A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Análise Sintática - Continuação Profa. Heloise Manica Paris Teixeira Parte 3 Slides cedidos pela Prof. Valéria Feltrin (DIN-UEM)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Análise Sintática - Continuação Profa. Heloise Manica Paris Teixeira Parte 3 Slides cedidos pela Prof. Valéria Feltrin (DIN-UEM)"— Transcrição da apresentação:

1 Análise Sintática - Continuação Profa. Heloise Manica Paris Teixeira Parte 3 Slides cedidos pela Prof. Valéria Feltrin (DIN-UEM)

2 Análise sintática Descendente (Top-down) Ascendente (Bottom-up) Com retrocesso (back track) Sem retrocesso (preditive) Analisadores Sintáticos Do símbolo de partida para a sentença Da sentença para o simbolo de partida Um analisador preditivo tenta prever a construção seguinte da cadeia de entrada com base em uma ou mais marcas de verificação à frente

3 Análise sintática Descendente Sem Retrocesso (Preditiva)

4 ASD Preditiva ASD preditiva –Sabe-se de antemão qual regra aplicar Algoritmos: – LL(1) O primeiro L se refere ao fato de o processamento ocorrer da esquerda para a direita (Left) O segundo L se refere ao fato de o analisador acompanhar uma derivação à esquerda para a cadeia de entrada. O número (1) significa que é usado um símbolo da entrada para prever a direção da análise. – LL(1)Recursivo Ambos algoritmos exigem, em geral, a computação dos conjuntos de verificação Primeiro (First) e de Seqüência (Follow)

5 ASD Preditiva Recursiva Um analisador sintático recursivo é um conjunto de procedimentos possivelmente recursivos, um para cada não terminal a ser derivado –Também chamado de analisador de descida recursiva –Cada regra gramatical para um A não terminal é vista como uma definição de um procedimento, em que o lado direito de A especifica o código para esse procedimento

6 ASD preditiva recursiva Exemplo E T + E | T T F * T | F F a | b | (E) procedimento ASD início prox_token(); E; fim procedimento E início T; se (token='+) então prox_token(); E; fim procedimento T início F; se (token =*) então prox_token(); T; fim procedimento F início se ( token ='( ) então prox_token(); E; se (token =')) então prox_token() senão ERRO; senão se (token =a) ou (token =b) então prox_token() senão ERRO; fim

7 ASD preditiva recursiva Método formal para gerar os procedimentos –Regras de transformação: mapeamento das regras de um não terminal em grafos sintáticos Também podem ser usados diagramas de transição (Aho et al., 1995, pg82) –Regras de tradução: mapeamento dos grafos em procedimentos Exemplo S aAd A cA | eB B f | g a A S: Símbolo terminal Símbolo não terminal Grafo sintático

8 ASD preditiva recursiva S aAd procedimento S início se (token =a) então prox_token(); A; se (token =d) então prox_token() senão ERRO; fim a A d S

9 ASD preditiva recursiva A cA | eB procedimento A início se (token =c) então prox_token(); A; senão se (token =e) então prox_token(); B; senão ERRO; fim c A A e B

10 ASD preditiva recursiva B f | g procedimento B início se (token =f) ou (token =g) então prox_token() senão ERRO; fim f B g

11 ASD preditiva recursiva Programa principal procedimento ASD início prox_token(); S; se (terminou_cadeia) então SUCESSO senão ERRO fim Geralmente, concatenamos um símbolo $ no fim da cadeia antes do seu reconhecimento. terminou_cadeia é a verificação da condição token = $

12 ASD preditiva recursiva Regras de transformação –Regras gramaticais grafos sintáticos 1.Toda regra da gramática é mapeada em um grafo 2.Toda ocorrência de um terminal x corresponde ao seu reconhecimento na cadeia de entrada e a leitura do próximo símbolo dessa cadeia x

13 ASD preditiva recursiva 3.Toda ocorrência de um não-terminal A corresponde a análise imediata de A 4.Alternativas são representadas como A A B C

14 ASD preditiva recursiva 5.Uma seqüência A B C é mapeada em 6.A forma A* é representada por ABC A

15 ASD preditiva recursiva Exercício: Faça o grafo sintático da gramática abaixo: A x | (B) B AC C +AC | ε ( B ) A x B AC C A + C

16 ASD preditiva recursiva Os grafos sintáticos podem ser simplificados transformar chamadas recursivas em loops –Os grafos simplificados devem ser equivalentes aos grafos originais –As simplificações nos grafos vão se refletir no código gerado para cada grafo

17 ASD preditiva recursiva Exemplo: Simplifique o grafo abaixo para C +AC | ε C A + C A + C

18 ASD preditiva recursiva Regras de tradução –Grafos sintáticos procedimentos 1.Reduzir o número de grafos: união de grafos para maior simplicidade e eficiência

19 ASD preditiva recursiva Faça a união dos grafos abaixo. Se possível, simplifique após a união. E TE E T + T + E T + E T

20 ASD preditiva recursiva 2. Escrever um procedimento para cada grafo A seqüência origina o procedimento início A; B; C; fim ABC

21 ASD preditiva recursiva A alternativa origina o procedimento início se ( token está em Primeiro(A)) então A senão se (token está em Primeiro(B)) então B senão se (token está em Primeiro(C)) então C fim A B C

22 ASD preditiva recursiva Uma repetição origina o procedimento início enquanto ( token está em Primeiro(A)) faça A; fim A

23 ASD preditiva recursiva O terminal origina início se (token = x) então prox_token() senão ERRO; fim x

24 ASD preditiva recursiva O não terminal origina início A; fim A

25 ASD preditiva recursiva Exercício: fazer o(s) procedimento(s) para os grafos sintáticos –Se possível, reduza o n o de grafos ( B ) A x B AC C A +

26 ASD preditiva recursiva ( B ) A x C A + B AC ( B ) A x + A Redução dos grafos

27 ASD preditiva recursiva Redução dos grafos () A x + A ( B ) A x + A

28 ASD preditiva recursiva procedimento A início se (token =x) então prox_token() senão se (token =() então faça prox_token(); A; até (token <>+); se (token =)) então prox_token() senão ERRO; fim () A x + A


Carregar ppt "Análise Sintática - Continuação Profa. Heloise Manica Paris Teixeira Parte 3 Slides cedidos pela Prof. Valéria Feltrin (DIN-UEM)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google