAE Prof. CARLOS ROBERTO DAS VIRGENS ESCOLA ANGELINA JAIME TEBET WWW.CARLOSROBERTODASVIRGENS.WIKISPACES.COM/"— Transcrição da apresentação:

1 R EINO P LANTAE Prof. CARLOS ROBERTO DAS VIRGENS ESCOLA ANGELINA JAIME TEBET

2 O SUCESSO NO AMBIENTE TERRESTRE O reino Plantae engloba Briófitas, Pteridófitas, Gimnospermas e Angiospermas. As plantas desse reino surgiram no meio aquático, e evidências permitem supor que elas foram originadas a partir das algas verdes: as clorofíceas.

3 A passagem do meio aquático para o terrestre envolveu uma adaptação estrutural que permitiu a sobrevivência no novo meio. No meio aquático, as algas são constantemente banhadas pela água e dela retiram gases e nutrientes necessários à sobrevivência. Ao mesmo tempo, a água é um eficiente meio de sustentação do corpo do vegetal, graças ao empuxo por ela exercido. A reprodução é facilitada pela produção de gametas móveis que têm na água um eficiente meio de locomoção.

4 No momento em que o vegetal invade o meio terrestre, são muitas as adaptações morfológicas necessárias à sua sobrevivência: eficiente mecanismo de absorção da água do solo: mecanismo rápido de condução de água e nutrientes até as células mais distantes dos centros de absorção: eficiente mecanismo de impermeabilização das superfícies expostas, o que evita a perda excessiva de água;

5 eficiente mecanismo de trocas gasosas que permita o ingresso de gás carbônico, facilitando a ocorrência de fotossíntese; eficiente mecanismo de sustentação do corpo por meio de tecidos rígidos, já que o ar, pouco denso, é incapaz de exercer essa tarefa;

6 possibilidade de reprodução, mesmo na ausência de água. As primeiras plantas com vasos condutores ainda dependem da água para o deslocamento dos gametas. adaptação dos jovens ao meio terrestre, por meio da produção de sementes. O embrião fica dentro de um meio desidratado, rico em alimento e envolvido por um revestimento protetor.

7 Tradicionalmente, as plantas têm sido divididas em dois grandes grupos: Criptógamas (cripto = escondido; gamae = gametas): plantas que possuem as estruturas produtoras de gametas pouco evidentes. Exemplo: musgos e samambaias; Fanerógamas (fanero = visível): plantas que possuem estruturas produtoras de gametas bem visíveis. Todas desenvolvem sementes e por isso são também denominadas espermatófitas (sperma = semente). Exemplos: pinheiros, mangueiras, roseiras e coqueiros.

8 As criptógamas dividem-se em dois grupos; Briófitas: criptógamas que não possuem vasos especializados para o transporte de seiva (avasculares); são plantas de pequeno porte. Exemplos: musgos e hepáticas; Pteridófitas: criptógamas que possuem vasos condutores de seiva (vasculares). Exemplos: samambaias e avencas. São plantas vasculares ou traqueófitas e são plantas de maior porte que as avasculares. O corpo é constituído basicamente por raiz, caule e folhas, enquanto nas briófitas fala-se em rizóide, caulóide e filóide, estruturas semelhantes respectivamente a raiz, caule e folha, mas sem vasos condutores de seiva.

9 As fanerógamas também são divididas em dois grupos: Gimnospermas: possuem sementes, mas não formam frutos. Suas sementes são chamadas nuas, pois não estão abrigadas no interior de frutos (daí a denominação: gimno = nu; sperma = semente). Exemplo: pinheiro-do-paraná (Araucaria augustifolia) Estróbilo masculino Estróbilo feminino

10 Angiospermas: possuem sementes abrigadas no interior de frutos (angio = urna; sperma = semente). Os frutos são resultantes do desenvolvimento do ovário da flor. São exemplos: mangueira, figueira, laranjeira.

11 O modo como ocorreu a evolução dos processos sexuados e dos ciclos de vida nas plantas foi fundamentalmente importante para a conquista do ambiente terrestre. Todas apresentam ciclo de vida do tipo haplonte-diplonte. Nesse tipo de ciclo há alternância de gerações. Nas Briófitas, a fase gametofítica é a mais desenvolvida, e a fase esporofítica cresce sobre a planta haplóide, dependendo dela para sua nutrição. Nas Pteridófitas, a fase esporofítica é a mais desenvolvida, além de ser independente da fase gametofítica, que é muito reduzida. A geração gametofítica é formada por indivíduos (gametófitos) que são haplóides (n) e produzem gametas por diferenciação celular e não por meiose. A geração esporofítica é composta de indivíduos (esporófitos) que são diplóides (2n) e produzem esporos por meiose.

12 Nas Gimnospermas e especialmente nas Angiospermas, a fase gametofítica é extremamente reduzida, não ocorrendo alternância típica de gerações, pois não se formam indivíduos haplóides bem caracterizados: o gametófito feminino desenvolve-se no interior do óvulo e o masculino, no grão de pólen. Nessas plantas o óvulo não é o gameta feminino; ele constitui uma estrutura que abriga o gametófito feminino, que dará origem ao gameta feminino chamado oosfera. Na evolução das plantas verifica-se, portanto, a redução da fase gametofítica e maior desenvolvimento da fase esporofítica. tempotempo

13 Bibliografia- DAVIS, Willian; et all. all. The World of Biology. Biology. Fourth Edition. Saunders College Publishing LOPES, Sônia. Bio. Bio. Volume ª Edição. Editora Saraiva UZUNIAN, Armênio; BIRNER, Ernesto. Biologia 3º Edição. Editora Harbra LOPES, Sônia; ROSSO, Sérgio. Biologia. Biologia. Volume Único. Único. 1ª Edição. Editora Saraiva LINHARES, Sérgio; GEWANDSZNAJDER, Fernando. Biologia Hoje. Volume 2 -Os seres vivos. vivos. 11ª Edição. Editora Ática LAURENCE. J. Biologia. Biologia. Vírus, Unicelulares e Fungos. Fungos. Editora Nova Geração AMABIS, J.M.; MARTHO, G.R..Fundamentos G.R..Fundamentos da Biologia Moderna. Volume Único. Único. 3ª Edição. Editora Moderna Selecções do Readers Digest. Ao Encontro da Natureza. Como explorar e apreciar o mundo fascinante que o rodeia. rodeia. 1ª Edição

14 ALGUNS CONCEITOS GAMETA FEMININO DA PLANTAS: OOSFERA GAMETA FEMININO DA PLANTAS: OOSFERA ESPOROS: Célula reprodutora produzida por plantas (fungos, musgos, samambaias) e por alguns protozoários e bactérias. ESPOROS: Célula reprodutora produzida por plantas (fungos, musgos, samambaias) e por alguns protozoários e bactérias.


Carregar ppt "R EINO P LANTAE Prof. CARLOS ROBERTO DAS VIRGENS ESCOLA ANGELINA JAIME TEBET WWW.CARLOSROBERTODASVIRGENS.WIKISPACES.COM/"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google