A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

III – Oracle10g Apontadores – Tipo de Dado (REF).

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "III – Oracle10g Apontadores – Tipo de Dado (REF)."— Transcrição da apresentação:

1 III – Oracle10g Apontadores – Tipo de Dado (REF)

2 Identificador de Objeto A todo objeto de uma “object table” é associado um OID (“Object IDentifier”) lógico e globalmente único, que identifica internamente o objeto Por default, o OID é gerado pelo sistema (”system-generated”), e ocupa 16 bytes Não há interface para o acesso à estrutura interna de um OID OID é uma coluna invisível de uma “object table”, com cada valor ocupando 16 bytes

3 Um OID pode também ser definido como sendo o valor do atributo chave primária do objeto  chave do objeto Isto é possível em um ambiente em que um identificador local pode ser também assumido como sendo globalmente único (“object table” não distribuída, ou não duplicada) Uma vantagem indiscutível de chave primária sobre OID é a seguinte: a criação dos objetos é mais rápida, pois não há perda de tempo com a geração de OIDs

4 Tanto OID como chave primária oneram o acesso aos objetos: em um caso e outro os endereços são lógicos, necessitando portanto de ser mapeados para endereços físicos dos objetos –Os mapeamentos são feitos com a ajuda de índices, quer para OID quer para chave primária, os quais são automaticamente mantidos pelo sistema

5 Em termos de economia de espaço, qual seria a melhor escolha, “system- generated” ou chave primária? –Note que, se o OID for a chave de um objeto, a coluna OID da tabela é economizada, ou deixa de existir –Entretanto, não é sempre certo que haverá economia de espaço com chave primária (ver adiante)

6 Mas, é muito importante saber que um OID pode ser físico –Neste caso, o valor de um OID é o endereço físico (de disco) de um objeto ROWID OIDs físicos contribuem decisivamente para navegações eficientes em BD OR

7 Tipo de Dado REF REFs e coleções de REFs modelam associações entre objetos, usando OIDs, lógicos ou físicos, como apontadores –Fácil mecanismo para navegação entre objetos Formato de um valor REF –OID do objeto referenciado (16 bytes), ou chave (tamanho definido pelo usuário) + OID da “object table” (16 bytes) + ROWID (10 bytes) Para ativar o campo ROWID REF IS ROWID –Regra de Integridade (RI) de “object table”

8 Espaço –OID = Chave Primária e Chave > 16 bytes Para “object tables” volumosas, Chave será pior que OID “system-generated”

9 Tabelas Híbridas São tabelas em que colunas podem ser dos novos tipos nativos –REF –VARRAY –NESTED TABLE Note que Tabela Híbrida  –Tabelas tradicionais –“Object tables”

10 Regra de Integridade de Escopo Pode ser necessário declarar que um valor REF deva conter somente referências a objetos de uma “object table” específica –REF com escopo (“scoped REF”) Exemplo: tabela híbrida pessoas CREATE TABLE pessoas ( id NUMBER(4), nome VARCHAR2(60), ref_endereco REF endereço_objtyp SCOPE IS endereço_objtab, fones_ntab fone_ntabtyp) NESTED TABLE fones_ntab STORE AS fones_ntab2

11 Se a “object table” do escopo for de um subtipo (herança), o escopo é estendido para compreender também as “object table”s dos subtipos do subtipo Restrições ao uso de REF com escopo –OID (gerado pelo sistema ou chave primária) –Opção WITH ROWID não é válida Somente colunas REF com escopo podem ser indexadas

12 Indexação de Colunas REF com Escopo CREATE TABLE endereco_objtab OF endereco_objtyp CREATE TABLE pessoas ( id NUMBER(4) PRIMARY KEY, nome VARCHAR2(60), ref_endereco REF endereço_objtyp SCOPE IS endereço_objtab, fones_ntab fone_ntabtyp) NESTED TABLE fones_ntab STORE AS fones_ntab2

13 CREATE INDEX endereco_ref_ind ON pessoas (ref_endereco) SELECT id FROM pessoas p WHERE p.ref_endereco.estado = ‘PB’

14 REF IS ROWID Restrições de uso –A RI pode ser usada com REF com escopo –Nem com REF com regra de integridade referencial –Nem com REF baseado em chave primária

15 REF ‘Sujo’ É possível que um objeto identificado por um REF se torne indisponível  remoção do objeto, mudança nos privilégios de acesso ao objeto –Tal REF torna-se então ‘sujo’ (“dangling”) –Para testar se um REF é sujo, usa-se o predicado IS DANGLING Um bom projeto lógico (integridade referencial restrita) é o melhor meio para se evitar “dangling pointers”

16 Funções com REF -- Tratamento de OIDs SQL> CREATE TYPE t_emp AS OBJECT 2 (mat NUMBER, nome VARCHAR(20), salario NUMBER) 3 / Tipo criado. SQL> CREATE TABLE tab_emp OF t_emp 2 (PRIMARY KEY (mat)) 3 / Tabela criada.

17 SQL> INSERT INTO tab_emp VALUES (10, 'Joao', 5000) 2 / 1 linha criada. SQL> -- Funcao REF (retorna um valor do tipo REF) SQL> SELECT REF(e) FROM tab_emp e 2 / REF(E) C58AF8D AA0129C4B2F AE5 0203BB B A00000

18 SQL> CREATE TABLE tab_depto 2 (cod NUMBER, 3 gerente REF t_emp SCOPE IS tab_emp) 4 / Tabela criada. SQL> INSERT INTO tab_depto 2 SELECT 10, REF(e) FROM tab_emp e 3 / 1 linha criada. SQL> -- Funcao DEREF SQL> SELECT DEREF(d.gerente) FROM tab_depto d 2 / DEREF(D.GERENTE)(MAT, NOME, SALARIO) T_EMP(10, 'Joao', 5000)

19 SQL> SELECT DEREF(d.gerente).nome FROM tab_depto d 2 / DEREF(D.GERENTE).NOM Joao SQL> SELECT d.gerente.nome FROM tab_depto d 2 / GERENTE.NOME Joao

20 SQL> -- Funcao VALUE SQL> SELECT value(e) FROM tab_emp e 2 / VALUE(E)(MAT, NOME, SALARIO) T_EMP(10, 'Joao', 5000) SQL> SELECT value(e).nome FROM tab_emp e 2 / VALUE(E).NOME Joao

21 SELECT e.nome FROM tab_emp e NOME João

22 REF WITH ROWID create type teste as object (x number) / tipo criado. create type teste2 as object(y REF teste) / tipo criado. create table teste_tab of teste / tabela criada. create table teste2_tab of teste2 ( y WITH ROWID) / tabela criada.


Carregar ppt "III – Oracle10g Apontadores – Tipo de Dado (REF)."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google