A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Marcelo Estágio-I FA7 09/08/2008 Desenvolvimento Web em Java com Java Server Faces (JSF)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Marcelo Estágio-I FA7 09/08/2008 Desenvolvimento Web em Java com Java Server Faces (JSF)"— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Marcelo Estágio-I FA7 09/08/2008 Desenvolvimento Web em Java com Java Server Faces (JSF)

2 2 Conteúdo Java Web Arquitetura Servlet JSP EL, JSTL e Taglibs Padrão MVC Java Server Faces Introdução Gerenciando a Navegação Managed Beans JSF Expression Language Java Server Faces Standard Tags Modelo de Componentes Conversão e Validação Tratando Eventos Ciclo de Vida de um Requisição e PhaseListeners

3 3 INTRODUÇÃO

4 4 Aplicações Web Acessada por meio de navegadores Web (Thin Client) Facilidade de atuliazação da aplicação Processamento centralizado Interface com usuário muito poderosa Diversas tecnologias disponíveis CGI PHP ASP ASP.NET Java Servlets/JSP etc

5 5 Requisição/Resposta (Request/Response)

6 6 Java e Web = J2EE Servlets e JSP Assim como a linguagem Java, são independente de Plataforma Acesso completo a API do Java Melhor desempenho (na maioria dos casos) do que CGI, ASP e PHP Adotado pelas grandes industrias de software mundial

7 7 Aplicação Web em Java Desenvolver o código dos componentes Web Configurar aplicação (web.xml e context.xml) Compilar aplicação Empacotar aplicação em uma unidade instalável Instalar a aplicação em um Servidor de Aplicação Tomcat JBoss IBM WebSphere... Acessar a URL que referência a aplicação web

8 8 Estrutura de pastas e conteúdo

9 9 Empacotando e Instalando Arquivo WAR Arquivo zip com todo o conteúdo da aplicação (JSP's, imagens, conteúdo estático, classes compiladas, web.xml, etc) Segue a estrutura definida anteriormente Pronto para instalação Tarefa do Ant/Maven Instalação no Tomcat context.xml – Arquivo com configurações específicas do Tomcat Pasta webapps Tomcat Manager

10 10 SERVLET

11 11 Arquitetura Servlet Classes Java que processam dinamicamente requisições e constroem respostas Fundação de todas as tecnologias Web Os pacotes javax.servlet.* e javax.servlet.http.* provê as classes e interfaces necessárias para escrever Servlets A classe HttpServlet oferece os serviços HTTP através dos métodos doGet, doPost etc Ciclo de vida gerenciado pelo Container Multithreaded

12 12 Arquitetura Servlet Classe deve herdar de javax.servlet.http.HttpServlet Quando chega um requisição ao Servidor, o método service() da classe HttpServlet chama o método doXXX() equivalente a requisição É passado um objeto contendo as informações da requisição (HttpServletRequest) É passado um objeto para se construir a resposta (HttpServletResponse)

13 13 Arquitetura Servlet public class UsuariosServlet extends HttpServlet { private static final long serialVersionUID = protected void doGet(HttpServletRequest request, HttpServletResponse response) throws ServletException, IOException {... protected void doPost(HttpServletRequest request, HttpServletResponse response) throws ServletException, IOException { doGet(request, response); public void init() throws ServletException { }

14 14 Arquitetura Servlet Compartilhando Informações Os vários componentes de uma aplicação web trabalham juntos (JSP, Servlet, Filters, Listeners, etc) É necessário compartilhar informações As informações são compartilhadas através de objetos mantidos como atributos dos chamados Objetos de Escopo (Scope Objects) usando os método [get|set]Attribute Web Context – ServletContext: Escopo da Aplicação, visível a toda Aplicação (Variáveis globais) Session – HttpSession: Informações relativas a sessão de um Cliente, visível a um conjunto de requisições Request – HttpServletRequest: Relativa a apenas uma requisição Page – JspContext: Criada pela página JSP, visível apenas ao JSP

15 15 Tratando Requisições Métodos HTTP mais comuns: GET e POST Extrair informações da requisição, acessar recursos externos, e montar a resposta baseado nessas informações URL da requisição path]?[query string] Context Path: "/nomeDoContexto" nome da aplicação web Servlet Path: "/Teste" corresponde ao caminho para um componente (Servlet) Path Info: o que não faz parte do Context Path nem do Servlet Path

16 16 Exemplo de protected void doGet(HttpServletRequest request, HttpServletResponse response) throws ServletException, IOException { response.setContentType("text/html"); PrintWriter out = response.getWriter(); String nome = request.getParameter("nome"); List usuarios = usuarioFacade.listarUsuarios(nome); out.println(" "); out.println(" Usuarios "); out.println(" "); for(Usuario usuario: usuarios) { out.println(" "); out.println(usuario.getNome()); out.println(" "); } out.println(" "); out.close(); }

17 17 JSP

18 18 JSP - Introdução Documento de texto capaz de gerar tanto conteúdo estático como dinâmico Conteúdo estático e dinâmico podem ser misturados Conteúdo estático HTML, XML, Texto, etc Conteúdo dinâmico Código Java Propriedades de Java Beans Tags personalizadas

19 19 JSP - Exemplo page language="java" contentType="text/html; charset=ISO " pageEncoding="ISO "%> Bem Vindo Olá! Hoje é.

20 20 JSP - Introdução Assim como a linguagem Java, é independente de plataforma Código Java Fácil edição de páginas HTML É instalado automaticamente pelo container É compilado para um Servlet Recompilado quando á página é modificada Vantagens em relação ao Servlets Não é necessário usar println() Fácil edição e manutenção de páginas HTML

21 21 JSP – Elementos de Scripting (Scriptlets) Possibilita a inserção de código Java no servlet gerado Usar o mínimo possível Três maneiras Expressões: Scriplets: Declarações

22 22 JSP - Scriptlet page language="java" contentType="text/html; charset=ISO " pageEncoding="ISO "%> <% GerenciadorUsuarioFacade usuarioFacade = FacadeFactory.getInstance().getUsuarioFacade(); String nome = request.getParameter("nome"); List usuarios = usuarioFacade.listarUsuarios(nome); %> Usuários Olá ! ">

23 23 EL, JSTL e Taglibs

24 24 Expression Language (EL) Possibilita o acesso a propriedades dos Java Beans e de Map's Exemplo: ${usuario.nome} Reconhecido como saída de texto e como atributo para qualquer ação Suporta Operadores Reduz o uso de Scriptlets Suporte a funções EL personalizadas Extensível via taglibs Exemplo: ${fn:endsWith(filename, ".txt")} O JSTL 1.1 já vem com 16 funções pré-definidas

25 25 EL - Exemplo Expression Language (EL) Exemplo Usando Scriptlets <% Map m = (Map)pageContext.getAttribute("estados" ); Estado e = ((State)m.get( "CE" )); if( e != null ) {%> Usando EL ${estados["CE"].capital}

26 26 JSTL – Java Standart Tag Lib Java Standart Tag Lib (JSTL) Faz parte da especificação J2EE (Java EE) Encapsula funcionalidades comuns a muitas aplicações JSP Conjunto de tags padrão Não é preciso escrever as Tags Portabilidade

27 27 JSTL – Java Standart Tag Lib JSTL – Bibliotecas Core (prefixo: c) Formatação (prefixo: fmt) Funções (prefixo: fn) – usado na EL XML (prefixo: x) Banco de Dados (prefixo: sql)

28 28 JSTL – Java Standart Tag Lib <% GerenciadorUsuarioFacade usuarioFacade = FacadeFactory.getInstance().getUsuarioFacade(); String nome = request.getParameter("nome"); %> " />...

29 29 JSTL – Java Standart Tag Lib... ${usuario.nome} solteiro casado não informado

30 30 Taglibs Elementos JSP definidos pelo usuário (diferente das tags padrões) Encapsular tarefas recorrentes Reaproveitamento de código Simplifica o desenvolvimento e a manutenção São distribuídas em bibliotecas personalizadas (Taglib)

31 31 Taglibs Podem ser personalizada a partir de atributos passados pela página JSP Podem retornar variáveis para a página JSP Acesso a todas as variáveis disponíveis à página JSP Podem se comunicar Podem ser aninhadas e comunicar-se através de variáveis

32 32 Taglibs Taglibs – Exemplos Mostrar conteúdo Processar Forms Controle de Fluxo Iteração sobre Coleções...

33 33 Padrão MVC

34 34 Aplicações Web - Desafios Interface Web muda com frequência Necessidade de separar lógica de negócios da lógica de apresentação Páginas Complexas HTML Extensos JavaScript Conteúdo dinâmico geralmente representam uma pequena porção da página A separação de papéis pode ser uma boa escolha

35 35 Aplicações Web - Desafios Não segue modelo tradicional de resposta a estímulos do MVC (Sistemas Desktop) Modelo requisição-resposta Quando um componente muda de estado, a página não é automaticamente atualizada Requisições HTTP podem carregar somente strings como parâmetros Necessidade de conversão para objetos Java Tendência a geração de Erros

36 36 Aplicações Web - Desafios Dificuldade em validar/restrigir ações do usuário Pouco controle sobre o navegador Dependência de JavaScript Pouca Quantidade de componentes gráficos Interoperabilidade As páginas devem aparecer e ser comportar de forma semelhante em todos os navegadores Difícil de realizar testes automáticos

37 37 Padrão MVC Model Objetos de dados (Entidades de Negócio) View Apresenta dados ao cliente Captura ações do cliente Controller Reage a ações do usuário, atualizando o Model da maneira apropriada Determina o fluxo de navegação

38 38 Padrão MVC O cliente interage com o View e envia uma requisição O Controller recebe a requisição e a delega, geralmente, para camada de negócios O Model é atualizado e o fluxo volta para o Controller O Controller decide o que será mostrado e qual view será mostrado O View exibe ao cliente os dados do Model disponibilizados pelo Controller

39 39 Padrão MVC Padrão MVC em Java Servlets (Controller) Classes Java devem conter apenas código Java Tem acesso a Camada de Negócio Podem direcionar a requisição para outros JSP's JSP (View) são páginas e devem conter apenas lógica de apresentação Camada de Negócio e Entidades de Negócio (Model)

40 40 Padrão MVC

41 41 Padrão MVC public class UsuariosServlet extends HttpServlet { private static final long serialVersionUID = L; private GerenciadorUsuarioFacade usuarioFacade = protected void doGet(HttpServletRequest request, HttpServletResponse response) throws ServletException, IOException { String nome = request.getParameter("nome"); List usuarios = usuarioFacade.listarUsuarios(nome); request.setAttribute("usuarios", usuarios); RequestDispatcher dispatcher = request.getRequestDispatcher( "/usuarios.jsp"); dispatcher.forward(request, response); }

42 42 Padrão MVC Usuários ${usuario.nome}

43 43 JSF – Java Server Faces

44 44 O que é Java Server Faces O que é o Java Server Faces Framework para simplificar o desenvolvimento de aplicações web Baseado em Componentes Conjunto de componentes GUI para Web Modelo orientado a eventos Não é limitado a HTML Container IoC (provê injeção de dependências)

45 45 O que é Java Server Faces Vantagens Componentes GUI personalizados POJOs Tratamento de Eventos Conversão e Validação Suporte a outras tecnologias de transporte e apresentação Managed Beans Expression Language Configuração mais simples

46 46 O que é Java Server Faces

47 47 JSF – Gerenciando a Navegação Definida usando Regras de Navegação Configurado no faces-config.xml /login.jsp #{loginBean.login} (opcional) sucesso /index.jsp (opcional) Estática – Configurado na própria página Dinamica – Saída de uma Action

48 48 JSF – Gerenciando a Navegação

49 49 JSF – Managed Beans Usados para separação entre as lógicas de negócio e de apresentação O que são Beans? Definição de JavaBean : a reusable software component that can be manipulated in a builder tool Construtor Vazio Propriedades privadas, acessadas por métodos get e set (getXyz, setXyz) Não é necessário herdar de nenhuma classe em especial (POJO) No JSF também são chamados de backing beans Gerenciados pelo Framework

50 50 JSF – Managed Beans Definidos no faces-config.xml Nome, classe, propriedades e escopo Propriedades para os dados do Form Métodos Action (Controller) Propriedades para valores de saída Associados a páginas web através da EL Instanciados e inicializados pelo Container

51 51 JSF – Managed Beans Message Bundles Centralizar mensagens em um único lugar Arquivo.properties do tipo chave=valor Suporte a mensagens com parâmetros Suporte a internacionalização

52 52 JSF – Managed Beans #Page: guess.jsp #================= page.guess.title=Adivinhe o Número page.guess.label.numero=Digite um número page.guess.label.botao=Enviar page.guess.denovo=Tentar Novamente page.guess.maior=Tente um número maior page.guess.menor=Tente um número menor page.guess.acerto=Você acertou em {0} tentativas. SystemMessages.properties pt_BR SystemMessages... faces-config.xml

53 53 JSF – Managed Beans guess.jsp

54 54 JSF – Managed Beans

55 55 JSF – Standard Tags Disponibilizadas pelo JSF Componentes Base para desenvolvimento Duas bibliotecas: html e core (43 tags no total) São taglibs (importadas através da diretiva taglib)

56 56 JSF – Standard Tags Biblioteca core Serve como suporte para html (e outras) Toda página de ter um Raiz da árvore de componentes Tag usada para carregar arquivo.properties A maioria das tags representam objetos a serem adicionados a componentes Atributos, Listeners, Converters, Validators, Facets, Parametros, Select Items

57 57 JSF – Standard Tags Biblioteca html - IDs e Bindings Bindings Liga o componente a um propriedade do backing bean private UIInput nomeUsuarioInput; public UIInput getNomeUsuarioInput() { return nomeUsuarioInput; } public void setNomeUsuarioInput(UIInput nomeUsuarioInput) { this.nomeUsuarioInput = nomeUsuarioInput; }

58 58 JSF – Conversão e Validação Conversão e Validação – Converters Em aplicações web os dados enviados do cliente são sempre strings Java é uma linguagem tipada Precisamos converter os dados enviados JSF provê Conversores para todos os tipos básicos do Java (Date, Integer, Double, Long) Convertem o valor dos componentes de e para string Aplicam formatação ou internacionlização Podemos definir novos conversores e associar aos componentes

59 59 JSF – Conversão e Validação Conversão e Validação – Validators Tarefa que praticamente toda aplicação web precisa Verifica se todos os campos obrigatórios foram preenchido corretamente Mostrar página novamente se ocorrer algum problema Para campos obrigatórios o JSF provê o atributo required Provê também validação básicas (domínio e tamanho) Podemos definir nosso próprio Validator Por default não suporta validação do lado do cliente :-(

60 60 JSF – Eventos e Listeners Usa o modelo de eventos JavaBean (semelhante ao Swing) Componentes criam eventos que são consumidos por Listeners Listeners podem ser métodos de um backing bean ou uma classe uma classe separada Quando o cliente ativa um componente (apertar um botão), um evento é disparado

61 61 JSF – Eventos e Listeners Eventos e Listeners Duas variedades de eventos UI Eventos que disparam processamento back-end Eventos que afetam apenas a forma da interface Código para tratar esses eventos: action controllers e event listeners Action Controllers (Action) lida com o envio completo do form Disparados após preenchimento das propriedades do bean Disparados após lógicas de validação Retorna Strings que afetam a navegação

62 62 JSF – Eventos e Listeners Eventos e Listeners (cont.) Event Listeners lidam com eventos da UI Geralmente são disparados antes do preenchimento das propriedades do bean Geralmente pula a fase de validação Não afeta a navegação (continua na página atual)

63 63 VAMOS PRATICAR!


Carregar ppt "Prof. Marcelo Estágio-I FA7 09/08/2008 Desenvolvimento Web em Java com Java Server Faces (JSF)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google