A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FILO CHORDATA PROFª. NATÁLIA GAERTNER BRICK.. FILO CHORDATA: Nome (latim): cordão dorsal. Grande diversidade – 54 000 espécies. Protocordados (sem cranio):

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FILO CHORDATA PROFª. NATÁLIA GAERTNER BRICK.. FILO CHORDATA: Nome (latim): cordão dorsal. Grande diversidade – 54 000 espécies. Protocordados (sem cranio):"— Transcrição da apresentação:

1 FILO CHORDATA PROFª. NATÁLIA GAERTNER BRICK.

2 FILO CHORDATA: Nome (latim): cordão dorsal. Grande diversidade – espécies. Protocordados (sem cranio): urocordados – ascídias / cefalocordados – anfioxos. Craniados ( com crânio): não apresentam mandíbulas – lampreias e feiticeiras. apresentam mandíbulas – bagres, tubarões, sapos, papagaios, etc.

3 CARACTERÍSTICAS DOS CORDADOS EMBRIONÁRIOS: Simetria bilateral; Segmentados; Celomados; Deuterostômios; Triblásticos. ESTRUTURAS ANATÔMICAS Sistema nervoso dorsal (tubo neural dorsal); Notocorda – eixo de sustentação (substituída pelas vértebras nos craniados); Fendas faríngeas – nos peixes associam-se às brânquias e desaparece nas espécies que respiram por pulmões; Cauda pós-anal

4 UROCORDADOS OU TUNICADOS SUBFILOS DO FILO CHORDATA Notocorda somente na fase larval. Adultos não apresentam. Existe cerca de 1500 espécies. Animais pequenos, marinhos fixos (adultos) ou de vida livre (larvas). Corpo revestido pela proteína tunicina (semelhante a celulose). Exemplo: Ascídias. São confundidos com esponjas.

5 CEFALOCORDADOS Medem cerca de 15 cm de comprimento. Presença de notocorda desenvolvida (cabeça até cauda). Parecidos com peixes. Popularmente chamados de peixes-lança (anfioxo)

6 CRANIATA: VERTEBRADOS Maior grupo de cordados. Aproximadamente 45 mil espécies conhecidas. Na maioria, a notocorda é substituída pela coluna vertebral. Apresentam crânio ósseo ou cartilaginoso. Presença de endoesqueleto constituído de: caixa craniana – protege encefáfo; vértebras – protegem a medula espinhal e forma a coluna vertebral; ossos ou cartilagens – suportam o esqueleto e protegem os órgãos internos. Os grupos dos craniados são: Agnatha: sem mandíbula. apresentam o corpo alongado e boca circular com dentes raspadores; boca realiza movimentos de sucção durante a alimentação; lampreias: parasitam externamente animais marinhos; feiticeiras (peixe-bruxa): se alimentam de restos de animais mortos.

7 Gnatostomata: com mandíbula. são craniados que apresentam mandíbulas (auxilia na captura de presas); grupos: Condrictes: peixes cartilaginosos (tubarão, arraia) Osteíctes: peixes ósseos (sardinha, piranha) Anfíbios: sapos, salamandras, cobra-cega. Répteis: serpentes, tartarugas, jacaré. Aves: araras, papagaio. Mamíferos: golfinho, ser humano, cachorro.

8 PEIXES CLASSE CONDRICHTHYES (PEIXES CARTILAGINOSOS) Conhecidos também por elasmobrânquios (lâmina/brânquia). Possuem mandíbulas localizadas em posição mais inferior. Exemplos: tubarão arraias e quimeras.

9 CLASSE OSTEICHTHYES (PEIXES ÓSSEOS) Conhecidos também como teleósteos (completo/osso). Existem espécies conhecidas. 60% vive em ambiente marinho e 40% na água doce. Exemplos: pintado, piranha, cavalo-marinho, atum, bacalhau, salmão, peixe- espada, etc.

10 ESTRUTURA EXTERNA DE UM PEIXE ÓSSEO

11 ESTRUTURA INTERNA DE UM PEIXE ÓSSEO

12 FUNÇÕES VITAIS São animais ectotérmicos. Possuem sistema digestório completo. As trocas gasosas ocorrem nas brânquias.

13 FUNÇÕES VITAIS Excreção ocorre por meio de rins mesonefros. Coletam excretas do celoma e do sangue. Ureia: principal excreta dos peixes cartilaginosos. Urina eliminada pela cloaca. Amônia: principal excreta dos peixes ósseos. Urina eliminada pelo orifício urogenital. Sistema cardiovascular fechado, simples e completo (não há mistura de sangue no coração.

14 SISTEMA NERVOSO Apresentam sistema nervoso central com pequeno encéfalo e medula espinhal. Apresentam um ouvido interno com à função de equilíbrio. A visão foca claramente objetos próximos. O olfato é bem desenvolvido. A linha lateral é um conjunto de células mecanorreceptoras, da cabeça até a cauda. Percebe as vibrações que ocorrem na água e a velocidade das correntezas. Os peixes cartilaginosos apresentam canais sensitivos ligados a pequenas ampolas, denominadas ampolas de Lorenzini. Detecta as correntes elétricas dos músculos de outros organismos. Situam-se na cabeça e ao redor da boca.

15 ANFÍBIOS Características gerais Nascem no ambiente aquático e, quando se tornam adultos, passam a viver em ambiente terrestres úmidos. Pele nua, lisa e úmida, rica em vasos sanguíneos. Dois pares de membros locomotores (exceção cobra-cega). São ectotérmicos. Passam por metamorfose (larva-adulto). Trocas gasosas: larvas por brânquias / adulto: pulmonar (pouco desenvolvido) e cutânea.

16 CLASSES DO ANFÍBIOS Anura: corpo curto e sem a presença de cauda nos adultos; pernas traseiras mais desenvolvidas (saltadores); glândulas paratoides (atrás dos olhos) ex. sapos, rãs e pererecas.

17 Urodela: corpo alongado e cauda comprida; membros locomotores de tamanhos quase iguais; ex. tritões e salamandras.

18 Apoda corpo alongado de aspecto vermiformes; sem membros locomotores; os olhos são recobertos por uma fina membrana; ex: cobra-cega (cecília).

19 FUNÇÕES VITAIS Língua presa na frente da boca. O alimento entra pela boca, passa pela faringe e esôfago até chegar no estômago. Os nutrientes são absorvidos pelo intestino e transportados pelo sangue. As fezes são eliminadas pela cloaca. Alimentação: insetos, vermes e pequenos moluscos. No coração existem 2 átrios e 1 ventrículo. A circulação é dupla e incompleta, pois passa duas vezes pelo coração e ocorre a mistura de sangue venoso e arterial. A excreção envolve dois rins mesonefros. Retiram excreções como sais e água. Apresentam uma região cefálica maior que a dos peixes. Possuem boa visão. Não possuem orelhas externas, mas uma membrana timpânica próxima aos olhos, que permitem a transmissão de sons para o ouvido interno.

20 REPRODUÇÃO

21 RÉPTEIS CONQUISTA DO AMBIENTE TERRESTRE Revestimento da pele queratinizado: Camada epidérmica é espessa, recoberta por escamas ou placas. Protege o animal contra desidratação (queratina). Ovo com casca protetora e anexos embrionários: A fecundação é interna, permitindo maior proteção aos filhotes, que se desenvolvem dentro de ovos. Casca dura e resistente, evita perda de água. Âmnion protege contra choques mecânicos e hidrata o embrião. Alantoide e córion pela primeira vez nos répteis. Respiração: Pulmonar. Excreção: Ácido úrico passa a ser armazenado no interior do alantoide. O embrião não é intoxicado e nem desidratado.

22 CARACTERÍSTICAS DOS RÉPTEIS São ectotérmicos. Pele impermeável. Pernas ágeis, rápido deslocamento. Tartarugas pernas em forma de nadadeiras. Serpentes sem membros locomotores. Esqueleto formado por coluna vertebral. Vivem em lugares secos, sobre rochas nas árvores, em tocas na terra ou em ambientes aquáticos..

23 SISTEMÁTICA DOS RÉPTEIS Chelonia: quelônios. Possuem placas córneas, reforçadas por uma estrutura óssea. Corpo alargado. Corpo protegido por uma carapaça dorsal recurvada que está unida à ventral plastrão. Possui abertura para cabeça, patas e cauda. Ex. Tartarugas, cágados e jabutis. cágado jabuti tartaruga Cágado pescoço de cobra

24 Crocodilia: crocodilianos Corpo alongado e recoberto por escamas e placas ósseas. Possuem quatro membros locomotores e longa cauda. Hábitos aquáticos (beira de rios, lagos ou pântanos). Ex. crocodilos e jacarés. crocodilo Jacaré

25 Squamata: escamados Pele escamosa e rígida. Divididos em dois grupos: lacertílios (lagartos) e ofídios (serpentes). Quatro membros locomotores (lacertílios) – lagartos, lagartixas, camaleões e iguanas. Sem membros locomotores (ofídios) – serpentes.

26 Sphenodontia: rincocéfalos Agrupa duas espécies da Nova Zelândia. Corpo semelhante aos dos lagartos. Tem grande tolerância às baixas temperaturas. Pequena taxa reprodutiva e grande longevidade. Ex. Tuataras

27 FUNÇÕES VITAIS DOS RÉPTEIS Sistema digestório completo. Cloaca elimina fezes, urina e ovos (fêmea). Respiração pulmonar. O coração possui dois átrios e um ventrículo (parcialmente dividido) Sangue venoso se mistura com o arterial (não completa). Os crocodilianos apresentam dois ventrículos totalmente separados.Porém, o sangue venoso e arterial se mistura devido a um arco aórtico e pulmonar, denominado forâmen de Panizza. Circulação fechada, dupla e incompleta. Apresentam rins metanefros – filtram substancias apenas do sangue. Principal excreta é o ácido úrico. Encéfalo mais desenvolvido que dos anfíbios. Língua com botões gustativos. Olhos com glândulas lacrimais. As serpentes não possuem tímpano. Serpentes e lagartos possuem o órgão de Jacobson, que detecta odores. Língua bifurcada que é capaz de detectar as partículas odoríferas do ambiente.

28 Diferenças entre cobras peçonhentas e não peçonhentas Cabeça Peçonhenta: achatada, triangular e bem destacada. Não-peçonhenta: estreita, longa e pouco destacada. Olhos e fosseta lacrimal Peçonhenta: olhos pequenos, com pupila em fenda vertical; a fosseta lacrimal está entre os olhos e as narinas. Não-peçonhenta: olhos grandes, com pupila circular; não possuem fosseta lacrimal. Escamas do corpo Peçonhenta: alongadas, pontudas, imbricadas, com carena, apresentando um aspecto áspero. Não-peçonhenta: achatadas, sem carena, apresentando um aspecto liso e lubrificado. Teto da cabeça Peçonhenta: as escamas são semelhantes à do corpo. Não-peçonhenta: as escamas são substituídas por placas grandes.

29 Cauda Peçonhenta: é curta e afina bruscamente. Não-peçonhenta: é longa e afina gradualmente. Atitude Peçonhenta: atacam quando são perseguidas. Não-peçonhenta: fogem quando são perseguidas. Hábitos Peçonhenta: noturnas. Não-peçonhenta: diurnas. Movimentos Peçonhenta: lento. Não-peçonhenta: rápido.

30

31 AVES São animais endotérmico, apresentando uma camada de gordura abaixo da pele, que atua como isolante térmico. Apresenta epiderme queratinizada, sem glândulas, exceto a glândula uropigial – situada na cauda, que produz uma secreção oleosa. ADAPTAÇÃO AO VOO Corpo coberto de penas leves e flexíveis; Ossos ocos ou pneumáticos, que contém ar em seu interior; Forma aerodinâmica do corpo, Presença de osso esterno com carena (quilha); Possuem sacos aéreos (bolsas cheias de ar); Ausência de bexiga urinária; Ovos se desenvolvem fora do corpo da fêmea, reduzindo massa corporal (oviparidade).

32 SISTEMÁTICA DAS AVES RATITAS (sem carena): aves com asas reduzidas ou ausentes; esterno achatado e sem carena; membros posteriores bem desenvolvidos; ex: ema (maior ave brasileira), seriema, avestruz, kiwi, etc.

33 CARINATAS (com carena): possuem asas desenvolvidas; osso esterno com carena; ou quilha; fortes músculos.

34 FUNÇÕES VITAIS Sistema digestório completo; O papo armazena e amolece os alimentos. O proventrículo é um estômago que lança sucos digestivos para iniciar a digestão; A moela é um segundo estômago com paredes muito musculosas, onde o alimento é triturado, pois as aves não possuem dentes; O intestino termina na cloaca, uma bolsa na qual as aves eliminam fezes, urina e colocam ovos.

35 As trocas gasosas são realizadas nos pulmões, unidos por sacos aéreos; No final da traqueia, existe um órgão adaptado ao canto, chamado de siringe; Geralmente é o macho que canta, mas as fêmeas também podem cantar.

36 O coração das aves é separado em quatro cavidades: dois átrios e dois ventrículos (circulação completa e dupla); Lado direito do coração, só circula sangue venoso e lado esquerdo, somente sangue arterial. Sangue bombeado mais rapidamente, garantindo a temperatura do corpo constante. Excretam ácido úrico por meio de dois rins metanefros; O encéfalo mais desenvolvido que o dos répteis; Sentidos bem desenvolvidos.

37 MAMÍFEROS CARACTERÍSTICAS GERAIS São endotérmicos. Possuem glândulas mamárias – nome mamíferos. Pelos recobrindo o corpo. Pele rica em glândulas: sudoríparas, odoríferas e sebáceas. Desenvolvimento completo do filhote dentro do útero. Presença de placenta. Presença do músculo diafragma (ventilação pulmonar).

38 SISTEMÁTICA DOS MAMÍFEROS Prototérios (monotremados): Mamíferos ovíparos. Presença de cloaca. Ex. ornitorrinco (macho possui esporão venenoso nas patas posteriores) e équidna (corpo recoberto por espinhos e pelagem crespa).

39 Metatérios (marsupiais): Fêmea possui uma bolsa no ventre, conhecida como marsúpio. Possuem útero e placenta pouco desenvolvidos. Os filhotes nascem prematuros, com 5cm e se encaminham para o marsúpio, onde se alimentam e completam o seu desenvolvimento. Ex. canguru, coala, gambá, cuíca, etc.

40 Eutérios: placentários Fêmeas com placenta bem desenvolvida. Representam a maioria. Ex. coelhos, leões, ratos, seres humanos, cachorro, baleia, etc.

41 FUNÇÕES VITAIS Hábitos alimentares relacionados ao modo de vida: herbívoros, frugívoros, carnívoros, onívoros (alimentação variada), insetívoros e hematófagos. Respiração pulmonar. Coração com 4 cavidades (dois átrios e dois ventrículos). Sistema urinário com 2 rins. Sistema nervoso mais desenvolvido. Reprodução: são dioicos.


Carregar ppt "FILO CHORDATA PROFª. NATÁLIA GAERTNER BRICK.. FILO CHORDATA: Nome (latim): cordão dorsal. Grande diversidade – 54 000 espécies. Protocordados (sem cranio):"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google