A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Lourenço www.detonei.com Árvore Filogenética:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Lourenço www.detonei.com Árvore Filogenética:"— Transcrição da apresentação:

1

2 Prof. Lourenço

3 Árvore Filogenética:

4 Não apresentam células DNA ou RNA Moléculas de proteínas Parasitas intracelulares obrigatórios

5 Vírus atacando células

6

7

8

9 . São organismos acelulares;. São parasitas intracelulares obrigatórios;. Não possuem metabolismo próprio, portanto não fazem síntese protéica nem respiração celular;. Seu material genético pode ser DNA ou RNA;. Seu material genético possui apenas a informação para produzir o RNAm (mensageiro), os outros dois, RNAr (ribossômico) e RNAt (transportador) que participam da construção de proteínas virais, são da própria célula hospedeira.

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19 GRIPE sempre deve ser combatida Aviária Estacional H1N1 suína SAZONAL

20 SINTOMASRESFRIADOINFLUENZA FEBRE Criança 39º Adultos pouco freqüente Pode elevar-se até 40º dura de 3 a 4 dias DOR DE CABEÇA Raras vezes Inicio brusco e de grande intensidade DORES MUSCULARES Leve a moderado Grande intensidade (geralmente) CANSAÇO E DEBILIDADE Pode durar de 2 a 3 semanas DECAIMENTO Leve Inicio brusco e de grande intensidade CONGESTÃO NASAL FreqüenteAlgumas vezes ARDOR E/OU DOR DE GARGANTA TOSSE Leve a moderadaQuase sempre

21 Quem pode ser mais afetado pela influenza sazonal? Tem a capacidade de afetar a todas as pessoas Mesmo assim, são mais suscetíveis de sofrer complicações: Crianças menores de 5 anos. Adultos maiores de 65 anos. Pessoas com doenças crônicas como: diabetes, doença do coração, dos pulmões, etc.

22 Existe vacina para a influenza sazonal? SIM É APLICADA ANUALMENTE

23 INFLUENZA PANDÊMICA é o inicio de uma mesma influenza em todo o planeta em todo o planeta de maneira simultânea com a capacidade de provocar sérias conseqüências

24 Houve pandemias de influenza antes? SIM AnoNomeVirusMortes 1918 GRIPE Espanhola Vírus GRIPE tipo A (H1N1) 50 milhões[1] 1957GRIPE AsiáticaVírus da GRIPE tipo A (H2N2)2 milhões 1968 GRIPE de Hong Kong Vírus da GRIPE tipo A (H3N2)1 milhão (1) Osterholm MT. Preparing for the next pandemic N Eng J Med 2005; 352 (18):

25

26 Por que pode morrer tanta gente pela pandemia de INFLUENZA? Porque nenhum ser humano ainda foi exposto a este vírus Não há imunidade Ele se transmite facilmente pela tosse e pelo espirro

27 INFLUENZA A (H1N1)

28

29 - Ninguém no mundo tem imunidade - Não se sabe qual vai ser o comportamento dele - Ele pode sofrer mutações que são imprevisíveis

30 INFLUENZA RESFRIADO

31 FEBRE ALTA TOSSE DOR DE GARGANTA MAL ESTAR GERAL MUITO CANSAÇO DOR MUSCULAR DOR NAS ARTICULAÇÕES

32 NOSSA ÚNICA PROTEÇÃO É A PREVENÇÃO

33 E PODEM SER INALADOS PELAS OUTRAS PESSOAS

34 GOTÍCULAS ALCANCE ATÉ 2m

35 HÁBITOS DE HIGIENE

36

37 TRABALHAMOS COM O INVISÍVEL GERMES

38 Mãos não visivelmente sujas MESMOS MOVIMENTOS DA LAVAGEM DAS MÃOS - não colocar o álcool nas mãos molhadas - não secar com papel toalha SEMPRE FRICCIONAR ATÉ SECAR

39

40

41

42

43 NÃO USAR MAIS AS MÃOS PARA COBRIR A BOCA DURANTE A TOSSE

44

45

46

47

48

49 CIDADE

50

51 Bactérias e cianobactérias

52 Seres unicelulares (formados por uma única célula), procariontes (células sem núcleo organizado) São as bactérias e as algas cianofíceas ou cianobactérias (algas azuis)

53 Os primeiros seres vivos: as bactérias Ácido nucléico Citoplasma Membrana plasmática

54 Hipótese simbiótica da origem de mitocôndrias e cloroplastos Célula procariótica inicial Célula eucariótica fotossintetizante: alguns protistas e plantas Célula eucariótica não- fotossintetizante: alguns protistas, os fungos e os animais Bactéria aeróbia em simbiose mutualística Bactéria aeróbia dá origem à mitocôndria Carioteca Cianobactéria Invaginações da membrana plasmática Cianobactéria dá origem ao cloroplasto Bactérias aeróbias Ácido nucléico

55 Comparação de tamanho Bactéria Vírus Célula anima l Núcleo

56 Evolução da célula e os reinos de seres vivos Reino Protista Ancestral procarionte Cianobactérias Bactérias Reino Monera Perda de parede celular S Surgimento de organelas murgimento do citoesqueleto embranosas e núcleo Simbiose mutualística com bactéria aeróbia Mitocôndrias Algas Plantas Reino Plantae Protozoários Animais Reino Animalia Fungos Reino Fungi Simbiose mutualística com cianobactéria Cloroplasto Ancestral eucarionte Núcleo

57

58 Procariontes (sem carioteca) Unicelulares Célula formada pelos quatro componentes fundamentais a qualquer célula: hialoplasma, ribossomos, cromatina (DNA) e membrana plasmática. Além do DNA cromossômico, a maioria das bactérias apresentam plasmídeos (m. genético em forma de círculo) espalhados pelo hialoplasma. Cianobactérias contém pigmentos fotossintetizantes (clorofila) NÃO contém cloroplastos!

59

60

61 Xylella fastidiosa

62 Divisão binária, bipartição ou cissiparidade Este tipo de reprodução é o processo em que uma célula se divide em duas, por mitose, e origina duas células geneticamente idênticas. É o tipo mais comum e freqüente de reprodução de bactérias.

63 Conjugação: bactéria doadora envia parte do seu DNA para uma receptora. Essa se divide e origina bactérias diferentes.

64 Transdução: é a troca de genes feita através de um vírus, que invade uma célula, incorpora seu material genético, e o transmite para outras células.

65 ReinoComponentesCritérios de classificação Monera bactérias e cianobactérias Procariontes ; Heterótrofos ou autótrofos; ProtistaAlgas e protozoáriosEucariontes; Heterótrofos ou autótrofos; Unicelulares ou pluricelulares sem tecidos organizados; FungiFungosEucariontes; Heterótrofos; Unicelulares ou pluricelulares sem tecidos organizados; Nutrição por absorção de nutrientes obtidos da M.O. (por eles decomposta) ou de seres vivos; Vegetal (Plantae) Briófitas; Pteridófitas; Gimnospermas; Angiospermas. Eucariontes; Autótrofos; Pluricelulares com tecidos organizados. Animal (Animalia) Poríferos até cordadosEucariontes; Heterótrofos; Pluricelulares com tecidos organizados.

66 1. Participação em importantes processos ecológicos: Decomposição da matéria orgânica morta: Bactérias decompositoras NH 3 e outros nutrientes absorvidos pela natureza Atuação no ciclo do nitrogênio (Rhizobium, Nitrobacter, Nitrosomonas)

67 2. Uso industrial: Acetobacter: oxidação do álcool etílico ácido acético (vinagre); Lactobacillus e Lactococcus: conversão de lactose (açúcar do leite) em ácido láctico (leite azedo, redução do pH determina a precipitação de suas proteínas) formação da coalhada iogurte (Streptococcus thermophilus), queijo (Streptococcuss pp)

68 BACTÉRIASCIANOBACTÉRIAS (algas azuis) A maior parte é heterotrófica Autotróficas (fotossíntese) As autotróficas fazem quimiossíntese ou fotorredução. fazem fotossíntese vegetal, com lamelas fotossintetizantes forma de resistência: esporos. forma de resistência: acineto. Reprodução sexuada ou assexuada reprodução assexuada (bipartição).

69 DoençaBactériaTransmissãoSintomaVacina TétanoClostridium Tetani Bacilo e esporos Ferimentos profundos, provocados por objetos contaminados Intoxicação aguda com enrijecimento muscular Tríplice DifteriaCorynebacteriu m diphteriae (Bacilo) Secreções do nariz e garganta Placas na Faringe e garganta Tríplice Coqueluche (tosse comprida) Haemophilus pertussis (Bacilo) Saliva. Secreções da laringe e brônquios. Acesso de tosse longa e prolongada Tríplice TuberculoseMycobacterium tuberculosis (bacilo de Koch) Saliva e CatarroTosse, expectoração, inapetência, cansaço, sudorese noturna BCG (prevenção) antibióticos CóleraVibrio Cholerae (Vibrião) Contaminação fecal da água e alimentos Forte diarréia, com desidratação, e prostração antibiótico Lepra (hanseníase) Mycobacterium Leprae (bacilo de Hansen) Secreções em contato com narinas, boca e pele. Lesões cutâneas, perda da sensibilidade, manchas na pele. Coquetel de antibióticos Pneumonia pneumocócica Diplococos pneumoniae Secreções nasobucais Febre alta, e fortes dores pulmonares na região dorsal. antibióticos

70 DoençaBactériaTransmissãoSintomaVacina LeptospiroseLeptospira interrogans Urina de rato e água contaminada Febre alta e dores musculares Antibiótico Meningite pneumocócica Streptococcus pneumoniae Contato diretoFebre, vômito, intensas dores de cabeça Antibiótico/ vacina SífilisTreponema pallidum Sexo Contato com fluidos corporais Corpo dolorido, cancro, verrugas e feridas Antibiótico Gonorréia (blenorragia) Neisseria gonorrhoeae Sexo de qualquer tipo Contato com fluidos corporais Dor e ardor ao urinar Secreção amarelada Antibiótico Febre tifóideSalmonella typhi Alimentos e água contaminados Beijo Diarréia, febre, perda de apetite e manchas rosas Antibiótico BotulismoClostridium botulinum Alimentos enlatados e embalados sem oxigênio Paralisia muscular e dificuldade motora Soro Antibotulínico

71

72 Utilização pelo homem: Produção de Bebidas alcoólicas

73 Utilização pelo homem: Produção de pães e bolos - fermento biológico Fermentação Alcoólica

74 Valeu, galera!!!

75 Prof. Lourenço


Carregar ppt "Prof. Lourenço www.detonei.com Árvore Filogenética:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google