A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

É noite... Ouço esta música e me aquieto Na solidão constante, E na suavidade das coisas adormecidas Tudo parece estático, Vida, lembranças, sentimentos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "É noite... Ouço esta música e me aquieto Na solidão constante, E na suavidade das coisas adormecidas Tudo parece estático, Vida, lembranças, sentimentos."— Transcrição da apresentação:

1

2

3 É noite... Ouço esta música e me aquieto Na solidão constante, E na suavidade das coisas adormecidas Tudo parece estático, Vida, lembranças, sentimentos. É noite... Ouço esta música e me aquieto Na solidão constante, E na suavidade das coisas adormecidas Tudo parece estático, Vida, lembranças, sentimentos. Enter

4 Não curti as flores que plantei E nem vi mais o luar colorindo o meu jardim. Deixei tudo escondido em meu silêncio, Machucado o coração. Busco encontrar meu ser, Perdido neste emaranhado de tormentas Perdido neste emaranhado de tormentas Nos espaços vazios e distantes. Não curti as flores que plantei E nem vi mais o luar colorindo o meu jardim. Deixei tudo escondido em meu silêncio, Machucado o coração. Busco encontrar meu ser, Perdido neste emaranhado de tormentas Perdido neste emaranhado de tormentas Nos espaços vazios e distantes. Enter

5 Tempo que deixou marcas E sequelas na alma... Fingir, sorrir e vagar... Como o vento sussurrante Despindo as mangueiras ressequidas. Na encruzilhada do destino, Pura indecisão. O medo, a busca, a ausência. Que machuca e dói. Tempo que deixou marcas E sequelas na alma... Fingir, sorrir e vagar... Como o vento sussurrante Despindo as mangueiras ressequidas. Na encruzilhada do destino, Pura indecisão. O medo, a busca, a ausência. Que machuca e dói. Enter

6 Depois... A nítida certeza do não ser, Nesta visão turva dos porquês, Indefinidamente o caminhar vago e distante... Hoje, apenas sombras alienadas e frias, Neste paradoxo conturbado. Que devora tudo Rumo ao ocaso irreversível. Depois... A nítida certeza do não ser, Nesta visão turva dos porquês, Indefinidamente o caminhar vago e distante... Hoje, apenas sombras alienadas e frias, Neste paradoxo conturbado. Que devora tudo Rumo ao ocaso irreversível. Enter

7 Texto: Zilneide Ribeiro Formatação: Jô Abreu Música: Ernesto Cortazar Somewhere In My Soul Texto: Zilneide Ribeiro Formatação: Jô Abreu Música: Ernesto Cortazar Somewhere In My Soul


Carregar ppt "É noite... Ouço esta música e me aquieto Na solidão constante, E na suavidade das coisas adormecidas Tudo parece estático, Vida, lembranças, sentimentos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google