A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof.: Sergio Pacheco Linguagem PHP Prof.: Sergio Pacheco 1.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof.: Sergio Pacheco Linguagem PHP Prof.: Sergio Pacheco 1."— Transcrição da apresentação:

1 Prof.: Sergio Pacheco Linguagem PHP Prof.: Sergio Pacheco 1

2 Sumário 2 Informações Relevantes; Revisão Prova A2; Correção Exercício.

3 Prof.: Sergio Pacheco Informações Relevantes 3 Ninguém pode entrar com mais de 15 min de tempo decorrido de prova; Ninguém pode sair do local da prova antes de 1 hora de prova. Prova de consulta a AAAOOO Seu cérebro

4 Prof.: Sergio Pacheco Como funciona 4 Função CÓDIGO PHP CHAMADA DA FUNÇÃO Função INTERROMPE O CÓDIGO RETORNO AO CÓDIGO

5 Prof.: Sergio Pacheco Exemplo 2 função 5 RETORNA 1 TIPO, UM RETORNO, NÃO PRECISA DECLARAR O TIPO POIS O PHP É DINÂMICA

6 Prof.: Sergio Pacheco 6 Argumentos Apelido

7 Prof.: Sergio Pacheco 7 Argumentos - Valor padrão

8 Prof.: Sergio Pacheco Passagem de parâmetro por valor

9 Prof.: Sergio Pacheco Escopo Local X Global 9

10 Prof.: Sergio Pacheco Passagem de parâmetro por referencia antes da função por referência "; porreferencia ($str); echo "$str ==> depois da função por referência "; ?> 10

11 Prof.: Sergio Pacheco 11 Recursividade 0){ return ($n*fatorial($n-1)); }else{ return 1; } $n=5; echo "o Fatorial de $n é :: ". fatorial($n); ?>

12 Prof.: Sergio Pacheco 12 $string = substr ($string, $inicio, $comprimento); $string = strtoupper ($str) – tudo maiúsculo $string = strtolower($str) – tudo minúsculo $string = ucfirst ($str) – só a inicial de toda a string maiúscula $string = ucwords($str) – inicial de todas as palavras em maiúsculo $string = str_replace($palbusca, $palsubst, $stringona) $int = strpos ($str1,$str2) – encontra a primeira posição da string 2 na string 1 e retorna a sua posição. $int = strlen($str1) – Conta o tamanho da string e retorna Algumas Função

13 Prof.: Sergio Pacheco 13 Manipulação de String

14 Prof.: Sergio Pacheco Array 14 Descrição Arrays, também muito conhecidos como vetores; São variáveis que servem para guardar vários valores de forma uniforme na memória do mesmo tipo, são acessadas através de índices; Ex.: Caixa de correspondência em um prédio. array() - Cria um Array array(indice => valor) "Cão","b"=>"gato","c"=>"cavalo"); print_r($a); ?>

15 Prof.: Sergio Pacheco 15 Declarar um Array Usando a função, array(). Função Retorno No exemplo acima, $vetor é um vetor, pode ser encarada como return da função Array(); 1 ) array() - Cria um Array; 2 ) array(indice => valor). "Cão","b"=>"gato","c"=>"cavalo"); print_r($a); ?>

16 Prof.: Sergio Pacheco 16 Declarar um Array Usando a função, array() e inicializar uma array. Função Retorno No exemplo acima, $vetor é um vetor, e é inicializado no momento de sua criação, todo e qualquer elemento do array é separado por vírgula.

17 Prof.: Sergio Pacheco 17 Acessar uma Posição no Array Como um único array pode possui vários valores, cada valor fica em uma posição específica da variável; Em PHP, uma das formas é de acessar tais valores é utilizando o índice (index) do array que sempre se inicia em 0; Ou seja, todo índice é definido pela posição - 1. Isso quer dizer que, se quisermos acessar o quarto elemento de um array devemos usar o índice da posição 3, porque = 3; Os índices são indicados por colchetes ([ ]) que vem logo após o nome da variável. $vetor

18 Prof.: Sergio Pacheco 18 Arrays Associativos Uma característica bem interessante dos arrays em PHP é a capacidade de fazer associações; Quando nos referimos a associações, queremos dizer que, ao invés de usarmos números como índices, podemos usar strings (nomes). Dessa forma, fica muito mais simples e intuitivo obter um valor de um array, pois nomes fazem mais sentido do que números. Para usarmos o array associativo basta apenas substituir o número do índice por uma string. Veja o exemplo abaixo.; " X", "cpf" => " ", "cartao de credito" => 12345); ?>

19 Prof.: Sergio Pacheco 19 Arrays Associativos Acessar valores de uma array associativos; " X", "cpf" => " ", "cartao de credito" => 12345); echo ("Os documentos de Fulano são: " ); echo " RG: ". $doc['rg']. echo " CPF: ". $doc['cpf']. echo " Cartão de Crédito: ". $doc['cartao de credito']; ?>

20 Prof.: Sergio Pacheco 20 Arrays Associativos 1, 12 => 2); var_dump($arr); echo " "; $arr[] = 56; $arr["x"] = 42; var_dump($arr); echo " "; unset($arr[5]); var_dump($arr); echo " "; unset($arr); var_dump($arr); echo " "; ?> Destrói o índice e o conteúdo da posição indexada pelo Index em questão. Então e aqui ???????? Aqui ele verifica qual é o ultimo índice, e incrementa e insere o conteúdo.

21 Prof.: Sergio Pacheco 21 Arrays Multidimensionais Associativos PHP possibilita o uso de matrizes que são arrays que contém outros arrays dentro dele. Ou seja, em cada posição de um array, possui outro array; Dessa forma nosso array pode ser bidimensional (2D), tridimensional (3D) e assim por diante; Array comum: $vetor [] Array bidimensional: $vetor [][] Array tridimensional: $vetor [][][] e assim por diante.

22 Prof.: Sergio Pacheco 22 Arrays Multidimensionais Associativos array("costa","oliveira","Macedo"), "brasiliense"=>array("souza"), "carioca"=>array("lima","silva","magalhães")); foreach ($familias as $ch=>$conteudo1) { foreach ($conteudo1 as $ch2=>$conteudo2) { echo "$conteudo2 "; } ?>

23 Prof.: Sergio Pacheco 23 Função Explode Explode() transforma uma string em um array; Sintaxe = explode(separador,string); ficando assim: Array ( [0] => Ola! [1] => Tenha [2] => uma [3] => boa [4] => aula. )

24 Prof.: Sergio Pacheco 24 Função Implode Implode() cria uma string a partir de um array; Sintaxe = implode(separador,array); teremos: Ola! tenha uma boa aula

25 Prof.: Sergio Pacheco 25 Função foreach Usado para percorrer todos os elementos de um array; Sintaxe: foreach (array as índice => valor) { Bloco de comandos; } $arr=array(um", dois", tres"); foreach ($arr as $k => $v) { echo Posição:. $k; echo Valor: ". $v; }

26 Prof.: Sergio Pacheco 26 Manipulação de Arquivos Uma forma de armazenar dados para recuperá-los depois; Quando utilizar Arquivos: 1.Aplicações que necessitam armazenar poucos dados (com SGBD, a conexão ficará mais lenta, devido as consultas ); 2.Quando o servidor de banco de dados estiver remoto e a rede estiver congestionada ; 3.Porem, arquivos não oferecem a segurança necessária de um SGBD.

27 Prof.: Sergio Pacheco 27 O que se pode fazer com arquivos? Abrir – fopen (string nome_arquivo, modo de abertura) – ela retorna falso se não conseguir abrir o arquivo. Segundo parâmetro (modo de abertura); Verificar, sempre, se tem permissão para se criar uma arquivo em determinado lugar. Ex.

28 Prof.: Sergio Pacheco 28 O que se pode fazer com arquivos? Abrir – fclose (string ponteiro); Ela retorna true se conseguir fechar o arquivo e false se houver alguma falha; Parâmetro usado é a variável na qual foi atribuído o retorno da função, ou seja o ponteiro handle para qual o arquivo foi aberto;

29 Prof.: Sergio Pacheco 29 O que se pode fazer com arquivos? Abrir – fread (string nome_arquivo, int tamanho); Lê o numero de bits especificado a partir da posição especificado, ou EOF – end of File ; Parâmetro usado é a variável na qual foi atribuído o retorno da função, ou seja o ponteiro handle para qual o arquivo foi aberto e o tamanho dos bits a serem lidos;

30 Prof.: Sergio Pacheco 30 O que se pode fazer com arquivos? Abrir – fgets (string nome_arquivo); Lê linha a linha do arquivo e retorna em string;

31 Prof.: Sergio Pacheco 31 O que se pode fazer com arquivos? Ecscrever dados em um arquivo – fwrite (string nome_arquivo, conteudo); Lê linha a linha do arquivo e retorna em string;

32 Prof.: Sergio Pacheco 32 Modos e descrição MODODESCRIÇÃO rAbre somente para leitura, posiciona o ponteiro no inicio do arquivo; r+Abre para leitura e escrita, posiciona o ponteiro no inicio do arquivo; wAbre somente para escrita, posiciona o ponteiro no inicio do arquivo e deixando-o com tamanho zero, se o arquivo não existir, tenta cria-lo; w+Abre para leitura e escrita, posiciona o ponteiro no inicio do arquivo e deixando-o com tamanho zero, se o arquivo não existir, tenta cria-lo; aAbre somente para escrita, posiciona o ponteiro no final do arquivo. Se o arquivo não existir, tenta cria-lo; a+Abre somente para leitura e escrita, posiciona o ponteiro no final do arquivo. Se o arquivo não existir, tenta cria-lo; xCria e abre somente para escrita, posiciona o ponteiro no inicio do arquivo. Se o arquivo já existir retorna false e gera um erro. É usado somente em arquivos locais; x+Cria e abre somente para leitura e escrita, posiciona o ponteiro no inicio do arquivo. Se o arquivo já existir retorna false e gera um erro. É usado somente em arquivos locais;

33 Prof.: Sergio Pacheco 33 Exemplo Contador


Carregar ppt "Prof.: Sergio Pacheco Linguagem PHP Prof.: Sergio Pacheco 1."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google