A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SGBD. Prof. Marcus Vinícius Linguagem SQL Criando a primeira Base de Dados: CREATE DATABASE ;

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SGBD. Prof. Marcus Vinícius Linguagem SQL Criando a primeira Base de Dados: CREATE DATABASE ;"— Transcrição da apresentação:

1 SGBD

2 Prof. Marcus Vinícius

3 Linguagem SQL

4 Criando a primeira Base de Dados: CREATE DATABASE ;

5 AS SEGUINTES CONVENÇÕES SÃO UTILIZADAS NA DESCRIÇÃO DOS TIPOS DE COLUNAS: UNSIGNED => Modificador que faz com que uma coluna aceite apenas os números positivos (sem sinal). Somente para tipos Integer. ZEROFILL => Adiciona zeros de preenchimento à esquerda de cada número. Por exemplo: um campo INT(5) ZEROFILL exibirá o número 235 como AUTO_INCREMENT => Tipo especial de coluna numérica que pode ser atualizada automaticamente. Quando um valor NULL (ou 0) for inserido na coluna, serão substituídos automaticamente pelo próximo número na sequência da coluna. M => Representa o número de caracteres usado para exibir os valores da coluna. D => Número de casas decimais em campos no formato ponto flutuante (0 a 30)

6 TIPOS DE COLUNAS:

7 TINYINT(M) => Um inteiro de tamanho muito pequeno. –Atributos: AUTO_INCREMENT, UNSIGNED, ZEROFILL –Intervalo: Entre -128 e 127 com sinal ou entre 0 e 255 sem sinal. SMALLINT(M) => Um inteiro pequeno. –Atributos: AUTO_INCREMENT, UNSIGNED, ZEROFILL –Intervalo: Entre e com sinal ou entre 0 e sem sinal. –Intervalo: Entre e com sinal e entre 0 e sem sinal.

8 MEDIUMINT(M) => Um inteiro de tamanho médio. –Atributos: AUTO_INCREMENT, UNSIGNED, ZEROFILL –Intervalo: Entre e com sinal ou entre 0 e sem sinal. INT(M) ou INTEGER(M) => Um inteiro de tamanho normal. –Atributos: AUTO_INCREMENT, UNSIGNED, ZEROFILL –Intervalo: Entre e com sinal ou entre 0 e sem sinal. BIGINT(M) => Um inteiro grande. –Atributos: AUTO_INCREMENT, UNSIGNED, ZEROFILL

9 FLOAT(M,D) => Um número de ponto-flutuante com precisão simples. –Atributos: ZEROFILL –Intervalo: Entre E+38 e E-38, 0 (zero) e entre E-38 e E+38. DATE => Uma data no formato YYYY-MM-DD. –Intervalo: Entre e DATETIME => Uma combinação de data e hora no formato YYYY-MM-DD HH:MM:SS. –Intervalo: Entre :00:00 e :59:59. TIMESTAMP(M) => Um timestamp (combinação de data e hora corrente) no formato YYYYMMDDhhmmss. –Intervalo: Entre e algum dia do ano 2037.

10 TIME => Um horário no formato HH:MM:SS. YEAR => Um ano, no formato YYYY. CHAR(M) => Um string de caracteres de tamanho fixo (0 a 255 caracteres). VARCHAR(M) => Um string de caracteres de tamanho variável (0 a caracteres). Obs.: Estes não são todos os tipos de colunas disponíveis; são apenas os mais comuns utilizados no dia a dia. Para uma referência completa, verificar a bibliografia básica.

11 SQL - Linguagem – Tipos de Restrições ou Constraints Constraint = é dar um nome conhecido a uma restrição/regra. As regras podem ser definidas nos comandos CREATE ou ALTER TABLE. O objetivo é definir valores válidos para os comandos INSERT, UPDATE. – NULL ou NOT NULL – UNIQUE = valor único dentro da coluna – PRIMARY KEY = Chave primária – FOREIGN KEY = Chave estrangeira – CHECK = faz uma validação antes de gravar o valor – DEFAULT = valor padrão a ser gravado – COMPUTED BY = campo calculado

12 SQL - Linguagem CREATE TABLE - Cria uma nova tabela com seus campos e define as restrições de campo. CREATE TABLE nome_tabela ( campo1 tipo (tamanho) restrição, campo2 tipo (tamanho) restrição, campon tipo (tamanho) restrição );

13 EXEMPLO: CREATE TABLE empregado ( id INT AUTO_INCREMENT, nome VARCHAR(15) NOT NULL, endereco VARCHAR(50), sexo CHAR(1) CHECK(SEXO = M OR SEXO = F), salario FLOAT(7,2), PRIMARY KEY(id) );

14 MANIPULAÇÃO DE TABELAS: DROP – DROP TABLE nome_tabela; Limpar Conteúdo da Tabela – TRUNCATE TABLE nome_tabela;

15 ALTER TABLE ALTER TABLE produto ADD descricao varchar(100); ALTER TABLE dependente ADD constraint FOREIGN KEY(cpfe) REFERENCES empregado(cpf); ALTER TABLE produto CHANGE nome nome_prod CHAR(75); ALTER TABLE produto DROP COLUMN descricao; Renomear Tabela: – ALTER TABLE nome_tabela RENAME TO novonome_tabela;

16 SQL - Linguagem INSERT = insere registros na tabela: INSERT INTO (coluna_1, coluna_2,...coluna_n) VALUES (valor_1, valor_2,...valor_n); ou INSERT INTO VALUES (valor_1, valor_2,...valor_n);

17 SQL - Linguagem UPDATE = atualiza registros UPDATE SET campo = novo_valor WHERE campo = antigo_valor; Obs.: Cláusula WHERE indica uma condição para a realização da operação.

18 SQL - Linguagem DELETE = exclui registros DELETE FROM WHERE campo = valor;

19 SQL - Linguagem Seleção de Colunas Sentença do Comando SELECT Uma pesquisa Simples deve conter: A cláusula SELECT – seleciona colunas envolvidas A cláusula FROM – especifica as tabelas envolvidas Uma pesquisa Complexa deve conter: A cláusula SELECT – seleciona colunas envolvidas A cláusula FROM – especifica as tabelas envolvidas A cláusula WHERE – restringe linhas selecionadas

20 SQL - Linguagem Principais opções de Sintaxe – * Seleciona todas as colunas das tabelas envolvidas SELECT * FROM cliente; – DISTINCT – retorna somente uma cópia da linha que contem informação duplicada SELECT DISTINCT * FROM cliente;

21 SQL - Linguagem Principais opções de Sintaxe – GROUP BY – função de grupo HAVING – restringe os grupos de cada linha retomada pelo GROUP BY SELECT cidade_cli FROM cliente GROUP BY cidade_cli HAVING COUNT (cidade_cli) >=3; – ORDER BY – ordena as linhas retomadas por um comando, na ordem ASC ou DESC. SELECT cidade_cli, endereco FROM cliente ORDER BY codigo_cli DESC;

22 SQL - Linguagem (DML) Operadores de Comparação = igual !=, ^= e <> diferença > Maior < Menor >= Maior Igual <= Menor Igual IN – Verifica se uma expressão existe em um dos membros especificados entre parênteses: SELECT * FROM empregado WHERE nome IN ( JOSE, MARIA); NOT IN - valida como falso o exemplo anterior

23 SQL - Linguagem (DML) Operadores de Comparação BETWEEN – valida expressões entre valores SELECT nome FROM cliente WHERE salario BETWEEN 350 and 500; NOT BETWEEN – Nega a expressão anterior LIKE – Compara duas strings de caracteres e verifica se elas possuem algo em comum: SELECT nome FROM cliente WHERE nome LIKE A%; SELECT nome FROM cliente WHERE nome LIKE %A; SELECT nome FROM cliente WHERE nome LIKE %A%; NOT LIKE – Negação da anterior. IS NULL – testar uma condição se ela é nula : UPDATE cliente SET nome = jose WHERE nome IS NULL; IS NOT NULL – testar uma condição se ela não é nula

24 SQL - Linguagem (DML) Operadores Lógicos – AND – satisfaz todas as comparações SELECT... WHERE (x > z) AND (y = 2) – OR – satisfaz uma das comparações SELECT... WHERE (x > z) OR (y = 2) – NOT – nega uma comparação SELECT... WHERE not (x > z)

25 SQL - Linguagem (DML) OUTROS OPERADORES: – COUNT( ) – Retorna o número de linhas/registro SELECT COUNT(cod_dpto) FROM empregado; – SUM( ) – retorna a soma dos valores de um campo; SELECT SUM(idade) FROM empregado; – AVG( ) – retorna a media de valores de um campo; SELECT AVG(salario) FROM empregado; – MIN( ), MAX( ) – retorna o valor mínimo ou máximo de um campo. SELECT MIN(salario), MAX(salario) FROM empregado;

26 SQL - Linguagem (DML) OUTROS OPERADORES – UPPER( ) – converte para maiúsculo o conteúdo de um campo – LOWER( ) – converte para minúsculo o conteúdo de um campo – APELIDO PARA COLUNAS E TABELAS SELECT nome as n, idade as ida FROM cliente c, cidade ci


Carregar ppt "SGBD. Prof. Marcus Vinícius Linguagem SQL Criando a primeira Base de Dados: CREATE DATABASE ;"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google