A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 TETRA Experience 2006 Sao Paulo July 19 th 2006.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 TETRA Experience 2006 Sao Paulo July 19 th 2006."— Transcrição da apresentação:

1 1 TETRA Experience 2006 Sao Paulo July 19 th 2006

2 2 Bahia State Police Case Study Carlos Antônio de Oliveira Cláudio Henrique de Néri Maltez

3 3 Carlos Antonio de Oliveira – Cel EBR1 Superintendente Claudio Maltez – Eng Telecom Diretor de Engenharia

4 Sistema de Comunicações Policiais para a Secretaria da Segurança Pública da Bahia. SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÔES

5 A estratégia da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), é combinar Ação Comunitária com a Integração de recursos material e pessoal. Na ação comunitária, o seu principal cliente, agora participante e colaborador, se tornará também mais exigente na obtenção dos resultados. SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÔES

6 A integração dos meios só se justifica também se aludir a uma conscientização de todos os seguimentos que marcarão presença nos diversos níveis. Como por exemplo no planejamento, coordenação, controle e execução das ações policiais (investigatórias, preventivas, corretivas, coercivas etc.). Esses recursos (pessoal e material) estão e precisam dar base e sustentação ao tráfego de voz e dados (informações e comunicações) numa vasta área (estado da Bahia). Daí a necessidade de se implementar sistemas de tecnologias diferentes, mas com um necessário nível de interoperabilidade segura e na dimensão certa das necessidades. SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÔES

7 SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÔES Introdução - Autônoma - Abrangente - Convergente

8 SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÔES Introdução Autônoma, significa que ela subsistirá as operadoras de telefonia locais. Dará vazão ao tráfego das operações mesmo que o sistema público esteja em colapso. Abrangente, porque pretende cobrir uma vasta área territorial como é o estado da Bahia e que também apresenta densidade populacional variada acarretando diversidade de tráfego. A Convergência está justamente na possibilidade de se fazer atuar num mesmo teatro de operações os diversos seguimentos da SSP_BA (PM, CB, DPT, PC) nas ditas ações policiais que visam a diminuição dos níveis de criminalidade no Estado.

9 SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÔES Introdução - SRTA - VHF-FM - SRTD

10 10 Sumário - Introdução. - Os desafios para melhorar o atendimento das chamadas de emergências. - O Projeto de Modernização das Telecomunicações da SSP-BA. - A importância das redes rádio. - A seleção da rede TETRA as comunicações na capital baiana SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÔES

11 Os desafios para melhorar o atendimento das chamadas de emergência na Bahia. SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÔES ,67 Km Municípios - 13 milhões de habitantes

12 SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÔES Atendimento de forma descentralizada e com abrangência municipal. Os desafios para melhorar o atendimento das chamadas de emergência na Bahia.

13 13 Atendimento Proposto SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÔES - Integração policial; - Otimização do uso do efetivo policial, visto o déficit existente, - Fornecimento, em tempo real, de dados para planejamento e melhor tomada de decisão. Os projeto de modernização das Telecomunicações da SSP/BA

14 SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÔES Os projeto de modernização das Telecomunicações da SSP/BA Atendimento Proposto

15 SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÔES Os projeto de modernização das Telecomunicações da SSP/BA Atendimento Proposto

16 16 Implantação da CENTEL SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÔES COPOM PM CEPOL PC COBOM CB CENTEL 190 / 197 / 193 Superintendência de Telecomunicações (STELECOM) A importância das redes de rádio na integração policial.

17 17 Atendimento e Teledespacho (Centel) SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÔES A importância das redes de rádio na integração policial.

18 18

19 SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÔES A seleção da rede Tetra para as comunicações na capital baiana. Requisitos necessários: - Capacidade de tráfego de voz e dados; - Segurança nas comunicações (Sigilo); - Alcance; - Robustez; - Confiabilidade; - Protocolo aberto e - Padronização.

20 SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÔES A seleção da rede Tetra para as comunicações na capital baiana.

21 SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÔES A escolha do padrão TETRA para Salvador. Cobertura TETRA - 1 NC - 15 Estações Rádio Base

22 SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÔES A escolha do padrão TETRA para Salvador bases fixas sem encriptação - 5 bases fixas com encriptação terminais móveis com GPS - 40 terminais móveis com GPS e encriptação terminais portais terminais portáteis com GPS - 50 terminais portáteis com encriptação - 50 terminais portáteis com GPS e encriptação

23 SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÔES Rede de Transporte A escolha do padrão TETRA para Salvador. Rede de Transporte Rede IP - Links de microondas

24 SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÔES Obrigado !

25 25 Projeto MRS2008 A definição pelo TETRA

26 26 A MRS Objetivo do Projeto MRS2008 Diretrizes O SIACO Estudo das Tecnologias Definição pelo TETRA Cronograma Pontos de Atenção Pauta

27 27 Filme A MRS

28 28 MRS A Malha Ferroviária

29 29 Estabelecer as condições para atender os cenários agressivos de demanda para 2008 com Segurança e Produtividade. Objetivo do Projeto MRS2008

30 30 Projeto MRS2008 Análise de Demanda

31 31 Projeto MRS2008 Diretrizes Passagens de Nível êAspectos Básicos: Abstrair da situação atual e pensar como a empresa deve ser melhor suportada a longo prazo; O projeto deve ser flexível e acompanhar a velocidade do crescimento de demanda (revisão semestral); Analisar toda a malha e adotar soluções específicas por trecho, em função da demanda e da complexidade; Atingir a Previsibilidade e Confiabilidade da Operação e Manutenção; Adotar tecnologias, consolidadas ou no estado da arte, que tragam reais benefícios à MRS; Utilizar sistemas abertos suportados por vários fornecedores; Redução dos Custos Unitários Operacionais e de Manutenção na MRS; Analisar a real necessidade de substituição de equipamentos/sistemas envolvendo, nesta análise, aspectos de implantação e manutenção.

32 32 Passagens de Nível êAspectos de Sistema: Focar a operação da malha ferroviária através de comunicação de dados; Disponibilizar ferramentas para planejamento e suporte a decisão; Utilizar sistemas com características fail-safe, alta confiabilidade, disponibilidade e manutenabilidade; Disponibilizar facilidades e recursos para visualização dos ativos da MRS nas regiões de interface e/ou leito de outras operadoras ferroviárias; Adotar engenharia de manutenção centrada na produção, desempenho e confiabilidade; Os circuitos de via da sinalização atual serão mantidos principalmente em função de dois aspectos principais – detecção de trilho partido e integridade do trem (trem completo). Projeto MRS2008 Diretrizes

33 33 Projeto MRS Sistemas Sistema Integrado de Automação e Controle da Operação - SIACO Passagens de Nível O Projeto MRS Sistemas visa a implantação do Sistema Integrado de Automação e Controle da Operação - SIACO, que é constituído de: –CCO Integrado; –Sistema de Sinalização e Controle (SSC); –Sistema de Controle de Bordo (SCB); –Sistema de Comunicação Móvel de Dados e Voz Terra-Trem (STT) Inclui também alguns projetos complementares, como: –SAE - Sistema Auxiliar de Energia; –Melhorias do Backbone; –STD - Sistema de Transmissão de Dados

34 34 Despachadores Intertravamento Centralizado Controle de Energia Controle de Tráfego Planejamento e Suporte a Decisão Centro de Controle de Manutenção Comun. com Campo IHM HBW Sistema Hot Box/ Wheel Detector Reg. Eventos ATP Tacômetro gerador Chaves bypass e ATP Isolado GPS Rádio Rádio Propagação Rádio Rádio Backbone (contingência) Instalações Fixas Maq.Chave CDV PN Fibra Óptica Controlador de Objeto Instalações Fixas Maq. Chave CDV PN Controlador de Objeto Projeto MRS Sistemas Sistema Integrado de Automação e Controle da Operação - SIACO

35 35 Projeto MRS Sistemas Principais Realizações Em 2003: –Estudo da Situação Atual e Propostas de Solução Em 2004: –Projeto Básico do SIACO (estudo da tecnologia); –RFI - Pré-Seleção dos Fornecedores –RFP - Especificação Técnica Em 2005: –Elaboração das Propostas (pelos Fornecedores) –Análise Técnica e Comercial das Propostas –Negociação e Contrato

36 36 Projeto MRS Sistemas Principais Realizações

37 37 Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Estudo da Tecnologia de Telecom. Modalidades de Serviços ANATEL Voz – Serviço Limitado Privado (SLP) Dados – Serviço Móvel Especializado (SME)

38 38 Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Estudo da Tecnologia de Telecom. 1.0 – Rádio Convencional – 150 MHz 1.1 – Vantagens Baixo Custo de Investimento. Baixo Custo de Manutenção. Fácil Operação. Possibilidade de Formação de Redes. Tecnologia Consolidada. Faixa de Freqüências muito Utilizada. Falta Confidencialidade das Comunicações. Utilização de grande número de freqüências para formação de Rede. Transmissão com Ruído Elevado. 1.2 – Desvantagens

39 39 Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Estudo da Tecnologia de Telecom. 2.0 – Rádio Convencional – 450 e 900 MHz 2.1 – Vantagens Custo de Investimento não tão elevado. Baixo Custo de Manutenção. Fácil Operação. Possibilidade de Formação de Redes. Gerenciamento Remoto da Rede Trafega Dados a bps Trafega Voz. Interface RS – Desvantagens Outorga pela Anatel em caráter secundário Utilização de grande número de freqüências para formação de Rede. A Confiabilidade para uso em sistemas móveis não é muito eficaz. O Sistema foi desenvolvido primariamente para comunicações ponto a ponto e ponto multiponto.

40 40 Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Estudo da Tecnologia de Telecom. 3.0 – Sistemas Troncalizados 3.1 – Diferença entre Sistemas Convencionais e Trunking O sistema trunking diferencia-se do sistema convencional porque otimiza o uso de canais. 3.2 – Tipos de Tecnologia Trunking Esta tecnologia de Trunking processa as comunicações de forma analógica utilizando o protocolo denominado de Logic Trunked Radio – LTR, o qual tem a característica de não ser proprietário para uma única marca de rádios. Esta foi a primeira tecnologia desenvolvida para aplicações em Sistemas Troncalizados, vindo ocupar inicialmente a faixa de serviços prestados pelos sistemas convencionais – Sistema Trunking LTR

41 41 Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Estudo da Tecnologia de Telecom. Este Sistema Troncalizado ocupa lugar privilegiado dentro do mercado das comunicações por sua excelencia em prestação de serviços e confiabilidade. É um produto cujo protocolo é denominado EDACS que significa Ehanced Digital Access Communications System. Permite implementar sistemas com os requisitos mais exigentes tal como comunicações analógicas, digitais, digitais criptografadas, chaves de criptografia nas comunicações digitais e comunicações de dados. Também incorpora funções avançadas como a reprogramação de terminais, reagrupamento dinâmico, transmissão de dados multi-locais, chamadas de emergência, prioridades nas comunicações, habilitação de dasabilitação de rádios remotos, etc – Sistema Trunking EDACS 3.0 – Sistemas Troncalizados 3.2 – Tipos de Tecnologia Trunking

42 42 Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Estudo da Tecnologia de Telecom. 3.0 – Sistemas Troncalizados É um Sistema Troncalizado baseado em um protocolo aberto que dedica um de seus canais a desempenhar funções de canal de controle. Esta configuração permite incorporar novas facilidades em comparação as oferecidas pelo LTR como as Chamadas de Emergência e Chamadas com Prioridade. Mesmo sendo as comunicações em caráter analógico, os rádios suportam a instalação de criptografia de voz para obtenção de maior privacidade nas comunicações. Os rádios suportam interfaces de dados que permitem integrar em um mesmo sistema comunicações de voz e dados – Sistema Trunking MPT – Tipos de Tecnologia Trunking

43 43 Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Estudo da Tecnologia de Telecom. Este sistema troncalizado é totalmente digital e utiliza tecnología TDMA. Trata-se de um sistema de última geração, orientado a sistemas de voz e dados móveis. Tem um aproveitamento espectral ótimo permitindo transmitir 4 canais de voz ou dados por canal físico de RF. Este sistema se baseia em um protocolo aberto – Sistema Trunking TETRA – Sistema Trunking Open Sky Este sistema troncalizado é totalmente digital. Por cada canal se transmitem dois canais virtuais digitais, utilizando a tecnología TDMA. Trata-se de um sistema de última tecnologia, orientado a sistemas de voz e dados móveis. Este sistema se baseia em um protocolo proprietário oferecendo as facilidades máximas que um sistema de comunicação pode contar. 3.0 – Sistemas Troncalizados 4.0 – Sistemas por Espalhamento Espectral 3.2 – Tipos de Tecnologia Trunking

44 44 Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Estudo da Tecnologia de Telecom. 5.0 – Soluções Avaliadas 5.1 – Introdução Os sistemas identificados foram os seguintes: –Sistema Convencional – 150 MHz. –Sistema Convencional – Rádio Modem – 450 e 900 MHz. –Sistema Troncalizado. –Sistema por Espalhamento Espectral. A MRS possui um sistema convencional operando na faixa de 150 MHz (Voz) que foi considerado na avaliação.

45 45 Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Estudo da Tecnologia de Telecom. 5.2 – Alternativas Estudadas

46 46 Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Estudo da Tecnologia de Telecom. 5.3 – Alternativa 01 Rádio Convencional para Voz em 150 MHz (freqüência secundária e tecnologia analógica) e trunking analógico ou digital para Dados na faixa de 450 – 470 MHz (freqüência primária). Vantagens: –Disponibilidade total para dados e voz; –O Sistema de voz pode migrar para o sistema trunking; –Mesma infra-estrutura para ambos os sistemas; –Alta compatibilidade entre os sistemas; –O Sistema de dados pode ser backup do sistema de voz; –Aproveitamento de equipamentos legados (antigos) para voz. Desvantagens: –Sistemas de Gerência e Operação separados; –Uso de freqüência em caráter secundário para voz; –Baixa capacidade de transmissão de dados, porém suficiente para aplicações ferroviárias; –Necessidade de mais espaço para acomodar equipamentos nas locomotivas; –Hardwares diferentes para dados e voz (ERBs, Repetidoras e Terminais).

47 47 Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Estudo da Tecnologia de Telecom. 5.4 – Alternativa 02 Rádio Convencional para Voz em 150 MHz (freqüência secundária e tecnologia analógica) e Rádio Convencional para Dados em 450 – 470 MHz (freqüência secundária) Vantagens: –Disponibilidade total para dados e voz; –Mesma infra-estrutura para ambos os sistemas; –O Sistema de dados pode ser backup do sistema de voz; –Média capacidade de transmissão de dados, porém mais do que suficiente para aplicações ferroviárias; –Aproveitamento de equipamentos legados (antigos) para voz. Desvantagens: –Sistemas de Gerência e Operação separados; –Uso de freqüência em caráter secundário para voz; –Maior espaço para acomodar equipamentos nas locomotivas; –Hardwares diferentes para dados e voz (ERBs, Repetidoras e Terminais).

48 48 Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Estudo da Tecnologia de Telecom. 5.5 – Alternativa 03 Rádio Convencional para Voz em 150 MHz (freqüência secundária e tecnologia analógica) e Rádio Convencional para Dados em 900 MHz (freqüência secundária) Vantagens: –Disponibilidade total para dados e voz; –O Sistema de dados pode ser backup do sistema de voz; –Alta capacidade de transmissão de dados, além da necessidade p/ aplicações ferroviárias; –Aproveitamento de equipamentos legados (antigos) para voz. Desvantagens: –Sistemas de Gerência e Operação separados; –Infra-estrutura não pode ser totalmente compartilhada; –Uso de freqüência em caráter secundário para voz; –Maior espaço para acomodar equipamentos nas locomotivas; –Hardwares diferentes para dados e voz (ERBs, Repetidoras e Terminais).

49 49 Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Estudo da Tecnologia de Telecom. 5.6 – Alternativa 04 Utilização de Rádio em 450 – 470 MHz, para voz e dados, com freqüência primária e tecnologia trunking analógico ou digital. Vantagens: –Sistema único de Gerência e Operação; –Infra-estrutura única para dados e voz; –Sistema homogêneo; –Uso de freqüência em caráter primário para dados e voz; Desvantagens: –Recursos aéreos compartilhados entre dados e voz; –Ponto único de falha nos terminais; –Baixa capacidade de transmissão de dados, porém suficiente para aplicações ferroviárias;

50 50 Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Estudo da Tecnologia de Telecom. 5.7 – Alternativa 05 Utilização de Rádio em MHz, para voz e dados, com freqüência secundária e tecnologia de espalhamento espectral FHSS – IEEE Vantagens: –Sistema único de Gerência e Operação; –Infra-estrutura única para dados e voz; –Capacidade de transmissão de dados muito alta. Aplicação multimídia pode ser possível; –Sistema homogêneo. Desvantagens: –Recursos aéreos compartilhados entre dados e voz; –Ponto único de falha nos terminais; –Uso de freqüência em caráter secundário para dados e voz; –Não possui equipamento para comunicação de voz específica. –Não possui rádios portáteis.

51 51 Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Estudo da Tecnologia de Telecom. 5.8 – Comparação entre as Tecnologias

52 52 Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Estudo da Tecnologia de Telecom. 6.0 – Conclusões 6.1 – Premissas para Análise Técnica Conjunto A O equipamento rádio convencional já instalados na planta da MRS Tecnologia de Sistema Convencional na Faixa de 450 e 900 MHz. Sistema Troncalizado na faixa de 450 MHz, utilizando tecnologia analógica e digital. Sistema de Espalhamento espectral na faixa de MHz. Conjunto B A comunicação mais importante para a MRS são os enlaces Terra – Trem, principalmente para dados. A comunicação entre o CCO e a composição ferroviária é de fundamental importância.

53 53 Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Estudo da Tecnologia de Telecom. 6.2 – Análise Técnica A mais eficiente e de melhor qualidade para a MRS é a alternativa 4_B (sistemas troncalizados digitais) e permite expansões futuras mais baratas do que as outras. A segunda alternativa de escolha é a alternativa 4_A (sistema troncalizado analógico) e também permite expansões futuras sejam mais viáveis do que as outras. A terceira alternativa de escolha, é a alternativa 1_A (sistema troncalizado analógico em conjunto com o rádios atualmente instalados na planta de telecomunicações). Obs.: Em qualquer das alternativas escolhidas a opção de freqüência é na faixa de 450 MHz pela relação custo x benefício. 6.0 – Conclusões

54 54 Passagens de Nível Preparação Especificação Aprovação MRS Modelos de Planilhas Termos e Cond. Gerais Elaboração da RFP Equipe do Projeto e Suprimentos Técnicos da MRS ETAPAITENSRECURSOS Esclarecimento da RFP Reunião com todos os proponentes MRS2008 e Suprimentos Segurança MRS Representantes dos NPs Visita Técnica Esclarecimentos por escrito Visita no Campo Condições para realização do serviço Formalização Equipe MRS2008 Suprimentos Técnicos MRS Entrega das Propostas Prazo CDs e 2 Cópias Equipe MRS2008 Suprimentos Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Processo de Aquisição

55 55 Escopo Geral do Projeto descrição geral dos componentes do Sistema Integrado de Automação e Controle da Operação – SIACO. apresentação geral da MRS e de alguns aspectos operacionais e cenários futuros. Especificação Técnica do CCO Integrado Especificação Técnica do Sistema de Comunicação Terra-Trem Especificação Técnica do Controlador de Bordo Especificação Técnica do Sistema de Sinalização Documentos complementares: Requisitos Gerais de Fornecimento requisitos, critérios e normas gerais que deverão ser obedecidos pelos fornecedores Descrição dos Sistemas Existentes: detalhes dos sistemas/equipamentos existentes da MRS que deverão ser interfaceados/integrados com o novo sistema. Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Processo de Aquisição - Especificação

56 56 Riscos de execução Outros Riscos GARANTIA DA QUALIDADE GARANTIA DE ISENÇÃO DE DEFEITOS GARANTIA DA DESEMPENHO GARANTIA DE DISPONIBILIDADE GARANTIA DE ATUALIZAÇÃO GARANTIAS A SEREM EXIGIDAS EM CONTRATO Prioridade 1 Prioridade 2 Prioridade 3 Prioridade 4 Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Processo de Aquisição - Garantias

57 57 Passagens de Nível Preparação ScoreCard Modelos de Relatórios Preparação Avaliação Equipe MRS2008 Suprimentos ETAPAITENSRECURSOS Análise Preliminar Peneira grossa Análise técnica apenas Equipe MRS2008 Técnicos MRS Terceiros (Telecom) Análise Detalhada Defesa Técnica Análise Profunda Questionamentos técnicos/comerciais Revisão de proposta Homogeneização Equipe MRS2008 Suprimentos, Jurídico Técnicos MRS Consultoria (Telecom, TTCI, Ergonomia) Negociação Contratual Termos de contrato Ajustes de escopo Equipe MRS2008 Suprimentos, Jurídico Técnicos MRS Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Processo de Aquisição - Avaliação das Propostas

58 58 Os principais pontos analisados, no Sistema de Comunicação Terra-Trem, foram: · Área de Cobertura; · Interligação das ERB's com o Backbone; · Topologia da Rede; · Dimensionamento do tráfego; · Modelo de integração com outros sistemas; · Tipo de comutação empregada; · Características dos terminais. Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Processo de Aquisição - Avaliação das Propostas

59 59 Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Processo de Aquisição - Avaliação das Propostas

60 Tratamento dos problemas pelas opções tecnológicas Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Problemas com Sistema de Comunicação de Voz

61 61 New Related Existing NewRelatedExisting Markets Application Blue Collar PMR / PAMR Voice Plus Limited Data Picture Messaging Internet & Intranet Extending TETRA to white collar workers in existing industry segments Extending Functionality to existing PMR/PAMR Applications Information Retrieval Monitoring/ Tracking Vehicle Location/ Navigation Fleets Private Users Video Streaming Markets & Applications (Ansoff) Fonte: site do Tetra MoU

62 62 INFORMATION (bit/s) MESSAGING 144kb/s ISDN GROUP CALL BROADCAST CALLTELEPHONY CIRCUIT DATAPACKET-DATA 9kb/s28kb/s 2Mb/s155Mb/s GLOBAL CONTINENTAL INTERNATIONAL NATIONAL REGIONAL URBAN LOCAL SITE OFFICE cordless DECT/ PHS MOBILITY satellite VOICE GSM/ PCN CDMA Trunked mobile radio MPT1327 TETRA INMARSAT-P GLOBALSTAR DAWS & 3G / UMTS R2TETRA TETRA Positioning Fonte: site do Tetra MoU DATA

63 63 75 ERBs, sendo: 16 em alto de morro (15 em locais onde hoje existe ERB VHF); 59 ao longo do leito da ferrovia - novos sites com torres de 30 metros; 880 rádios móveis TETRA para locomotivas (1 para dados outro para voz); 200 rádios móveis TETRA para veículos de serviço (1 para dados outro para voz); 200 rádios móveis TETRA para voz em veículos rodoviários; 350 rádios portáteis TETRA para manobrador e manutenção; 60 rádios fixos TETRA para voz em Estações; 75 rádios fixos TETRA para dados em pontos de Detectores de Descarrilamento; 30 rádios fixos TETRA para dados em pontos de Passagem de Nível. Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Escopo de Contratação - STT-Sistema Terra Trem

64 64 1 Central dualizada na sala de servidores em Juiz de Fora 1 Estação de Engenharia para a área de Engenharia em Juiz de Fora ERBs totalmente dualizadas Freqüência de operação em 800 MHz 2 Pares de freqüência (2 portadoras) por ERB (todas ERBs) Capacidade máxima de tráfego de 57.6 kbps por ERB Previsão de uso de 25 pares de freqüência para operação de toda a ferrovia Funcionalidades de Voz nas Consoles de Operação do CCOI (não haverá console separada para comunicação de voz) Trechos Baixada Santista e km 64-Arará continuarão utilizando sistema VHF Download de dados de Registrador de Eventos constante, durante a viagem do trem; Telemetria em tempo real de locomotivas, a partir do CCOI (CCM). Projeto MRS Sistemas Principais Realizações - Escopo de Contratação - STT-Sistema Terra Trem

65 65 Em 2006: –Jan a Mar - Contratos de Fornecimento; –Abr e Mai - Planejamento Geral do Projeto –Jun - Início do Desenvolvimento. Em 2007: –Mar - Início de Operação do Piloto (Brisamar - Guandu); –Abr a Out/07 - Migração do Trecho Saudade - Guaíba; –Ago a Fev/08 - Migração da Ferrovia do Aço; –Nov - Migração do CCO de Paranapiacaba Em 2008: –Fev a Out - Migração da Linha Centro; –Abr a Mai/09 - Migração Linha da São Paulo; Projeto MRS Sistemas Cronograma

66 66 Projeto MRS Sistemas Cronograma

67 67 Projeto MRS Sistemas Cronograma

68 68 Projeto MRS2008 Pontos de Atenção Riscos Identificados

69 69 Projeto MRS2008 Pontos de Atenção

70 70 MRS em 2008 Uma MUDANÇA na forma de trabalhar !!!

71 71 TETRA Experience 2006 Sao Paulo July 19 th 2006

72 72 TETRA Experience 2006 The next presentation will be posted in the near future


Carregar ppt "1 TETRA Experience 2006 Sao Paulo July 19 th 2006."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google