A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Bridget Jones: os novos caminhos de Lizzy Bennet Sabine Mendes Lima Moura, Dn. Cinemateca Literária Universidade Veiga de Almeida 1/2012.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Bridget Jones: os novos caminhos de Lizzy Bennet Sabine Mendes Lima Moura, Dn. Cinemateca Literária Universidade Veiga de Almeida 1/2012."— Transcrição da apresentação:

1 Bridget Jones: os novos caminhos de Lizzy Bennet Sabine Mendes Lima Moura, Dn. Cinemateca Literária Universidade Veiga de Almeida 1/2012

2 Quando eu era jovem, nunca precisava de ninguém e fazer amor era só por diversão – esses dias acabaram All by myself (Sheryl Crow)

3

4 Hegemonia e resistência (Fairclough, 1992)

5 Bridget Jones: o surgimento Helen Fielding – jornalista (BBC – The Independent ) O diário de Bridget Jones (1996) O gênero chicklit (Terry McMillan -1996, Marian Keys, Sophie Kinsella, Jennifer Weiner, Meg Cabot, Gaby Hauptmann) Romances bem-humorados para mulheres modernas.

6 Bridget no filme (mais Lizzy do que nunca) -Buffet de peru ao curry: a Bridget verbalmente incontinente que bebe como um peixe e se veste como a mãe. - É uma briga de verdade! - Não estou disposta a apostar toda a minha vida em alguém que não está bem certo do que quer. - Daniel Cleaver e a sopa azul. - Eu preferia ter um emprego limpando o rabo de Saddam Hussein.

7 Bridget no filme (mais Lizzy do que nunca) -Prioridades claras ou o dilema da calcinha de oncinha. - Suki, Vagabi ou a giganta do terraço. - De volta aos estúdios! - Eleanor Heaney. - O irmão desaparecido. - Pam Jones e o caso Julian/Julio (No Limite da Razão).

8 Lizzy Bennet e Mr. Darcy Orgulho e Preconceito (1813) Os Bennets – Sr. e Sra. Bennet, Jane, Lizzy, Mary, Kitty, Lidia. Sr. Bingley e seu amigo. Sr. Darcy – ser orgulhoso, se colocar acima de quem o acompanha e acima de qualquer possibilidade de agrado. Não há outra mulher no salão com quem não me sentiria punido ao dançar (...) Você está dançando com a única mulher bonita no salão – mas ela sorri demais.

9 Lizzy Bennet e Mr. Darcy Ela é tolerável, mas não bonita o suficiente para tentar a mim; e eu não estou no humor, agora, para dar consequência a jovens damas que são desconsideradas por outros homens. (Lizzy e Jane) Elogios sempre te surpreendem e, a mim, nunca. (Lizzy e Srta. Lucas) -Ele tem o direito de ser orgulhoso -Isso é muito verdadeiro e eu poderia facilmente perdoá-lo por ser orgulho caso ele não houvesse mortificado o meu.

10 Orgulho... A doença de Jane na casa do Sr. Bingley Caroline Bingley e Sr. Darcy Sr. Bingley e Anne Darcy. Whickham e Lizzy. Whickham e Darcy (Georgiana) pessoas com direito a pensar bem de si mesmas e serem más em relação aos demais. Whickham e Lydia – os amantes inconsequentes. A intervenção de Darcy.

11

12

13

14

15 Greer Garson, 1940

16

17 Orgulho... Mr. Bennet e sua filha favorita – Lizzy, o que você está fazendo? Está louca, aceitando este homem? Não é este o homem a quem você sempre odiou? Ou, em outras palavras, você está determinada a tê-lo. Ele é rico, certamente, e você terá mais roupas bonitas e carruagens bonitas do que Jane. Mas elas te farão feliz? Eu o amo. De fato, ele não apresenta nenhum orgulho impróprio.

18 Uma dama prendada, segundo o Sr. Bingley Uma mulher precisa ter um conhecimento vasto de música, canto, desenho, dança e das línguas modernas, para merecer assim ser considerada; e, além disso tudo, precisa possuir um certo algo a mais no ar e em sua maneira de andar, o tom de sua voz, sua maneira de apresentar-se e suas expressões, ou a palavra seria somente meio merecida.

19 Uma dama prendada, segundo o Sr. Darcy Possuidora de todas essas qualidades e, a tudo isso, deve adicionar algo mais substancial, no aprimoramento de sua mente por meio de leitura extensiva.

20 Uma mulher moderna, segundo Bridget Jones 18 horas. Completamente exausta depois de passar o dia todo me preparando para o encontro. Ser mulher é pior do que ser lavrador – tem tanta coisa para cuidar na plantação e na colheita: depilar pernas com cera, raspar axilas, fazer sobramcelhas, passar pedra-pomes nos pés, esfoliar e hidratar a pele, tirar os cravos, pintar a raiz dos cabelos, passar rímel, lixar as unhas, massagear a celulite, exercitar os músculos da barriga.

21 Uma mulher moderna, segundo Bridget Jones A coisa é tão complexa que basta você esquecer durante uns dias e lá se vai a plantação. Às vezes penso como eu ficaria se deixasse tudo por conta da natureza – barba comprida, bigode de pontas viradas, sobramcelhas grossas, rosto igual a um cemitério, cheio de células mortas, espinhas na pele, unhas longas como as de Mortícia Adams, cega como um morcego sem minhas lentes de contato, o corpo flácido balançando.

22 Argh, argh. É de espantar que as garotas sejam inseguras? 19 horas. (...) Levei um bolo. Desperdício total de um dia inteiro de esforço e energia corporal hidrelétrica. No filme – Não é triste a situação da Chechênia? No livro – Bósnios sérvios?

23 Bridget e Elizabeth Bennet Pam Jones e Sra. Bennet – Querida, não diga o quê?, diga desculpe, o que disse? e faça o que a sua mãe mandar. Colin Jones e Sr. Bennet – a ironia e a preferência. Sharon, Jude e Tom versus Jane. Desenvolver equilíbrio interior, autoridade e a certeza de que sou uma mulher com conteúdo e completa, mesmo sem namorado, pois essa é, certamente, a melhor forma de conseguir um. A futilidade como bandeira.

24 Curiosidades Intertextuais It is a truth universally acknowledged that no momento em que uma área de sua vida começar a ir espetacularmente bem, outra cairá tragicamente aos pedaços... um homem solteiro em posse de uma grande fortuna deve estar em busca de uma esposa.

25 Curiosidades Intertextuais Bridget e Jude – fãs de Orgulho e Preconceito na BBC – cena da camiseta molhada. Menção ao caso Hugh Grant no livro – Daniel Cleaver. Mr. Darcy na série – Colin Firth, que é o Mark Darcy do filme e aparece em No Limite da Razão.

26

27 Darcy e Elizabeth segundo Bridget Elizabeth e Darcy são meus representantes na área do amasso, ou melhor, do galanteio. Nem por isso eu faço questão de vê-los marcando gols: detestaria ver Darcy e Elizabeth na cama, fumando um cigarro depois de transarem. Seria errado e pouco natural, e eu logo perderia o interesse pela história.

28 Darcy e Elizabeth segundo Bridget 10h30. Jude acaba de ligar e passamos 20 minutos falando – Uau, aquele senhor Darcy. Adoro o jeito dele falar, como se não pudesse ser interrompido. Uau! Depois ficamos horas discutindo as qualidades do Sr. Darcy em relação a Mark Darcy e concordamos que o Sr. Darcy era mais atraente porque era mais rude, mas, como se trata de um personagem, era uma desvantagem intransponível.

29 Curiosidades linguísticas

30 Verdades universalmente reconhecidas... Bem-casados versus solteiros – o que mudou? A aparência como moeda de troca feminina. O caráter como moeda de troca masculina. O trabalho em segundo plano. Os critérios para seleção de maridos. Sexo versus Amor – garotos bons não beijam assim. O final feliz (ainda com um homem rico). O conforto de um discurso hegemônico.

31 Continuamos com medo de sermos encontradas semanas depois de nossa morte semidevoradas por pastores alemães? Os homens têm medo de serem devorados por pastores alemães? (No Limite da Razão)

32 PCNs e Orientação Sexual

33

34

35

36 "Desde as primeiras linhas deste diário, você vai achar que já conhece Bridget Jones de algum lugar. Ela está na faixa dos 30 anos, é solteira, mora numa cidade grande, quer parar de fumar, acha que está marcando passo no emprego, tomou a firme resolução de fazer ginástica três vezes por semana e assumiu o compromisso de não chegar ao fim do ano sem aprender a programar o videocassete. Parece familiar? Então aqui vai outras características de Bridget. Desconfia dos livros de autoajuda, mas não resiste a dar uma olhadinha neles. É um desastre na cozinha, mas fantasia jantares inesquecíveis com o auxílio de livros de culinária. Banca a mulher independente, mas não passa uma noite sem sonhar com o príncipe encantado.

37 Sofre com a ideia de não receber presente no Dia dos Namorados, mas, em seguida, se convence de que esta é só uma data comercial. Ainda se espanta com homens que desaparecem depois do quarto encontro porque a relação está ficando muito séria. Agora você tem certeza que a conhece, não é? O mundo está mesmo cheio de Bridgets. Por isso, este livro fez tanto sucesso na Inglaterra (onde foi escrito), nos Estados Unidos, na França e onde mais tenha sido lançado. É impossível ler o diário de Bridget Jones e não identificá-la. Ou não se identificar com ela. Como toda sua geração, Bridget vive as agruras do pós-feminismo, convive com as neuroses da nova família, sobrevive na frieza das grandes metrópoles, mas, principalmente, enfrenta o dia-a-dia com um inabalável bom humor. Bridget é muito engraçada. Aproveite que ela escreveu um diário e divirta-se." Artur Xexéo

38 A narrativa segue com seu misto de orgulho e preconceito, arrogância e desdenho, sonhos e inocência, desejo de independência e emancipação, tudo dentro da perspectiva feminina. Os personagens principais, Sra. Elizabeth e Sr. Darcy, retratam a característica da sociedade da época marcada pelas convenções sociais impostas de cima para baixo. São as regras sociais de comportamento da classe dominante sendo impostas às classes menos favorecidas. (Dalvan José de Sousa - Professor Graduado em Letras pela URCA e Pós-Graduado em Metodologia do Ensino de Língua Portuguesa e Inglesa pela Faculdade Vale do Salgado - FVS)

39 Então É possível trabalhar a educação sexual a partir de filmes como Bridget Jones?... E os pastores alemães?.... E os conselhos da mamãe?...Mudamos tanto assim?.... Somos todas Bridget Jones?.... O mundo masculino se divide em tipos Mark Darcy e tipos Daniel Cleaver?

40 Orgulho e Preconceito hoje... Temos orgulho de quem somos ou nos diminuímos por não nos vermos representados? Propagamos o preconceito? O que é um final feliz?

41 Muito obrigada!!!! Slides disponíveis em


Carregar ppt "Bridget Jones: os novos caminhos de Lizzy Bennet Sabine Mendes Lima Moura, Dn. Cinemateca Literária Universidade Veiga de Almeida 1/2012."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google