A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ÍNDICE DE AULAS Slides Aula 1 Slides Aula 2 Slides Aula 3

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ÍNDICE DE AULAS Slides Aula 1 Slides Aula 2 Slides Aula 3"— Transcrição da apresentação:

1 ÍNDICE DE AULAS Slides Aula 1 Slides Aula 2 Slides Aula 3

2 TIRE SUAS DÚVIDAS DE PORTUGUÊS

3 AULA 1 Introdução ao curso Acentuação gráfica

4 Social – formal / informal
NÍVEIS DE LINGUAGEM Regional Uai! Barbaridade, tchê! É massa! Ô meu! É “nóish”! Social – formal / informal SOUZA, Maurício de. Chico Bento em: Bom Português, s/d. Fonte: blog Quazi Sertus, 2012.

5 Placa com erros de português. Fonte: Portal R7, 2011.
A COMUNICAÇÃO OCORRE, MAS NEM SEMPRE DA FORMA IDEAL Placa com erros de português. Fonte: Portal R7, 2011.

6 ADEQUAR A LINGUAGEM À SITUAÇÃO DE COMUNICAÇÃO
VENDEMOS ALFACE E COUVE 5 PÉS POR R$ 1,00 APERTE A CAMPAINHA PARA SER ATENDIDO

7 ADEQUAR A LINGUAGEM À SITUAÇÃO DE COMUNICAÇÃO
Um dos males comunicacionais que mais assolam os locais de labor cotidiano é a falácia da expressão culta e esteticamente elegante que contribui para o impedimento da cognição ao favorecer o não entendimento interpretativo humano.  Calma! Eu traduzo. Tentar falar difícil ou “bonito” é uma das maiores falhas de comunicação no local de trabalho. (...) MUSSARELA, Márcio. “Facilite, Simplifique, Comunique. (se você falar difícil, mais difícil será sua comunicação)”. In: Comunicar é..., dicas, ferramentas, você sabia? 4 out Disponível em: <http://vocesa.abril.com.br/blog/marcio-mussarela/2010/10/04/simples/>. Acesso em: 14 mar

8 COMPETÊNCIA COMUNICATIVA Qual é a roupa mais adequada para uma entrevista de emprego?
MICROSOFT. MP Fonte: Office Online, 2012. MICROSOFT. MP Fonte: Office Online, 2012. MICROSOFT. Palhaço sorrindo. Fonte: Office Online, 2012.

9 Anúncio de dentista. Fonte: Blog Infinidades, 2012.
PORTUGUÊS É TÃO CHATO! PRECISO MESMO ESTUDÁ-LO? Você se consultaria com este dentista? Anúncio de dentista. Fonte: Blog Infinidades, 2012.

10 AI GENTE MINHA TONTURA ESTÁ VOU TANDO DINOVO
POR QUE FUGIMOS DA NORMA CULTA? Escolha da linguagem informal – maior familiaridade. Falta de prática do português padrão – na fala e na escrita. O resultado disso: AI GENTE MINHA TONTURA ESTÁ VOU TANDO DINOVO Direto do : VO AUMOSSA AEEEE CESTA FEIRA

11 POR QUE FUGIMOS DA NORMA CULTA? Quando o errado vira moda:
“O mesmo” é um vício de linguagem que se espalhou indevidamente em diversas situações de comunicação. Fonte: Fundação Bradesco, 2011.

12 namorado – ônibus – hambúrguer – poderoso
SÍLABA TÔNICA namorado – ônibus – hambúrguer – poderoso material – rádio Toda palavra da língua portuguesa possui sílaba tônica. Em algumas palavras a sílaba tônica também possui acento gráfico.

13 A sabia sabia que o sabia sabia assobiar.
É VERDADE QUE... Sabemos pronunciar muitas palavras mesmo que elas não estejam acentuadas. O magico tirou do chapeu um pote de cafe e uma caixa de lapis coloridos. MAS O QUE DIZER DESSA FRASE? A sabia sabia que o sabia sabia assobiar.

14 COMO DIFERENCIAR AS PALAVRAS?
Mudando a pronúncia. A sabia sabia que o sabia sabia assobiar. E COMO INDICAR A PRONÚNCIA? Utilizando acentos! A sábia sabia que o sabiá sabia assobiar.

15 EXERCÍCIO 7 Aviso Fonte: Blog Tá Difícil..., 2012.
Fonte: Blog Idade Certa, 2012.

16 EXERCÍCIO 7 Fonte: Blog ISJ Português, 2012.
Fonte: Blog Análise de Textos, 2012.

17 Fonte: Blog Web Alternativa, 2012.
EXERCÍCIO 7 Fonte: Blog Web Alternativa, 2012. Fonte: Blog Marafado, 2012.

18 EXERCÍCIO 7 Fonte: Blog Cadê o Revisor, 2012.
Fonte: Blog Educar para Crescer, 2012.

19 AGRADECEMOS PELA PARTICIPAÇÃO!
Na próxima aula: Emprego dos sinais de pontuação

20 AULA 2 Emprego dos sinais de pontuação

21 Você é capaz de criar 10 enunciados diferentes com as palavras abaixo?
é isso mesmo

22 É isso mesmo! É! Isso mesmo! É isso mesmo? É isso mesmo:
Vamos pensar sobre as diferenças entre a língua falada e a língua escrita É isso mesmo! É! Isso mesmo! É isso mesmo? É isso mesmo: É isso. Mesmo! É? Isso mesmo? É isso? Mesmo? É “isso” mesmo!? É. Isso mesmo. É isso mesmo...

23 Eh ixu MMOOOOOOOO!!!!! KKKKK ;-)
Pausa para reflexão: A linguagem da internet, ou internetês. Eh ixu MMOOOOOOOO!!!!! KKKKK ;-) xoxo

24 Representação gráfica
Sinal de pontuação Representação gráfica aspas “ ” ponto de interrogação ? dois-pontos : ponto-e-vírgula ; parênteses ( ) reticências ... ponto . travessão ponto de exclamação ! vírgula ,

25 A vírgula Imagem de autoria desconhecida. In: CHOCIAY, Rogério. A soberania da vírgula. Revista Língua Portuguesa (website). Disponível em: Acesso em: 11 abr

26 Uma vírgula pode mudar completamente o sentido de uma frase. Exemplo:
Se o homem soubesse o valor que tem a mulher estaria sempre a seus pés. Imagem de autoria desconhecida. In: CHOCIAY, Rogério. A soberania da vírgula. Revista Língua Portuguesa (website). Disponível em: Acesso em: 11 abr

27 O que é importante saber sobre a vírgula
MITO: A vírgula sempre marca, no texto, uma pausa para respiração. VERDADE: A principal função da vírgula é sinalizar o modo como se distribuem os componentes das frases. Imagem de autoria desconhecida. In: CHOCIAY, Rogério. A soberania da vírgula. Revista Língua Portuguesa (website). Disponível em: <http://revistalingua.uol.com.br/textos/50/artigo asp>. Acesso em: 11 abr

28 Para virgular bem, é preciso entender a estrutura da oração
Ordem direta Circunstâncias Complementos Verbo Sujeito

29 , Inversões na ordem direta
Circunstâncias Sujeito Verbo Complementos Para garantir a coerência da oração, o termo deslocado da ordem direta deve ser isolado por vírgulas. Circunstâncias Sujeito Verbo Complementos ,

30 É PROIBIDO USAR A VÍRGULA:
1. para separar o sujeito do verbo. 2. para separar o verbo de seus complementos. Imagem: Ilustração de um semáforo. Fonte: Office Online. Disponível em: <http://office.microsoft.com/pt-br/images/results.aspx?qu=sem%C3%A1foro&ctt=1#ai:MC |mt:0|>. Acesso em: 11 abr

31 É OBRIGATÓRIO USAR A VÍRGULA:
1. para marcar inversões na ordem direta. 2. para marcar intercalações que interrompem a sequência da frase. 3. para marcar a omissão do verbo (elipse). 4. para separar uma sequência de palavras, termos ou orações. 5. para separar o nome do lugar, nas datas. Imagem: Ilustração de um semáforo. Fonte: Office Online. Disponível em: < Acesso em: 11 abr

32 O USO DA VÍRGULA É OPCIONAL:
para dar ênfase ao valor de uma palavra, especialmente um advérbio, em qualquer posição na frase. Imagem: Ilustração de um semáforo. Fonte: Office Online. Disponível em: <http://office.microsoft.com/pt-br/images/results.aspx?qu=sem%C3%A1foro&ctt=1#ai:MC |mt:0|>. Acesso em: 11 abr

33 AGRADECEMOS PELA PARTICIPAÇÃO!
Na próxima aula: Regência verbal e nominal 1ª Avaliação Processual

34 Regência verbal e nominal 1ª Avaliação Processual
AULA 3 Regência verbal e nominal 1ª Avaliação Processual

35 Figura 1 – Maestro regendo uma orquestra. Fonte: MorgueFile, 2012.

36 regência Datação: 1667-1680 1 ato ou efeito de reger(-se)
n substantivo feminino 1 ato ou efeito de reger(-se) 2 governo instituído em um país, durante impedimento do chefe de Estado, esp. de um monarca 3 dignidade, função daquele ou daqueles que governam um país, na falta ou na minoridade do soberano 4 Regionalismo: Pernambuco. grupo de pessoas que se reúnem com frequência para promover pândegas, arruaças 5 Rubrica: gramática. relação de dependência entre duas palavras numa construção, na qual uma (a regida) complementa a outra (a regente); p.ex., o verbo rege os sintagmas nominais completivos (objeto direto ou indireto e complementos adverbiais) 6 Rubrica: história. período da história do Brasil (de 7 de abril de 1831 a 23 de julho de 1840) em que o país foi governado por regentes, dada a menoridade de Pedro II 7 Rubrica: música. arte e técnica de reger 8 Rubrica: música. o ato de reger 9 Rubrica: pedagogia. ato de reger uma turma Ex.: pediu dispensa da r. de turma para fazer um curso de aperfeiçoamento HOUAISS, Antônio. Dicionário eletrônico Houaiss de Língua Portuguesa. Editora Objetiva: Rio de Janeiro, 2009. 

37 Regência AUTORIA DESCONHECIDA. Fonte: Blog Eventhus Formaturas. Disponível em: Acesso em: 10 maio 2012.

38 Parabéns das preposições
“Para, com, por, a, de Em, desde, até, contra, sem Entre, trás, per, perante Após, sobre, sob, ante”

39 Transitividade verbal
Verbos que possuem sentido completo – Intransitivos Maria Cristina trabalha. VI Verbos que necessitam de complemento – Transitivos Complemento do verbo transitivo – Objeto Maria Cristina cumprimenta VTD (Quem?) os colegas. OD Maria Cristina gosta VTI (De quê?) das coisas bem feitas. OI Maria Cristina informa VTDI ou Bitransitivo (O quê? A quem?) suas notas aos pais.

40 Assistir VTD VTI Prestar assistência, ajudar, socorrer Ver, presenciar
A médica assiste o paciente. O rapaz assiste ao jogo da seleção brasileira.

41 Aspirar Vou aspirar a sujeira do tapete. Aspiro a um bom emprego.
VI VTD VTI Vou aspirar a sujeira do tapete. Aspiro a um bom emprego. Está ficando difícil aspirar. Aspirei o perfume das flores.

42 Regência nominal Tenho necessidade ______________ dormir oito horas por noite. A decisão foi favorável ______________ todos. O filme é impróprio ______________ menores. Regência verbal O bom motorista obedece ___________ Código de Trânsito. Prefiro _____________ salgado ____________ doce. Cheguei ___________ escola atrasado por causa da greve dos motoristas.

43 AGRADECEMOS PELA PARTICIPAÇÃO!
Na próxima aula: Crase Colocação Pronominal

44 AULA 4 Crase Colocação Pronominal

45 colore > coor > cor
CRASE NÃO É ACENTO! Crase é um fenômeno: fusão de duas vogais idênticas. Estudos etimológicos colore > coor > cor Estudos poéticos OVNI Sou uma coisa entre coisas O espelho me reflete Eu (meus olhos) reflito o espelho.  [GULLAR, Ferreira. Toda poesia (1950 – 1987). 7.ed. Rio de Janeiro: José Olympio, p. 303.]

46 a à CASO MAIS COMUM DE CRASE Fusão indicada pelo acento grave.
preposição artigo crase a à Refiro-me a a regra.  Refiro-me à regra.

47 QUANDO OCORRE CRASE Condição 1 Condição 2 Ocorre crase
Presença de nome ou verbo que exija complemento iniciado com a preposição “a” O termo que complementa o nome ou verbo é: palavra ou expressão feminina, obrigatoriamente precedida do artigo “a/as” pronome demonstrativo “aquele(s)”, “aquela(s)”, “aquilo” pronome relativo “a qual”, “as quais” Se satisfeitas as condições 1 e 2. chegar a a escola Chegarei à escola atrasado. assistir a aquelas peças de Shakespeare Assisti àquelas peças de Shakespeare. obediente a as leis Essas são as leis às quais sou obediente.

48 VAMOS PRATICAR? Figura 3 – Anúncio de internet.
Fonte: Blog Revisão, por favor!, 2012. Figura 1 – Placa de trânsito. Fonte: Blog Lauro Português, 2012. Figura 2 – Manchete de jornal. Fonte: Blog A Palavra em ação, 2012.

49 REGRAS PRÁTICAS Quando o complemento do verbo é uma palavra feminina.
1. Substituir a palavra feminina por uma masculina: direi às alunas – direi aos alunos benefícios a todas as mulheres – benefícios a todos os homens 2. Substituir o verbo por outro que exija preposição diferente de “a” (“de”, “em”, “por”, “para”): Vou à Paraíba – vim da, estou na, passarei pela, seguirei para a Vou a Santa Catarina – vim de, estou em, passarei por, seguirei para

50 PRONOMES PESSOAIS Funções que desempenham nas orações Sujeito,
Número Pessoa Retos Oblíquos átonos (usados sem preposição) Oblíquos tônicos (usados com preposição) Singular eu me mim, comigo tu te ti, contigo ele/ela o, a, lhe, se si, ele, ela, consigo Plural nós nos nós, conosco vós vos vós, convosco eles/elas os, as, lhes, se si, eles, elas, consigo Funções que desempenham nas orações Sujeito, Predicativo do Sujeito OD, OI (lhe) OI, CN, Agente da Passiva

51 COLOCAÇÃO PRONOMINAL Não me lembro do seu nome.
Devemos dizer-lhe a verdade. Emprestar-lhe-ei todos os meus resumos de Literatura.

52 PRONOMINAIS Dê-me um cigarro Diz a gramática Do professor e do aluno E do mulato sabido Mas o bom negro e o bom branco Da Nação Brasileira Dizem todos os dias Deixa disso camarada Me dá um cigarro (ANDRADE, Oswald de. Fonte: Jornal de Poesia. Disponível em: <http://www.jornaldepoesia.jor.br/oswal.html#pronominais>. Acesso em: 8 jun )

53 DICAS PARA NÃO ERRAR NA COLOCAÇÃO PRONOMINAL
Jamais comece uma frase com um pronome oblíquo átono. Com verbos no particípio e no futuro do indicativo, a ênclise estará sempre inadequada. Em locuções verbais, prefira sempre a próclise do verbo principal. Ela é possível em qualquer caso. Se a ênclise soa artificial ou pedante, modifique a frase, usando uma palavra que atraia o pronome para antes do verbo (Disseram-me que o filme era bom. => Alguém me disse que o filme era bom.). Para evitar a mesóclise, opte pelo uso dos tempos compostos.

54 DICAS PARA NÃO ERRAR NA COLOCAÇÃO PRONOMINAL
Futuro do Presente do Indicativo Futuro do Presente Composto do Indicativo O trabalho? Terminá-lo-ei amanhã. Eu o terei terminado amanhã. Futuro do Pretérito do Indicativo Futuro do Pretérito Composto do Indicativo Vê-lo-íamos de qualquer jeito. Nós o teríamos visto de qualquer jeito.

55 AGRADECEMOS PELA PARTICIPAÇÃO!
Na próxima aula: Concordância Nominal Correção da 1ª Avaliação Processual

56 AULA 5 Resolução comentada da 1ª Avaliação Processual Concordância Nominal

57 CONCORDÂNCIA NOMINAL Regras gerais.
Os adjetivos, os numerais, os pronomes e os artigos concordam com o substantivo em gênero (masculino ou feminino) e número (singular ou plural). O particípio, forma nominal do verbo, por ter características de nome, também concorda com o substantivo a que ele se refere. Os advérbios, as conjunções e as preposições são invariáveis, não se flexionam.

58 UM ADJETIVO DEPOIS DE DOIS SUBSTANTIVOS
O adjetivo concorda em gênero e número com o substantivo mais próximo quando estiver se referindo apenas a ele (caso de “um carro e uma casa velha”). O adjetivo passa para o plural se estiver se referindo a todos os substantivos (caso de “um carro e uma casa velhos”). Lembrete: quando se refere a dois substantivos de gêneros diferentes, o adjetivo no plural conserva-se no gênero masculino.

59 MEIO OU MEIA? Com o sentido de “mais ou menos”, “meio” é advérbio e, por isso, não se flexiona. Exemplo: “Eu estou meio confusa.” A flexão de “meio” em gênero e número só é possível quando “meio” for um numeral e tiver o sentido de “metade”. Exemplos: “Estudantes pagam meia entrada.” “Já é meio-dia e meia.”

60 SÓ, SÓS E “A SÓS” A palavra “só” admite flexão para o plural apenas com o sentido de “sozinho”, isto é, com função de adjetivo: “um homem só” (sozinho) “dois homens sós” (sozinhos) Com o sentido de “somente”, “apenas”, a palavra “só” tem função de advérbio e não sofre variação: “um homem só” (apenas) “dois homens só” (apenas) A expressão “a sós”, que significa “sem companhia” é invariável. Exemplo: “Eles ficaram a sós.”

61 “De todas as irmãs, ela é a menos vaidosa.”
“Menos” é um advérbio, palavra que não se flexiona em gênero e número. Exemplos: “De todas as irmãs, ela é a menos vaidosa.” “Com a oferta de serviços bancários pela internet, o cliente vai menos vezes à agência.”

62 “CARO”, “BOM”, “SÉRIO”, “CHATO”, “CHEIO”
Algumas palavras – como “caro”, “bom”, “sério”, “chato”, “cheio” – podem exercer tanto a função de adjetivo como de advérbio. Como advérbio, não sofrem flexão e, como adjetivo, concordam com o substantivo a que se referem em gênero e número.

63 PRONOMES RELATIVOS “O/A QUAL”, “OS/AS QUAIS”
Devem concordar em gênero e número com o nome a que se referem. “Lisboa é uma cidade na qual nunca estive.” “Portugal e Espanha são países nos quais nunca estive.”

64 SILEPSE Figura de linguagem em que a concordância nominal ou verbal se faz pelo sentido, e não de acordo com as regras da gramática. “São Paulo só é boa nos feriados.” (A concordância de “boa” é com a palavra “cidade”, subentendida na frase.)  “Vossa Excelência está preocupado.” (O adjetivo “preocupado” concorda com o sexo da pessoa e não com o pronome de tratamento.)

65 AGRADECEMOS PELA PARTICIPAÇÃO!
Na próxima aula: Concordância Verbal 2ª Avaliação Processual

66 AULA 6 Concordância Verbal 2ª Avaliação Processual

67 CONCORDÂNCIA VERBAL REGRA GERAL.
O verbo deve concordar com o sujeito da frase em pessoa (1ª, 2ª ou 3ª) e número (singular ou plural). Entenda melhor o conceito de “pessoa” Quem fala – “eu”, “nós” (1ª pessoa), “a gente” (3ª pessoa) Com quem se fala – “tu”, “vós” (2ª pessoa), “você”, “vocês” (3ª pessoa) De quem se fala – “ele(s)”, “ela(s)” (3ª pessoa)

68 A CONCORDÂNCIA VERBAL NA CONSTRUÇÃO DO TEXTO
A gente não sabemos escolher presidente A gente não sabemos tomar conta da gente A gente não sabemos nem escovar os dente Tem gringo pensando que nóis é indigente Inútil A gente somos inútil (...) MOREIRA, Roger. Inútil, Ultraje a Rigor – Nós Vamos Invadir Sua Praia, Fonte: Ultraje a Rigor, website oficial. Disponível em: <http://www.agencianatural.com.br/ultraje/letras6.php?disco_letras_musica6=Inútil>. Acesso em: 16 jul Música Vídeo

69 AGRADECEMOS PELA PARTICIPAÇÃO!
Na próxima aula: Micos de linguagem

70 AULA 7 Micos de linguagem

71 Palavras ou expressões em desacordo com a norma culta.
1. BARBARISMO: Palavras ou expressões em desacordo com a norma culta. 1.1. Equívocos com relação à pronúncia (cacoépia) e grafia (cacografia) das palavras Como se livrar desse mico: Apropriando-se da grafia correta das palavras por meio do exercício da leitura e da escrita, e sabendo como funciona a acentuação gráfica na língua portuguesa.

72 Palavras ou expressões em desacordo com a norma culta.
1. BARBARISMO: Palavras ou expressões em desacordo com a norma culta. 1.2. Equívocos com relação ao sentido de expressões semelhantes Como se livrar desse mico: Conhecendo as classes de palavras (substantivos, adjetivos, advérbios, verbos etc.) e entendendo a função que elas desempenham nos textos. Habituando-se a utilizar o dicionário para esclarecer dúvidas com relação ao sentido das expressões.

73 Palavras ou expressões em desacordo com a norma culta.
1. BARBARISMO: Palavras ou expressões em desacordo com a norma culta. 1.3. Uso de palavras e expressões estrangeiras (estrangeirismos) Como se livrar desse mico: É preciso estar atento às situações de comunicação que permitem o uso de palavras estrangeiras. Algumas vezes, os estrangeirismos podem fazer parte da linguagem técnica de um grupo profissional. Nesse caso, não é considerado um vício de linguagem. Mas empregar termos estrangeiros exageradamente fora desse contexto pode prejudicar a comunicação e dar a impressão de que o falante não domina a própria língua.

74 Micos com relação a construções alheias à norma culta.
2. SOLECISMOS: Micos com relação a construções alheias à norma culta. 2.1. Problemas com a concordância nominal ou verbal Como se livrar desse mico: Entendendo as regras básicas de concordância nominal e verbal, e sabendo reconhecer os termos que concordam entre si nas orações, mesmo que estejam distantes uns dos outros ou na ordem inversa.

75 Micos com relação a construções alheias à norma culta.
2. SOLECISMOS: Micos com relação a construções alheias à norma culta. 2.2. Problemas com relação à regência Como se livrar desse mico: Conhecendo os casos mais comuns de regência nominal e verbal, que provocam mais dúvidas, e habituando-se a fazer consultas ao dicionário para verificar a regência formal dos verbos e nomes.

76 Micos com relação a construções alheias à norma culta.
2. SOLECISMOS: Micos com relação a construções alheias à norma culta. 2.3. Problemas com relação à colocação pronominal Como se livrar desse mico: Entendendo a função que os pronomes pessoais retos e oblíquos desempenham nas orações e conhecendo os casos em que a colocação pronominal é diferente nas situações formais e informais.

77 3. MICOS RELACIONADOS À FALTA DE VARIEDADE VOCABULAR
3.1. Lugares-comuns, clichês, chavões, modismos Como se livrar desse mico: Procurando usar as palavras com precisão e diversificando o vocabulário por meio do emprego de sinônimos. Não há como evitar completamente os lugares-comuns, mas é preciso muito cuidado com os casos de palavras que têm seu sentido original desvirtuado, ganhando significado impróprio ou inadequado.

78 3. MICOS RELACIONADOS À FALTA DE VARIEDADE VOCABULAR
3.2. Hipercorreção ou ultracorreção Como se livrar desse mico: Conhecendo as regras de uso da língua culta e praticando a escrita e a leitura de textos variados. Muitas expressões do lugar-comum surgem da hipercorreção; por isso, o hábito de consultar o dicionário é outra recomendação importantíssima para quem deseja falar e escrever com clareza e precisão.

79 4. MICOS COM RELACÃO À SONORIDADE DAS FRASES E ORAÇÕES
4.1. Cacófato 4.2. Eco 4.3. Hiato 4.4. Colisão Como se livrar desses micos: Criando o hábito de reler o que escreve, para avaliar o próprio texto, fazer correções e substituições.

80 5. MICOS COM RELACÃO AS SENTIDO DO TEXTO
5.1. Ambiguidade Como se livrar desses micos: Conhecendo os mecanismos de coesão e coerência e praticando a leitura e a produção textual.

81 5. MICOS COM RELACÃO AS SENTIDO DO TEXTO
5.2. Redundância, pleonasmo Como se livrar desses micos: Procurando expressar-se com o máximo de clareza e objetividade. Em situações de produção escrita, revisar o próprio texto para eliminar repetições desnecessárias.

82 AGRADECEMOS PELA PARTICIPAÇÃO!
Na próxima aula: Coerência e coesão textual Correção da 2ª Avaliação Processual

83 AULA 8 Coerência e coesão textual Correção da 2ª Avaliação Processual Reaplicação do Teste de Conhecimentos da Aula 1

84 OBJETIVOS Por meio da resolução comentada da 2ª avaliação processual, proporcionar um momento em que os alunos possam revisar os assuntos das Aulas 4, 5 e 6 e refletir sobre o seu desempenho, destacando os pontos positivos e os aspectos em que precisam melhorar. Articular os conteúdos gramaticais vistos isoladamente ao longo do curso para resolver situações-problema que requeiram o domínio das regras da língua padrão na produção de textos próprios e análise de textos de outros autores. Demonstrar a habilidade de organizar frases em um texto coerente, criando uma unidade de sentido para ideias aparentemente desconexas. Resolver novamente o Teste de Conhecimentos da Aula 1 para o trabalho de revisão e autoavaliação que será realizado na Aula 9.

85 CONTEÚDOS Resolução comentada da 2ª Avaliação Processual
Coesão textual Coerência textual Reaplicação do teste de conhecimentos gerais sobre a língua (Aula 1)

86 AGRADECEMOS PELA PARTICIPAÇÃO!
Na próxima aula: Revisão Avaliação Final

87 AULA 9 Autoavaliação Resolução do Teste de Conhecimentos das Aulas 1 e 8 Revisão Final Avaliação Final

88 GABARITO DO TESTE DE CONHECIMENTOS
Questão Resposta 1 B 2 C 3 D 4 A 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

89 5 coisas importantes sobre: Acentuação gráfica Questão 8
Saber localizar a sílaba tônica e saber que, na LP, a maioria das palavras são paroxítonas (penúltima sílaba tônica). Função da acentuação gráfica: orientar pronúncia das palavras que fogem à tendência e diferenciar palavras de grafia semelhante. Algumas regras fáceis de guardar: Monossílabos tônicos terminados em a/as, e/es, o/os. Oxítonas terminadas em a/as, e/es, o/os, em/ens. Paroxítonas terminadas em r, x, n, l (“rouxinol”). Todas as proparoxítonas são acentuadas. Ditongos éi/ éis, éu/ éus, ói/óis, no final das palavras. Quando uma paroxítona é acentuada, a oxítona com a mesma terminação não é, e vice-versa. Palavras derivadas de outras palavras que possuem acento: a regra de acentuação passa a valer de acordo com a sílaba tônica da palavra que se formou.

90 5 coisas importantes sobre: Pontuação Questão 11
Função da pontuação: reproduzir, na escrita, as pausas e entonações da língua falada, evitar ambiguidades e ideias confusas. Principais sinais de pontuação: aspas [“ “], dois-pontos [ : ], parênteses [( )], ponto [ . ], ponto de exclamação [ ! ], ponto de interrogação [ ? ], ponto-e-vírgula [ ; ], reticências [ ... ], travessão [ – ] e vírgula [ , ]. A vírgula é o sinal de pontuação com maior variedade de uso. Para saber virgular bem, é preciso entender como as frases, orações e períodos se estruturam e se organizam. É proibido usar vírgula para separar termos essenciais: sujeito do verbo ou verbo de seus complementos. Usos da vírgula: marcar inversões na ordem direta, intercalar termos explicativos, separar sequências de palavras e marcar omissões de verbos.

91 5 coisas importantes sobre: Regência Questões 7, 9 e 13
Regência é a relação entre um termo que necessita de complemento para ter sentido (termo regente) e outro que completa o sentido do primeiro (termo regido). Na regência nominal, substantivos, adjetivos e advérbios necessitam de complemento e são sempre ligados a eles por preposição. Regência verbal relaciona-se com transitividade verbal ( VI, VTD, VTI, VTDI) Dependendo do contexto, os verbos podem apresentar regências e significados diferentes – importante o uso do dicionário. Principais casos de regência: linguagem do dia a dia é diferente do que recomenda a norma culta (assistir, chegar, namorar, obedecer, preferir).

92 5 coisas importantes sobre: Crase Questão 6
Crase não é acento, mas sim o fenômeno de fusão de duas letras “a”, indicado pela colocação do acento grave (`). Para que ocorra crase, é necessário: Termo regente: nome ou verbo que exija complemento iniciado com a preposição “a”. Termo regido: palavra ou expressão feminina que admita o artigo “a/ as”; o pronome demonstrativo “aquele(s)”, “aquela(s)”, “aquilo” ou o pronome relativo “a qual”, “as quais”. Regras práticas para avaliar a ocorrência da crase: Substituir o nome ou verbo por outro com preposição diferente – se o resultado for “na”, “para” ou da”, ocorre crase. Substituir a palavra feminina por uma masculina – se o resultado for “ao”, ocorre crase. Não ocorre crase antes de palavras em que não se admite o artigo “a” – verbos, palavras masculinas. Em algumas expressões, não será possível verificar as condições para a ocorrência da crase nem aplicar as regras práticas. Nelas, o emprego do acento grave é fixo e tem a finalidade de evitar ambiguidade.

93 5 coisas importantes sobre: Colocação pronominal Questão 2
Posição dos pronomes oblíquos átonos (me, te, o(s), a(s), lhe(s), se, nos, vos), com função de objeto direto ou indireto, em relação aos verbos que eles complementam. Próclise (antes do verbo), ênclise (depois do verbo) e mesóclise (no meio do verbo). Este é um assunto da língua portuguesa em que o uso difere bastante da norma. Preferimos a próclise na fala e na escrita do dia-a-dia por uma questão de eufonia (som mais agradável). Dicas práticas para as situações formais de fala e escrita: Não começar frase com pronome oblíquo átono; Não usar ênclise com verbos no particípio e no futuro do indicativo; Em locuções verbais, preferir sempre a próclise do verbo principal; Se a ênclise não soar bem, modificar a frase, usando uma palavra que atraia o pronome para antes do verbo; Optar pelo uso dos tempos compostos para evitar a mesóclise.

94 5 coisas importantes sobre: Concordância Questões 1, 5, 10, 14, 15
Concordância nominal: substantivos e as palavras que com eles se relacionam: adjetivos, pronomes, numerais e artigos concordam em gênero (masculino ou feminino) e número (singular ou plural). Segredo da concordância nominal: saber diferenciar os substantivos, adjetivos, pronomes, numerais e artigos (que se flexionam) dos advérbios, conjunções e preposições (palavras invariáveis). Concordância verbal: verbo concorda com o sujeito da frase em pessoa (1ª, 2ª ou 3ª) e número (singular ou plural). Segredo da concordância verbal: localizar corretamente o sujeito, que nem sempre estará próximo do verbo ou na ordem direta. Cuidado com expressões que acompanham o sujeito e costumam atrapalhar a concordância adequada.

95 5 coisas importantes sobre: Vícios de Linguagem Questões 3, 4 e 12
Cuidado com a fala ou escrita em desacordo com a norma culta da língua: pronúncia, grafia, troca indevida de expressões semelhantes, estrangeirismos em excesso, concordância, regência ou colocação inadequadas. Cuidado com a fala ou escrita “disfarçada de norma culta”, remetendo à falta de instrução, à pobreza de vocabulário e à imprecisão da linguagem: lugares-comuns, neologismos, hipercorreção (“errado” pelo “certo”), sentido ou função originais desviados. Cuidado com a escrita que provoca sons desagradáveis na pronúncia: formação de expressões ridículas ou obscenas, rima nos textos em prosa, acúmulo de vogais, repetição de consoantes. Cuidado com a fala ou escrita que apresenta duplo sentido (ambiguidade) ou redundância (pleonasmo vicioso). Como se livrar dos micos: estar atento à formalidade ou informalidade que a situação de comunicação pede, exercitar a leitura, escrita e revisão textual, usar o dicionário e procurar diversificar o vocabulário.

96 AGRADECEMOS PELA PARTICIPAÇÃO!
Na próxima aula: Encerramento do curso

97 AULA 10 Encerramento do curso 97

98 OBJETIVOS Revisar os conteúdos do curso
Discutir as principais dificuldades apresentadas na avaliação Obter a opinião dos alunos e do monitor quanto ao curso Encerramento do curso

99 CONTEÚDOS Atividades de criação Revisão do conteúdo programático
Preenchimento da avaliação de reação Entrega de resultados e dos certificados

100 AGRADECEMOS PELA PARTICIPAÇÃO!
ATÉ A PROXIMA! 100


Carregar ppt "ÍNDICE DE AULAS Slides Aula 1 Slides Aula 2 Slides Aula 3"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google