A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O PICO DO PETRÓLEO E O DESTINO DA HUMANIDADE Capítulo 10 – Conclusão Por Robert Bériault.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O PICO DO PETRÓLEO E O DESTINO DA HUMANIDADE Capítulo 10 – Conclusão Por Robert Bériault."— Transcrição da apresentação:

1 O PICO DO PETRÓLEO E O DESTINO DA HUMANIDADE Capítulo 10 – Conclusão Por Robert Bériault

2 Então a tua conclusão é que os humanos devem investir massivamente em renováveis?

3 NÃO! O investimento em renováveis é energéticamente intensivo. Se todos os países decidissem fazê-lo ao mesmo tempo, isso iria precipitar o pico do petróleo. Não existe capacidade extra para fornecer o petróleo necessário para todos investirem em energia eólica e solar.

4 E se existisse petróleo para toda a gente investir fortemente em renováveis… -- isso aumentaria ainda mais a capacidade de carga da Terra (temporariamente) permitindo-nos gastar ainda mais os seus recursos, poluir mais e destruir mais a bio- -diversidade. Resultaria numa sobrecarga maior e numa quebra populacional ainda maior.

5 Estou a falar apenas do CANADÁ Tal como demonstrado em capítulos anteriores, o Canadá tem a possibilidade de se transformar numa Zona Segura, onde os humanos podem sobreviver à catástrofe.

6 Ética de salva-vidas? A Humanidade enfrenta o fim de séculos de progresso na ciência e desenvolvimento social. É possível salvar a civilização criando uma zona segura para a sua sobrevivência. É trágico, mas é inevitável que largas porções do mundo simplesmente pereçam até ao fim do século.

7 Quando considerei pela primeira vez a solução da zona segura senti-me desconfortável com a idea, tal como te deve fazer sentir a ti desconfortável. Vai contra a minha filosofia de vida de ajudar os menos favorecidos.

8 Passei muito tempo a reflectir nisto. Lutei extensivamente com este dilema antes de concluir que a opção da zona segura é a única com hipóteses de funcionar.

9 O que ganhas com isto Robert? Porque me estás a contar isto tudo?

10 Eis porquê: A bonita pequenina que está com o bébé ao colo é a minha neta. Está acompanhada pelos netos dos meus primos. Todas as crianças que nascem hoje deveiam ter a esperança de uma vida decente. Mas a realidade será muito diferente para elas, em relação ao que é para os adultos de hoje.

11 Love Nós damos aos nossos filhos amor e devoção e fornecemos-lhes a melhor educação e cuidados médicos que podemos. Ainda assim roubamos-lhes o futuro ao pilharmos os recursos da Terra e destruindo a infra-estrutura de suporte à vida da Natureza.

12 E como isto aconteceu? Eu nasci em 1941 para um mundo que ingenuamente prometia prosperidade e conforto material para todos os seres humanos. A crença popular era que a tecnologia nos permitiria erradicar a pobreza do mundo.

13 O Universo inteiro estava ao alcance. Não exisitiam limites ao domínio do Homem sobre a Natureza. Poucas pessoas tinham consciência dos conceitos de capacidade de carga, limites naturais e sobrecarga. Eu seguramente não tinha. Agora quando olho para trás vejo um cenário completamente diferente. O Homem conquistou o Espaço!

14 O legado da Natureza A Mãe Natureza providenciou-nos um planeta maravilhoso, rico em bio-diversidade, minerais e fontes de energia – aquilo a que um pensador chamou capital natural.

15 Lived on interest Durente centenas de milénios os humanos viveram mais ou menos em balanço com a Natureza. Usavam apenas recursos renováveis – os juros, sem esgotar o capital natural.

16 Then came coal A certa altura deu-se a descoberta do carvão, que permitiu o desenvolvimento da tecnologia. Isto permitiu ao humanos extrair os recursos não renováveis da Natureza, usando não apenas o juro mas também o capital.

17 Discovery of oil Depois, à cerca de um século e meio atrás, os humanos descobriram uma fonte inimaginável de energia na forma de petróleo, uma dádiva da Mãe Natureza que esteve escondida durante milhões de anos.

18 Urbanization and the automobile Esta energia permitiu-lhes criar os centros industriais que atraíram pessoas das zonas agrícolas. Daí resultaram enormes cidades. O Petróleo permitiu-lhes construir um sistema de transportes que possibilitou aos indivíduos viajar em casulos privados sedentos de energia, por estradas pavimentadas com um subproduto do petróleo.

19 Enormous food output Esta mesma fonte de energia permitiu-lhes produzir alimentos em quantidades nunca antes conseguidas, triplicando a produção por hectare. Isto resultou em hectares fantasma de terra a produzirem colheitas, hectares esses que se evaporarão quando o petróleo se tornar escasso.

20 Medical advances Tendo à mão uma fonte de energia que pensavam inesgotável, poderam conduzir pesquisas para criar vacinas, fármacos e equipamento médico que mais que duplicou a sua esperança de vida. Isto contribuiu para um crecimento populacional sem precedentes.

21 Exponential growth A sua população cresceu exponencialmente, ultrapassando largamente a capacidade de carga do seu planeta.

22 Manufacturing frenzy A energia barata substituiu a maior parte parte do trabalho manual na indústria. Isto permitiu-lhes criar vastas quantidades de bens de consumo. O resultado é a alimentação frenética da produção e do consumo.

23 Destruction of farmland Tudo isto contribuiu para cobrir terras aráveis valiosas com mais e maiores edifícios e casas, estradas e parques de estacionamento, desse modo reduzindo a capacidade de carga futura.

24 Oil peak soon Agora esta civilização tecnólgica amaeça ruir, assim que o pico do petróleo chegue. Daí em diante, todos os anos existirá menos petróleo disponível que no ano anterior.

25 Menos conforto Daí em diante, os nossos descendentes terão de aprender a viver em infra- estruturas em deteoração. Eles terão cada vez menos conforto material de ano para ano.

26 End to growth Existe também o perigo que o fim do crescimento destrua o nosso frágil sistema económico dependente do crescimento. Se isto acontecer, gerará caos social e desintegração.

27 Civilizações desaparecidas Muitas civilizações antigas excederam a capacidade de carga do seu território e desmoronaram-se. A nossa civilização tecnológica não está imune a um igual resultado. Civilização Maia The Collapse of Complex Societies, Josep A. Tainter

28 A prerrogativa da Natureza Dado que a população presente excedeu a capacidade de carga da Terra, a Mãe Natureza exercerá a sua prerrogativa e cortará a população em excesso. Ela faz normalmente isto com vingança, desbaratando a população ofensiva para um nível abaixo da capacidade de carga.

29 Limites do Crescimento Daqui a pouco, quando o pico do petróleo chegar, a população humana enfrantará de caras os limites ao crescimento. Será então que a Mãe Natureza usará um dos seus muitos truques na manga para dizimar os humanos que pensaram que a podiam ultrapassar com a tecnologia.

30 Fome Seria fácil à Mãe Natureza impor a fome sobre a humanidade. Ela não pode criar mais petróleo para nosso uso, pelo menos não tão depressa de modo a fazer diferença. Basta-lhe sentar-se e observar-nos a lutar por nos alimentarmos sem as ajudas dos derivados do petróleo, a partir de solos pobres distutuidos de humus, humidade e minerais.

31 Doença Ela não teria pressa em tornar um dos seus muitos virus numa espécie mortal para os humanos. Nós humanos ajudaríamos nesse trabalho mortal expalhando o virus pelo globo com os nossos aviões e outros meios de transporte.

32 Guerra e violência E por último, mas mais importante, a Mãe Natureza faria matar-nos uns aos outros soltando a agressividade embebida nos nossos genes. Ela instigou-nos este potencial para a violência durante centenas de milhares de anos de evolução.

33 Na anarquia que provavelmente ocorrerá no mundo, o Canadá tem o potencial para permanecer uma ilha de sanidade e segurança.

34 Vamos salvar a nossa parte do mundo. Agora que estamos conscientes do que se passa, estamos numa posição melhor para tomar as decisões difíceis que são necessárias. Vamos fazer do Canadá uma Zona Segura.

35 Estas crianças estão a contar connosco

36 E agora podemos apreciar a sabedoria deste indivíduo: Energia & Sociedade – As Raízes Históricas do Entendimento As leis que expressam as relações entre energia e matéria não importam apenas à ciência pura. Necessáriamente vêm em primeiro lugar…no registo completo da experiência humana, e elas controlam, no último recurso, a ascenção e queda de sistemas políticos, a liberdade e laços das nações, os movimentos do comércio e da indústria, a origam da riqueza e da pobreza e o bem-estar físico geral da espécie. Se isto tem sido reconhecido imperfeitamente no passado, não há desculpa, agora que estas leis físicas se incorporaram nos hábitos de pensamento do dia a dia, para negligenciar em considerá- -las em primeiro lugar nas questões relacionadas com o futuro. Frederick Soddy, Matter and Energy, 1912; Prémio Nóbel da Química em 1921

37 Urjo-te a ler mais sobre este assunto e a divulgar pelos teus conhecidos a importância de nos prepararmos para o declínio do petróleo. O primeiro livro que recomendo é The Partys Over de Richard Heinberg. Nas próximas semanas publicarei neste sítio uma lista de bons livros. Por favor vem verificar mais tarde.

38 Dado que leste o livro inteiro, estás provavelmente motivado para agir de modo a preparar o declínio do petróleo. Se achas que vale a pena o esforço de publicitar este livro por favor contribui o mais que poderes para esse fim. Nem toda a gente tem tempo para se envolver directamente numa organização, e esse é provavelmente o teu caso. No entanto, podes ser uma grande ajuda fornecendo fundos para a causa. O total de qualquer donativo não será usado para qualquer outro propósito que não o de promover a consciencialização do pico do petróleo e do problema da capacidade de carga. O método principal de publiciade será através de anúncios de jornais. Podes estar interessado em contribuir financeiramente…

39 Qualquer montate. Aceito um donativo de 2 milhões de dólares, e se isso estiver for a do teu alcance, 2000 ou mesmo 20 dólares. Nenhum montante será pequeno o suficiente para ser rejeitado! Eu não tenho estatuto de organização de caridade nem pretendo candidatar-me a tal (a Revenue Canada dita o que as instituições de caridade podem dizer), por isso infelizmente o teu donativo não servirá para rebater impostos. Outra forma de ajudar será comprares alguns dos nossos sacos de compras de nilon amigos do ambiente. Ir para os sacos de compras. Ir para os sacos de compras. Que formas de pagamento existem? Por favor envia um cheque para: Robert Bériault 895 rue de l'Oasis, Unit 4, Gatineau, QC, J8R 2W7 Voltar á Escolha de Capítulo Quanto devo contribuir? Obrigado!


Carregar ppt "O PICO DO PETRÓLEO E O DESTINO DA HUMANIDADE Capítulo 10 – Conclusão Por Robert Bériault."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google