A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SISTEMA DE AVALIAÇÃO: 1ª Avaliação – 70% prova (28/03) 20% seminário* (04/04) 10% ralatório de aula prática (Visita técnica á reserva biológica de Pedra.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SISTEMA DE AVALIAÇÃO: 1ª Avaliação – 70% prova (28/03) 20% seminário* (04/04) 10% ralatório de aula prática (Visita técnica á reserva biológica de Pedra."— Transcrição da apresentação:

1 SISTEMA DE AVALIAÇÃO: 1ª Avaliação – 70% prova (28/03) 20% seminário* (04/04) 10% ralatório de aula prática (Visita técnica á reserva biológica de Pedra Talhada) 2ª Avaliação – 75% prova (13/06) 25% pesquisa científica (13/06) Temas*: Plantas de jardim; Plantas de zonas antrópicas; Árvores de arborização pública; Plantas de paisagismo público; Plantas de vegetação nativa; Plantas medicinais;

2 FiloElementos traqueais Gametas masculinos móveis? Tubo polínico verdadeiro? Tipo de folha CicadophytaTraqueidesSimNãoSemelhante à palmeiras GinkgophytaTraqueidesSimNãoForma de leque ConiferophytaTraqueidesNãoSimAciculares ou escamiformes GnatophytaElementos vasoNãoSimDe escamiformes a folhas grandes

3 FORMAÇÃO DO OVÁRIO Retenção do megásporo; Redução de células-mãe (Megagametócito); Sobrevivência de apenas um megásporo; Sobrevivência de um megasporófito funcional; Desenvolvimento do embrião no megagametófito retido no megasporângio; Formação de tegumento; Modificação do ápice pra receber o grão de pólen (micrópila).

4 Divisão Anthophyta (Angiospermas) Representam a maior parte das plantas visíveis

5 Divisão Anthophyta (Angiospermas) Constituem o grupo mais diverso

6 Divisão Anthophyta (Angiospermas) Várias formas de vida Epífita Parasita Saprofítica

7 Divisão Anthophyta (Angiospermas) Vários tamanhos Eucalipto Lemna

8 Flor Estrutura complexa, presente nos vegetais vasculares e destinado a reprodução; São as estruturas em que se baseiam os taxonomistas para classificar e identificar plantas;

9 Flor Partes constituintes de uma flor: Pedicelo (pode ser chamado de pedúnculo em flores isoladas); Perianto; Receptáculo; Androceu; Gineceu;

10 Flor Perianto: Conceito: constituído pelos elementos florais mais externos e estéreis: cálice e corola. Função: proteção e atração de polinizadores; Apresenta estruturas foliares tais como cutícula, epiderme, parênquima, feixes libero lenhosos e estômato (região dorsal).

11 Fruto Conceito: Órgão de reprodução das angiospermas, resultante da hipertrofiação dos ovário. Função: Proteger as unidades de dispersão.

12 Microgametófito – cerca de 3 células Composta por esporopolenina Composta por celulose e pectina

13 CARACTERÍSTICAS DAS ANGIOSPERMAS GRÃO DE PÓLEN 20 a 250 μm

14 Dificuldade em montar o histórico das Angiospermas Registro fóssil O grão de pólen permite uma maior possibilidade de registro fóssil (Paleopalinologia)

15 Os processos de MICROSPOROGÊNESE e MICROGAMETOGÊNESE dão origem ao microgametófito GRÃO DE PÓLEN Saco polínico Tapete

16 Os processos de MEGASPOROGÊNESE e MEGAGAMETOGÊNESE dão origem à oosfera e núcleos polares Megasporângio Óvulo Formação dos esporos Formação do saco embrionário

17 Os processos de MEGASPOROGÊNESE e MEGAGAMETOGÊNESE dão origem à oosfera e núcleos polares Megasporócito Óvulo

18 Os processos de MEGASPOROGÊNESE e MEGAGAMETOGÊNESE dão origem à oosfera e núcleos polares Megasporócito passa por meiose Óvulo

19 Os processos de MEGASPOROGÊNESE e MEGAGAMETOGÊNESE dão origem à oosfera e núcleos polares Megasporogênese conclui-se Óvulo

20 Os processos de MEGASPOROGÊNESE e MEGAGAMETOGÊNESE dão origem à oosfera e núcleos polares Três células degeneram-se Óvulo Megásporo funcional

21 Os processos de MEGASPOROGÊNESE e MEGAGAMETOGÊNESE dão origem à oosfera e núcleos polares Óvulo Ocorrem três ciclos mitóticos

22 Os processos de MEGASPOROGÊNESE e MEGAGAMETOGÊNESE dão origem à oosfera e núcleos polares Óvulo 1º

23 Os processos de MEGASPOROGÊNESE e MEGAGAMETOGÊNESE dão origem à oosfera e núcleos polares Óvulo 2º

24 Os processos de MEGASPOROGÊNESE e MEGAGAMETOGÊNESE dão origem à oosfera e núcleos polares Óvulo 3º

25 Os processos de MEGASPOROGÊNESE e MEGAGAMETOGÊNESE dão origem à oosfera e núcleos polares Óvulo 3º

26 Os processos de MEGASPOROGÊNESE e MEGAGAMETOGÊNESE dão origem à oosfera e núcleos polares Óvulo Formação de dois grupos

27

28 Óvulo maduro

29 Megagametófito – cerca de 7 células Dupla fecundação é uma característica exclusiva das angiospermas (compartilhada com Ephedra sp. e Gnetum sp. - Gnetophyta). O primeiro núcleo espermático fecundará a oosfera (gameta feminino), originando o embrião (futura planta). O segundo núcleo espermático fecundará os dois núcleos polares, originando o endosperma triplóide (3n) que nutrirá o embrião até o início de seu desenvolvimento.

30 Saco embrionário

31 Taxonomia e Sistemática de Fanerógamos CARACTERÍSTICAS DAS ANGIOSPERMAS

32 Taxonomia e Sistemática de Fanerógamos CARACTERÍSTICAS DAS ANGIOSPERMAS

33 Taxonomia e Sistemática de Fanerógamos CARACTERÍSTICAS DAS ANGIOSPERMAS

34 Ciclo de vida das Angiospermas

35 Não existe arquegônio em angiospermas

36 Taxonomia e Sistemática Vegetal Sistemas de Classificação Adolf Engler Dos primeiros concebidos como filogenético (Darwin e seleção Natural) O sistema é baseado principalmente em características morfológicas obtidas por acessos relativamente simples com lupas e microscópio.

37 Taxonomia e Sistemática Vegetal Sistemas de Classificação Arthur John Cronquist Responsável por uma nova classificação botânica das angiospermas, em 1981 e 1988 Sistema Integrado de Classificação de Plantas com Flores (1981) e A Evolução e Classificação das Plantas com Flores (1988). Dividiu as angiospermas em monocotiledôneas e em dicotiledôneas.

38 O Sistema de classificação APG II, é o mais moderno sistema para a classificação das angiospermas – segundo critérios filogenéticos, publicado em 2003 por um vasto grupo de pesquisadores que se autodenominou "APG II" (do inglês Angiosperm Phylogeny Group, Grupo para a Filogenia das Angiospermas). Taxonomia e Sistemática Vegetal Sistemas de Classificação

39 TaxonSistema Engler (até 1988) DivisãoAngiospermae ClassesDicotyledonae Monoco- tyledonae Sub-classes Choripetalae (Archichlamydeae) Sympetalae (Metachlamydeae) - Ordens Famílias Taxonomia e Sistemática Vegetal Sistemas de Classificação

40 Taxonomia e Sistemática Vegetal Sistemas de Classificação TÁXON CLASSESUB-CLASSE

41 Taxonomia e Sistemática Vegetal Sistemas de Classificação TÁXON CLASSESUB-CLASSE

42 Taxonomia e Sistemática Vegetal Sistemas de Classificação ÓRGÃOMONOEUDICO RaizFasciculadaAxial Caule Não ramificado. Geralmente estipe, colmo, rizoma ou bulbo Ramificado. Geralmente haste ou tronco

43 ÓRGÃOMONOEUDICO Folha Nervação paralela Pecioladas ou sésseis Simples ou compostas Nervação reticulada Flor TrímerasTetrâmeras ou pentâmeras Taxonomia e Sistemática Vegetal Sistemas de Classificação

44 ÓRGÃOMONOEUDICO Fruto Trilocular Bi ou pentalocular, ou plurilocular (com múltiplos de 2 ou 5) Semente Com 1 único cotilédoneCom 2 cotilédones Taxonomia e Sistemática Vegetal Sistemas de Classificação

45 Taxonomia e Sistemática Vegetal Sistemas de Classificação APG II Eudicotiledôneas Monocotiledôneas Magnoliídeas

46 Taxonomia e Sistemática Vegetal Formas de representação dos grupos TÁXONS x CLADOS

47 Taxonomia e Sistemática Vegetal Formas de representação dos grupos TÁXONS x CLADOS

48 Taxonomia e Sistemática Vegetal ANGIOSPERMAS Admite-se ser um grupo monofilético; 1. GRÃOS DE PÓLEN MONOAPERTURADOS GRUPOS? 2. GRÃOS DE PÓLEN TRIAPERTURADOS GRUPOS?

49 MONOAPERTURADOS TRIAPERTURADOS

50 Taxonomia e Sistemática Vegetal ANGIOSPERMAS Várias linhas evolutivas de angiospermas divergiram antes das mono e dicotiledôneas verdadeiras: Eudicotiledôneas: GRUPOS – Sub-classes Monocotiledôneas; GRUPOS – Sub-classes Magnoliídeas; Antiga Sub-classe.

51 Taxonomia e Sistemática Vegetal ANGIOSPERMAS Alguns grupos são considerados completamente distintos das eudicotiledôneas e magnoliídeas: Amborellaceae Nympheaceae Austrobaileyales Clado das ANITAS

52 Amborellaceae Amborella trichopada

53 Nympheacea

54 Austrobaileyales

55

56 Taxonomia e Sistemática Vegetal Plesiomorfia – Características primitivas Apomorfia - Características derivadas

57 Taxonomia e Sistemática Vegetal Dificuldade em montar o histórico das Angiospermas Registro fóssil

58 CARACTERES PRIMITIVOS (PLESIOMÓRFICOS) CARACTERES DERIVADOS (APOMÓRFICOS) PLANTAS TROPICAISPLANTAS TEMPERADAS PLANTAS LENHOSASTREPADEIRAS, HERBÁCEAS TERRESTRESAQUÁTICAS, PARASITAS ESTÍPULAS PRESENTESESTÍPULAS AUSENTES FOLHAS SIMPLESFOLHAS COMPOSTAS FLORES HERMAFRODITASFLORES UNISSEXUAIS FLORES SOLITÁRIASINFLORESCÊNCIAS

59 CARACTERES PRIMITIVOS (PLESIOMÓRFICOS) CARACTERES DERIVADOS (APOMÓRFICOS) PARTES FLORAIS ESPIRALADAMENTE IMBRICADAS PARTES FLORAIS VERTICILADAS FLORES DICLAMÍDEAS FLORES ACLAMÍDEAS, MONOCLAMÍDEAS PÉTALAS LIVRESPÉTALAS UNIDAS FLORES ACTINIMORFASFLORES ZIGOMORFAS HIPÓGINAS, PERÍGINASEPÍGINAS

60 CARACTERES PRIMITIVOS (PLESIOMÓRFICOS) CARACTERES DERIVADOS (APOMÓRFICOS) MUITOS ESTAMESPOUCOS ESTAMES ESTAMES LIVRESESTAMES UNIDOS MUITOS CARPELOSPOUCOS CARPELOS CARPELOS LIVRESCARPELOS UNIDOS

61 CARACTERES PRIMITIVOS (PLESIOMÓRFICOS) CARACTERES DERIVADOS (APOMÓRFICOS) PÓLEN COM UMA ABERTURA PÓLEN COM TRÊS OU MUITAS ABERTURAS ESTAMES LAMINARES ESTAMES DIFERENCIADOS EM ANTERA FILETE E CONECTIVO


Carregar ppt "SISTEMA DE AVALIAÇÃO: 1ª Avaliação – 70% prova (28/03) 20% seminário* (04/04) 10% ralatório de aula prática (Visita técnica á reserva biológica de Pedra."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google