A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Capoeira. Capoeira regional - também conhecida como capoeira regional de Bimba,é um estilo de capoeira criado entre o final da década de 1920 e início.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Capoeira. Capoeira regional - também conhecida como capoeira regional de Bimba,é um estilo de capoeira criado entre o final da década de 1920 e início."— Transcrição da apresentação:

1 Capoeira

2 Capoeira regional - também conhecida como capoeira regional de Bimba,é um estilo de capoeira criado entre o final da década de 1920 e início da década de 1930 por Manuel dos Reis Machado, o Bimba.

3 Características Marciais - Originalmente chamada de luta regional baiana, o estilo tem ênfase na marcialidade e seus pilares são a capoeira primitiva (mais tarde chamada de capoeira de Angola, por uma questão de identidade e para contrapor a recente notoriedade do novo estilo criado por Bimba) e o batuque (samba-luta), somados, claro, à genialidade de Mestre Bimba. Trata-se de uma versão mais enxuta da capoeira tradicional, incorporando também alguns poucos movimentos de outras artes marciais. Bimba criou seqüências pré-definidas de ataque, defesa e contra-ataque, com movimentos mais objetivos e eficientes, tendo poucos floreios rasteiros. Para certificar-se da eficiência de seu novo estilo, Bimba costumava armar emboscadas surpresa para seus alunos formados, podendo avaliá-los em uma situação real

4 Características culturais – Coerente com a natureza dinâmica da capoeira, a regional foi concebida como uma "obra aberta", culturalmente elástica, com capacidade para integrar-se com outras culturas, influenciar e recepcionar influências, experimentar novos inventos, preservando, contudo, sua originalidade, a integridade dos seus princípios, fundamentos e sua relação mítica com a cultura negra: ginga, manha (malícia), música, culto à ancestralidade e religiosidade.

5 Capoeira de Angola ou somente Angola é o estilo de capoeira mais próximo de como os negros escravos jogavam a capoeira. Caracterizada por ser mais lenta, porém rápida, movimentos furtivos executados perto do solo, como em cima, ela enfatiza as tradições da capoeira, que em sua raiz está ligada aos rituais afro- brasileiros, caracterizados pelo candomblé. Sua música é cadenciada, orgânica e ritualizada e o correto é estar sempre acompanhada por uma bateria completa de oito instrumentos, chamada de bateria de Angola.

6 É uma manifestação da cultura popular brasileira onde coexistem aspectos normalmente compreendidos de forma segmentada pela cultura que se fez oficial, como o jogo, a dança, a mímica, a luta e a ancestralidade, unidos de forma coesa, simples e sintética. Possui suas origens em elementos da cultura de várias matizes de povos africanos que foram escravizados e mantidos em cativeiro no Brasil no século XIX, sincretizados com elementos de culturas nativas (povos indígenas) e de origem européia.

7 Capoeira Regional Capoeira de Angola Capoeira Conteporanea

8 Regional – Mestre Bimba Angola – Mestre Pastinha

9 Regional – Mestre Bimba, Mestre Ezequiel e Mestre Capixaba. Angola – Mestre Pastinha, Mestre Pequeno e Mestre Grande.

10 Manoel dos Reis Machado, também conhecido como Mestre Bimba (Salvador, 23 de Novembro de Goiânia, 05 de Fevereiro de 1974), foi criador da Luta Regional Baiana, mais tarde chamada de capoeira regional. Ao perceber que a capoeira estava perdendo seu valor cultural e enfraquecendo enquanto luta, Mestre Bimba misturou elementos da Capoeira Tradicional com o batuque (luta do Nordeste Brasileiro extinta com o passar do tempo) criando assim um novo estilo de luta com praticidade na vida, com movimentos mais rápidos e acompanhada de música. Assim conquistou todas as classes da sociedade. Foi um eximio lutador e acima de tudo um grande educador, foi o responsavel por tirar a capoeira da marginalidade. Praticantes dessa arte se denominam "capoeira", pois, para eles, a capoeira é um estilo de vida - ser, pensar, agir como um capoeira.

11 Bimba empunhava regras para os praticantes da capoeira regional, sendo elas: - Não beber, e não fumar. Pois os mesmos alteravam o desempenho e a consciência do capoeira. - Evitar demonstrações de todas as técnicas, pois a surpresa é a principal arma dessa arte. - Praticar os fundamentos todos os dias. - Não dispersar durante as aulas. - Manter o corpo relaxado e o mais próximo do seu adversário possível, pois dessa forma o capoeira desenvolveria mais. - Sempre ter boas notas na escola.

12 Iniciou-se na Capoeira ainda menino, aprendendo-a de oitiva, coisa comum aos meninos de Salvador. Somente na década de 60, levado por Sacy aluno de Mestre Bimba, chegou ao Centro de Cultura Física Regional-CCFR, de onde não saiu mais, formando-se lenço azul do Mestre Bimba e um dos seus mais fiéis discípulos, informação dada pelo Prof. Romario Itacare do Grupo Luanda. Foi por muito tempo da Polícia Militar Baiana, onde iniciou sua carreira de Mestre de Capoeira Mestre Bimba para Goiânia Mestre Vermelho 27, a responsabilidade pela academia do antigo Mestre no Terreiro de Jesus em Salvador. Por fim, acabou por fundar seu próprio grupo, junto do Mestre Franklin, o Grupo Luanda, com sede no Bairro do Resgate (Cabula), próximo a sua casa. O grupo tinha a intenção de realizar shows e divulgar a cultura baiana, e com ela o Maculelê, a Puxada de Rede, e principalmente, a Capoeira. ensinando no quartel dos dendenzeiros.

13 Vicente Joaquim Ferreira Pastinha (Salvador, 5 de abril de 1889 Salvador, 13 de novembro de 1981), foi um dos principais mestres de Capoeira da história. Mais conhecido por Mestre Pastinha, nascido em 1889 dizia não ter aprendido a Capoeira em escola, mas "com a sorte". Afinal, foi o destino o responsável pela iniciação do pequeno Pastinha no jogo, ainda garoto. Em depoimento prestado no ano de 1967, no 'Museu da Imagem e do Som', Mestre Pastinha relatou a história da sua vida: "Quando eu tinha uns dez anos - eu era franzininho - um outro menino mais taludo do que eu tornou- se meu rival. Era só eu sair para a rua - ir na venda fazer compra, por exemplo - e a gente se pegava em briga. Só sei que acabava apanhando dele, sempre. Então eu ia chorar escondido de vergonha e de tristeza." A vida iria dar ao moleque Pastinha a oportunidade de um aprendizado que marcaria todos os anos da sua longa existência.

14 "Um dia, da janela de sua casa, um velho africano assistiu a uma briga da gente. Vem cá, meu filho, ele me disse, vendo que eu chorava de raiva depois de apanhar. Você não pode com ele, sabe, porque ele é maior e tem mais idade. O tempo que você perde empinando raia vem aqui no meu cazuá que vou lhe ensinar coisa de muita valia. Foi isso que o velho me disse e eu fui". Começou então a formação do mestre que dedicaria sua vida à transferência do legado da Cultura Africana a muitas gerações. Segundo ele, a partir deste momento, o aprendizado se dava a cada dia, até que aprendeu tudo. Além das técnicas, muito mais lhe foi ensinado por Benedito, o africano seu professor. "Ele costumava dizer: não provoque, menino, vai botando devagarinho ele sabedor do que você sabe (…). Na última vez que o menino me atacou fiz ele sabedor com um só golpe do que eu era capaz. E acabou-se meu rival, o menino ficou até meu amigo de admiração e respeito."

15 Foi na atividade do ensino da Capoeira que Pastinha se distinguiu. Ao longo dos anos, a competência maior foi demonstrada no seu talento como pensador sobre o jogo da Capoeira e na capacidade de comunicar-se. Os conceitos do mestre Pastinha formaram seguidores em todo Brasil. A originalidade do método de ensino, a prática do jogo enquanto expressão artística formaram uma escola que privilegia o trabalho físico e mental para que o talento se expanda em criatividade. Foi o maior propagador da Capoeira Angola, modalidade "tradicional" do esporte no Brasil.

16 Em 1941, fundou a primeira escola de capoeira legalizada pelo governo baiano, o Centro Esportivo de Capoeira Angola (CECA), no Largo do Pelourinho, na Bahia. Hoje, o local que era a sede de sua academia é um restaurante do Senai. Em 1966, integrou a comitiva brasileira ao primeiro Festival Mundial de Arte Negra no Senegal, e foi um dos destaques do evento. Contra a violência, o Mestre Pastinha transformou a capoeira em arte. Em 1965, publicou o livro Capoeira Angola, em que defendia a natureza desportista e não-violenta do jogo.

17 Entre seus alunos estão Mestres como João Grande, João Pequeno, Curió, Bola Sete (Presidente da Associação Brasileira de Capoeira Angola), entre muitos outros que ainda estão em plena atividade. Sua escola ganhou notoriedade com o tempo, frequentada por personalidades como Jorge Amado, Mário Cravo e Carybé, cantada por Caetano Veloso no disco Transa (1972). Apesar da fama, o "velho Mestre" terminou seus dias esquecido. Expulso do Pelourinho em 1973 pela prefeitura, sofreu dois derrames seguidos, que o deixaram cego e indefeso. Morreu aos 93 anos.

18 Vicente Ferreira Pastinha morreu no ano de Durante décadas dedicou-se ao ensino da Capoeira. Mesmo completamente cego, não deixava seus discípulos. E continua vivo nos capoeiras, nas rodas, nas cantigas, no jogo. "Tudo o que eu penso da Capoeira, um dia escrevi naquele quadro que está na porta da Academia. Em cima, só estas três palavras: Angola, capoeira, mãe. E embaixo, o pensamento: "Mandinga de escravo em ânsia de liberdade, seu princípio não tem método e seu fim é inconcebível ao mais sábio capoeirista."

19 João Pereira dos Santos ou Mestre João Pequeno, é um mestre de capoeira brasileiro. Mestre João Pequeno Em 27 de dezembro 1917 nasceu em Araci no interior da Bahia João Pereira do Santos, filho de Maria Clemença de Jesus, ceramista e descendente de índio e de Maximiliano Pereira dos Santos cuja profissão era vaqueiro na Fazenda Vargem do Canto na Região de Queimadas. Aos quinze anos (em 1933) fugiu da seca a pé, indo até Alagoinhas seguindo depois para Mata de São João onde permaneceu dez anos e trabalhou na plantação de cana de açúcar como chamador de boi, então conheceu Juvêncio na Fazenda são Pedro, que era ferreiro e capoeirista, foi aí que conheceu a capoeira. Aos 25 anos, mudou-se para Salvador, onde trabalhou como condutor (cobrador) de bondes e na construção civil como servente de pedreiro, pedreiro, chegando a ser mestre de obras.

20 João Oliveira dos Santos (Itagi, Bahia, 15 de janeiro de 1933) mais conhecido como Mestre João Grande, é um proeminente professor de artes marciais como a capoeira contribuiu nacionalmente e internacionamente no estilo angola. Foi aluno do pai da angola Mestre Pastinha, e possui uma academia em Nova Iorque.

21

22

23

24

25

26 Gabriel Viana, José Vínicius, Victor Guimarães, Bruno Henrique


Carregar ppt "Capoeira. Capoeira regional - também conhecida como capoeira regional de Bimba,é um estilo de capoeira criado entre o final da década de 1920 e início."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google