A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Curso EFA Nível Secundário - Turma D Cidadania e Profissionalidade.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Curso EFA Nível Secundário - Turma D Cidadania e Profissionalidade."— Transcrição da apresentação:

1 Curso EFA Nível Secundário - Turma D Cidadania e Profissionalidade

2 Todas as pessoas convivem todos os dias com diferenças de cor, de idiomas, de ideais, de hábitos. No entanto, estaremos nós seres humanos genuinamente preparados para lidar com estas diferenças? Tudo isto leva-nos a concluir que embora tenhamos a consciência de que somos únicos e por isso mesmo diferentes uns dos outros, nem sempre conseguimos valorizar a igualdade, acabando por realçar o que nos distingue. De uma forma geral isto acontece, porque cada ser humano carrega consigo um passado de cultura e valores que, dificilmente abdica ou ignora e, que serve de base ao modo como encaramos o mundo que nos rodeia, fazendo com que persista uma perspectiva diferente em cada um de nós para as mesmas coisas. `Tou farto! estão sempre a gozar comigo por ser baixo!

3 Vivemos num mundo de diferenças que devem ser tratadas com igualdade. Uns pretos, outros vermelhos, alguns amarelos, e alguns brancos. as árvores são castanhas e verdes, o sol amarelo as nuvens brancas, o céu azul… Afinal não vivemos num mundo ás cores?! Nunca desistir pode não ser o caminho mais fácil, mas certamente, é o mais eficiente. Nada é tão bom que não possa ter acontecido e nada é tão ruim que não possa ser resolvido. Da mesma maneira que um campo de flores é mais belo recheado de cores, também o mundo é mais belo recheado de diferenças.

4 . Quando falamos em diferenças entre seres humanos, consciente ou inconscientemente evidenciamo-las de forma critica ou com superioridade. Muitas vezes, estas diferenças realçam receios e inseguranças, não porque sejam de facto uma ameaça, mas porque não se conhece, porque não se respeita e, não se conhecendo teme-se. O receio da diferença. A recusa em aceitar sem conhecer. A ignorância reflectida no principio que existem pessoas mais diferentes que outras, sem reconhecer que neste imenso mundo, somos todos apenas diferentes uns dos outros e, estas diferenças se forem complementadas em vez de evitadas ou criticadas, serão sempre uma mais valia para todos, enquanto seres humanos. Mama, queria apresentar-te o meu namorado, mas previno-te que ele É…

5 O preconceito da raça é injusto e causa grande sofrimento às pessoas. O preconceito está na maldade dos olhos de quem vê, e na ignorância de quem acha que sempre está com a razão. O preconceito é o filho da ignorância. Os preconceitos são a razão dos imbecis. Os preconceitos têm raízes mais profundas que os princípios. - saber aceitar as pessoas como elas são e não ficar dando opiniôes sobre elas, nem tentar mudá-las à força. - eliminar o egoísmo. - saber ter empatia com os outros.

6 Preconceitos Todos os seres humanos pertencem à mesma espécie e têm a mesma origem. Nascem iguais em dignidade e direitos e todos formam parte integrante da humanidade. Declaração Universal dos Direitos do Homem art.º 1

7 É como já dizia Albert Einstein no mundo em que vivemos é mais fácil destruir um átomo do que um preconceito. Nenhum indivíduo nasce odiando outra pessoa devido à cor de sua pele, religião ou sua origem. Para odiar, precisa nascer o sentimento de raiva contra a pessoa e, se pode nascer esse sentimento de ódio, porque então não nascer o sentimento do amor, aprender a amar? Precisamos amar o nosso semelhante como a nós mesmo, tratá-lo como gostaríamos que ser tratados. Preconceitos

8 Racismo em cadeia O racismo está em toda parte. A discriminação pela cor aparece no pensamento das pessoas, são piadinhas, frases infelizes, vícios de linguagens como palavras de duplo sentido. O racismo está muito além da cor da pele. O indivíduo sente a necessidade de colocar as suas frustrações nas costas de alguém, a culpa é sempre do outro, do diferente de nós. O racismo é sinónimo do incompreensível.

9 Racismo em cadeia Ser racista é ser intolerante, é não aceitar uma identidade diferente, é ser pretensioso o bastante para se achar o certo, o padrão a ser seguido. É desrespeitar o próximo e as liberdades individuais.

10 Velhos Clichés O lugar-comum está presente tanto nas piadas que reforçam preconceitos (contra raça, religião, etnia...),nas afirmações absolutas, completas e sensatas sobre os fatos que nos rodeiam. O lugar-comum não contesta, não transforma e não cria nada – apenas repete. O lugar-comum, é todo o processo de conhecimento numa sabedoria que não nos pertence; ela já está pronta, passa de geração a geração, de professor a aluno, de vizinho a vizinho, de texto a texto. Se elas ficassem em casa haveria menos desemprego?

11 Velhos clichés Saber reconhecer o lugar-comum é a primeira tarefa de quem quer se livrar deles. Não é assim tão fácil, porque o chavão permeia todos os pontos de vista. Não é só de provérbios inofensivos que ele vive; muitas vezes, a argumentação inteira sustenta-se sobre conceitos tão genéricos e vagos que se reduzem a nada. A face mais evidente deste tipo de generalidade vazia é o uso de entidades como o Homem, o Mundo, os Políticos, o Jovem as Mulheres..., como se as sociedades fossem todas constituídas de blocos absolutamente homogéneos.

12 Este/Oeste A queda do muro de Berlim trouxe muitas expectativas e sonhos de uma vida melhor, e uma corrida aos bens de consumo. Embora a taxa de migração tenha diminuído, os jovens do leste continuam a mudar para o oeste, em busca de maiores salários e melhores perspectivas para suas carreiras, o que cria um grave problema de envelhecimento da população nas cidades que deixaram para trás.

13 Este/Oeste A divisão entre este e oeste ainda existe. "Depois de uma década de perda de emprego, de estagnação económica, de mudanças climáticas e da emergência do terrorismo, as pessoas do oeste estão a descobrir novos valores, menos consumistas."

14 Inverso da Situação Enriquecemos através do conhecimento de outras culturas e dos contactos que temos com elas e que desenvolvemos a nossa personalidade ao encontrá- las. As pessoas diferentes podem viver juntas apesar de terem culturas diferentes. O interculturalismo é a aceitação e o respeito pelas diferenças. Crer no interculturalismo é crer que se pode aprender e enriquecer através do encontro com outras culturas.»

15 Inverso da Situação Uns com a pele clara, outros mais escura Mas todos viemos da mesma mistura Então presta atenção nessa palermice Pois como eu já disse racismo é burrice Dê à ignorância um ponto final: Faça uma lavagem cerebral Racismo é burrice Gabriel O pensador

16 Quando as aparências não nos agradam, marcamos a pessoa e nos prevenimos contra ela e suas atitudes. Isto quer dizer que, antes de criticar, julgar e condenar uma pessoa, devemos nos colocar no seu lugar e entender os seus sentimentos mais profundos. Quantos de nós costumamos julgar as pessoas pelas aparências, embora saibamos que estas são enganadoras.

17 Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, haverá guerra. Se o racismo é um sentimento preconceituoso, daquele que se julga superior, então deveria ser ele o discriminado, pois quem mais poderia ser visto em sua extrema inferioridade senão o portador de tal arrogância, entre os da mesma raça? Olha de novo: não existem brancos, não existem amarelos, não existem negros: somos todos arco-íris

18 Se cada um de nós contribuir, para não poluir o mundo, economizando a água, a luz,plantar uma árvore, e fazer boas acções ás pessoas, dizer NÃO á violência, ás drogas,..o mundo com certeza será melhor no futuro.. Ainda tenho esperanças de um dia este mundo melhorar. Não podendo mudar tudo do mundo num único instante… poderemos dar pequenos passos rumo a um mundo melhor para todos.

19 Cada dia a natureza produz o suficiente para a nossa carência. Se cada um adoptasse o que lhe fosse necessário, não havia pobreza no mundo e ninguém morreria de fome. O mestre disse: Por natureza, os homens são próximos; a educação é que os afasta. A natureza fez o homem feliz e bom, mas a sociedade deprava-o e torna-o miserável.

20 As diferenças são básicas, o preconceito é a não aceitação, a discriminação o não permitir as diferenças com acções desrespeitosas e/ou excludentes. Ambos são actos inseridos no intelecto do humano, mesmo que seja no seu subconsciente, pois o ser humano é sensível a mudanças, ele nunca quer mudar para se adaptar, ele deseja que o mundo e os outros se adaptem a ele. O racismo e a discriminação a qualquer título são abomináveis aos olhos daqueles que vivem a verdadeira humanidade e que tratam os outros com igualdade, respeito e amor independente da cor, da raça, do sexo, da idade, da profissão.

21 "A vida é uma luta insana, na qual os fortes sobrevivem e os fracos sucumbem à sombra da sua própria incompetência. A diferença entre o impossível e o possível está na determinação de uma pessoa. Enquanto imperar a filosofia de que há uma raça inferior e outra superior o mundo estará permanentemente em guerra. É uma profecia e todo o mundo sabe que isso é verdade.

22 Trabalho Realizado por: Fátima Santos Anabela Casimiro Maria dos Anjos Zélia Ferreira


Carregar ppt "Curso EFA Nível Secundário - Turma D Cidadania e Profissionalidade."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google