A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Luiz Carlos d´Oleron – Análise Léxica e Sintática Teoria e Implementação de Linguagens Computacionais - IF688 – 2007.1.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Luiz Carlos d´Oleron – Análise Léxica e Sintática Teoria e Implementação de Linguagens Computacionais - IF688 – 2007.1."— Transcrição da apresentação:

1 Luiz Carlos d´Oleron – Análise Léxica e Sintática Teoria e Implementação de Linguagens Computacionais - IF688 –

2 Luiz Carlos d´Oleron – Roteiro Fases da compilação Analise Lexica Tokens, lexemas, expressões regulares e autômatos finitos Analise Sintática Gramáticas e parsers Parser trees Derivações Gramáticas ambíguas Ambigüidade aritméticas Parser recursive descendent Recursão à esquerda Gramáticas LL(k) Gramáticas LR(k) Outras gramáticas Dangling else Parsing LR de gramáticas ambíguas AST Referências

3 Luiz Carlos d´Oleron – Atenção! Este material não substitui a leitura da bibliografia Sugerimos pesquisar a leitura referenciada no final deste trabalho e no site da disciplina

4 Luiz Carlos d´Oleron – Processo de Compilação begin if x = 5 then Código FonteCompilador Programa output + params

5 Luiz Carlos d´Oleron – Fases da compilação abstração implementação Código fonte tokens e lexemas Árvore sintática abstrata Código Máquina AST decorada Análise Léxica Análise Sintática Análise Semântica Geração de Código

6 Luiz Carlos d´Oleron – Background Acadêmico - CIn

7 Luiz Carlos d´Oleron – Análise Léxica O analisador léxico é responsável por traduzir o arquivo fonte em lexemas e tokens if (n == 0) { return 1; } else {... } RPARLCUR RCUR if LPAR return else "n" id "0" intLit assign "1" intLit... comm

8 Luiz Carlos d´Oleron – Reconhecendo tokens Expressões regulares (implementadas como Autômatos Finitos) são comumente utilizadas Exemplos: if IF [a-z][a-z0-9]* ID [0-9]+ NUM

9 Luiz Carlos d´Oleron – Reconhecendo tokens 1 2 a-z 0-9 ID 21 3 if IF

10 Luiz Carlos d´Oleron – Análise Sintática “syn-tax: the way in wich words are put together to form phrases, clauses or setences.” Webster´s Dictionary A seguinte construção é válida? int y = 0,k = 0; int x = y+++k;

11 Luiz Carlos d´Oleron – Análise Sintática O Analisador Sintático é responsável por verificar quando uma sentença faz parte da gramática da linguagem. Entrada: lexemas e tokens gerados pelo analisador léxico

12 Luiz Carlos d´Oleron – Gramáticas – descrevendo linguagens Gramáticas livres de contexto são utilizadas para descrever linguagens de programação Produções Símbolos terminais Símbolos não-terminais Símbolo inicial

13 Luiz Carlos d´Oleron – Exemplo S → S ; S S → id := E S → print (L) E → id E → num E → E + E E → (S, E) L → E L → L, E Terminais: id print, + ; := ( ) Não terminas: S E L Símbolo inicial: S → é utilizado na notação de produções A cadeia seguinte pertence à gramática? a := 7; b := c + (d := 5 + 6, d)

14 Luiz Carlos d´Oleron – Derivações Para determinar se uma cadeia pertence à gramática pode ser utilizado o processo de Derivação: S S ; S S ; id := E id := E ; id := E id := num ; id := E id := num ; id := E + E id := num ; id := E + (S, E) id := num ; id := id + (S, E) id := num ; id := id + (id := E, E) id := num ; id := id + (id := E + E, E) id := num ; id := id + (id := E + E, id) id := num ; id := id + (id := num + E, id) id := num ; id := id + (id := num + num, id)

15 Luiz Carlos d´Oleron – Parse tree S S S E E id:= ; E id + E ) (, ES E := id E E+ num A Parse Tree é construída conectando cada derivação a sua origem. Na prática não é implementada pelos compiladores.

16 Luiz Carlos d´Oleron – Gramáticas ambíguas Uma gramática é ambígua se a partir dela uma sentença pode dar origem a duas arvores de parsing diferentes Indeterminismo é problemático para a compilação Eliminação de ambigüidade é quase sempre possível Refatoração da gramática

17 Luiz Carlos d´Oleron – Gramáticas ambíguas x := ; S E id:= E +E E +E num S E id:= E +E E +E num

18 Luiz Carlos d´Oleron – Gramática refatorada S → S ; S S → id := E S → print (L) E → id E → num E → E + E E → (S, E) L → E L → L, E S → S ; S S → id := E S → print (L) E → id E → num E → E + T E → T E → (S, E) L → E L → L, E

19 Luiz Carlos d´Oleron – Parsers Utilizados para avaliar uma entrada quanto à sintaxe Podem ser Top-down Recursive-descent / LL(k) Bottom-up SRL, LR(k)

20 Luiz Carlos d´Oleron – Parser Recursive descent Algoritmo baseado em previsões Também conhecido como Predictive Parsing Funções mutuamente recursivas Simples implementação Uma função para cada não-terminal Uma cláusula para cada produção Verifica o primeiro símbolo terminal para decidir qual função usar

21 Luiz Carlos d´Oleron – Parser Recursive descent Desenvolvendo um recursive descent parser Cada não terminal 'X' dará origem a um método/função parseX(); Produções do tipo 'A | B' darão origem a cláusulas cases

22 Luiz Carlos d´Oleron – Parser Recursive descent A ::= aBcC B ::= CB | cC C ::= da parseA() { accept(‘a’); parseB(); accept(‘c’); parseC(); } parseB() { case (d): parseC(); parseB(); case (c): accept(‘c’); parseC(); } parseC() { accept(‘d’); accept(‘a’); }

23 Luiz Carlos d´Oleron – Recursive descent Na prática constrói uma tabela de produções indexadas por não-terminais e terminais A ::= aBcC B ::= CB | CA C ::= da acd AA::= aBcC BB::= CB B::= CA CC::= da

24 Luiz Carlos d´Oleron – Recursive descent Vantagens Fácil de implementar Fácil de entender Desvantagens Performance deficiente Gramática reconhecida possui restrições Sem recursão à esquerda Deve estar fatorada

25 Luiz Carlos d´Oleron – Recursive descent A ::= aBcC B ::= CB | CA C ::= da A ::= aBcC B ::= CX X ::= B | A C ::= da acd AA::= aBcC BB::= CX CC::= da XX::=AX::=B Gramática LL(1)

26 Luiz Carlos d´Oleron – Gramáticas e Parsers LL(1) Gramáticas SEM entradas duplicadas na tabela são conhecidas como LL(1) LL(1) - Left-to-right, leftmost-derivation, 1- symbol lookahead Left-to-right – direção na qual os símbolos serão examinados Leftmost-derivation – ordem pela qual os símbolos não-terminais serão expandidos 1-symbol lookahead– não mais que um símbolo será avaliado por vez Existem LL(2), LL(3),... Toda LL(1) é LL(2), toda LL(2) é LL(3),... LL(k)

27 Luiz Carlos d´Oleron – LL(1) na prática - Applet

28 Luiz Carlos d´Oleron – Recursão à esquerda Gramáticas LL(1) são vulneráveis às entradas duplicadas. Por exemplo, o fragmento a seguir: E → E + T E → T O fato de E aparecer no início do lado direito da produção é a causa do problema. Isso é conhecido como Recursão à Esquerda. Para corrigir isso, vamos refatorar a gramática, com Recursão à Direita: E → T E´ E´ → +T E´ E´ →

29 Luiz Carlos d´Oleron – Gramáticas e Parsers LR(1) As fraquezas de LL(k) são superadas pela técnica LR(k) LR(1) - Left-to-right, rightmost- derivation, 1-symbol lookahead Uso de uma pilha para armazenar símbolos de forma temporária Possui duas operações, shift e reduce shift: Move o primeiro símbolo para o topo da pilha reduce: escolhe uma regra da gramática do tipo X → A B C. push X da pilha e pop C B A.

30 Luiz Carlos d´Oleron – Outros Parsers LR LR(0) Olham apenas para a pilha SLR Melhoramento sobre o LR(0) LR(1) Lookahead de 1 símbolo Consegue descrever a maioria das linguagens de programação LALR(1) Melhoramento sobre o LR(1) Diminuí o tamanho da tabela de parsing

31 Luiz Carlos d´Oleron – shift-reduce na prática - Applet

32 Luiz Carlos d´Oleron – Parsing LR de Gramáticas Ambíguas Gramáticas ambíguas ocasionam conflitos em parsers LR Shift-reduce conflict O parser não consegue decidir se empilha o próximo símbolo da entrada, ou se reduz para uma regra já disponível Reduce-reduce conflict O parser pode realizar uma redução para duas regras distintas

33 Luiz Carlos d´Oleron – Parsing LR de Gramáticas Ambíguas Caso clássico: dangling-else S ::= 'if' E 'then' S 'else' S S ::= 'if' E 'then' S S ::=...

34 Luiz Carlos d´Oleron – Parsing LR de Gramáticas Ambíguas if a then if b then s1 else s2 if a then { if b then s1 else s2 } if a then { if b then s1 } else s2 ?

35 Luiz Carlos d´Oleron – Parsing LR de Gramáticas Ambíguas Solução: Transformar a gramática Introdução dos conceitos de matched e unmatched S ::= 'if' E 'then' S 'else' S S ::= 'if' E 'then' S S ::=... S ::= M | U M ::= 'if' E 'then' M 'else' M |... U ::= 'if' E 'then' S | 'if' E 'then' M 'else' U

36 Luiz Carlos d´Oleron – LR(0) LL(0) SLR LALR(1) LL(k) LL(1) Gramáticas não-ambíguas Gramáticas ambíguas LR(1) LR(k)

37 Luiz Carlos d´Oleron – Sintaxe abstrata Apenas reconhecer se uma sentença pertence ou não a linguagem especificada por uma gramática não é o suficiente É necessário produzir uma estrutura que sirva de base para a próxima fase do processo de compilação Parse trees nunca são montadas na prática

38 Luiz Carlos d´Oleron – AST – Abstract Syntax Tree Capturam a essência da estrutura de uma gramática abstraindo não-terminais Representação possível Java: Classes que possam se relacionar a fim de montar uma árvore Pode ser produzida através da inserção de ações semânticas no parser

39 Luiz Carlos d´Oleron – AST – Abstract Syntax Tree IfThenElse ::= 'if' expr 'then' comm1 'else' comm2 return new IfThenElse(expr, comm1, comm2);

40 Luiz Carlos d´Oleron –

41 Referências Análises léxica e sintática, Mauro La- Salette C. L. de Araújo Modern Compiler implementation in Java, Andrew W. Appel


Carregar ppt "Luiz Carlos d´Oleron – Análise Léxica e Sintática Teoria e Implementação de Linguagens Computacionais - IF688 – 2007.1."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google