A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

IX Workshop Trabalho Final Técnicas de Apresentação Curso de Ciências Contábeis Setembro de 2008 Prof. Alexandre dos Santos Silva.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "IX Workshop Trabalho Final Técnicas de Apresentação Curso de Ciências Contábeis Setembro de 2008 Prof. Alexandre dos Santos Silva."— Transcrição da apresentação:

1

2 IX Workshop Trabalho Final Técnicas de Apresentação Curso de Ciências Contábeis Setembro de 2008 Prof. Alexandre dos Santos Silva

3 2 REFLEXÃO VOCÊ SÓ TEM UMA ÚNICA CHANCE DE CAUSAR UMA PRIMEIRA BOA IMPRESSÃO NO SEU PÚBLICO

4 3 OBJETIVOS DO TEMA Apresentar sugestões e dicas básicas sobre como falar em público, destacando: b) Preparação de Transparências c) Apresentação Oral a) Importância das apresentações

5 4 O que uma apresentação pode fazer por você? a)Dá visibilidade: expõe a pessoa perante os seus pares. b)Dá dinamismo: permitindo interatividade com a platéia. c)Oportunidade: é o momento de expor as idéias.

6 5 Fases de uma apresentação Preparação Exposição Debate Sucesso

7 6 O que significa sucesso em uma apresentação? 1.Cumprir o tempo 2.Não descuidar da qualidade 3.Transmitir, de forma clara e objetiva, o conteúdo 4.Despertar no público interesse pelo assunto 5.Proporcionar debate 6.Montar uma rede de relacionamento

8 7 Preparação

9 8 Questões a serem respondidas 1.Qual tema será abordado? 2.Qual assunto será tratado? 3.Quem é o público? 4.Qual é o tempo disponível? 5.Onde será a apresentação? 6.Qual é o horário do evento? 7.Qual é a data da apresentação? 8.Qual é o traje a ser usado? 9.Quais equipamentos estão disponíveis? 10.Haverá tempo para debate?

10 9 1 - Qual tema será abordado? a)Domínio do tema b)Preparo para desenvolver o tema c)Metodologia de pesquisa d)Referências bibliográficas e)Forma de abordagem do tema f)Desenvolvimento do tema g)Conclusão do tema

11 Qual assunto será tratado? Assunto Tema Delimitação do Tema Problema De que maneira a implantação do Custeio Baseado em Atividades poderá contribuir para o aumento da rentabilidade das Empresas de Construção Civil? Aplicado às Empresas de Construção Civil Custeio Baseado em Atividades Custos

12 Quem é o público? a)Composição b)Formação c)Experiência d)Organizações a que pertencem e)Expectativas com a apresentação

13 Qual é o tempo disponível? Divisão do Tempo Apresentação Debate

14 Onde será a apresentação? a)Procurar conhecer o local b)Quantidade de lugares c)Acesso ao local

15 Qual é o horário do evento? a)É o ideal b)Concentração c)Eventos subseqüentes

16 Qual é a data da apresentação? Disponibilidade de Agenda

17 Qual é o traje a ser usado? Formal SportInformal

18 Quais equipamentos estão disponíveis? a)Datashow b)Microfone c)Computador/Notebook d)Conexão com a internet e)Aparelhagem de som f)Saída USB g)Leitor de CD

19 Haverá tempo para debate? 1.Procure imaginar quais perguntas podem ser feitas 2.Comparativos entre correntes 3.Preparar fundamentos para as respostas

20 19 Exposição

21 20 Itens a serem considerados Muitas vezes trata-se da chance da nossa vida... FALA SLIDESAÇÃO

22 Fala a)Simples b)Direta c)Pausada d)Sem vícios de linguagem: Né Tá Entendeu Etc.

23 22 NA APRESENTAÇÃO ORAL - Não se apavore (respire fundo) - Comece sua apresentação pelo começo (óbvio) - No início o coordenador da sessão apresenta o evento - Leia: - o título - o nome do autor (seu nome) - a titulação e o nome do Professor orientador - a finalidade do trabalho (disciplina TF) 1 - Fala

24 23 QUANTO AO TEXTO Prepare o texto da apresentação Evite frases Truncadas Fora de ordem Excessivamente longas Procure o balanço entre os tópicos Divida o tempo entre os tópicos Evite fazer leitura de textos (dá sono!) Faça uma apresentação dinâmica 1 - Fala

25 24 TEMPO DA APRESENTAÇÃO - Na maioria dos casos = 15 Minutos (No TF e Congressos) - Confirme o tempo de apresentação com o seu orientador ou com o coordenador da sessão ATENÇÃO: O coordenador da sessão pode ser cruel e cortar a apresentação no tempo estipulado. Não dê esta chance! 1 - Fala

26 25 ENSAIOS - Faça ensaios da apresentação Familiares, amigos, orientador Durante os ensaios, peça para alguém marcar o tempo de apresentação geral e o de cada transparência OBS: 2 ou 3 ensaios melhoram A apresentação O entendimento do problema O sincronismo da fala com a transparência 1 - Fala

27 26 ORATÓRIA, LOCUÇÃO E APRESENTAÇÃO - Fale de forma clara - Em voz alta e velocidade normal - Seja dinâmico - Use apontadores apropriados (o dedo é o pior deles!) - Evite: gírias, tá bom, né - Nunca diga: Ah Meu Deus eu estou um pouco nervoso Caraca véi Fala

28 27 ORATÓRIA, LOCUÇÃO E APRESENTAÇÃO - Evite o excesso de auto-confiança - Faça uma apresentação com começo, meio e fim 1 - Fala - Cuidado com os erros gramaticais ao falar - Cuidado com a imagem pessoal: você nunca terá uma segunda chance para causar uma primeira boa impressão

29 Slides a)Quantidade b)Efeitos c)Combinação de cores d)Poluição no slide e)Versão software f)Hardware disponível g)Realização de teste h)Revisão gramatical i)Figuras j)Referências

30 Slides a)Quantidade b)Efeitos c)Combinação de cores d)Poluição no slide e)Versão software f)Hardware disponível g)Realização de teste h)Revisão gramatical i)Figuras j)Referências

31 30 c) Número normal: 6 a 10 transparências para uma apresentação Número de transparências para uma apresentação: a) Deve ser proporcional ao tempo b) Tempo médio de exposição de cada transparência: 01 (um) MINUTO 2 - Slides No caso do Trabalho de Conclusão de Curso (Trabalho Final)

32 31 ORDEM DAS TRANSPARÊNCIAS A primeira transparência obrigatoriamente deve conter - Título do trabalho - Nome do autor - Titulação e nome do orientador - Identificação da Instituição - Identificação do Curso - Identificação da Disciplina - Indicação do semestre/ano 2 - Slides

33 32 ORDEM DAS TRANSPARÊNCIAS A primeira transparência obrigatoriamente deve conter - Título do trabalho - Nome do autor - Titulação e nome do orientador - Identificação da Instituição - Identificação do Curso - Identificação da Disciplina - Indicação do semestre/ano 2 - Slides São os elementos de identificação

34 33 As transparências seguintes devem conter: Introdução ao trabalho (obrigatório): 2 a 4 transparências - Apresentação do problema: 1 a 2 transparências - Motivação para o trabalho: ½ ou 1 transparência - Objetivos claros do trabalho: 1 transparência 2 - Slides

35 34 Depois da introdução colocar Conteúdo do trabalho (obrigatório): de 3 a 6 transparências - Fundamentação teórica - Resultados obtidos Lembre-se: Não tente apresentar tudo o que foi feito. Apresente apenas o essencial. 2 - Slides

36 35 A última ou as duas últimas transparências devem conter: Conclusões (Obrigatório) Apresente claramente os principais resultados obtidos Sugestão para trabalhos futuros (opcional) Comente o que deve ser feito no futuro 2 - Slides

37 Slides Preparação das transparências Regras básicas: - Tamanho de letras: 24 negrito - Deve ser legível do fundo da sala - Use letras de tamanho 20 se for para salas pequenas, mas Para chamar a atenção use letra 28 ou maior A utilização de editores de transparência é altamente recomendada, projetores multi-mídia, tipo data-show, provavelmente estarão disponíveis para a apresentação. Procure informações com o seu orientador, ou com o coordenador do curso (12) As transparências devem ser preparadas em filmes especiais para este fim. (10) Estas linhas finais são só para mostrar a dificuldade de leitura de letras tão pequenas! Não use letras menores que 20

38 Slides a)Quantidade b)Efeitos c)Combinação de cores d)Poluição no slide e)Versão software f)Hardware disponível g)Realização de teste h)Revisão gramatical i)Figuras j)Referências

39 Slides Cuidado com os efeitos ElespodematrapalharasuaApresentação. Opowerpointéapenasumapoio!!! Nãoéaapresentaçãoemsi!!! Maisvaleoconteúdo(essência)queaforma.

40 Slides Cuidado com os efeitos ElespodematrapalharasuaApresentação. Opowerpointéapenasumapoio!!! Nãoéaapresentaçãoemsi!!! Maisvaleoconteúdo(essência)queaforma. EVITE ESTA SITUAÇÃO: É IRRITANTE !!!

41 Slides a)Quantidade b)Efeitos c)Combinação de cores d)Poluição no slide e)Versão software f)Hardware disponível g)Realização de teste h)Revisão gramatical i)Figuras j)Referências

42 Slides Uso de cores nos slides Quando usar cores para ressaltar algum ponto, cuidado para não exagerar. Nem tudo precisa ser ressaltado, pois poderá mais confundir do que ajudar a fazer os avaliadores e a platéia entenderem o que você quer dizer Usar as diferentes cores de forma sensata é uma boa medida. É difícil definir o que é sensato! Discuta com seu orientador e com colegas. Teste as cores que você escolheu. Simule.

43 42 CUIDADO COM AS S S C C O O R R E E Não use todas ao mesmo tempo

44 Slides a)Quantidade b)Efeitos c)Combinação de cores d)Poluição no slide e)Versão software f)Hardware disponível g)Realização de teste h)Revisão gramatical i)Figuras j)Referências

45 44 ELEMENTOS BÁSICOS DA TRANSPARÊNCIA TEXTOS DADOS (TABELAS, GRÁFICOS, DIAGRAMAS, ESTATÍSTICAS...) IMAGENS (DESENHOS, FOTOGRAFIAS, ILUSTRAÇÕES...) 2 - Slides

46 45 QUAL A QUANTIDADE DE TEXTO? 2 - Slides

47 46 NEM MUITO NEM POUCO Slides

48 47 estão mais vinculados ao estilo de vida e ao gênero, situando-se o nível socioeconômico numa escala menor, sendo que esse influencia mais nos hábitos de visita ao dentista (FISCHER, 1999) Quanto à busca por serviços odontológicos, a pesquisa sobre Condições de Saúde Bucal da População Brasileira revelou que 96,73% da amostra estudada foi ao dentista pelo menos uma vez na vida, sendo que 3,27% nunca visitaram o dentista. Dos entrevistados, 51,20% consultaram o serviço público (maior percentual entre jovens e menor entre idosos), 33,36% consultaram o setor privado e 10,89% consultaram o setor privado suplementar - planos de saúde (RIO GRANDE DO SUL..., 2003).O presente estudo visa colaborar com futuras ações de saúde para o município de Canoas, na tentativa de qualificar a saúde coletiva da comunidade canoense. O presente projeto está vinculado ao projeto que intitula-se Prevalência de Surdez e Outros Transtornos da Audição: Um Estudo de Base Populacional da População de Canoas, RS, Brasil. Essa pesquisa integra vários estudos satélites que visam levantar dados sobre outros aspectos da saúde da comunidade em estudo (BÉRIA et al., 2002). Entre as pesquisas satélites encontra-se a de saúde bucal, que visa descrever os hábitos de higiene bucal e o uso dos serviços odontológicos, com a finalidade de investigar a importância dos cuidados de higiene bucal na promoção e proteção da saúde da população de Canoas, assim como avaliar a utilização dos serviços odontológicos (ABEGG, 2002).Objetivo Investigar os hábitos de higiene bucal e a utilização dos serviços odontológicos de adolescentes do município de Canoas - RS.MetodologiaEstudo descritivo do tipo transversal de base populacional. O estudo utilizou dados secundários coletadas na pesquisa de base populacional realizada em 2002 com apoio financeiro da Christoffel Blindermission - (CBM, Bensheim, Alemanha) e com o apoio técnico e logístico da Organização Mundial de Saúde - (OMS, Genebra, Suíça), Universidade Luterana do Brasil - (ULBRA Canoas, RS) Fundação de Apoio à Pesquisa do Rio Grande do Sul - (FAPERGS) e Conselho Nacional de Pesquisa - (CNPQ) e que teve como objetivo principal coletar dados sobre prevalência de surdez e outros transtornos da audição. O estudo seguiu as normas e protocolos das pesquisas realizadas pela Organização Mundial de Saúde - OMS e valeu-se da Introdução: Embora as duas doenças mais prevalentes em Odontologia, cárie e doenças periodontais, sejam preveníveis ou passíveis de controle por meio de medidas relativamente simples, constata-se que em nível populacional os objetivos de uma melhor saúde bucal não são alcançados. Explica-se esse fato, pela prevalência e incidência dessas patologias estarem associadas a fatores como condições sociais, econômicas, políticas e educacionais e não apenas a fatores biológicos que interagem na etiologia dessas doença (MACIEL, 1994).controle da placa bacteriana, que traduz-se como o controle do acúmulo de microrganismos sobre os dentes, e a higiene oral é um dos mais difundidos métodos preventivos da cárie dentária e da doença periodontal, que pode ser efetuado por métodos mecânicos ou químicos (MALTZ, 1986, p. 117). Sendo a placa bacteriana o fator etiológico determinante de cárie e das doenças periodontais, a limpeza adequada e sistemática dos dentes é tida como a medida mais direta e abrangente de controle e tratamento das doenças dentárias (BUISCHI; AXELSSON, 1997)A escovação dentária é o meio mecânico individual mais amplamente utilizado para o controle de placa no mundo. O hábito de escovar os dentes passou a receber destaque especial nos últimos vinte anos por ser um dos método mais eficientes de levar flúor à boca com o uso do creme dental fluoretado, tornando-se uma das formas mais eficazes de prevenir a cárie dentária (AXELSSON, 1999). No espaço interdental, a placa pode ser controlada utilizando-se o fio dental, palito, escova unitufo e escova interdental (EGELBERG, 1999).Uma boa higiene bucal é parte integrante das práticas de saúde geral e é significativa como elo no seu estabelecimento (WOODALL, 1977). Mulheres e pessoas com estilo de vida mais saudável escovam seus dentes mais freqüentemente, sendo que métodos adicionais de higiene bucal estão também relacionados a um padrão de vida mais saudável. Dessa forma, em nível populacional, hábitos de higiene bucal efetivaram-se nos domicílios sorteados, por meio de um questionário semi- estruturado e foi realizada no período de dezembro de 2002 a maio de Os dados foram digitados em um programa especialmente elaborado para este estudo (USCA - Utilização dos Serviços de Saúde de Canoas) sendo utilizada a técnica de dupla digitação, com o objetivo de alcançar uma melhor confiabilidade e para que não fossem aceitos valores que não os definidos, em todos os campos foram preenchidas regras de validação. O controle de qualidade dos dados foi realizado em 11, 6% dos domicílios, que foram sorteados da amostra total estudada especialmente para o controle de qualidade. Essa etapa foi executada de duas formas: por telefone ou por meio de entrevistas. A confiabilidade observada foi de 93% (Kappa = 0,93). RESULTADOS: Da amostra de 261 adolescentes entrevistados, 47,9% (125) pertencem ao sexo masculino e 52,1% (136) ao sexo feminino. Os adolescentes pertenciam a famílias cuja renda média é de R$ 1.634,00. Quanto à escolaridade 62,8% (164) possuem 8 anos de escola formal sendo que 37,2% possuem 9 ou mais anos de escolaridade. A média da escolaridade é de 8,22 anos. Quanto aos hábitos de higiene bucal 100% da amostra relatou limpar os dentes com o auxílio da escova e creme dental, sendo que apenas 34,1% (89) revelou usar fio dental. Quanto ao número de vezes que os adolescentes limpam os dentes, 21,1% dos jovens revelaram escovar os dentes 4 ou mais vezes ao dia, sendo que cerca da metade, 53,6% (140), alegou limpar 3 vezes ao dia. 22,2% (58) limpam 2 vezes, e apenas 3,1% (8), limpam 1 vez ao dia. Um total de 69,7% (182) dos adolescentes limpa os dentes antes do café, e 39,1% limpam depois do café, sendo que a maioria dos jovens da amostra talento + dedicação = resultado amostra da pesquisa rincipal a qual constitui-se de 1415 indivíduos. A amostra deste estudo foi composta por 261 adolescentes, com idade entre 14 e 19 anos, residentes nos domicílios dos setores censitários sorteados. A pesquisa contou com dez duplas de entrevistadores, que visitaram 1040 domicílios, distribuídos em quarenta setores censitários. As entrevistas costuma limpar os dentes. Karsltad, Sweden: Quintessence Publishing, p.BÉRIA, Jorge Umberto et al. Prevalência de surdez e outros transtornos da audição: um estudo de base populacional em Canoas, RS, Brasil. Canoas: ULBRA, Projeto de Pesquisa, Faculdade de Medicina, Fonoaudiologia e Pós-graduação em Saúde Coletiva. Universidade Luterana do Brasil, 2002.BUISCHI, Yvonne de Paiva; AXELSSON, Per. Controle.) Atualização em Periodontia e Implantodologia. São Paulo: Artes Médicas, p. MACIEL, S. M. Saúde bucal infantil: a participação da mãe. São Paulo: USP, Tese ( Doutorado em Saúde Pública), Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, 1994.MALTZ, Mariza. Prevalência de cárie e doença periodontal. In: Toledo, Orlando Ayrton. Odontopediatria: fundamentos para a prática clínica. São Paulo: Editora Panamericana, p. RIO GRANDE DO SUL. Secretaria da Saúde. Divisão de Atenção à Saúde. Secção de Saúde Bucal. Projeto SB_RS Condições de saúde bucal da população do Rio Grande do Sul. Projeto SB Brasil Condições de Saúde Bucal da População Brasileira. Ampliação da Amostra para o Rio Grande do Sul - Relatório Final. Porto Alegre: SES, 2003.WOODALL, Irene R. Prevenção da Doença Periodontal. In: GENCO, Robert J.,COHEN,Walter D., GOLDMAN, Henry M. Periodontia contemporânea. 2.ed. São Paulo. Santos Editora, p. Atlântico Uruguai Argentina mecânico da placa dental realizado pelo paciente. In: KRIEGER, Léo ( coord.). ABOPREV - Promoção de Saúde Bucal. São Paulo: Artes Médicas, Estela (coord Evite o excesso de informações

49 48 SOMENTE O NECESSÁRIO 2 - Slides

50 49 Quais os erros mais comuns na elaboração de uma transparência? Dificuldade de ler a uma distância de 1,20m ou mais; Excesso de informações; Objetivos e conclusões não destacadas. 2 - Slides

51 50 CUIDADO COM A DIAGRAMAÇÃO 2 - Slides

52 51 A proposta deste estudo, que é uma exigência do Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva na área de atenção à saúde do trabalhador, tem como objetivos verificar a aceitação da postura de trabalho de pé na percepção dos trabalhadores nos setores de costura de uma indústria calçadista de grande porte, descrever as possíveis alterações biomecânicas para a coluna vertebral com enfoque nas lombalgias e discutir os aspectos críticos sob o ponto de vista de fadiga. Os indicadores detectados na pesquisa se destinam a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria calçadista, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho busca avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação direta daquele que executa a atividade no setor de costura: o trabalhador. Os setores de produção das indústrias de calçados constituem um segmento industrial de relevante significado econômico e social para o Estado do Rio Grande do Sul. Por conseguinte, a sua competitividade depende, entre outros fatores, da segurança nos postos de serviço, do bem-estar postural e da adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, o que também está ligado à Ergonomia e à qualidade de vida do trabalhador. 2 - Slides

53 52 A proposta deste estudo, que é uma exigência do Programa de Pós- graduação em Saúde Coletiva na área de atenção à saúde do trabalhador, tem como objetivos verificar a aceitação da postura de trabalho de pé na percepção dos trabalhadores nos setores de costura de uma indústria calçadista de grande porte, descrever as possíveis alterações biomecânicas para a coluna vertebral com enfoque nas lombalgias e discutir os aspectos críticos sob o ponto de vista de fadiga. Os indicadores detectados na pesquisa se destinam a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria calçadista, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho busca avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação direta daquele que executa a atividade no setor de costura: o trabalhador. Os setores de produção das indústrias de calçados constituem um segmento industrial de relevante significado econômico e social para o Estado do Rio Grande do Sul. Por conseguinte, a sua competitividade depende, entre outros fatores, da segurança nos postos de serviço, do bem-estar postural e da adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, o que também está ligado à Ergonomia e à qualidade de vida do trabalhador. Distribua o texto em colunas 2 - Slides

54 53 QUANTO ESPAÇO USAR? 2 - Slides

55 54 Os indicadores detectados na pesquisa se destinam a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria calçadista, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho busca avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação direta daquele que executa a atividade no setor de costura: o trabalhador.

56 55 Os indicadores detectados na pesquisa se destinam a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria calçadista, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho busca avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação direta daquele que executa a atividade no setor de costura: o trabalhador. Deixe espaço em branco para o olho respirar 2 - Slides

57 56 CUIDADO COM AS FONTES Não existe só Times New Roman

58 57 Nunca use fontes artísticas para o texto, apenas para título e subtítulos 2 - Slides

59 58 JUSTIFICADO OU ALINHADO? 2 - Slides

60 59 Os indicadores detectados na pesquisa se destinam a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria calçadista, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho busca avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação direta daquele que executa a atividade no setor de costura: o trabalhador.

61 60 CAIXA ALTA ou caixa baixa? 2 - Slides

62 61 Os indicadores detectados na pesquisa se destinam a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria calçadista, visando maior conforto e bem- estar dos trabalhadores. O trabalho busca avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação direta daquele que executa a atividade no setor de costura: o trabalhador. OS INDICADORES DETECTADOS NA PESQUISA SE DESTINAM A INCENTIVAR NOVOS ESTUDOS, A FIM DE DESCOBRIR FATOS RELATIVOS A UM CAMPO BASTANTE DÚBIO E REFORÇAR OS CONCEITOS NA ANÁLISE DA MELHOR POSTURA DE TRABALHO NO SETOR DE COSTURA DA INDÚSTRIA CALÇADISTA, VISANDO MAIOR CONFORTO E BEM-ESTAR DOS TRABALHADORES. O TRABALHO BUSCA AVANÇAR COM O CONHECIMENTO CIENTÍFICO E O CONHECIMENTO PROVENIENTE DO SENSO COMUM, PROCURANDO TRAZER, PARA UM DEBATE MAIS CONSISTENTE, A MANIFESTAÇÃO DIRETA DAQUELE QUE EXECUTA A ATIVIDADE NO SETOR DE COSTURA: O TRABALHADOR. Caixa alta somente para título

63 Slides a)Quantidade b)Efeitos c)Combinação de cores d)Poluição no slide e)Versão software f)Hardware disponível g)Realização de teste h)Revisão gramatical i)Figuras j)Referências

64 Slides a)Quantidade b)Efeitos c)Combinação de cores d)Poluição no slide e)Versão software f)Hardware disponível g)Realização de teste h)Revisão gramatical i)Figuras j)Referências

65 Slides a)Quantidade b)Efeitos c)Combinação de cores d)Poluição no slide e)Versão software f)Hardware disponível g)Realização de teste h)Revisão gramatical i)Figuras j)Referências

66 65 NÃO DEIXE PARA A ÚLTIMA HORA 2 - Slides

67 Slides a)Quantidade b)Efeitos c)Combinação de cores d)Poluição no slide e)Versão software f)Hardware disponível g)Realização de teste h)Revisão gramatical i)Figuras j)Referências

68 67 QUANTO AO TEXTO (E APRESENTAÇÃO ORAL) Cuidado com os erro de portuguez, pois a credibilidade do aprezentador esta diretamente relassionada com todos os elememto da apresentassão. E importante demaiz fazê uma revizão do testo. 2 - Slides

69 Slides a)Quantidade b)Efeitos c)Combinação de cores d)Poluição no slide e)Versão software f)Hardware disponível g)Realização de teste h)Revisão gramatical i)Figuras j)Referências

70 69 USAR FIGURAS DE FUNDO? Sim, mas com cuidado para não prejudicar a leitura do texto 2 - Slides

71 70 Os indicadores detectados na pesquisa se destinam a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria calçadista, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho busca avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação direta daquele que executa a atividade no setor de costura: o trabalhador.

72 71 Os indicadores detectados na pesquisa se destinam a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria calçadista, visando maior conforto e bem- estar dos trabalhadores. O trabalho busca avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação direta daquele que executa a atividade no setor de costura: o trabalhador.

73 72 Os indicadores detectados na pesquisa se destinam a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria calçadista, visando maior conforto e bem- estar dos trabalhadores. O trabalho busca avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação direta daquele que executa a atividade no setor de costura: o trabalhador.

74 73 Não exagere nos CLIPARTS!!! 2 - Slides

75 74 CUIDADO COM A RESOLUÇÃO 2 - Slides

76 Slides

77 76

78 77 USE PRINCÍPIOS DE COMPOSIÇÃO 2 - Slides

79 78 Alinhamento Simetria Ordem Hierarquia Oposição Contraste Simplicidade Equilíbrio…

80 79 CUIDADO COM O CONSTRASTE 2 - Slides

81 80 Os indicadores detectados na pesquisa se destinam a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria calçadista, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho busca avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação direta daquele que executa a atividade no setor de costura: o trabalhador. Evite situações como esta

82 81 O QUE SE VÊ NA TELA NÃO É O QUE SE VÊ IMPRESSO Slides

83 82 FAÇA SEMPRE UMA CÓPIA IMPRESSA 2 - Slides

84 Slides a)Quantidade b)Efeitos c)Combinação de cores d)Poluição no slide e)Versão software f)Hardware disponível g)Realização de teste h)Revisão gramatical i)Figuras j)Referências

85 84 DEVO CITAR AS REFERÊNCIAS? SIM, COM O DEVIDO DESTAQUE 2 - Slides

86 85 DESTAQUE AS CONCLUSÕES 2 - Slides

87 Ação a)Dinâmica b)Segura c)Descontraída d)Evitar: Estátua Leitura Bengalas

88 87 Debate

89 88 Grande questão Você está preparado? Emocionalmente Tecnicamente Equilíbrio

90 Emocionalmente a)Bom humor b)Oportunidade de crescimento c)Aceita críticas d)Age profissionalmente e)Não guarda rancor f)Mantém o equilíbrio

91 Tecnicamente a)Acredita no que expõe b)Pode defender as idéias c)Conhece corrente antagônica d)Bons argumentos e)Raciocínio organizado f)Clareza nas respostas

92 91 Princípios de atuação 1.Comunicação eficiente é vital na atualidade: falhar pode significar morrer na praia; em outras palavras desperdiçar meses de dedicação a um projeto. 2.Qualquer processo de comunicação eficiente deve necessariamente partir de raciocínio estruturado. 3.A matéria prima básica é sempre conhecimento, que reside em nossas cabeças; dados e informações se limitam a sustentar seletivamente o conhecimento exposto, jamais são linha de frente de um processo de comunicação.

93 92 Princípios de atuação 4.Atenção é o recurso mais escasso na atualidade. Temos poucos minutos para despertá-la e o recurso chave é demonstrar na abertura o impacto positivo que causamos no ambiente de atuação de quem nos ouve. 5.Concisão : quanto mais concisa uma mensagem, tanto maior é o tempo de preparo. 6.Simplicidade: chegar à simplicidade é complexo 7.Exposição de idéias não deve ser lida: para tanto o conteúdo deve residir na cabeça e não no powerpoint. É a única forma imbatível de vencer a Lei de Murphy.

94 93 Reflexões finais I.Não existe fórmula mágica para fazer uma apresentação II.A prática leva a excelência III.Não deve ser vista como uma obrigação, mas uma oportunidade de trocar idéias IV.Esteja preparado para as críticas V.Chave para o sucesso: criatividade e persistência

95 94 ELEMENTOS PARA UMA BOA APRESENTAÇÃO - Esteja preparado - Mantenha a calma - Planeje seus gestos e posição das mãos - Atenção aos detalhes Conhecer o assunto Esteja preparado para as respostas Não é nenhuma vergonha responder não sei Reflexões finais

96 95 Muito Obrigado Prof. Alexandre:


Carregar ppt "IX Workshop Trabalho Final Técnicas de Apresentação Curso de Ciências Contábeis Setembro de 2008 Prof. Alexandre dos Santos Silva."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google