A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Rede 21 BOAS PRÁTICAS Socioambientais em REDES MÓDULO III Culturas Colaborativas e Redes Sociais.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Rede 21 BOAS PRÁTICAS Socioambientais em REDES MÓDULO III Culturas Colaborativas e Redes Sociais."— Transcrição da apresentação:

1 rede 21 BOAS PRÁTICAS Socioambientais em REDES MÓDULO III Culturas Colaborativas e Redes Sociais

2 rede 21 BOAS PRÁTICAS Socioambientais em REDES MÓDULO III Culturas Colaborativas e Redes Sociais

3 rede 21 O Universo com 14 bilhões de Anos-Luz O Universo “Visível” grupos de galáxias = 500 milhões galáxias grandes = 10 bilhões galáxias anãs = 100 bilhões estrelas = bilhões de bilhões Fonte: O tamanho do universo provavelmente é muito maior que o do universo visível. A geometria sugere que ele tenha um tamanho infinito e se expandirá eternamente. Mesmo que não seja infinito, nosso universo “visível” deve ser apenas uma pequena parte de uma totalidade maior. A galáxia UDFy é o objeto astronômico mais distante da Terra de que se tem conhecimento acaba de ser descoberto. Distante e antigo, pois a luz identificada pelo estudo foi emitida por uma galáxia há mais de 13 bilhões de anos, quando o Universo contava com apenas 600 milhões de anos. Agência FAPESP

4 rede 21 As Galáxias Satélites G. anã Sagittarius - a mais próxima - aprox anos-luz -em algumas centenas de milhões de anos será rasgada por nossa própria galáxia. Fonte:

5 rede bilhões de estrelas 100 mil anos-luz Rotação do Sol ao redor da galáxia 225 milhões de anos Fonte:

6 rede 21 Aprox. 40 semanas Valorização da vida/o cuidar

7 rede 21 Área – 510,3 milhões de km2 fontes: wikipedia.org Formação 4,5bilhões de anos H.Sapiens: anos(Etiopia) 1804 – 1 bilhão hab – 5 bilhões hab. Rotação: 1/2 km/s Translação: 30 km/s. terras emersas: 149,67 milhões km2 (29,31%) Nascimentos por minuto: hab.

8 rede 21 Um novo olhar

9 é bom lembrar MISSÃO Promover o desenvolvimento de uma educação biocêntrica, fundada na compreensão e no respeito por toda comunidade da vida, por meio de encontros, vivências e programas co-formativos e transdisciplinares na cultura, saúde integral, sustentabilidade e espiritualidade; atuar como espaço conservacionista, acolhendo animais aprendidos pelo IBAMA, de maneira integrada aos programas de educação para a sustentabilidade. VISÃO Ser um núcleo integrador de conhecimentos e experiências centradas na vida, com a perspectiva de facilitar caminhos para a transformação pessoal e coletiva e estimular a convivência humana e o redesenho de comunidades saudáveis, plenas e compatíveis com os processos da natureza. PRINCÍPIOS Ética do cuidado, Cultura de paz, Multiculturalidade e Coexistência, Cidadania, Transdisciplinaridade, Sustentabilidade, Compaixão, Dignidade, Criatividade, Transparência, Celebração, Respeito e Compromisso com a vida. “O olho vê, a lembrança revê e a imaginação transvê. É preciso transver o mundo.” Manoel de Barros.

10 rede 21 (Fonte : FAO – Organização para a Alimentação e Agricultura - ONU.) (Novaes, Washington - A Década do Impasse) (Sader, Emir - Século XX: Uma Biografia Não Autorizada ) 20% DA POPULAÇÃO Consumo no Mundo 80% DA POPULAÇÃO Recursos Naturais e Produtos 83 %17 % U$ ,00 (um trilhão de dólares) É o gasto mundial anual com ARMAMENTOS!

11 rede 21 + de 800 milhões de pessoas passam fome. 2 bilhões de pessoas anêmicas.

12 rede 21 Metade da população urbana dos países em desenvolvimento não conta com serviços adequados de coleta de lixo.

13 rede 21

14

15 rede 21

16 rede 21 coin/flash-br.html

17 rede 21 Necessidades Ar Água, Alimento, Proteção Informação Conhecimento Consciência Cultura, Lazer, Comunidade, Cidadania ESCOLHAS Desenvolvimento Humano

18 rede 21 LEGISLAÇÃO Art Todos tem direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defende-lo e preserva-lo para as presentes e futuras gerações. Constituição da República Federativa do Brasil Promulgada em 5 de outubro de 1988

19 rede Silent Spring, de Rachel Carson que trata das conseqüências maléficas do uso excessivo de pesticidas e produtos químicos para lavoura MARCOS AMBIENTAIS DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL é aquele que atende às necessidades do presente sem comprometer a possibilidade das gerações futuras atenderem a suas próprias necessidades. Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Relatório Brundtland) março/1987 Nosso Futuro Comum. 1972, da Conferência Internacional das Nações Unidas em Estocolmo na Suécia, a Primeira Conferência Mundial sobre Meio Ambiente Humano e Desenvolvimento.

20 rede 21 Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento CNUMAD, em 1992, no Rio de Janeiro - ECO pa í ses DOCUMENTOS "Agenda 2l", " Declaração do Rio sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento", "Declaração de Princípios Sobre Florestas", a "Convenção Quadro sobre Mudanças do Clima" e a "Convenção Sobre Diversidade Biológica", bases para a futura negociação da "Convenção para o Combate da Desertificação e dos Efeitos da Seca" e a criação de uma comissão funcional do Conselho Econômico e Social das Nações Unidas (ECOSOC): a Comissão sobre o Desenvolvimento Sustentável (CDS) Dois anos de preparação

21 rede 21 É um programa de ação baseado num documento de 40 capítulos que se constitui em uma tentativa de promover, em escala planetária, um novo padrão de desenvolvimento, conciliando métodos de proteção ambiental, justiça social e eficiência econômica. A Agenda 21 é um instrumento de transformação cultural, de mudança de mentalidades e de comportamentos em direção a uma sociedade com padrões sustentáveis de produção e consumo. Questões estratégicas - geração de emprego e renda; diminuição das disparidades regionais e inter- pessoais de renda; mudanças nos padrões de produção e consumo; construção de cidades sustentáveis e adoção de novos modelos e instrumentos de gestão. Disponível no site AGENDA 21 como caminho

22 rede 21 “AGENDA 21 LOCAL é um processo de desenvolvimento sustentável e de construção de parcerias, é um processo contínuo, um instrumento de planejamento, uma metodologia, que leva em consideração os aspectos socioeconômicos aliados à preservação ambiental e à qualidade de vida para todos. AGENDA 21 CAPÍTULO 28 Compromissos com a mudança da matriz de desenvolvimento no século XXI

23 rede 21 Carta da Terra Instrumento para princípios norteadores Convite para reflexão Ferramenta educativa Marco de valores Código de ética I. RESPEITAR E CUIDAR DA COMUNIDADE DE VIDA. 16 PRINCÍPIOS II. INTEGRIDADE ECOLÓGICA III. JUSTIÇA SOCIAL E ECONÔMICA IV. DEMOCRACIA, NÃO VIOLÊNCIA E PAZ

24 rede 21 AGENDA 21 LOCAL PASSO A PASSO 1º MOBILIZAR PARA SENSIBILIZAR O GOVERNO E SOCIEDADE (SEMINÁRIOS, OFICINAS, REUNIÕES) 2º CRIAR FÓRUM DE AGENDA 21 (CARTA DE PRINCÍPIOS, REGIMENTO INTERNO,ETC) 3° ELABORAR DIAGNÓSTICO PARTICIPATIVO (PDE) 4º ELABORAR O PLANO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (PLANEJAR A TRANSFORMAÇÃO – CRONOGRAMA – DOCUMENTO -PDE) 5º IMPLEMENTAR O PLANO DE DES SUSTENTÁVEL (INSTRUMENTOS LEGAIS/POLÍTICOS/JURÍDICOS/TÉCNICOS/RECURSOS) 6º MONITORAR O PLANO LOCAL DE DESENVL SUSTENTÁVEL (INDICADORES DE RESUSLTAOS /REVISÃO CONTÍNUA)

25 rede 21

26

27 SAIBA MAIS SOBRE OS ODM-SP: nhamento_odm_.pdf

28 rede 21 BOAS PRÁTICAS – REDES e Atitudes Hábitos / Projetos Inteligentes Consumo / Equipamentos Eficientes

29 rede 21

30

31 1,9hectares/pessoa (terra e mar) Econ ecol. Bernardo Reyes

32 rede 21 Mudanças climáticas A contribuição do Brasil nas mudanças climáticas ocorre principalmente nas emissões de dióxido de carbono (CO2) por queimadas na região amazônica, que contribuem com 56% das emissões brasileiras. Elas são seguidas pela atividade agropecuária (24% das emissões) e pelos meios de transporte e geração de energia (12%). Segundo Nobre, o Brasil está em uma posição privilegiada por conseguir reduzir as emissões com a diminuição das queimadas. “A China, por exemplo, não conseguirá cortar as emissões sem afetar seu produto interno bruto. O Brasil não sofreria esse mesmo efeito em sua economia”, disse. Outra boa notícia é que as queimadas brasileiras têm diminuído nos últimos anos. Enquanto em 2004 o país emitiu cerca de 900 toneladas de CO2 na atmosfera dessa forma, em 2008 o total caiu para 500 toneladas. Agência Fapesp

33 rede 21

34 rede 21 Feiras de trocas

35 rede 21 PERMACULTURA - BIO CONSTRUÇÃO Arq.Francisco /Archidomus

36 rede 21 A3P Agenda Ambiental na Administração Pública Estimular e promover mudanças de hábitos Promover reflexão sobre problemas ambientais Estimular adoçãode atitudes e procedimentos para uso racional de recursos naturais e bens públicos

37 rede 21 Cap í tulo 18 PROTE Ç ÃO DA QUALIDADE E DO ABASTECIMENTO DOS RECURSOS H Í DRICOS: APLICA Ç ÃO DE CRIT É RIOS INTEGRADOS NO DESENVOLVIMENTO, MANEJO E USO DOS RECURSOS H Í DRICOS Cap í tulo 19 MANEJO ECOLOGICAMENTE SAUD Á VEL DAS SUBSTÂNCIAS QU Í MICAS T Ó XICAS, INCLU Í DA A PREVEN Ç ÃO DO TR Á FICO INTERNACIONAL ILEGAL DOS PRODUTOS T Ó XICOS E PERIGOSOS Cap í tulo 20 MANEJO AMBIENTALMENTE SAUD Á VEL DOS RES Í DUOS PERIGOSOS, INCLUINDO A PREVEN Ç ÃO DO TR Á FICO INTERNACIONAL IL Í CITO DE RES Í DUOS PERIGOSOS Cap í tulo 21 MANEJO AMBIENTALMENTE SAUD Á VEL DOS RES Í DUOS S Ó LIDOS E QUESTÕES RELACIONADAS COM OS ESGOTOS Cap í tulo 22 MANEJO SEGURO E AMBIENTALMENTE SAUD Á VEL DOS RES Í DUOS RADIOATIVOS

38 rede 21 4 Eixos do Movimento: 1. Indicadores e Metas 2. Acompanhamento Cidadã 3.Educação Cidadã 4. Mobilização Cidadã (Movimento) REDE Nossa São Paulo O propósito é transformar São Paulo em uma cidade segura, saudável, bonita, solidária e realmente democrática.

39 rede 21 Democraticamente participativa, horizontal, que conecte pessoas e organizações em torno de uma missão, princípios e valores, cultura política inclusiva, e que respeite e valorize a diversidade na sociedade; 1 - Fazem parte da Rede Nossa São Paulo as organizações da sociedade civil, grupos de trabalho, indivíduos, empresas e movimentos sociais que estejam de acordo com sua Missão, Eixos de Atuação e Carta de Princípios, expressos no portal Secretaria Executiva da Rede Nossa São Paulo : - pesquisa, atualização e sistematização dos indicadores técnicos da cidade e elaboração de pesquisas de opinião; - elaboração de propostas de políticas públicas para melhorar as condições sociais da cidade e promover seu desenvolvimento sustentável; - apoio à comunicação entre os Grupos de Trabalho; - intercâmbio de informações e propostas com as organizações que compõem a Rede Social Brasileira e Latino-Americana por Cidades Justas e Sustentáveis; - estímulo e facilitação do monitoramento social das políticas públicas e da interlocução com os poderes públicos; - promoção e realização de debates, seminários e audiências públicas de interesse da cidade, e estímulo à participação da sociedade nestes eventos; - permanente diálogo com os meios de comunicação; - manutenção e gerenciamento do portal Nossa São Paulo.

40 rede Como a rede é composta por ampla diversidade de Grupos de Trabalho, cidadãos e organizações, as opiniões e tomadas de posição política de algum de seus integrantes não representam, necessariamente, a opinião de toda a rede, mas somente dos indivíduos, grupos ou entidades que se manifestarem em cada caso específico. O trabalho em rede compreende perfeitamente a articulação de um amplo campo social para objetivos comuns e, ao mesmo tempo, a manutenção de diferenças para questões específicas, conjunturais, regionais, etc, assegurando-se a ampla liberdade de expressão e manifestação. 4 - O objetivo principal da Rede Nossa São Paulo é a promoção do desenvolvimento justo e sustentável da cidade de São Paulo, sempre fundamentada em dados, pesquisas e propostas, e por meio dos mecanismos de participação democrática e do estado de direito. Secretaria Executiva da Rede Nossa São Paulo

41 rede passos: 1º– Instalação do Comitê (Local) de Articulação da Rede 2º– Articulação da Rede (Local) 3º Passo – Seminário Visão de Futuro 4º Passo – Pesquisa Diagnóstico dos Ativos e Necessidades 5º Passo – Elaboração do Plano (Horizonte de 10 anos) 6º Passo – Agenda Local (anual) 7º Passo – Pacto Local em torno da Agenda 8º Passo – Realização da Agenda (começando por um Projeto Demonstrativo) 1º– Instalação do Comitê (Local) de Articulação da Rede 2º– Articulação da Rede (Local) 3º Passo – Seminário Visão de Futuro 4º Passo – Pesquisa Diagnóstico dos Ativos e Necessidades 5º Passo – Elaboração do Plano (Horizonte de 10 anos) 6ºPasso – Agenda Local (anual) 7º Passo – Pacto Local em torno da Agenda 8º Passo – Realização da Agenda (começando por um Projeto Demonstrativo)

42 rede 21 Seção III – Fortalecimento dos Grupos Principais CAP. 25 Infância e juventude

43 rede 21 Gestão energia consumo saneamento resíduos sólidos equidade transporte Espaço educador sustentável integridade Currículo PPP Com-Vida A partir do meio ambiente Sustentabilidade – coerência entre os eixos ESCOLA Educação Integral em Escolas Sustentáveis

44 rede 21 Combate à pobreza Seção I – Dimensões Sociais e Econômicas CAP. 3

45 rede 21 Mudança dos padrões de consumo Seção I – Dimensões Sociais e Econômicas CAP. 4

46 rede 21 Seção III – Fortalecimento dos Grupos Principais CAP. 31 Comunidade científica e tecnológica

47 rede 21 Seção IV – Meios de Implementação CAP. 35 Ciência para o desenvolvimento sustentável

48 rede 21 Proteção e promoção da saúde humana Seção I – Dimensões Sociais e Econômicas CAP. 6

49 rede 21 Ingredientes: Pepino picado Maça picada Cenoura Verduras Orgânicas (preferencialmente) - alface - agrião - salsa - coentro - couve - espinafre Sementes ou grãos germinados - girassol - quinoa - gergelim - amêndoa - grão de bico Lugar de Médico é na Cozinha Dr. Alberto Peribanez Gonzalez ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Youtbe: alberto peribanez

50 rede 21 CAP. 40 INFORMAÇÃO PARA TOMADA DE DECISÃO CAP. 36 PROMOÇÃO DO ENSINO, DA CONSCIENTIZAÇÃO E DO TREINAMENTO Nina- PARABÉNS!!!!! obrigada Agradecemos a que colaboram e que acreditam que um mundo melhor é possível.

51 rede 21 Proposta de atividade: - Refletir o fluir das emoções e raciocínios, dentro da estrutura biológica e cultural de cada um(a); Inter relação ; inter relacionamento; -Conjunto de processos e valores sobre a explicação de si mesmo, a partir da existência cultural e biológica No espaço das relações – o que podemos oferecer? No que, como, colaborar. O que querer querer? Compartilhar.


Carregar ppt "Rede 21 BOAS PRÁTICAS Socioambientais em REDES MÓDULO III Culturas Colaborativas e Redes Sociais."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google